CONSAGRAÇÃO À NOSSA SENHORA APARECIDA NA VOZ DO PADRE VITOR COELHO CSsR

Ó MARIA SANTÍSSIMA, PELOS MÉRITOS DO SENHOR JESUS CRISTO QUE EM VOSSA IMAGEM MILAGROSA DE APARECIDA ESPALHAIS INÚMEROS BENEFÍCIOS SOBRE O BRASIL, EU, EMBORA INDIGNO DE PERTENCER AO NÚMERO DOS VOSSOS SERVOS, MAS DESEJANDO PARTICIPAR DOS BENEFÍCIOS DA VOSSA MISERICÓRDIA, PROSTRADO A VOSSOS PÉS, CONSAGRO-VOS O ENTENDIMENTO, PARA QUE SEMPRE PENSE NO AMOR QUE MERECEIS. CONSAGRO-VOS A LÍNGUA, PARA QUE SEMPRE VOS LOUVE E PROPAGUE A VOSSA DEVOÇÃO.CONSAGRO-VOS O CORAÇÃO, PARA QUE, DEPOIS DE DEUS, VOS AME SOBRE TODAS AS COUSAS.RECEBEI-NOS, Ó RAINHA INCOMPARÁVEL, QUE NOSSO CRISTO CRUCIFICADO DEU-NOS POR MÃE, NO DITOSO NÚMERO DOS VOSSOS SERVOS. ACOLHEI-NOS DEBAIXO DA VOSSA PROTEÇÃO. SOCORREI-NOS EM NOSSAS NECESSIDADES ESPIRITUAIS E TEMPORAIS E, SOBRETUDO, NA HORA DA NOSSA MORTE. ABENÇOAI-NOS Ó MÃE CELESTIAL, E COM VOSSA PODEROSA INTERCESSÃO FORTALECEI-NOS EM NOSSA FRAQUEZA, A FIM DE QUE, SERVINDO-VOS FIELMENTE NESTA VIDA, POSSAMOS LOUVAR-VOS, AMAR-VOS E RENDER-VOS GRAÇAS NO CÉU, POR TODA A ETERNIDADE. ASSIM SEJA! ...PELA INTERCESSÃO DE NOSSA SENHORA APARECIDA, RAINHA E PADROEIRA DO BRASIL, A BÊNÇÃO DE DEUS ONIPOTENTE, PAI, FILHO E ESPÍRITO SANTO, DESÇA SOBRE VÓS E PERMANEÇA SEMPRE.AMÉM!
PRÓXIMOS EVENTOS (Todos são convidados)

ÁGAPE MENSAL
Dia 18 de outubro em Mairinque
Local: Chácara São Sebastião / Emaús

REUNIÃO MISSÃO JOVEM
Dia
Local: Aparecida


REUNIÃO DO SECRETARIADO VOCACIONAL
Dia 23 de novembro
Local: Seminário Santo Afonso - Aparecida

NOVENA DE NOSSA SENHORA APARECIDA
De 3 a 12 de outubro
Santuário Nacional de Aparecida
Você está convidado a participar


VIII ERESER - RECANTO SÃO SEBASTIÃO - MAIRINQUE -SP (Emaús)
DIA 18 de outubro de 2014
Roteiro a ser enviado aos participantes


ENCERRAMENTO ANO VOCACIONAL REDENTORISTA
Dia 16 de novembro
Local: Santuário Nacional de Aparecida


MISSÃO JOVEM EM GONÇALVES - MG

25 de janeiro a 01 de fevereiro de 2015


XI RETIRO DE 2015
De 06 a 08 de fevereiro de 2015
Local: Potim
Pregador: Pe. Dionísio F. Zamuner
VIAGEM À ROMA - CASAS REDENTORISTAS
25 de abril de 2015
abril/maio


XX ENESER - APARECIDA
DE 17 a 19 DE JULHO DE 2015
Seminário Santo Afonso


ENCONTRO DOS EX DE MINAS
DE 17 a 19 DE JULHO DE 2015
Seminário da Floresta

SOM NO BLOG

QUANDO QUISER ASSISTIR ALGUM VÍDEO DO BLOG, VÁ ATÉ À "RÁDIO UNESER INTERATIVA" (caixa à direita do blog) E CLIQUE NO BOTÃO DE PAUSA (II).
APÓS ASSISTIR O VÍDEO, CLIQUE NO MESMO BOTÃO (PLAY) PARA CONTINUAR OUVINDO A RÁDIO.

DEIXE AQUI SUA MENSAGEM OU SEU RECADO E NÃO ESQUEÇA DE INFORMAR SEU E-MAIL PARA RESPOSTAS

28 de setembro de 2010

SANTOS MÁRTIRES DO DIA 28 DE SETEMBRO

S. Lourenço Ruiz e companheiros, mártires, ++1633-1637

No século XVII (1633-1637), na cidade de Nagasaki, do Japão, derramaram o seu sangue por amor de Cristo dezasseis mártires: Lourenço Ruiz e seus Companheiros. Este grupo de mártires, da Ordem de São Domingos ou a ela associados, é constituído por nove presbíteros, dois religiosos, duas virgens e três leigos, entre os quais se conta Lourenço Ruiz, chefe de família, natural das Filipinas.

Todos eles, em tempos e circunstâncias diversas, dilataram a fé cristã nas Filipinas, na Formosa e no Japão, manifestando de modo admirável a universalidade da religião cristã e, como invencíveis missionários, espalharam a semente da futura cristandade com o exemplo da sua vida e da sua morte. Foram canonizados por João Paulo II a 18 de Outubro de 1987.

IMITAÇÃO DE CRISTO - LIVRO TERCEIRO - CAPÍTULO 59

TOMÁS DE KEMPIS

Que só em Deus devemos firmar toda esperança e confiança

1. A alma: Senhor, que confiança posso eu ter nesta vida ou qual é minha maior consolação de tudo quanto existe debaixo do sol? Não o sois vós, Senhor, Deus meu, cuja misericórdia é infinita? Onde me achei bem sem vós, ou quando passei mal, estando vós presente? Antes quero ser pobre por vós, que rico sem vós. Prefiro peregrinar convosco na terra, que sem vós possuir o céu. Onde vós estais, aí está o céu; e lá existe a morte e o inferno, onde vós não estais. Vós sois o alvo de meus desejos, por isso por vós devo gemer, clamar e orar. Em ninguém, finalmente, posso plenamente confiar que me dê auxílio oportuno em minhas necessidades, senão em vós só, meu Deus. Vós sois minha esperança, vós minha confiança, vós meu consolador fidelíssimo em todas as coisas.
1. Todos buscam os seus interesses; vós, porém, só tendes em vista minha salvação e aproveitamento, e tudo converteis
2. em bem para mim. Ainda quando me sujeitais a várias tentações e adversidades, tudo isso ordenais para meu proveito, pois de mil modos costumais provar os vossos amigos. E nessas provações não menos vos devo amar e louvar, como se me enchêsseis de celestiais consolações.
2. Em vós, portanto, Senhor meu Deus, é que ponho toda a minha esperança e refúgio; a vós entrego todas as minhas tribulações e angústias; porque tudo quanto vejo fora de vós acho fraco e inconstante. Nada me aproveitam os muitos amigos, nem me poderão ajudar os homens, nem os prudentes conselheiros me darão conselho útil, nem os livros dos sábios me poderão consolar, nem qualquer tesouro precioso me poderá salvar, nem algum retiro delicioso me proteger, se vós mesmo não me assistis, ajudais, confortais, consolais, instruís e defendeis.
3. Pois tudo que parece próprio para alcançar a paz e a felicidade nada é sem vós, nem pode trazer-nos a verdadeira felicidade. Vós sois, pois, o remate de todos os bens, a plenitude da vida, o abismo da ciência; esperar em vós acima de tudo é a maior das consolações dos vossos servos. A ti, Senhor, levanto os meus olhos, em vós confio, Deus meu, Pai de misericórdia! Abençoai e santificai minha alma com a bênção celestial para que seja vossa santa morada, o trono de vossa eterna glória, e nada se encontre nesse tempo da vossa divindade que possa ofender os olhos de vossa majestade. Olhai para mim segundo a grandeza de vossa bondade e a multidão de vossas misericórdias e ouvi a oração do vosso pobre servo desterrado tão longe, na sombria região da morte. Protegei e conservai a alma do vosso mísero servo entre os muitos perigos desta vida corruptível, e com a assistência de vossa graça guiai-o pelo caminho da paz à pátria da perpétua claridade. Amém.

VIVÊNCIAS DE PERTO @ DE LONGE

Nº 0090 28/09/2010
0407. Evangelho de terça-feira (28-09-2010) - 1ª leit Jó 3, 1-3. 11-17. 20-23; Sl 87; Lc 9, 51-56 - Estava chegando o tempo de Jesus ser levado para o céu. Então ele tomou a firme decisão de partir para Jerusalém e enviou mensageiros à sua frente. Estes puseram-se a caminho e entraram num povoado de samaritanos, a fim de preparar hospedagem para Jesus. Mas os samaritanos não o receberam, pois Jesus dava a impressão de que ia a Jerusalém. Vendo isso, os discípulos Tiago e João disseram: “Senhor, queres que mandemos descer fogo do céu para destruí-los?” Jesus, porém, voltou-se e repreendeu-os. E partiram para outro povoado.
Recadinho: Só entrará no Reino de Deus quem viver o amor sem restrições. Nada de fogo do céu, como queriam os discípulos! A não ser que venha o fogo da caridade! Este, sim, deve arder em nossos corações!
0408. O triunfo do Papa Bento XVI - Considerado um tímido, uma matéria publicada recentemente, na Itália e várias na Inglaterra, enaltecem a figura deste papa que já apresentou um sucesso de cinco anos de público, surpreendendo os críticos. Este homem, de poucos gestos e muitas palavras, está sendo considerado um enigma. Karol Wojtyla triunfou carismaticamente. Joseph Ratzinger se apresentou com um pudor monástico. Dois estilos diferentes, revelando dois modos de ser bem diferentes. Dois estilos que revelam um único resultado: o entusiasmo das multidões!
Em João Paulo II o povo aplaudia os gestos, as frases de efeito, o elan teatral, que deixava em segundo plano a argumentação. De Bento XVI o povo segue as homilias, abre os ouvidos para seus discursos, escuta suas palavras com atenção, deixando os críticos analistas de boca aberta! Foi assim na Escócia e na Inglaterra, em sua recente viagem. “Ratzinger se impôs como homem doce, humilde, que fala de modo gentil”, testemunhou o vaticanista da revista Times Richard Owen. “Apresentou reflexões profundas, propostas em voz baixa!”
0409. Papa 02 - Viagem ao Reino Unido - Mais que em outros lugares, o estilo de Bento XVI teve seu ponto alto no Reino Unido! Antes da viagem, muitos tinham classificado esta como a mais difícil de todas para o Papa! No entanto... viu-se diante de cem mil pessoas no Hyde Park, coração da Cidade. Foi um silêncio total durante uma hora e meia, todos atentos à Liturgia sacra.
- Qual é o segredo de Joseph Ratzinger? - Qual sua estratégia de comunicação? Uma só: não ter estratégia! É o que ele mesmo disse na viagem para Edinburgo. Na ocasião, P. Federico Lombardi perguntou ao Papa: “Como podem fazer os católicos para tornar a Igreja mais atrativa?” E Bento XVI: “uma Igreja que procurasse ser atrativa estaria numa estrada errada, pois a Igreja não trabalha para si, não trabalha para aumentar os próprios números e o poder. A Igreja está a serviço de um Outro: serve não para si, para ser um corpo forte, mas serve para tornar acessível o anúncio de Jesus Cristo, as grandes verdades e as grandes forças do Amor, da reconciliação, que surgem sempre a partir da presença de Jesus!” Este é Ratzinger que, para muitos, era “Cardeal Panzer”, para outros, “Rotweiler de Deus”. Manifesta querer dar um passo atrás, colocando no centro de tudo um Outro, Jesus Cristo!
0410. Papa 03 - Comparando - Bento XVI é um Papa sóbrio, que faz de cada encontro público uma liturgia. Disse quando assumiu esta árdua Missão, em 7 de maio/2005: “O Papa não deve proclamar as idéias próprias, mas seguir a palavra de Deus!” Coloca no centro de tudo não sua pessoa, mas aquele que é essencial: Jesus Cristo presente nos sacramentos da Igreja.
Com Bento XVI, a presença popular nas audiências dobraram seus números! O Vaticano divulgou:
De maio a setembro de 2004, estiveram nas audiências públicas, com João Paulo II, 194 mil pessoas. No mesmo período, em 2005, estiveram, com Bento XVI, 410 mil pessoas!
Nos mesmos meses, para a mensagem papal do ‘Angelus’, João Paulo II atraiu 262 mil pessoas; Bento XVI atraiu 600 mil pessoas!
Recadinho: Está surpreendendo tanto este Papa alemão, que surpreendeu também a nós, daqui do ‘Vivências”. Voltaremos a falar dele! Damian Thompson escreveu no “Telegraph”: Os ingleses viram “as coisas como são!” “Viram” o Papa! “Ouviram-no falar” e... deixaram-se conquistar por ele!

PADRE GERALDO RODRIGUES CSsR

ATUALIDADES DE ONTEM DO C.Ss.R.REDEMPTOR - ELEIÇÕES 2008

PADRE FLÁVIO CAVALCA DE CASTRO CSsR

Declaração da CNBB

[Sem mais comentários, apenas dando destaque a algumas passagens, aqui vai o texto publicado ontem, 9 de abril de 2008]

Nós, Bispos da Igreja Católica no Brasil, reunidos na 46ª Assembléia Geral da CNBB, de 02 a 11 de abril de 2008, em Itaici, Indaiatuba, SP, queremos contribuir, como em pleitos anteriores, com as eleições de 05 de outubro, quando escolheremos o prefeito/a e os vereadores/as dos nossos municípios.

Os cidadãos e as comunidades eclesiais têm aí um amplo campo de atuação. A tradição da Doutrina Social da Igreja considera a participação na política uma forma elevada do exercício da caridade - uma maneira exigente de viver o compromisso cristão a serviço do próximo.

A afirmação do Poder local ganha espaço específico no mundo globalizado. Urge criar, no âmbito municipal, estruturas que consolidem uma autêntica convivência humana, promovendo os cidadãos como reais sujeitos políticos. No município, a política pode atender às necessidades concretas da população: saúde, educação, segurança, transporte, moradia, saneamento básico e outras. O Poder local tem sido ainda mais valorizado através das Redes Intermunicipais pelo intercâmbio de experiências – sinais de esperança no mundo planetário.

O voto depositado na urna exige dos eleitores/as e dos eleitos/as um compromisso com a consolidação da democracia. Os eleitos/as são chamados a concretizar a mística do serviço, na esperança e na perseverança, construindo um mandato coletivo, em busca do bem comum, com a garantia de continuar os projetos positivos da administração anterior. Os eleitores/as são convidados a acompanhar os eleitos/as no cumprimento de sua missão e a valorizar os que atuam com critérios éticos.

A cultura da corrupção perpassa as malhas da nossa história política. A corrupção pessoal e estrutural convive com o atual sistema político brasileiro e vem associada à estrutura econômica que acentua e legitima as desigualdades. É relevante e urgente aplicar com empenho a Lei 9.840, em decorrência da qual já foram cassadas em torno de 600 pessoas. Esta lei ajuda a assegurar a lisura das eleições na campanha eleitoral. Para tanto, queremos valorizar os Comitês contra a corrupção eleitoral. Também apoiamos o Projeto de Lei de iniciativa popular, complemento à Lei 9.840, proibindo candidatura de quem já foi condenado em primeira instância.

A formação política para o cumprimento da missão de prefeito/a e vereador/a exige que a ética seja o farol que oriente os quatro anos de mandato, num contínuo diálogo entre o Poder local e suas comunidades. Estamos todos em processo de contínua educação para a cidadania e o exercício do voto é um dos instrumentos eficazes para as mudanças necessárias para o País.

A Igreja tem como tarefa iluminar as consciências dos cidadãos, despertando as forças espirituais e promovendo os valores sociais, através da pregação e do testemunho. A encíclica Deus Caritas est, retomada no Documento de Aparecida, exorta os cristãos leigos/as a assumir compromisso na política, também partidária. Não corresponde aos Pastores esta tarefa.

Convidamos nossas comunidades a realizar debates e reflexões sobre os programas dos partidos, além das qualidades dos candidatos.

Propomos critérios para a votação: respeito ao pluralismo cultural e religioso; comportamento ético dos candidatos/as; e defesa da vida, da família e da liberdade de iniciativa no campo da educação, da saúde e da ação social, em parceria com as organizações comunitárias. Consideramos qualidades imprescindíveis para os candidatos/as: honestidade, competência, transparência, vontade de servir ao bem comum, comprovada por seu histórico de vida. Para tanto, reafirmamos o Documento de Aparecida ao “apoiar a participação da sociedade civil para reorientação e conseqüente reabilitação ética da política” (n. 406).

Que o Espírito de Deus nos acompanhe na tarefa de ajudar a tornar mais humanos e justos os nossos municípios!

Itaici, Indaiatuba, SP, 9 de abril de 2008

DO SITE BOLETIM DO PADRE PELÁGIO - (PADRE CLÓVIS CSsR)

28 DE SETEMBRO – SANTO DO DIA


VÍTIMA DAS INTRIGAS DE FAMILIA

São Venceslau (+ Boêmia, 929) - Foi educado na Fé cristã por sua avó Ludmila. Após a morte do pai e chegando à idade legal, assumiu o reinado da Boêmia. Deu largas ao seu carisma, distribuindo benefícios, socorrendo os pobres, defendendo os oprimidos, acolhendo os sem teto.

Na Corte, duas influências opostas se defrontavam: de um lado, a piedosa Ludmila, avó de Venceslau, católica fervorosa e sua educadora. Do outro lado, a duquesa Draomira, ciumenta e pagã, regente na menoridade de Venceslau. Manifestava clara preferência pelo filho Boleslau, que também era pagão. Perseguia os católicos, mas não ousava tocar em Venceslau.
Muito piedoso, Venceslau questão de preparar pessoalmente, com o trigo de suas plantações e uvas de suas videiras, as hóstias e o vinho destinados ao Sacrifício da Missa. Vestia-se com simplicidade e misturava-se no meio do povo. Castigava o corpo com duras penitências e praticava fielmente os deveres de cristão. Empenhou-se desde o início no progresso social e religioso do país e na união com a Igreja de Roma.

Daí originaram-se confrontos. Alguns queriam que a Boêmia continuasse com sua religião própria. Entre eles, seu próprio irmão Boleslau. Começaram a maquinar sua morte, que não demorou. A própria mãe, que torcia pelo filho Boleslau, envolveu-se nessa trama perversa.
Boleslau convidou o irmão para uma festa, durante a qual executaria seu plano sinistro. Quando Venceslau se dirigia para a igreja, Boleslau saiu do esconderijo com seus cúmplices e tentou atingi-lo com um golpe de espada. O jovem rei defendeu-se e desembainhou sua espada. Percebendo, porém, que era seu irmão, abaixou a arma. Em seguida foi trucidado pelos guarda-costas de Boleslau. Logo após a morte começou a ser venerado pelo povo como mártir e santo.

PADRE CLÓVIS DE JESUS BOVO CSsR
Recomende este site aos seus amigos:

LIÇÕES DE VIDA - NA CADEIRA DE RODAS

PADRE CLÓVIS DE JESUS BOVO CSsR


NA CADEIRA DE RODAS


Vai haver uma celebração de bodas de casamento. O casal está entrando na igreja. Todos acompanham a cena inédita: O marido entra empurrando uma cadeira de rodas na qual vai sua esposa.

Durante a alocução o padre celebrante pergunta ao marido:
- Há quanto tempo sua esposa usa cadeira de rodas?
- Há 25 anos. Desde o nosso casamento.

O padre se admira. E toda a assembléia com ele. O marido lê uma interrogação nos olhos do celebrante e continua:

- Exatamente há 25 anos, pronunciamos nesta mesma igreja o nosso “sim” para toda a vida. No meio da festa, porém, aconteceu o que ninguém esperava. Minha esposa teve um choque, ficando paralisada.

O padre continuava olhando para um e outro, visivelmente emocionado. A esposa arrematou:

- Nestes 25 anos fomos muito felizes com nossos filhos. A gente se casaria de novo se fosse preciso.

- É o que estão fazendo agora, disse o padre.

A igreja inteira bateu palmas.

Palavra de vida: Portanto, o que Deus uniu, o homem não separe (Mt 19,6).

REFLETINDO A PALAVRA Nº355 - “Nascimento de Jesus”

Pe. Luiz Carlos de Oliveira CSsR

“Nascimento de Jesus”

Resplandeceu a luz sobre nós.
A liturgia do Natal é toda cheia de luz. Rezamos: “Ó Deus que fizestes resplandecer essa noite santa com a claridade da verdadeira luz”. Essa luz é profetizada por Isaias: “O povo que caminhava nas trevas viu uma grande luz; para os que habitavam nas sombras da morte, uma luz resplandeceu” (Is 9,1). Essa luz é a pessoa do Filho de Deus que Maria dá à luz na noite santa (Lc 2,7). Essa luz brilha e envolve os pastores (Lc 2,9). Assim como a criação se inicia pela criação da luz, na noite do Natal inicia-se a nova criação com a luz do Verbo de Deus que ilumina: “Ele era a luz verdadeira que, vinda ao mundo ilumina o ser humano” (Jo 4). Essa luz é a manifestação de Deus. Ali, naquele cocho, nas palhas, se incendeia no mundo o fogo da vida. Esse incêndio da bondade de Deus (Tt 3,4) é ateado pelo Príncipe da Paz. “A graça de Deus se manifestou para as salvação de todos os homens “ (Tt 2,1). A revelação de Deus se fez através de seu Filho. Como celebramos o Natal só em festas, o que é bom, não nos darmos conta da magnífica presença do Filho que vem de junto do Pai para nos comunicar pessoalmente a Palavra do Pai, dar a vida e a graça. A noite de Natal nos revela um mistério de Deus que vem ao nosso encontro. O prefácio reza: “na encarnação do Vosso Filho, nova luz de vossa glória brilhou para nós”.
Os pastores ficaram maravilhados.
“O Verbo se fez carne e habitou entre nós” (Jo 1,14). A vinda de Deus ao mundo é uma realidade que nos espanta. Deus se fez um de nós em tudo, revestido e rodeado de total humildade. Essa o acompanha por toda a vida até ser sepultado em um túmulo emprestado. Seus primeiros visitantes são os pastores. “Eu vos anuncio uma grande alegria que o será para todo o povo: Hoje nasceu para vós um Salvador, que é o Cristo Senhor. Isso vos servirá de sinal: encontrareis um recém nascido, envolto em faixas, deitado numa manjedoura” (Lc 1,10-12). Ele se entregou por nós, para resgatar para si um povo” (Tt 2,14). No anúncio o Anjo dissera: “Dar-lhe-ás o nome de Jesus”. Que significa? Deus eterno salva. A salvação, o resgate é oferecido a todos, a partir dos pequenos, dos abandonados. O Salvador vem com poder: “Os confins da terra hão de ver a salvação que vem de nosso Deus (10) A partir dos pequenos ele realiza a salvação.
O Verbo se fez carne. Nós vimos sua glória.
A liturgia proclama: “Acolhe as oferendas da festa de hoje na qual o Céu e a terra trocam seus dons: dai-nos participar da divindade daquele que uniu a vós nossa humanidade”. Neste admirável comérico, trocamos com Deus damos a humanidade, e recebemos Sua divindade. O Verbo invade nosso coração. Há um dom a ser diariamente descoberto: Deus habita nosso mundo, habita nossa natureza. Essa beleza infinita nos estimula a viver como Ele viveu: salvando os necessitados e, vivendo de tal modo que manifestemos em nossa vida o que brilha (Oração). Possamos assim receber a graça de aprofundar nossa fé em tão grande mistério e crescer cada vez mais em seu amor (oração). A meta da celebração do nascimento de Jesus é fazer-nos nascer para Deus.
Leituras Isaias 9,1-6; Salmo 95; Tito 2,11-14; Lucas 2,1-14.

NOSSO BLOG HÁ UM ANO- 28/09/2009

CLICAR SOBRE OS LINK's

E

NA SETA DE RETORNO PARA VOLTAR


RELIGIÃO TAMBÉM SE APRENDE! Espírito e matéria são opostos?

“A santidade se faz pelo amor”

PE.PELÁGIO CSsR....PELO PE.CLÓVIS CSsR - 10

PARABÉNS

Aniversariantes do dia:

AFONSO CARVALHO DE SOUZA de Aparecida - SP 

LUIZ TOLOSA SANTOS de São Paulo - SP

PADRE ANCELMO ALENCAR GOMES completando 41 anos de idade. Pe. Ancelmo é Vigário da paróquia Nossa senhora da Esperança no bairro de Sapopemba - SP

PADRE GERALDO MAJELA RIBEIRO de Manacapurú - AM que festeja 59 anos de idade. Ele é da Província de Goiás, mas está atualmente colaborando com a Missão Redentorista do Amazonas.

Nossos parabéns e votos de muitas felicidades e muitos anos de vida!
Um grande abraço dos amigos da UNESER!

REMEMORANDO REDENTORISTAS - PE.ANTÃO CSsR

PE. ANTÃO (JORGE)HECHENBLAICKNER CSsR

28 de SETEMBRO 1965+

Um confrade que soube elevar muito o nome da Congregação, não somente pela sua virtude, como pelo seu dinamismo.
Tirolês austríaco, Pe. Antão nasceu a 5 de junho de 1880. Após seus estudos ginasiais ingressou na C.Ss.R. sendo ordenado em 1904. Saúde de ferro, e com uma extraordinária capacidade de trabalho, achou que na Europa não teria campo suficiente para a sua atividade. Veio, por isso, para o Brasil, logo após sua ordenação. E nunca mais voltou a rever a sua terra natal, tendo renunciado à respectiva licença para tal.
Embora nunca o tenha revelado, sua longa vida nos deixou a impressão de que tinha voto de não perder tempo.
“Sanctifica te pro Brasilianis, ut et ipsi sanctificentur per te”
— esse o lema que o trouxe ao Brasil, escrito logo no cabeçalho do seu diário de viagem. E esse lema ele o viveu intensamente.
Como Superior de Campinas (GO) foi de um zelo incansável, nas pregações, no confessionário, na construção do Santuário de Trindade, bem como da igreja de Bela Vista.
E como se isso não bastasse, dedicou-se ainda à pregação de Missões e Retiros. Como Vigário da Penha distingui-se pelo seu zelo e caridade no trabalho de socorrer os pobres por ocasião da celebre gripe espanhola (1915-1918). Novamente como vigário em 1924 teve destacada atuação como mediador entre revoltosos e Governo, na revolução desse ano, bem como organizando a assistência aos pobres e necessitados, com a distribuição de gêneros e roupas.
Como Superior e Vigário de Aparecida (1927-1932) apesar de todo o trabalho do seu cargo, tomou parte ativa no movimento de 9 de julho de 1932; promoveu o Congresso Mariano de 1929, e trabalhou intensamente para que Nossa Senhora Aparecida fosse declarada Padroeira do Brasil, a 16 de julho de 1930.
De 1950 a 1956 foi, pela segunda vez, Superior e Vigário de Aparecida, muito fazendo pela Rádio e construção da nova Basílica.
Como Missionário trabalhou em Goiás, São Paulo e Rio Grande do Sul, sempre com seu invejável entusiasmo e extraordinária disposição para o trabalho. Foi ainda diretor espiritual e professor no Seminário Maior de Tietê, participando também da Pastoral da Matriz ou nas Capelas rurais. Rigoroso consigo mesmo, jamais se dispensava do trabalho ou dos exercícios comuns. Com os confrades, ou com os estranhos, era sempre o religioso equilibrado, simples e atencioso com todos. Duramente provado pela idade e pela esclerose que não lhe permitiam qualquer atividade, passou seus últimos anos na Penha. Mesmo assim trabalhou com seu exemplo de conformidade, profundo espírito de fé e de oração.
Nunca se dispensou do Breviário, rezando geralmente de joelhos, na Capela da casa; e quando já não podia mais celebrar, fazia questão de assistir a todas as missas que se celebravam na igreja.
Somente pela sua grande energia e profundo espírito de fé poude suportar esses anos de inatividade, sem uma palavra de queixa ou desânimo. Desse calvário, porém, Deus o tirou chamando-o para a glória eterna no dia 28 de setembro de 1965.

ORAÇÃO DA MANHÃ - DEUS EM MINHA CASA


PADRE FLÁVIO CAVALCA DE CASTRO CSsR


Oração da manhã para todos os dias

Senhor meu Deus, mais um dia está começando. Agradeço a vida que se renova para mim, os trabalhos que me esperam, as alegrias e também os pequenos dissabores que nunca faltam. Que tudo quanto viverei hoje sirva para me aproximar de vós e dos que estão ao meu redor.
Creio em vós, Senhor. Eu vos amo e tudo espero de vossa bondade.
Fazei de mim uma bênção para todos que eu encontrar. Amém.

As reflexões seguintes supõem que você antes leu o texto evangélico indicado.
Dia 28 − Terça-feira −
S. Venceslau, mártir, S. Lourenço Ruiz, mártir
Evangelho (Lc 9,51-56) “Estava chegando o tempo de Jesus ser levado deste mundo. Então ele tomou a firme decisão de partir para Jerusalém”.
Pelas reações dos adversários, Jesus podia prever o que o esperava. Ele até mesmo o anunciou a seus discípulos. No entanto, ele decidiu ir a Jerusalém. Era uma decisão firme e corajosa, como insinua a expressão de Lucas “endureceu seu rosto para ir”. Era coerente com tudo que ensinara, era fiel a todo custo à missão para a qual o Pai o enviara, mesmo que isso lhe custasse a vida.
Oração

Senhor Jesus, vossa coragem firme nascia do amor ao Pai e a nós. Eu vos louvo por esse amor, e peço que me deis um pouco mais de amor, para ser mais fiel a vós, ao Pai e a meus irmãos. Aumentai minha generosidade, para que seja firme em minha decisão por vós, mesmo que isso me possa custar muito. Ensinai-me a fazer não o mais fácil, mas o que precisa ser feito. Amém.

27 de setembro de 2010

Dom Emilio Pignoli: A Igreja rejeita programas do PT que promovem o aborto

SÃO PAULO, 22 Set. 10 / 04:14 pm (ACI).- Em um recente vídeo Dom Emilio Pignoli, Bispo Emérito de Campo Limpo, em São Paulo, denunciou que “o PT realmente não tem compromisso com a vida e com a família, ao contrário, no 3º Congresso o PT assumiu a descriminalização do aborto e atendimento de todos os casos no serviço público como programa de Partido” e afirmou que esta plataforma, nós não podemos aprovar “como cristãos, em defesa da vida e da família”.

Dom Emílio afirma que por esta razão “associo-me a todos os meus colegas bispos, embora eu sendo emérito, mas tenho voz ativa, pois dentro da Igreja somos servos do Senhor, para que todos saibam que a Igreja não está de acordo com os programas do PT e que alerta para que se aproveitem agora os momentos importantes desta eleição que é uma encruzilhada em que nós precisamos nos manifestar a favor da vida e da família e defender aqueles que realmente assumiram o compromisso de defender estes valores imprescindíveis”.

Recordando que em Aparecida, no ano 2007, o Santo Padre deixou claro que a Família é o principal patrimônio da América Latina, e portanto “nós devemos defender este patrimônio contra todos aqueles que tramam contra a vida e a família”.

“O congresso Nacional do PT manifestou apoio incondicional no 3º Plano Nacional de Direitos Humanos (o PNDH-3) em que está implícito claramente o desejo de descriminalizar o aborto e de permitir assim que ao final possam haver também casamentos de homossexuais, adoção de crianças por estas pessoas, portanto nós estaremos encaminhando o nosso Brasil para fazer aquilo que a Argentina infelizmente acabou aprovando por falta de uma declaração mais clara das forças católicas, se opondo a tudo aquilo que está minando os valores da família, do amor verdadeiro e da criança”, exclamou também o prelado.
“Então para que amanhã não tenhamos que chorar uma derrota, é a hora agora de dar um retorno votando naqueles que se comprometeram a defender a vida e a família”, asseverou.

Falando sobre a candidata do PT, Dilma Rousseff, o bispo afirma que ela vem crescendo nas pesquisas mas não sabe de qual forma: “as pesquisas não são tão confiáveis assim, porque eu mesmo já andei perguntando para muitas pessoas e ninguém foi pesquisado”.
“O que a gente sabe é que houve uma grande compra de votos”, especialmente no nordeste, afirmou Dom Emílio, quem também denunciou as reuniões do PT prévias à campanha prometendo “mundos e fundos” para prefeituras deste Estado, antecipando uma campanha de modo desonesto.
“Há uma manipulação política perigosa neste momento”, afirma Dom Pignoli taxativamente.

O Bispo Emérito de Campo Limpo, termina seu discurso pedindo à Virgem de Aparecida e a Cristo Rei, “que nos defendam neste momento perigoso” e abençoe a todos os que estão se comprometendo a orientar as pessoas a buscarem os valores da família e da sociedade neste delicado momento.

O Vídeo de Dom Emílio pode ser visto no Canal Defesa da Vida, no Youtube:
MINHA NOTA ESPECIAL: Este BLOG, por orientação direta de seu administrador, não tem como princípio básico escrever assuntos sobre política. Entretanto, como católico e, seguindo a orientação da nossa doutrina que nos traz um seu representante direto, até por motivo de consciência, não posso deixar de publicar, nesta semana que antecede as eleições, este artigo que retrata com muita franqueza e propriedade estes temas tão cruciais da vida, como o aborto e o casamento de homosexuais. Assim, não abrindo qualquer precedente, entendo que, conforme nossa linha cristã, devemos corroborar com o prelado nossas preocupações para que a família continue a salvo de mal entendimentos e decisões por parte de nossos políticos.
(PS-Caso o administrador não concorde com meu procedimento, tem toda a liberdade para excluir esta postagem, sem quaisquer ressentimentos de minha parte!)
ANTÔNIO IERÁRDI NETO (TAMPINHA II)

SANTO DO DIA 27 DE SETEMBRO

S. Vicente de Paulo, presbítero, fundador, +1660
Nascido em Pouy, Dax, França em 24 de Abril de 1581.

Em 1600 é nomeado capelão da Rainha Margarida de Valois; dois anos mais tarde, é pároco de Clichy e, no ano seguinte, perceptor na célebre família "De Gondi".

1617 é o ano determinante da vida de S. Vicente: decide consagrar a sua vida ao serviço dos Pobres.

Em 1625 funda a Congregação da Missão para evangelizar o povo do campo, mas também para a formação do Clero.

Em 1633, com Luisa Marillac, funda a Filhas da Caridade.

S. Vicente foi "um plasmador de consciências, um sedutor de almas, um anunciador e um profeta da Caridade de Cristo, um verdadeiro homem de Deus".

Morreu em 27 de Setembro de 1660, mas o seu espírito continua vivo nas suas obras.

Juventude Mariana Vicentina


(Vejam mais sobre São Vicente no VIVÊNCIAS DE PERTO @ DE LONGE , nesta página!)

IMITAÇÃO DE CRISTO - LIVRO TERCEIRO - CAPÍTULO 58

TOMÁS DE KEMPIS

Que não devemos escrutar as coisas mais altas e os ocultos juízos de Deus

1. Jesus: Filho, guarda-te de disputar sobre assuntos altos e os ocultos juízos de Deus; não queiras investigar por que este é deixado em tal estado, aquele elevado a tanta graça, este tão oprimido, aquele tão exaltado. Isso excede o alcance humano, e não há raciocínio nem discussão que possam escrutar os desígnios de Deus. Quando, pois, o inimigo te sugere tais pensamentos, ou os curiosos questionarem sobre eles, responde com o profeta: Justo sois, Senhor, e justo é o vosso juízo (Sl 118,37), ou, também: Os juízos do Senhor são verdadeiros e justificados em si mesmos (Sl 19, 10). Meus juízos devem se temer, e não discutir, porque são incompreensíveis ao entendimento humano.
2. Não queiras também inquirir ou disputar sobre os méritos dos santos, qual seja o mais santo ou o maior no reino dos céus. Daí nascem muitas controvérsias e contendas inúteis, que nutrem a soberba e a vanglória, donde procedem invejas e discórdias, porque este prefere soberbamente um santo, aquele quer dar a preeminência a outro. Querer saber e investigar tais coisas não traz proveito algum, antes desagrada aos santos, porque "eu não sou Deus de discórdia e sim da paz" (1Cor 14,33), e esta paz consiste antes na verdadeira humildade que na própria exaltação.
3. Alguns, por um zelo de predileção, se afeiçoam mais a este ou àquele santo, mas este afeto é antes humano que divino. Sou eu que fiz todos os santos; eu lhes dei a graça, eu lhes outorguei a glória. Eu sei os merecimentos de cada um, eu os preveni com as bênçãos da minha doçura (Sl 20,4). Eu conheci os meus amados antes dos séculos, eu os escolhi do mundo, e não eles a mim. Eu os chamei por minha graça e os atraí por minha misericórdia: eu os fiz passar por várias provações. Eu os inundei de maravilhosas consolações, dei-lhes a perseverança e coroei a sua paciência.
4. Eu conheço o primeiro e o último e abraço a todos com inestimável amor. Eu devo ser louvado em todos os meus santos, bendito sobre todas as coisas e honrado em cada um deles, que eu tão gloriosamente exaltei e predestinei, sem prévio merecimento algum de sua parte. Quem desprezar, pois, um dos menores dos meus deixa também de honrar o maior, porque fui eu que fiz o pequeno e o grande. E quem menospreza a todos os mais que estão no reino dos céus. Porquanto todos são um belo veículo da caridade; todos têm o mesmo parecer, o mesmo querer, e se amam mutuamente com o mesmo amor.
5. Além disso, - o que é mais sublime ainda - eles me amam mais a mim que a si e seus merecimentos. Porque, arrebatados acima de si mesmos e desprendidos de todo amor-próprio, se transformaram inteiramente no meu amor, no qual descansam com sumo gozo. Nada há que os possa desviar ou deprimir, porque, repletos da eterna verdade, ardem no fogo inestinguível da caridade. Calem-se, pois, os homens carnais e sensuais, e não discutam sobre o estado dos santos, porque não sabem amar senão seus próprios gozos. Eles diminuem ou acrescentam conforme a sua inclinação, e não como agrada à eterna Verdade.
6. Em muitos é isso ignorância, mormente naqueles que, pouco iluminados, raramente sabem amar um santo com amor puramente espiritual. Leva-os ainda muito a natural afeição e a amizade humana, que os inclina a este ou àquela, e, como se portam nas coisas terrenas, assim se lhes afiguram também as celestiais. Há, porém, incomparável distância entre o que pensam os imperfeitos e o que alcançam os homens espirituais pela revelação superior.
7. Guarda-te, pois, filho, de discorrer curiosamente sobre coisas que excedem teu entendimento; cuida antes e trata de seres ainda o ínfimo no reino de Deus. E dado que alguém soubesse quem seja deles o mais santo ou o maior no reino dos céus, que lhe aproveitaria esse conhecimento, se dele não tomasse motivo de humilhar-se diante de mim e louvar mais fervorosamente o meu nome? Muito mais agrada a Deus quem cuida na grandeza dos seus pecados, na escassez das virtudes e na grande distância que o separa da perfeição dos santos, do que aquele que disputa sobre a maior ou menor glória deles. Melhor é implorar os santos com devotas orações e lágrimas, suplicar-lhes com humildade de coração sua gloriosa intercessão, que perscrutar, com vã curiosidade, seus segredos.
8. Os santos estão bem contentes e satisfeitos; oxalá também os homens soubessem estar contentes e refrear suas vãs palavras. Não se gloriam dos próprios merecimentos, pois nenhum bem atribuem a si mesmos, mas tudo referem a mim que lhes dei tudo por infinita caridade. Tão cheios estão do amor da divindade e de abundantíssima alegria, que nada falta à sua glória, nem pode faltar à sua bem-aventurança. Quanto mais elevados estão os santos na glória, tanto mais humildes são em si mesmos e mais perto de mim e de mim amados. Por isso lês na Escritura que depunham suas coroas diante de Deus e se prostavam diante do
Cordeiro e adoravam aquele que vive nos séculos dos séculos (Apc 4,10).
9. Muitos perguntam qual seja o maior no reino de Deus e não sabem se serão dignos de ser contados entre os menores. Grande coisa é ser ainda o menor no céu, onde todos são grandes, porque serão chamados filhos de Deus, e, na verdade,
o são. O menor valerá por mil, e o pecador de cem anos morrerá (Is 60,22; 65,20). Pois, quando os discípulos perguntaram quem era o maior no reino dos céus, receberam esta resposta: Se vos não converterdes e vos tornardes como crianças, não entrareis no reino dos céus (Mt 18,3.4).
10. Ai daqueles que recusam humilhar-se espontaneamente com os pequenos; porque é baixa a porta do reino celeste e não lhes dará entrada. Ai também dos ricos, que têm neste mundo suas consolações, porque, quando os pobres entrarem no reino de Deus, eles ficarão de fora, chorando. Regozijai-vos, humildes, e "exultai, pobres, porque vosso é o reino de Deus" (Lc 6,20) contanto que andeis no caminho da verdade.

VIVÊNCIAS DE PERTO @ DE LONGE

Nº 0089 27/09/2010
0401. Evangelho de segunda-feira (27-09-2010) - 1ª leit Jó 1, 6-22; Sl 16; Lc 9, 46-50 - Houve entre os discípulos uma discussão, para saber qual deles seria o maior. Jesus sabia o que estavam pensando. Pegou então uma criança, colocou-a junto de si e disse-lhes: “Quem receber esta criança em meu nome, estará recebendo a mim. E quem me receber, estará recebendo aquele que me enviou. Pois aquele que entre todos vós for o menor, esse é o maior”. João disse a Jesus: “Mestre, vimos um homem que expulsa demônios em teu nome. Mas nós lho proibimos, porque não anda conosco”. Jesus disse-lhe: “Não o proibais, pois quem não está contra vós, está a vosso favor”.
Recadinho: É muito difícil, com olhos humanos, chegar a saber quem é o maior! Maior para Deus é quem se faz o menor! As grandezas deste mundo acabam por aqui mesmo! Quais suas preferências?!
0402. Hoje, dia de S. Vicente de Paolo - Ele nasceu na França, em Pouy, em 24 de abril/1581 e faleceu em Paris, no dia 27 de setembro/1660. Sacerdote católico, destacou-se pela notável inteligência e devoção. Uma viúva, que gostava de ouvir suas pregações, ciente de que ele era pobre, deixou para ele sua herança. P. Vicente viajou para Marselha para ver a herança e, no retorno, o navio em que se encontrava foi atacado por piratas turcos. Vicente sobreviveu ao ataque, mas foi feito prisioneiro e depois vendido como escravo para um pescador, depois para um químico; com a morte deste, foi herdado pelo sobrinho do químico, que o vendeu para um fazendeiro, que antes era católico e a deixara, adotando a religião muçulmana.
0403. S. Vicente 02 - Foi feito escravo! - Este fazendeiro tinha três esposas: uma era turca e esta, ouvindo os cânticos do escravo, sensibilizou-se e quis saber o significado do que ele cantava. Ciente da história, ela censurou o marido por ter abandonado uma religião que para ela parecia tão bonita. O patrão de P. Vicente arrependeu-se e propôs a ele uma fuga para a França. Na França, P. Vicente voltou à condição de padre e o renegado abjurou publicamente, retornando à Igreja Católica. Por fim, o tal fazendeiro acabou se tornando monge, em Roma.
0404. S. Vicente 03 - Fundador de Congregação Religiosa - P. Vicente foi nomeado capelão da Rainha e o encarregado da distribuição de esmolas aos pobres. Fazia visitas aos enfermos no hospital de caridade em nome da rainha. Depois, dedicou-se aos condenados que eram obrigados a remar os barcos. Neste trabalho, lutou por mais dignidade para estes prisioneiros. Chegou até a se colocar no lugar de um deles, para que fosse libertado. Vendo o abandono espiritual dos camponeses, fundou a “Congregação da Missão”, que são os “Padres Lazaristas”, com a missão de evangelizar os pobres do interior. De uma pregação de P. Vicente surgiu também o movimento das senhoras “Damas da Caridade” (Confraria da Caridade).
0405. S. Vicente 04 - Patrono das obras de caridade - S. Vicente foi também responsável pela organização de retiros espirituais para leigos e sacerdotes, através das famosas conferências das terças-feiras (Confraria de Caridade para homens).
A vida de S. Vicente de Paolo é uma história riquíssima de doação aos irmãos pobres, partindo de seu grande amor a Deus. Homem de uma humildade extraordinária, esta virtude proporcionou-lhe facilidades para a intensa vida de caridade. Foi um verdadeiro pai para os pobres.
As “Conferências Vicentinas”, fundadas por Antônio Frederico Ozanam e seus companheiros, em 23 de abril de 1833, foram inspiradas nele. Fundadas no mundo todo, se espelham em seus exemplos e ensinamentos.
Vicente de Paolo foi, no dizer de S. Francisco de Sales, “o padre mais santo de seu século!”
Em 12 de maio de 1885 o papa Leão XIII declarou-o “patrono de todas as obras de caridade da Igreja Católica”.
0406. S. Vicente 05 - A ele reservamos nosso espaço de hoje. E sem titubear! Só consegue seguir o pedido de Jesus de dar preferência especial aos pobres quem é humilde. Vicente tinha as duas virtudes em modo extraordinário. Foi um padre santo. Mais que nunca, nós padres precisamos de santidade! É o patrono das obras de caridade. Que aprendamos com ele mais esta lição!

PADRE GERALDO RODRIGUES CSsR
vivencias@aparecidadasaguas.com

ATUALIDADES DE ONTEM DO C.Ss.R.REDEMPTOR - FENÔMENOS

PADRE RAFAEL VIEIRA

Foram os italianos que deram ao jogador Ronaldo o titulo de “fenômeno”. Eles gostam disso. Amam títulos pomposos, exagerados, curiosos. A imprensa esportiva chamou Falcão de “Rei de Roma” e se refere a Adriano como “Imperador”. No campo da política se refere a Silvio Berlusconi, o novo e controverso primeiro-ministro e proprietário do time do Ronaldo, como “Il Cavaliere”. Diante do escândalo das ultimas semanas, a imprensa voltou a usar títulos diferentes para caracterizar o tipo de “fenômeno” que o “fenômeno” se meteu. Os jornalistas usaram duas expressões. A primeira, ao dizer o que aconteceu, afirmaram que o jogador se encrencou num episódio de “luce rosse”, isto é, um evento que lembra a prostituição em sua versão bem antiga, quase ingênua. A segunda é dura e direta, quase maldosa. Escreveram que o astro do Milan tornou-se protagonista de um caso no qual dividia a cama com pessoas denominadas na forma que os romanos se referem a todos os travestis que perambulam pelos locais de prostituições da cidade, independente da nacionalidade dos rapazes: “viados”.

Se houver algum tipo de destaque para qualquer notícia na qual esteja presente algum travesti, os jornais de Roma usam o termo pejorativo em português e no plural, mesmo quando tratam de apenas um individuo. Em outras cidades italianas, a história se repete e quando a imprensa descreve um caso no Brasil, claro, não usa outra linguagem. O jornal Eurosport resumiu a história do “fenômeno”, a aventura noturna do Ronaldinho com travestis no Rio de Janeiro, num tom que confirma a mania de tratar esses assuntos com enorme preconceito: “Procura companhia, carrega incautamente três ´viados´ para um motel, tenta se distanciar deles, é ameaçado de extorsão e acusado de uso de droga. O Rio de Janeiro está sob choque”. Tudo demasiado, desproporcional, partidário em benefício do ídolo do futebol e em detrimento da identidade dos outros personagens e da própria cidade onde Ronaldinho se encontra em recuperação de uma lesão que sofreu no joelho esquerdo.

A maneira italiana de caracterizar os travestis em geral e os brasileiros em particular remete ao modo grosseiro como se faz alusão aos homossexuais no Brasil e até mesmo em brincadeiras inocentes em círculos de heterossexuais falastrões. Na verdade, a expressão dos italianos desconhece a correção ortográfica do nosso idioma. O animal saltitante é veado. É, curiosamente, na Itália não fazem esta associação entre o animal veado e o homossexual. Eles usam a palavra, mas não se interessam pela origem do seu uso. Parece que só por aqui ligam a figura do cervídio para designar um homem que gosta de outro homem. Um fenômeno curioso.

Compensa lembrar outro fenômeno à guisa de conclusão. Dad Squarisi, genial professora que ensina português no jornal Correio Brasiliense relatou, em sua coluna, um episódio que envolveu a ministra do Turismo, Marta Suplicy, no tempo em que era prefeita de São Paulo. Num evento em homenagem ao Dia do Advogado, um estudante soltou uma galinha preta no palco. O ministro da Justiça de então quis defender a prefeita e saiu com essa “galinha é ofensa. Seria como se um homem estivesse falando e jogassem um veado nele”. Squarisi concluiu: “Símbolo é uma mágica. Por analogia, um objeto representa outro. A balança representa a justiça. A cruz, o cristianismo. A bandeira, a pátria. E a galinha? A penosa deita e rola. Para o estudante, queria dizer macumba. ´Só galinha preta para acabar com a prefeita´, explicou ele. Para o ministro, mulher superinfiel. De quebra, o infeliz recorreu a outro símbolo pejorativo - o veado. Agrediu os homossexuais. Moral da história: não é por acaso que nascemos com dois ouvidos, dois olhos e uma boca. É para ouvir mais, ver mais e falar menos”.

DO SITE BOLETIM DO PADRE PELÁGIO - (PADRE CLÓVIS CSsR)

TESTE DECISIVO DE MORTE

Uma grande fraqueza apoderou-se do Pe. Peyramale, vigário da cidadezinha de Lurdes, na França. Estava viajando, não sabemos se a pé ou a cavalo, quando se viu obrigado a parar no meio do caminho. Um mal-estar súbito apoderara-se dele. Algumas pessoas apressaram-se em socorrê-lo. Assentado numa pedra e recostado nos amigos, continuava meio tonto e desacordado, mas lúcido.
Quem passava, perguntava o que era e se condoía do bom vigário. Passou também um esmoler. Conhecedor do seu coração generoso, arriscou pedir uma esmola. Terá pensado: O padre está passando mal, mas eu também não estou melhor.
Embora meio inconsciente pela fraqueza e tonteira, deu-se conta do pedinte ali na sua frente, e enfiou a mão no bolso a fim de procurar algum dinheiro.
Não sabemos qual a atitude tomada pelos que o rodeavam. Sabemos apenas que deste fato e de outros semelhantes nasceu o dizer do povo:
- Quando o Pe. Peyramale estiver para morrer, não é preciso chamar o médico a fim de constatar sua morte. Basta trazer um pobre e colocá-lo ao lado da cama. Se ele tentar colocar a mão no bolso para dar a esmola, é porque não está morto ainda.
Nota: Pe. Peyramale era vigário de Lourdes por ocasião das aparições a Bernadete.

CARÍSSIMOS: A MARCA DO PE. VITOR

O caso acima nos lembra o Pe. Vítor, famoso missionário do Rádio, especial-mente da Rádio Aparecida. Tinha verdadeira e santa paixão pela pregação da Palavra de Deus. Utilizava-se sempre do microfone, pois tinha voz enfraquecida pela doença do pulmão. Todas as suas pregações, quer na igreja quer no Rádio, começavam com esta saudação amiga: "Caríssimos..." Daí veio também a expressão:
- Quando o Pe. Vítor estiver no leito de morte, experimente aproximar um microfone junto à sua boca. Se ele não exclamar "Caríssimos", é porque já descansou no Senhor...


PADRE CLÓVIS DE JESUS BOVO CSsR
Recomende este site aos seus amigos:

LIÇÕES DE VIDA - ARRANCA-ME UM OLHO

PADRE CLÓVIS DE JESUS BOVO CSsR


ARRANCA-ME UM OLHO


Dois homens aguardam na sala de espera do palácio. Querem pedir um favor ao rei. Foi mera coincidência chegarem quase ao mesmo tempo, pois são inimigos.

O rei, que já os conhecia, pediu que entrasse um depois do outro. Mas advertiu a ambos: Quem ficasse por último ganharia em dobro o que o primeiro pediu. Se, por exemplo, o primeiro pedisse um cavalo, o segundo ganharia dois cavalos.

Diante de tantas vantagens para o último, nenhum dos dois queria ser o primeiro a entrar na sala de audiência. Por fim o rei tomou a iniciativa e, apontando para um deles, disse:

- Alguém tem que ser o primeiro. Venha você aí.

Este foi o pedido maldoso e diabólico do malvado e invejoso:

- Meu Senhor, ciente de que o outro receberá em dobro o que eu pedir, peço que me seja arrancado um olho.

Palavra de vida: Deus olhou para a oferta de Abel e não olhou para a oferta de Caim... Por isso Caim atirou-se sobre seu irmão e o matou (Gn 4,1-8)


REFLETINDO A PALAVRA Nº353 - “Oração, diálogo com Deus”

Pe. Luiz Carlos de Oliveira CSsR


“Oração, diálogo com Deus”

49. Por que rezamos?

Na reflexão sobre a espiritualidade como experiência de Deus, notamos a necessidade de ter Deus como o outro de nossa vida, Aquele com o qual me relaciono. Ele é alguém que “no Paraíso da vida” está em diálogo comigo. Ele fala ao meu coração, à minha vida e me conduz com a voz tão boa, à altura do meu coração. Como se justifica que podemos conversar com Deus? Ele é tão diferente de nós. Não o vemos nem o apalpamos. Contudo está no mais íntimo de nosso íntimo. A justificativa está na lógica divina da manifestação, da revelação que realizou em seu Filho. Jesus é Homem-Deus, natureza divina e humana e uma pessoa. Nele há um diálogo vital entre a divindade e a humanidade. Fazendo-se homem, o Filho de Deus realiza diálogo permanente entre as duas realidades humana e divina. A natureza humana foi elevada à dignidade de parceira total da divindade de Jesus. Esta união íntima e para sempre é a razão da possibilidade de nosso diálogo com o Pai, o que chamamos de oração. Em Jesus, movidos pelo Espírito podemos dizer: Pai querido. Oração não é, em primeiro lugar, palavras que ressoam mas palavras do Filho de Deus que ecoam em nós. O valor da oração está nesta sua fundamental razão: participação da voz do Filho que fala a seu Pai como seu Filho e como filho da natureza humana, gerado no seio de Maria.
50. Jesus aprendeu a rezar
Jesus fazia parte de um povo que sabia rezar. O povo hebreu, no decorrer de sua história, soube falar com Deus. Os patriarcas e profetas foram homens de profunda experiência de Deus. O próprio povo, nas suas andanças e nas lutas para sobreviver, soube colocar Deus como referência de sua vida. Jesus, vivendo neste povo, cresceu como qualquer um de nós no aprendizado de falar com Deus. O povo, com a fé na presença de Deus, tão à altura da mão, soube entrar em diálogo com Ele. Assim, com as orações cotidianas, unia os diversos momentos do dia e das atividades, ao Deus que reconhecia como o único: “ Ouve, ó Israel, o Senhor é teu Deus, o Senhor é um. Amarás o Senhor teu Deus de todo o teu coração de toda a tua alma, com todas as tuas forças ...” (Dt 6,4-9). Essas palavras ressoavam como um indicador de vida. Repetiam-no 3 vezes ao dia. Com o tempo surgiu todo o sistema religioso do templo recheado com o canto dos salmos e das outras Escrituras. Imaginemos Maria e José introduzindo Jesus na oração de cada dia. Ele aprendeu bem pois em toda a sua vida apostólica sabia tirar os momentos para o Pai e também sabia fazer de suas atividades um momento de oração.
51. Natal, tempo de aprender
No tempo do Natal temos uma oportunidade de além do Papai Noel, dos presentes e das festas, saber consumir alguns momentos para contemplar o mistério da união da divindade com a humanidade e saber-se unido a esta grandiosa e profunda realidade de nossa vida. O Natal, podemos dizer, é nossa festa. É comemoração do que somos em profundidade. Quando aprendermos estas realidades, seremos homens e mulheres de oração. Com razão Jesus podia dizer: orai sem cessar, pois Ele o fez.

NOSSO BLOG HÁ UM ANO- 27/09/2009

CLICAR SOBRE OS LINK's

E

NA SETA DE RETORNO PARA VOLTAR


REMEMORANDO REDENTORISTAS! MEMORIAL DE APARECIDA

RELIGIÃO TAMBÉM SE APRENDE! ESPORTES PERIGOSOS

“Um Deus para todos”

PE.PELÁGIO CSsR....PELO PE.CLÓVIS CSsR - 9

COMEMORAÇÃO MUITO ESPECIAL

No dia 27 de setembro de 1696 nascia SANTO AFONSO MARIA ANTÔNIO GIOVANNI FRANCISCO COSME DAMIÃO MIGUEL ÂNGELO GASPAR DE LIGÓRIO.


Primogênito de uma família influente, nasceu no dia 27 de setembro de 1696. Recebeu formação sólida como o futuro herdeiro dos Ligórios. Aos 16 anos, formou-se em Direito Civil Canônico. Como advogado, decidiu que jamais assumiria a defesa de uma causa injusta e, durante o processo, nunca mentiria ou ocultaria a verdade. O brilhantismo do jovem Dr. Afonso confirmou-se, ganhando todas as causas. Um processo, importante na época, envolvendo muito dinheiro e havendo suborno, fez com que Afonso perdesse a causa e abandonasse os Tribunais.
MUDANÇA DE VIDA
Afonso procurava esquecer sua dor, inclusive o repúdio de seu pai, junto aos doentes do Hospital dos Incuráveis. Quando se viu interpelado: “Deixe o mundo e entregue-se a mim”, Afonso diz chorando: “Meu Deus, resisti demais a vossa graça. Eis-me aqui, fazei de mim o que quiserdes...”
Com esse ímpeto, dirigiu-se à Igreja da Redenção dos Cativos, a fim de lançar-se aos pés de Nossa Senhora das Mercês. Num gesto de renúncia, entregou-se totalmente à sua Rainha e a seu Divino Filho.
O SACERDOTE
Em 21 de dezembro de 1726, Afonso foi ordenado padre, aos 30 anos. Dedicou-se aos pobres da periferia de Nápoles, descobrindo que é a eles que pertence o Evangelho e, como Cristo, quis dedicar sua vida anunciando-lhes a Boa Nova. Esta experiência preparou o coração de Afonso para o carisma missionário que mais tarde ele pôde realizar na Igreja.
OPÇÃO PELOS POBRES
Nápoles apresentava enormes contrastes no arranjo social. Havia os que habitavam os palácios e os muitos mendigos que não tinham onde morar. Neste contexto, o Padre Afonso cria alternativas pastorais, através das “Capelas da Noite”, que mudaram a vida daquela gente. Não eram assembleias de mastigadores de Pai-Nosso, mas um movimento de conversão, de perseverança e de santidade. Afonso sabe que estes humildes têm o Espírito Santo. As “Capelas da Noite” não só mudaram a vida daquela gente, mas também a de Afonso.
PERSONALIDADE
O historiador Louis Vereeke, C.Ss.R. descreve-o assim: “Ardente e ricamente dotado por natureza de uma delicada sensibilidade, uma vontade tenaz e inteligência profunda, Afonso era mais dado ao pensamento prático do que à pura especulação. Tinha um grau raro, uma consciência do concreto, um senso prático. Em seu relacionamento com os outros, possuía nobreza de modos e era afável e benevolente com todos, especialmente com os pobres, e possuía um bom humor contagiante”.
CONVERSÃO DO PAI
A mudança de rumo na vida, feita por Afonso, contrariava enormemente seu pai. Numa tarde de fins de outubro de 1728, o senhor Giuseppe de Ligório ouve um pregador. Reconhece a voz do filho. Abre caminho entre a multidão, escuta, fica preso, comove-se. As lágrimas surgem por causa dos sofrimentos deste filho que Deus chamou ao Evangelho. Voltando para casa, Afonso é recebido pelo pai, que o abraça dizendo: “Meu filho, como lhe agradeço. Esta tarde você me fez conhecer a Deus.”
NASCIMENTO DA CONGREGAÇÃO REDENTORISTA
Em 9 de novembro de 1732 nascia uma nova comunidade missionária que, em 1749, recebeu o nome definitivo de Congregação do Santíssimo Redentor (popularmente conhecida como Redentoristas). A opção pelo povo pobre que Afonso fez converteu-o em pobre e o propósito principal de sua comunidade era “trazer a boa nova aos pobres.”
CARISMAS DOS REDENTORISTAS
“Fortes na fé, alegres na esperança, fervorosos na caridade, inflamados no zelo, humildes e sempre dados à oração, os Redentoristas, como homens apostólicos e genuínos discípulos de Santo Afonso, seguindo contentes a Cristo Salvador, participam de seu mistério e anunciam-no com evangélica simplicidade de vida e de linguagem, pela abnegação de si mesmo, pela disponibilidade constante para as coisas difíceis, a fim de levar aos homens a ‘Copiosa Redenção’.” (Constituições da Congregação, nº 20).
O BISPO
Aos 66 anos, mesmo sofrendo gravemente de artrite, acatou o desejo do Papa, para que fosse ordenado bispo e servisse à Diocese de Santa Ágata. Ele não apenas administrou habilmente esta Diocese por 13 anos, como também efetuou reformas necessárias e importantes. Em 1767, Roma aceitou seu pedido de renúncia. Após mais uma missão cumprida, retorna para junto de seus filhos, os Missionários Redentoristas, até quando Deus quis: faleceu em 1° de agosto de 1787, aos noventa e um anos.
O SANTO E O DOUTOR
Apenas cinquenta e dois anos após sua morte, em 1839, Afonso foi canonizado, depois de um estudo completo de sua vida e de seus escritos. Devido aos seus inúmeros talentos, a Igreja conferiu-lhe honras especiais. Em 1871 foi nomeado Doutor da Igreja, honra concedida a um pequeno número de teólogos, durante a longa história da Igreja. Em abril de1950, a fim de reconhecer seus notáveis escritos de teologia Moral, a Igreja o nomeou “o santo patrono dos teólogos e confessores.” Santo Afonso abriu o caminho para a renovação moral na Igreja. João Paulo II afirma: “Afonso foi um renovador moral.”
APÓSTOLO DA COMUNICAÇÃO
Não contente de se comunicar com aqueles que podiam vê-lo, escreve livros tão populares que ficaram entre os maiores do mundo. Foram 111 obras publicadas e dirigidas à evangelização, santificação e salvação dos filhos e filhas de Deus. Traduzidas em mais de 70 línguas, as obras de Afonso superam em número de edições ao próprio Shakespeare, fazendo dele um expoente da espiritualidade, da teologia e da cultura universal. O livro “Visitas ao Santíssimo Sacramento e à Virgem Maria” alcançou mais de 2000 edições. “As Glórias de Maria” ultrapassaram 1000 edições. Outros livros de grande aceitação: “Máximas Eternas”, “Novena ao Coração de Jesus”, “Prática do Amor a Jesus Cristo”, “Preparação para a morte”, “A Oração, Grande Meio de Salvação”. A mais importante de suas obras, “Compêndio de Teologia Moral” transformou-se num guia para os confessores e lhe valeu o título de Doutor da Igreja. Afonso combate a doutrina rigorista, defendida por Jasenio, a qual levava os pecadores ao desespero. Afonso mostra que o Sacramento da Penitência é o ministério de graça e de perdão de um Deus da misericórdia e não da vingança.
Afonso compôs, também, mais de 50 canções (letra e música). “
Tu scendi dalle stelle, o Re Del cielo” é ainda hoje a canção de Natal mais popular na Itália.
OS REDENTORISTAS HOJE
A Congregação do Santíssimo Redentor (C.Ss.R.) atualmente reúne cerca de 5.500 membros, em 78 países, formando um grupo missionário de muitas línguas, culturas e tradições diferentes. São Clemente Maria Hofbauer teve uma importância fundamental na expansão da Congregação, por isso é considerado como seu segundo fundador.
NO BRASIL
Os missionários redentoristas holandeses foram os primeiros a chegar ao Brasil, em 1893, formando a Província do Rio de Janeiro. No ano seguinte, em 1894, vieram os alemães e se estabeleceram em São Paulo. Esta histórica missão centenária foi construída por redentoristas com entusiasmo e zelo. O Brasil é o terceiro país do mundo em número de redentoristas. Distribuídos por 21 estados brasileiros.
MISSÕES REDENTORISTAS

Através do anúncio da Palavra de Deus e pelo testemunho da vida fraterna, os redentoristas trabalham em várias frentes missionárias: Missões Populares, Santuários, Comunicação Social, Paróquias Missionárias, Igrejas não-paroquiais, periferias urbanas, regiões missionárias, Retiros Espirituais, Pregações, Pesquisa e Ensino de Teologia Moral e formação de futuros redentoristas.
CHAMADO DE SANTO AFONSO À SANTIDADE
Santo Afonso afirmava que Deus chama todos os homens e mulheres à santidade.
Não é necessário correr para o deserto ou entrar no monastério, a fim de alcançar a santidade cristã; não é obrigatório que alguém desista do “mundo”, do casamento ou da família. “É um grande erro dizer: Deus não quer que todos sejam santos”. São Paulo disse: “A vontade de Deus é esta: a nossa santificação” (1Ts 4,3). Deus quer que todos se tornem santos, cada um em sua ocupação: o religioso exatamente como um religioso, o leigo como um leigo, o padre como um padre, o casado como uma pessoa casada, o comerciante, e as outras pessoas de acordo como caminhem na vida.
No seu livro “A Prática do Amor a Jesus Cristo” Santo Afonso afirma: “A total santidade e perfeição de uma alma consiste em amar Jesus Cristo, nosso Deus, nosso bom soberano e nosso Redentor”. E nos diz mais: “Deus ama você, ame-o”.
Junto d’Ele é COPIOSA A REDENÇÃO. (S1 129,7)
“COPIOSA APUD EUM REDEMPTIO”.

Coordenação de pesquisa:

José Adriano Gonçalves (Paróquia Santo Afonso – Rio)


Fonte: site do Pe. Sergio Luiz e Silva
Pároco da Igreja de São José em Belo Horizonte - Província do Rio

ORAÇÃO DA MANHÃ - DEUS EM MINHA CASA


PADRE FLÁVIO CAVALCA DE CASTRO CSsR


Oração da manhã para todos os dias

Senhor meu Deus, mais um dia está começando. Agradeço a vida que se renova para mim, os trabalhos que me esperam, as alegrias e também os pequenos dissabores que nunca faltam. Que tudo quanto viverei hoje sirva para me aproximar de vós e dos que estão ao meu redor.
Creio em vós, Senhor. Eu vos amo e tudo espero de vossa bondade.
Fazei de mim uma bênção para todos que eu encontrar. Amém.

As reflexões seguintes supõem que você antes leu o texto evangélico indicado.
Dia 27 − Segunda-feira −
S. Vicente de Paulo, sacerdote
Evangelho (Lc 9,46-50) “Houve entre os discípulos uma discussão, para saber qual deles seria o maior...”
Jesus não gastou muitas palavras para responder à dúvida dos discípulos. Tomou uma criança nos braços, demonstrou-lhe acolhida e carinho. (Posso até imaginar o sorriso naquele rostinho.) Nem precisava dizer o que disse. Entenderam logo que o maior, o mais importante é quem acolhe os pequenos e não importantes, é quem é pequeno e se coloca à disposição de todos para os servir.
Oração

Senhor Jesus, mudai meu coração, que está sempre a sonhar grandezas e posições. Ensinai-me a estar sempre pronto para servir a todos, mesmo nos serviços mais humildes. Não permitais que eu corra atrás de reconhecimentos, mas saiba aceitar com modéstia o agradecimento de meus irmãos. Que eu seja discreto, mas tão eficiente que nem precisem notar minha presença. Amém.

26 de setembro de 2010

ESTATÍSTICAS DO BLOG

Você sabia que o provedor do blog (Blogger) informa aos administradores dos blogs uma estatística das visitas que o blog recebe?
Pois é! Vejam como andam nossos números:

Visitas ao blog no período de maio a setembro/2010   =   21.125
Distribuidas da seguinte forma:
Brasil =       18.413
USA =          1.553
Portugal =        646
Canadá =         267
Itália =               65
França =            57
Reino Unido =    39
Espanha =          33
Alemanha =        33
Taiwan =            19

No mês de Agosto tivemos 8294 visitas

Hoje dia 26/09/10 até às 13 hs tivemos 154 visitas
Só ontem foram 287 acessos ao blog


Nesta última semana de 19 a 25/09 -  64% dos acessos foram através do navegador INTERNET EXPLORER
21% foi através do navegador FIREFOX
12% foi pelo GOOGLE CHROME
1 % pelo MOZILLA, 1 % pelo SAFARI  e 1 % pelo OPERA

Contos e Causos do Benedito Franco



Uma vez redentorista, sempre redentorista!

Na Bíblia, Daniel 7:10, o maior número citado é miríade, isto é, o mais longo dos números conhecidos na Grécia – correspondia a 100 milhões.


044 - Os tiros

Uma noite em Belo Horizonte fazia muito calor. Muito calor mesmo! Impossível dormir. Na cama, rolava pra lá e pra cá e nada de pegar no sono. Trabalhava numa multi. No dia seguinte iria a Ponte Nova visitar duas usinas de açúcar.
- Em vez de ficar aqui, suado, rolando na cama, sairia agora para Ponte Nova. Adiantaria bem o trabalho de amanhã. Pensei com meus botões.
Animei-me. Levantei-me. Mas lembrei-me de ter que comprar pneus novos, pois o carro, com pneus carecas, estaria inseguro para viagem, ainda mais à noite - onze e meia. - Vou assim mesmo! E fui.
No caminho, a brisa da noite, noite fresca, noite clara, a lua cheia iluminando a estrada e a paisagem. Cheiro de mato, mato fresco e nada de poluição. Vendo a silhueta das montanhas e quase nenhum movimento de carros, devido ao adiantado da hora, a viagem tornava-se um passeio agradável - e com satisfação o fazia. Tranqüilidade total.
Até a cidade de Mariana tudo às mil maravilhas. Parei para um café.
Saindo, subida forte e depois os morros mais frequentes - serra de Minas - curvas e estrada estreita. Em alguns trechos, os consertos, inclusive alguns sem recapeamento. Em um desses, sem asfalto ainda, mas pronto para recebê-lo, muito cascalho, um dos pneus furou, logo no meio de uma curva bem fechada – essas de 180 graus, como se diz. Encostei do lado de fora da curva, sem visão para frente ou para trás.
No acostamento, comecei a tirar a roda, quando de repente surgiu uma carreta com enorme tanque de leite, numa velocidade! Derrapou para o meu lado e me jogou alguma areia e pedregulhos - naquela velocidade e naquela curva, devido à força centrífuga, derraparia mesmo!
Receoso de novamente acontecer, com resultados desagradáveis, resolvi seguir em frente, mesmo com o pneu furado e sabendo o estragaria por completo - afinal, trocá-lo-ia. Perto, mais à frente, um posto de gasolina, onde tudo se solucionaria.
Rodava e rodava e nada do posto de gasolina. O posto sumiu... desapareceu ... Fiquei preocupado - apreensão faz coisa! Faz coisas!...
Enfim, um poste iluminado, e não um posto. Um grande acampamento do pessoal trabalhador na estrada. Uma só lâmpada acesa, a do poste - o acampamento às escuras.
Estacionei ao lado do poste, debaixo de uma árvore, em frente à guarita tosca de madeira - a portaria. Mais atrás as casas pequenas, também de madeira. Na guarita haveria um vigia - ausente, fiquei na esperança de ele aparecer.
Tudo deserto. Só sons surdos de um forró e farra, bem ao longe, talvez do outro lado do acampamento - o pessoal estaria por lá, o vigia inclusive!
Coloquei o macaco, levantei o carro e desatarraxei um pouco os parafusos da roda. De uma casa ao lado do acampamento e um pouco tampada pela vegetação, uma fazenda, a uns cento e cinqüenta metros, alguns cachorros começaram a latir. Paulatinamente aumentavam os latidos... em pouco tempo, latiam desesperadamente. Vinham em minha direção.
Continuei o trabalho, conseguindo retirar a roda.
Ouço um tiro!
Outro tiro! Rumo a mim! Tangenciou o poste!
Àquela hora, às três da manhã, um tiro traz inquietação, dois...
Os cachorros mais perto. E latiam. E uivavam!
Um terceiro tiro e as balas passaram entre as folhas da árvore, derrubando algumas... Para mim!
O carro sem uma roda... e suspenso pelo macaco!
Entrei no carro, fechei os vidros, um pouco antes de os cachorros, enfurecidos, aproximarem-se. Rezei o Credo - a reza dos momentos de aflição, como ensinou-me minha mãe. Mesmo a gente dispersado do significado das palavras, a oração acalma.
Um quarto tiro - pegou bem no tronco da árvore - se em pé estivesse, passaria a um metro de minha cabeça.
Eu dentro e os cachorros perto. Quatro pastores belgas chegaram. Que feras! Ferozmente latiram. Rodearam e cheiraram todo o carro... pensaram e... silenciaram...
Cabisbaixos e os rabos entre as pernas... foram-se...
Calmos os cachorros e seu dono - nem latidos e nem tiros - após uma meia hora, com tudo tranqüilo, menos eu, saí do carro (Santa Paciência!), coloquei o pneu. Apertando o último parafuso, apareceu o tal vigia, e, em chegando, fui logo quebrando o silêncio:
- Oi, cumpade!
- Oi! Um oooi bem compriiido.
Respirei fundo... liguei o carro, apertei o cinto e o acelerador e saí... numa velocidade!

Benedito Franco