CONSAGRAÇÃO À NOSSA SENHORA APARECIDA NA VOZ DO PADRE VITOR COELHO CSsR

Ó MARIA SANTÍSSIMA, PELOS MÉRITOS DO SENHOR JESUS CRISTO QUE EM VOSSA IMAGEM MILAGROSA DE APARECIDA ESPALHAIS INÚMEROS BENEFÍCIOS SOBRE O BRASIL, EU, EMBORA INDIGNO DE PERTENCER AO NÚMERO DOS VOSSOS SERVOS, MAS DESEJANDO PARTICIPAR DOS BENEFÍCIOS DA VOSSA MISERICÓRDIA, PROSTRADO A VOSSOS PÉS, CONSAGRO-VOS O ENTENDIMENTO, PARA QUE SEMPRE PENSE NO AMOR QUE MERECEIS. CONSAGRO-VOS A LÍNGUA, PARA QUE SEMPRE VOS LOUVE E PROPAGUE A VOSSA DEVOÇÃO.CONSAGRO-VOS O CORAÇÃO, PARA QUE, DEPOIS DE DEUS, VOS AME SOBRE TODAS AS COUSAS.RECEBEI-NOS, Ó RAINHA INCOMPARÁVEL, QUE NOSSO CRISTO CRUCIFICADO DEU-NOS POR MÃE, NO DITOSO NÚMERO DOS VOSSOS SERVOS. ACOLHEI-NOS DEBAIXO DA VOSSA PROTEÇÃO. SOCORREI-NOS EM NOSSAS NECESSIDADES ESPIRITUAIS E TEMPORAIS E, SOBRETUDO, NA HORA DA NOSSA MORTE. ABENÇOAI-NOS Ó MÃE CELESTIAL, E COM VOSSA PODEROSA INTERCESSÃO FORTALECEI-NOS EM NOSSA FRAQUEZA, A FIM DE QUE, SERVINDO-VOS FIELMENTE NESTA VIDA, POSSAMOS LOUVAR-VOS, AMAR-VOS E RENDER-VOS GRAÇAS NO CÉU, POR TODA A ETERNIDADE. ASSIM SEJA! ...PELA INTERCESSÃO DE NOSSA SENHORA APARECIDA, RAINHA E PADROEIRA DO BRASIL, A BÊNÇÃO DE DEUS ONIPOTENTE, PAI, FILHO E ESPÍRITO SANTO, DESÇA SOBRE VÓS E PERMANEÇA SEMPRE.AMÉM!
PRÓXIMOS EVENTOS (Todos estão convidados)





ÁGAPE MENSAL
11 - fevereiro - 2017


SETEMBRO - 2017
De 01 a 03 - 5º ERESER VICE PROVÍNCIA MANAUS
De 29 a 01/10 - ERESER CURITIBA

OUTUBRO - 2017

Dia 07 - ERESER NA NOVENA DE APARECIDA
Dia 21 - 11º ERESER MAIRINQUE

NOVEMBRO - 2017
De 12 a 15 - 7º ERESER PROVÍNCIA DE CAMPO GRANDE


XIII RETIRO
De 26 A 28 de janeiro de 2018
Local: Vila Santo Afonso - Pedrinha
Tema: A Espiritualidade Redentorista na Prática
Orientador: Padre Alfredo Viana Avelar, CSsR - Rio




SOM NO BLOG

QUANDO QUISER ASSISTIR ALGUM VÍDEO DO BLOG, VÁ ATÉ À "RÁDIO UNESER INTERATIVA" (caixa à direita do blog) E CLIQUE NO BOTÃO DE PAUSA (II).
APÓS ASSISTIR O VÍDEO, CLIQUE NO MESMO BOTÃO (PLAY) PARA CONTINUAR OUVINDO A RÁDIO.

31 de março de 2011

Mensagem aos fieis leigos da América Latina e Caribe

Reunião do Celam reflete a identidade, espiritualidade e missão do leigo



Leigos, bispos e padres vindos de 21 países da América Latina e Caribe, convocados pelos Departamentos de Vocações e Ministérios, Comunhão Eclesial e Diálogo e Justiça e Solidariedade do Conselho Episcopal Latino-americano (Celam), nos reunimos em Lima, Peru, de 10 a 14 de março de 2011, para refletir sobre a identidade, espiritualidade e missão do leigo, com a finalidade de fortalecer seu protagonismo eclesial no mundo à luz de Aparecida, tendo presente a Missão Continental. Partilhamos esta mensagem, fruto de nossas reflexões, com o povo santo de Deus, que peregrina neste Continente, de forma especial com os leigos e leigas.

I. Ver a realidade

1. As rápidas mudanças que se experimentam no tempo presente nos indicam que “vivemos uma mudança de época, cujo nível mais profundo é o cultural” (DAp 44). Nos processos de construção cultural, que nascem do intercâmbio pessoal e coletivo, têm sido privilegiados, no mundo atual, os critérios da eficácia, a rentabilidade e o funcional, destruindo o autenticamente humano (cf. DAp 45). Isso tem gerado um empobrecimento de grandes proporções como conseqüência de uma injusta distribuição dos recursos, onde uma minoria possui a maior parte da riqueza com crescentes e novas exclusões.

2. Reconhecemos que, em muitos de nossos países, têm-se atingido níveis de crescimento econômico nunca antes visto, com melhorias consideráveis nos padrões de vida para uma parcela significativa de seus habitantes. No entanto, apesar dos avanços alcançados vê-se que mais de um terço da população se encontra ainda em níveis de extrema pobreza. Ao mesmo tempo, constatamos que no Continente existe uma preocupante e crescente desigualdade na distribuição da riqueza, gerando grandes quantidades de excluídos dos sistemas de saúde, educaçao, habitação e outros serviços.

3. Os meios de comunicação social são a ponta de lança de uma colonização cultural que reduz ou elimina as culturas locais (cf. DAp 46). A juventude cresce na lógica de um individualismo narcisista (cf. DAp 51). Para as gerações jovens perde-se o sentido do passado ao mesmo tempo em que o futuro se apresenta como uma simples possibilidade, onde a única coisa que importa é viver o êxtase do tempo presente.

4. Vivemos num mundo digital fortemente marcado pela comunicação em tempo real em que a velocidade é considerada um fator fundamental. Os modos de pensar e agir próprios desse tempo geram uma instabilidade de saberes, costumes e verdades.

5. Como parte dos processos de mudanças culturais, a família, célula base da sociedade, vê-se submergida numa série de dificuldades com contínuos ataques à sua identidade, colocando em risco a estabilidade da sociedade.

6. Tem havido consideráveis avanços no campo dos direitos humanos. No entanto, constatamos também que se torna cada vez mais difícil a construção dos direitos econômicos, sociais, culturais e ambientais. Junto com isso, persiste a corrupção, a crise de valores, o individualismo político, a violência, as migrações massivas e a perda da consciência cidadã cresce assustadoramente.

7. Expressamos, de maneira particular, nossa preocupação pela crescente migração em que vivem nossos povos pela falta de empregos dignos e estáveis e por razões de ordem político-ambiental, que ameaçam a vida das pessoas e dos povos.

8. Entre os muitos sinais positivos que encontramos, alegra-nos constatar o aumento da participação cidadã na busca de uma sociedade mais justa e igualitária, nos processos democráticos e de controle social das entidades públicas e privadas, em defesa da vida digna e dos direitos dos cidadãos.

9. A Igreja Latino-americana e Caribenha é para nosso continente a Igreja da esperança e da vida. Ela vive sua fé inserida na realidade pluricultural dos povos e num decidido compromisso com os pobres e excluídos da sociedade.

10. A crise da modernidade que estamos vivendo coloca em questão todas as instituições sociais, não isentando nem mesmo a religião. Esta precisa dar respostas às transformações culturais geradas pela mudança de época.

11. A tomada de consciência dos leigos de seu papel de co-responsabilidade eclesial é um fator positivo que, assumido em profundidade, os leva à doação total de sua vida para que nossos povos tenham vida em plenitude (cf. Jo 10,10).

II – Julgar a realidade

12. A Igreja, povo de Deus em comunhão e participação, é enviada a anunciar a Boa Nova de Jesus Cristo. Ela está a serviço do mundo como sacramento e instrumento do Reino de Deus. Os bispos em Aparecida nos dizem que “como discípulos de Jesus Cristo, nos sentimos interpelados a discernir os ‘sinais dos tempos’, à luz do Espírito Santo, para nos colocarmos a serviço do Reino” (DAp 33). Somos chamados a olhar o mundo e descobrir aí a presença do Espírito que nos chama a servir.

13. Frente aos grandes desafios da mudança de época, “a Igreja é chamada a repensar profundamente e relançar com fidelidade e audácia sua missão nas novas circunstâncias latino-americanas e mundiais” (DAp 11). Isso nos exige repensar os modos e as formas habituais de viver e de agir. Aparecida nos alerta que nossa maior ameaça “é o medíocre pragmatismo da vida cotidiana da Igreja, no qual, aparentemente, tudo procede com normalidade, mas na realidade a fé vai se desgastando e degenerando em mesquinhez” (DAp 12). Devemos, pois, encontrar e construir novas estruturas muito mais flexíveis e de qualidade humana. Isto implica passar de uma pastoral de conservação a uma pastoral missionária com audácia profética (DAp 370).

14. A mudança cultural que vivemos, onde o testemunho tem mais relevância que a palavra e o discurso, exige de nós viver a Palavra Encarnada e dar a vida pelo Reino, que nos leva reencantar o mundo a partir de Jesus e dos valores do Reino.

15. O papa Pio XII nos advertia que o século XXI seria o século dos leigos ou do contrário a Igreja teria sérias dificuldades para apresentar-se diante do mundo. Esta afirmação ganha, cada vez mais, maior força profética. O leigo, discípulo missionário de Jesus, luz do mundo, deve impregnar as estruturas sociais, políticas, econômicas e culturais, com os valores do Reino da vida.

16. Pelo batismo, todos somos Igreja, formamos um só Corpo e compartilhamos a mesma missão de fazer presente o Reino de Deus com os carismas recebidos. As mudanças culturais exigem o protagonismo do leigo na construção da sociedade com uma espiritualidade própria, que se vive e experimenta no tecido humano da sociedade (cf. LG 31). A espiritualidade propriamente laical tem seu fundamento na eclesiologia do Concílio Vaticano II, que apresenta uma Igreja Povo de Deus, na comunhão, participação e missão. Esta espiritualidade tem seu centro no caráter secular da vocação laical.

17. Uma espiritualidade laical autêntica não aliena, não se reduz a um individualismo religioso ou fuga das responsabilidades temporais, mas impulsiona a viver a fé no cotidiano, na busca e promoção do bem comum, animado pela Palavra de Deus e pela vivência dos sacramentos, principalmente a Eucaristia.



III- Compromissos para a ação

18. A urgência do amor de Deus nos leva a buscar boas práticas que devam ser implementadas na vida dos leigos, tornando presente a Igreja comprometida com o Reino de Deus na construção de um mundo mais justo, mais humano e ecologicamente sustentável.

19. Inspirados por Jesus Cristo, Palavra Encarnada, diante dos desafios que a realidade nos apresenta, propomo-nos a:

a. Abandonar as estruturas caducas que não favorecem a transmissão da fé e da vida (DAp 365);

b. Renovar as estruturas e organizações com a participação dos cristãos na construção da nova civilização;

c. Aprofundar a identidade laical neste tempo da Missão Continental Permanente;

d. Promover a formação do laicato num mundo em crise cultural, que busca novos paradigmas, com voz profética, que, por um lado, denuncia as práticas de morte que existem em nosso meio, e, por outro lado, anuncia a novidade do Reino de vida a partir da Palavra Encarnada;

e. Ser voz que defenda e promova a vida nos novos areópagos da sociedade;

f. Retomar o olhar crente sobre a criação a partir da Palavra de Deus, entendendo que tudo leva em si a marca do Verbo, por quem todas as coisas foram feitas (cf. VD 109);

g. Promover estilos de vida sóbrios. Reverter, com uma nova forma de viver o cotidiano, os efeitos do atual modelo econômico, genocida e geocida;

h. Gerar e impulsionar, criativamente, formas de economia que privilegiem a dignidade do ser humano e promovam a justiça, o bem comum, a igualdade e a solidariedade;

i. Defender o trabalho digno como direito humano fundamental de acordo com a Doutrina Social da Igreja;

j. Impulsionar a renovação dos processos educacionais para que estes facilitem o encontro e a troca de saberes entre as pessoas. Que a educação promova os valores que privilegiem a construção da justiça, da fraternidade, da solidariedade, da verdade, da paz e do amor, na valorização do ser em detrimento do ter;

k. Educar as novas gerações na generosidade e disponibilidade para o serviço solidário com a responsabilidade social, ambiental e ecológica;

l. Conhecer, aprofundar e difundir a Doutrina Social da Igreja;

m. No bicentenário da Independência de nossos povos, assumir o desafio de fazer deste continente da esperança um continente do amor a partir dos pobres e excluídos, onde todos sejamos cidadãos das Américas, com responsabilidades e direitos, o que nos exige abrir definitivamente nossas fronteiras;

n. Aos fiéis leigos que participam da política ou de cargos públicos, de modo direto ou indireto, se lhes pede que:

i. Promovam o respeito à vida desde sua concepção até sua morte natural;

ii. Defendam a família como núcleo da sociedade e espaço privilegiado de formação;

iii. Fomentem os processos de construção de uma democracia participativa com ética e respeito à pluralidade, fortalecendo os organismos de fiscalização e controle dos poderes do Estado;

iv. Promovam o projeto e a execução de políticas públicas que favoreçam a qualidade de vida dos mais pobres e excluídos, principalmente nas áreas de habitação, alimentação, saúde e educação;

v. Atuem coerentemente com sua fé, assumindo o poder como serviço aos irmãos e à sociedade para gerar o bem comum, a justiça, a paz e a solidariedade.

A construção de uma nova sociedade, casa comum e espaço de fraternidade, compete a todos. Nela nascemos, vivemos e exercemos a variedade dos dons que o Criador tem nos dado. Inspirados pela Palavra de Deus e animados pelo Espírito Santo de Deus, junto a pessoas de boa vontade, assumimos com inteireza e coragem a responsabilidade de contribuir para o crescimento e dilatação do Reino de vida, verdade, justiça, paz e amor.

Sentimos que não estamos sozinhos nesta tarefa. O Espírito de Deus nos anima, inspira e fortalece para que, junto com a Virgem Maria de Guadalupe, Mãe de amor e Senhora da esperança, sejamos, ante o mundo, testemunhas da verdade e do amor que nos leva ao encontro do Senhor ressuscitado, que está entre nós, caminhando com seu povo.

Lima, março de 2011.

Tradução: Assessoria de Imprensa-CNBB
Fonte: CNBB

Aniversário de Ordenação Episcopal

Em tempo:

Registramos hoje o terceiro ano da Ordenação Episcopal de Dom Fernando Guimarães, CSsR
RESUMO BIOGRÁFICO

Dom Fernando José Monteiro Guimarães, nasceu aos 19 de julho de 1946, na cidade do Recife-PE, Arquidiocese de Olinda e Recife, filho de Antônio Monteiro Guimarães e Judith Bacelar Guimarães, já falecidos. Foi batizado na Igreja Matriz da Torre, no Recife, no dia 27 de Outubro de 1946. Frequentou o Seminário Menor dos Redentoristas em Garanhuns (1958-1961), continuando os estudos no Seminário Redentorista de Campina Grande (1962-1963). Após o Noviciado, emitiu a Profissão religiosa na Congregação dos Redentoristas aos 25 de Janeiro de 1965, cursando em seguida a Filosofia e a Teologia no Seminário Maior Redentorista em Juiz de Fora, MG (1965-1969). Ordenou-se sacerdote no dia 15 de Agosto de 1971, no Santuário de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, em Campos, RJ. De 1972 a 1980, trabalhou na Arquidiocese do Rio de Janeiro, como assessor do Cardeal Dom Eugênio de Araújo Sales, membro do Colégio de Consultores e do Conselho Presbiteral da Arquidiocese. Em 1980 foi chamado a Roma, onde desempenhou diversas funções na Santa Sé. Na Congregação para o Clero, a partir de 2000, exerceu o cargo de Chefe de Departamento, responsável pelo setor que se ocupa da vida e do ministério dos Sacerdotes no mundo. É Doutor em Teologia Moral pela Academia Alfonsiana, da Pontifícia Universidade do Latrão de Roma (1989), e Mestre em Direito Canônico pela Pontifícia Universidade da Santa Cruz de Roma. No dia 12 de Março de 2008, foi nomeado pelo Papa Bento XVI Bispo Diocesano de Garanhuns. A ordenação episcopal aconteceu em Roma, no Santuário de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, no dia 31 de Março do mesmo ano. Tomou posse na Diocese no dia 1 de Junho de 2008.

Funções fora da Diocese: Membro do Supremo Tribunal da Assinatura Apostólica, no Vaticano; Consultor da Congregação para as Causas dos Santos, no Vaticano. Em janeiro de 2010 foi nomeado pelo Papa Bento XVI também Visitador Apostólico da Eparquia de Nossa Senhora do Paraíso, dos católicos greco-melquitas no Brasil. Também no ano de 2010 foi nomeado, pela Presidência da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), Coordenador da Comissão Episcopal para a implementação do Acordo Brasil - Santa Sé sobre a configuração jurídica da Igreja Católica no Brasil.

Lema episcopal: COR NOSTRUM ARDENS
- Nosso coração ardia! - O lema é tirado do Evangelho de Lucas, que descreve o encontro de dois discípulos com o Ressuscitado, no caminho de Emaús. Após ter Jesus se revelado na partilha da Palavra e na fração do Pão, os discípulos se interrogaram e constataram que seu coração ardia pelo caminho enquanto ele conversava conosco - "nonne cor nostrum ardens erat in nobis, dum loqueretur nobis..." (Lc 24, 32). A escolha destas palavras identifica a experiência pascal que o Bispo é chamado a viver como pastor: caminhar com a sua Igreja, partilhando a Palavra e repartindo a Eucaristia, revelando a presença do Cristo ressuscitado, que percorre conosco as estradas da vida, até o Emaús do céu. O coração da Igreja deve arder, porque Ele caminha conosco!
O coração ardente é, também, uma referência a Santa Teresinha, que escreveu: "No coração da Igreja, minha Mãe, eu serei o Amor" (Ms B, 3v).

NOSSO BLOG HÁ UM ANO E HÁ DOIS ANOS - DIA 31 DE MARÇO

CLICAR SOBRE OS LINK's

E
NA SETA DE RETORNO PARA VOLTAR





EM MARÇO DE 2009
EM MARÇO DE 2010
MINHA ORAÇÃO DE HOJE - DEUS EM MINHA CASA

“A alegre fragilidade do ser humano”!nº 51

RELIGIÃO TAMBÉM SE APRENDE!  AMOR E PERDÃO

31 DE MARÇO - QUARTA FEIRA SANTA

OUTROS SANTOS DO DIA 31 DE MARÇO

Peripécias da Semana Santa.

O que há por trás dos escândalos?

JEJUM

Noticias Daqui e Dali

OBRAS SOCIAIS REDENTORISTAS - SÃO GERALDO


Centro de Assistência Social São Geraldo
Está localizado no município de Potim-SP.

Potim é um município de pequeno porte, com população estimada em 20.668 habitantes (fonte: IBGE/2009), sendo que 59,1% dessa população possuem renda até dois salários mínimos, e uma parcela considerável da população vive em condições de miséria. Do ponto de vista econômico é um dos municípios mais pobres do Estado de São Paulo em termos de Índice de Desenvolvimento Humano - IDH.

Considerando essa dura realidade, no ano de 2007, a CSSR – SP 2300 deu início ao Projeto São Geraldo com atendimentos a crianças, adolescentes e suas respectivas famílias em situação de vulnerabilidade social. Tem como objetivo contribuir na formação integral, tendo a família como corresponsável nesse processo educativo, proporcionando-lhe ferramentas, motivações e interesse para construção de um projeto de vida conforme preconiza o Estatuto da Criança e do Adolescente:

ECA
Art. 3º
A criança e o adolescente gozam de todos os direitos fundamentais inerentes à pessoa humana, sem prejuízo da proteção integral de que trata esta Lei, assegurando-lhes, por lei, ou por outros meios, todas as oportunidades e facilidades, a fim de lhes facultar o desenvolvimento físico, mental, moral, espiritual e social, em condições de liberdade e dignidade.

Atualmente, o Centro de Assistência Social São Geraldo desenvolve três projetos:

1. Projeto São Geraldo

São atendidas 90 crianças e adolescentes na faixa etária de 6 a 17 anos, em período alternado ao escolar, prioritariamente aquelas em situação de risco pessoal e social. As ações são desenvolvidas com enfoque socioeducativo em espaço acolhedor, de diálogo e interação, criando situações de aprendizagem, aproveitando oportunidades que surjam a partir de necessidades significativas para a criança, o adolescente e a respectiva família.

Os educandos participam das seguintes oficinas: inclusão digital, oficina pedagógica, oficinas artísticas, teatro, dança, música, palestras, filmes, debates, valores éticos e morais, passeios culturais, atividades recreativas.

2. Projeto de Inclusão Digital – “Uma porta para a cidadania”

O Projeto de Inclusão Digital tem como proposta orientar crianças, adolescentes, adultos e idosos, estendendo-se à comunidade em geral, com programas de inclusão digital, familiarizando-os com o recurso tecnológico, contribuindo para que os mesmos estreitem suas relações com a tecnologia e possam se inserir no contexto da modernidade. Visa desenvolver a autoestima nesse processo de aquisição do conhecimento, ampliando as oportunidades de inserção no mercado de trabalho e a integração social e familiar.

O laboratório conta com 15 computadores interligados em rede com acesso à internet, sendo oferecidas informações sobre ferramentas padrões utilizadas no mercado de trabalho (Word, Excel, Power Point, Acces etc.), jogos educativos ou software específico para treinamento, respeitando a faixa etária do grupo.

3. Projeto SOS Família II

Surgiu da necessidade de conhecer e entender a dinâmica familiar das crianças e adolescentes matriculados no Projeto São Geraldo. A partir desse diagnóstico foi possível traçar estratégias de atendimentos tendo como objetivo fortalecer os vínculos familiares por meio de ações de caráter preventivo.

Atualmente, são atendidas 54 famílias, somando aproximadamente 270 pessoas. Os beneficiários contam com os seguintes serviços de apoio: acolhimento; atendimento psicossocial; visita domiciliar; acompanhamento familiar, orientação e encaminhamentos; grupo de orientação familiar; palestras socioeducativas; providências relativas à documentação pessoal; mobilização e fortalecimento das redes sociais de apoio; mobilização para a cidadania; suprimento de necessidades básicas: vale alimentação no valor de R$ 90,00, para a aquisição de gêneros alimentícios; atendimentos com medicamentos, exames e consultas não disponíveis na rede pública. As famílias têm a oportunidade ainda de participarem da oficina de artesanato e do Projeto de Inclusão Digital.

VIVÊNCIAS DE PERTO @ DE LONGE


Nº 0275 31/03/2011
1184. Evangelho de quinta-feira (31-03-2011) - 1ª leit Jr 7, 23-28; Sl 94, 1-2. 6-9; Lc 11, 14-23 - Jesus estava expulsando um demônio que era mudo. Quando o demônio saiu, o mudo começou a falar, e as multidões ficaram admiradas. Mas alguns disseram: “É por Belzebu, o príncipe dos demônios, que ele expulsa os demônios”. Outros, para tentar Jesus, pediam-lhe um sinal do céu. Mas, conhecendo seus pensamentos, Jesus disse-lhes: “Todo reino dividido contra si mesmo será destruído; e cairá uma casa por cima da outra. Ora, se até Satanás está dividido contra si mesmo, como poderá sobreviver o seu reino? Vós dizeis que é por Belzebu que eu expulso os demônios. Se é por meio de Belzebu que eu expulso demônios, vossos filhos os expulsam por meio de quem? Por isso, eles mesmos serão vossos juízes. Mas, se é pelo dedo de Deus que eu expulso os demônios, então chegou para vós o Reino de Deus. Quando um homem forte e bem armado guarda a própria casa, seus bens estão seguros. Mas, quando chega um homem mais forte do que ele, vence-o, arranca-lhe a armadura na qual ele confiava, e reparte o que roubou. Quem não está comigo está contra mim. E quem não recolhe comigo dispersa”.
Recadinho: Estamos realmente com Jesus? Nosso testemunho é de quem ajuda a ajuntar, a recolher, ou a espalhar para longe? Peçamos que Jesus nos fortaleça na fé, para que sejamos “discípulos e missionários” do Evangelho no meio em que vivemos.
1185. Aos 88 anos, faleceu P. José Comblin - O sacerdote belga, um dos mais importantes representantes da Teologia da Libertação, faleceu no dia 27 de março/11. Morava na cidade de Barra, na Bahia. Conforme vontade manifestada a amigos, P. Comblin foi sepultado no Santuário do Padre Ibiapina, localizado em Santa Fé, povoado que faz parte do município de Solânea, na Paraíba. Comblin tinha problemas cardíacos e usava marca-passo. Faleceu na cidade de Simões Filho, na Bahia, onde residia e dava um curso para comunidades de base. Estudioso da Igreja da América Latina e autor de obras como ‘Teologia da Libertação’ e ‘Ideologia da Segurança Nacional’, Comblim foi encontrado morto no quarto. Não aparecendo para a oração da comunidade, encontraram-no morto no quarto. Comblin foi um dos seguidores e principais assessores de Dom Hélder Câmara, o defensor dos direitos humanos e da opção da Igreja pelos pobres. Autor de vários livros, foi o grande propagador da “Teologia da Enxada”, sobre a vivência cristã e teológica nas comunidades rurais. Nasceu em Bruxelas (Bélgica), em 22 de março de 1923. Veio para o Brasil em 1958, atendendo a apelo do papa Pio XII, que no documento “Fidei Donum” (“O Dom da Fé”) pedia missionários voluntários para regiões com falta de sacerdotes. Depois de trabalhar em Campinas (SP) e, em seguida, passar uma temporada no Chile, foi para Pernambuco, em 1964, quando dom Helder Câmara foi nomeado arcebispo de Olinda e Recife. Perseguido pelo regime militar, foi deportado, em 1972, ao desembarcar no aeroporto, voltando de viagem à Europa. Criou vários movimentos missionários leigos: Missionários do Campo (1981), Missionárias do Meio Popular (1986), Missionários de Juazeiro da Bahia (1989), na Paraíba (1994) e em Tocantins (1997).
1186. “A Teologia da Enxada” - Trata-se de uma corrente teológica surgida em 1969, na Igreja Católica do Nordeste do Brasil, que tinha como base a reflexão a partir da realidade dos agricultores e famílias camponesas. Centrava-se num embasamento bíblico, evitando abstrações e conceitos filosóficos, a fim de permanecer próxima à cultura popular. Hoje, muitas das iniciativas missionárias no Nordeste têm como base esta linha teológica. Surgiu a partir do grupo de 10 estudantes de Teologia, reunidos para estudar e ensinar teologia por meio de diálogos com os camponeses. Para isto, viveram três anos no interior, dedicando-se ao trabalho no campo e ao estudo teológico a partir da imersão nesta realidade.
1187. No Paquistão dois jovens cristãos foram assassinados - Dois cristãos foram mortos e outros dois estão em estado grave depois de terem sido atacados na noite de 21 de março/11, em Hyderabad, no Paquistão. Os cristãos estavam celebrando o 30 º aniversário da fundação da igreja, quando um grupo de jovens muçulmanos começou a perturbar as pessoas que queriam participar da função. Alguns fiéis abordaram os jovens, o que resultou em uma briga. Os muçulmanos foram embora, para depois retornarem armados com pistolas, atirando e matando dois cristãos e ferindo outros dois, conduzidos ao hospital.

PADRE JOSÉ GERALDO RODRIGUES CSsR







Recomende este site aos seus amigos:
Encaminhe mensagem para:

VIVÊNCIAS DE PERTO @ DE LONGE (ONTEM)


Nº 0274 30/03/2011
1177. Evangelho de quarta-feira (30-03-2011) - 1ª leit Dt 4, 1.5-9; Sl 147, 12-13. 15-16. 19-20; Mt 5, 17-19 - Jesus disse aos seus discípulos: “Não penseis que vim abolir a Lei e os Profetas”. Não vim para abolir, mas para dar-lhes pleno cumprimento. Em verdade, eu vos digo: antes que o céu e a terra deixem de existir, nem uma só letra ou vírgula serão tiradas da lei, sem que tudo se cumpra. Portanto, quem desobedecer a um só desses mandamentos, por menor que seja, e ensinar os outros a fazerem o mesmo, será considerado o menor no Reino dos Céus. Quem os praticar e ensinar, porém, será considerado grande no Reino dos Céus.
Recadinho: Jesus nos ensinou a amar. A Lei de Deus não muda. Por mais distante que pareça a caminhada das multidões, os valores divinos permanecem os mesmos. Cuidado com o desprezo dos valores da fé, com os valores inseridos em nosso coração pelo Batismo que recebemos. 
1178. Movimento no Santuário Nacional - Conforme dados estatísticos fornecidos pelo Santuário Nacional de Aparecida, durante toda a semana de 21 a 27 de março/11, circularam pelo Santuário 151.867 visitantes. De segunda a sexta-feira, estiveram no Santuário 26.582 romeiros. No sábado, 26, visitaram o Santuário 40.784 pessoas e, no domingo, 27, o número foi de 70.182 peregrinos. A previsão para o próximo fim de semana é receber 37.029 pessoas no sábado, dia 2; e 68.959 no domingo, dia 3.
1179. Comemorados os 25 anos da Academia Marial de Aparecida (SP) - Como noticiamos, de 25 a 27 de março/11 realizou-se o V Congresso Mariológico no Santuário Nacional de Aparecida, no qual foram estudados principalmente os novos enfoques sobre Maria: a Imaculada mãe virginal, a leiga como espelho da comunidade eclesial, a profetisa do povo humilde comprometido com os novos tempos e a jovem de Nazaré consagrada ao Senhor Deus. As exposições foram feitas por Dr. padre João Carlos Almeida, Dr. Irmão Afonso Tadeu Murad, Rosana Manzini e Drª Irmã Vera Bombonato. O Congresso marcou os 25 anos de existência da Academia e teve como parceira do encontro a Faculdade Dehoniana de Taubaté (SP). Dele participaram membros da Academia Marial, agentes de pastoral, religiosos, estudiosos de Mariologia e devotos de Nossa Senhora.
1180. Santuário Nacional promove a 2ª Romaria da Campanha dos Devotos - Programada para o dia 2 de junho/11, os responsáveis pela “Campanha dos Devotos” do Santuário Nacional organizam a segunda romaria de seus participantes. Detalhes da programação estarão sendo divulgados na “Revista de Aparecida” de abril/2011.
1181. Campanha da Fraternidade - Espaço símbolo - Na arquidiocese de Belo Horizonte (MG), a Campanha foi aberta com coletiva de imprensa e Eucaristia. O evento foi em Caeté, no Santuário Estadual Nossa Senhora da Piedade. No ato, houve a apresentação do projeto “Gestão Integrada de Território”, que é um amplo projeto de preservação da vida em todas as suas dimensões. O Santuário é um monumento natural de Minas Gerais reconhecido como atrativo turístico de especial relevância para o estado. O espaço fica a 2 mil metros de altura, em Caeté.
1182. Campanha da Fraternidade - Como fermento na massa - A abertura da Campanha na diocese de
Rio Branco (AC) reuniu 120 representantes das paróquias, pastorais, serviços, movimentos e organismos da diocese. “Nosso objetivo é multiplicar as formações nas paróquias. Para isso, as pessoas que participaram deste encontro devem repassar as informações em suas comunidades”, explicou a coordenadora da equipe de Campanhas da diocese, Maria José.
1183. “Revista Devotos Mirins” - A edição de março/11 (14 páginas; 115.000 exemplares) é uma revista da Campanha dos Devotos, do Santuário Nacional, voltada, esta, para o público infantil. Traz um encarte de uma página, do Arcebispo, falando da Quaresma, que é tema da apresentação. Fala do dia do telefone e das comemorações de março no Santuário. Traz mural mirim, símbolos, passatempos, telefone de barbante, palavras cruzadas, desenhos infantis na revista, história em quadrinhos em torno da Quaresma, porta-retrato. (devotosmirins@santuarionacional.com)

PADRE JOSÉ GERALDO RODRIGUES CSsR








Recomende este site aos seus amigos:
Encaminhe mensagem para:

DO SITE BOLETIM DO PADRE PELÁGIO - PADRE CLÓVIS CSsR

31 DE MARÇO - SANTO DO DIA

PASTOR DE OVELHAS E PROFETA
Foi Amós, um dos profetas do Antigo Testamento. Nasceu em Técua, perto de Belém, numa região desértica, mas propicia para a criação de ovelhas. Era pastor e cultivador de sicômoros, até ser chamado para profetizar. alt 
Amós é um dos doze profetas menores. Ama a simplicidade, odeia o luxo, é independente. Seu linguajar reflete a sobriedade em que vivia. O livro que escreveu está cheio de imagens da vida campestre que levava: a carroça que atola sob o peso dos feixes de trigo; a caça aos pássaros com a arapuca; o pastor que tira a presa da boca do leão; a serpente escondida nas gretas do assoalho; a torrente que jorra, etc.
 
Denuncia as injustiças e ameaça os injustos com os castigos divinos: Escutai, vós que esmagais o pobre e quereis exterminar os humildes do país... Mas convoca para a conversão: Procurai o bem, e não o mal, para que possais viver... e apela para a misericórdia divina.
- Vale a pena ler o pequeno livro das profecias de Amós. Serve para nós também.
- Vai profetizar, é o apelo que todos recebemos.

PADRE CLÓVIS DE JESUS BOVO CSsR











Recomende este site aos seus amigos: