CONSAGRAÇÃO À NOSSA SENHORA APARECIDA NA VOZ DO PADRE VITOR COELHO CSsR

Ó MARIA SANTÍSSIMA, PELOS MÉRITOS DO SENHOR JESUS CRISTO QUE EM VOSSA IMAGEM MILAGROSA DE APARECIDA ESPALHAIS INÚMEROS BENEFÍCIOS SOBRE O BRASIL, EU, EMBORA INDIGNO DE PERTENCER AO NÚMERO DOS VOSSOS SERVOS, MAS DESEJANDO PARTICIPAR DOS BENEFÍCIOS DA VOSSA MISERICÓRDIA, PROSTRADO A VOSSOS PÉS, CONSAGRO-VOS O ENTENDIMENTO, PARA QUE SEMPRE PENSE NO AMOR QUE MERECEIS. CONSAGRO-VOS A LÍNGUA, PARA QUE SEMPRE VOS LOUVE E PROPAGUE A VOSSA DEVOÇÃO.CONSAGRO-VOS O CORAÇÃO, PARA QUE, DEPOIS DE DEUS, VOS AME SOBRE TODAS AS COUSAS.RECEBEI-NOS, Ó RAINHA INCOMPARÁVEL, QUE NOSSO CRISTO CRUCIFICADO DEU-NOS POR MÃE, NO DITOSO NÚMERO DOS VOSSOS SERVOS. ACOLHEI-NOS DEBAIXO DA VOSSA PROTEÇÃO. SOCORREI-NOS EM NOSSAS NECESSIDADES ESPIRITUAIS E TEMPORAIS E, SOBRETUDO, NA HORA DA NOSSA MORTE. ABENÇOAI-NOS Ó MÃE CELESTIAL, E COM VOSSA PODEROSA INTERCESSÃO FORTALECEI-NOS EM NOSSA FRAQUEZA, A FIM DE QUE, SERVINDO-VOS FIELMENTE NESTA VIDA, POSSAMOS LOUVAR-VOS, AMAR-VOS E RENDER-VOS GRAÇAS NO CÉU, POR TODA A ETERNIDADE. ASSIM SEJA! ...PELA INTERCESSÃO DE NOSSA SENHORA APARECIDA, RAINHA E PADROEIRA DO BRASIL, A BÊNÇÃO DE DEUS ONIPOTENTE, PAI, FILHO E ESPÍRITO SANTO, DESÇA SOBRE VÓS E PERMANEÇA SEMPRE.AMÉM!
PRÓXIMOS EVENTOS (Todos estão convidados)





ÁGAPE MENSAL
11 - fevereiro - 2017


MAIO - 2017
De 03 a 11 - Viagem / Peregrinação a Portugal
De 20 a 21 - 7º ERESER CAMPINAS
De 15 a 30 - 2ª Missão UNESER em Rondônia

JUNHO - 2017
De 17 a 18 - 2º ERESER CAMPINAS

JULHO - 2017

De 05 a 15 - 3ª Peregrinação a Pé Caminho da Fé
De 14 a 16 - 37º ERESER PROVÍNCIA RIO/MINAS/ES
De 21 a 23 - 22º ENESER - APARECIDA

SETEMBRO - 2017
De 01 a 03 - 5º ERESER VICE PROVÍNCIA MANAUS

OUTUBRO - 2017

Dia 07 - ERESER NA NOVENA DE APARECIDA
Dia 21 - 11º ERESER MAIRINQUE

NOVEMBRO - 2017
De 12 a 15 - 7º ERESER PROVÍNCIA DE CAMPO GRANDE


XIII RETIRO
De 02 a 04 de fevereiro de 2018
Local: Pedrinha (a ser confirmado)




SOM NO BLOG

QUANDO QUISER ASSISTIR ALGUM VÍDEO DO BLOG, VÁ ATÉ À "RÁDIO UNESER INTERATIVA" (caixa à direita do blog) E CLIQUE NO BOTÃO DE PAUSA (II).
APÓS ASSISTIR O VÍDEO, CLIQUE NO MESMO BOTÃO (PLAY) PARA CONTINUAR OUVINDO A RÁDIO.

31 de outubro de 2009

CAPITULO GERAL

RECEBI NESTE INSTANTE CÓPIA DO "RAPIDINHO" DE GOIÁS E JUNTO ESSA INFORMAÇÃO SOBRE O CAPÍTULO:

Capítulo Geral: (fonte: boletim diário da cssr)


Na sessão da tarde do dia 30 de outubro começou uma Oração de Discernimento, coordenada pelos Pes. Félix Catalá e Ivel Mendanha do Centro de Espiritualidade. Os Capitulares foram convidados a centrar-se no Senhor especialmente neste momento de decisão e a serem dóceis ao Espírito. Em seguida os Capitulares reuniram-se na Aula Magna para fazerem a votação indicativa para o Geral da Congregação, podendo cada qual indicar 1 ou 2 nomes. Foram estes os resultados:

Enrique López ...... 46
Michael Brehl .......45
Jacek Dembek.........31
Serafino Fiore ........23
Ulysses da Silva......12
Juventius Andrade....6
Pedro López Calvo...6
Brendan Callanan .....2
Ivel Mendanha...........2
Rafael Prada..............2
Manuel Rodríguez....2
Andrzej Wodka.........2

Os seguintes confrades receberam 1 voto cada um: Mario Boies, Antonio De Luca, Joseph Dorcey, Michael Kelleher, Francisco Lage, Arturo Martínez, Joaquim Parron, Marciano Vidal, Lorenz Voith e Patrick Woods.

SEMINÁRIO DE SANTA BÁRBARA

(Maquete do projeto)

 Completa 1 ano de inauguração o SEMINÁRIO DE SANTA BÁRBARA D'OESTE em São Paulo.

Que Santo Afonso e todos Santos e Beatos da Congregação intercedam a Deus para que saiam dali muitos PADRES MISSIONÁRIOS REDENTORISTAS E SANTOS pois a Messe é grande ...

(Projeto realizado)
Parabéns Congregação !

DO SITE DO PE.PELÁGIO....(PE.CLÓVIS CSsR)


Afonso Rodrigues (1532-1617) é um santo espanhol, filho de comerciantes. Aparentemente um “João Ninguém”, mas foi elevado às alturas da mística. Aprendeu as letras e o catecismo com os padres jesuítas. Devido à morte prematura do pai, precisou interromper os estudos para cuidar do comércio que ele deixou. Mas não tinha vocação para negócio.A conselho da mãe, casou-se com Maria Juarez e teve dois filhos. Não teve sorte, porém. Logo morreram a esposa e os filhos. Minado pela dor e pelo remorso, pois pensava ter sido culpado de tudo isso, entregou-se a jejuns prolongados, vigílias de oração e outras penitências que quase puseram fim à própria vida. Finalmente entrou na Ordem dos Jesuítas e achou a paz. Não se ordenou padre. Exerceu durante mais de 40 anos o ofício de porteiro no convento de Monte Sião em Palmas, colônia da Espanha. Foi sempre um exemplo de humildade, obediência e seriedade no cumprimento dos deveres.
Era proverbial sua obediência aos Superiores. A esse respeito contam-se varias lendas. Certa vez negou-se a abrir a porta ao vice rei de Portugal, porque o seu Superior lhe dissera que não abrisse a porta para ninguém, antes da hora marcada. Em outra ocasião tentou quebrar em pedaços e engolir, um prato de comida, porque o Superior lhe dissera que comesse aquele prato, bem entendido, o conteúdo do prato.Agraciado pelo Espírito Santo com dons místicos, escreveu diversos livros, entre os quais “Memórias” e “Prática da Perfeição Cristã”. Foi canonizado uns duzentos anos após a morte.

PADRE CLÓVIS DE JESUS BOVO CSsR
Do BOLETIM DO PADRE PELÁGIO CSSR

“Surpresas do amor”


Pe. Luiz Carlos Oliveira
Redentorista

Deus se apresenta como misericórdia
O Deus das infinitas surpresas não fez menos quando nos revelou Seu amor. Ele sempre toma a dianteira. Antes mesmo que nós O tivéssemos amado, já nos amava e nos salvava: “Deus dá prova do seu amor para conosco pois, quando éramos ainda pecadores, Cristo morreu por nós” (Rm 5,8). Essa sabedoria de Deus vem dizer-nos que não recebemos nada por mérito de nossa parte, mas por amor. Deus não paga nossos méritos mas doa em excesso. Deus não negocia, presenteia. Mostrou sua misericórdia quando a humanidade se encontrava na situação de fragilidade, dizemos pecado. A misericórdia de Deus não foi um ato de sentimento de pena, mas uma atitude de partilha de vida feliz. Veio para nos levar a participar de Sua comunhão, o que significaria a redenção de todos os males, mesmo humanos e do universo. A atitude de Deus é fabulosa. Até o universo, como diz Paulo, esperava essa redenção (Rm 8,22-23). Toda redenção, por mais interpretações que tenha, não pode deixar de lado o aspecto do abraço do Pai que vem, através do Filho, ao encontro de cada pessoa. A morte de Jesus não foi um gemido de dor, mas um grito de amor que corta o coração de quem sabe acolhê-lo. Podemos ler nos evangelhos como o pai acolhe o filho que deixou a casa e como o pastor busca a ovelha perdida. Jesus veio para salvar o que estava pedido. Alegra-se porque os pequeninos acolhem Sua mensagem.
Um sacramento de bondade
No projeto de Deus, tudo foi encarnação. O Filho de Deus se encarnou e deixou o grupo dos discípulos para continuarem Sua presença e missão. Deixou os sacramentos para que fossem o encontro de redenção com Cristo. Dentre esses sacramentos nós temos o sacramento da reconciliação e penitência. Esse foi a maior vítima da falta de compreensão do amor misericordioso de Deus. Tornou-se um tribunal de terror, tanto que muitos se afastaram delepelo modo como foram atendidos. A maioria tem medo de confessar-se. Não era para ser assim. Pe. Häring chama-o de sacramento da alegria. Santo Afonso dizia que o pregador devia ser um leão no púlpito e um cordeiro no confessionário. E descreve as atitudes de carinho com que devem ser tratados os penitentes. E até completa: “Está com medo da penitência? Não se preocupe, pois Jesus a fez por você, morrendo na cruz!” Eu devo ser firme na verdade, mas posso dizê-la com educação, tentando convencer pelo amor e não pelo terror. O santo diz ainda que “as conversões provocadas pelo medo não duram muito tempo. Duram as conversões provocadas pelo amor”. A confissão é o sacramento do perdão e não da condenação. A heresia jansenista foi a culpada dessa cara ruim de Deus. O pior é que tem gente voltando a isso. Que bom se levássemos a confissão para o verdadeiro lugar. As pessoas correriam para ela, como para a eucaristia
Conversão como caminho permanente
O sacramento da penitência não passar pelo padre, acusar os pecados, ou aproveitar-se de uma confissão comunitária para receber um perdão sem as condições devidas e continuar na mesma. O sacramento exige e estimula a conversão permanente. Aí sim, ele tem fruto. Por que não melhoramos? Porque não nos confessamos ou confessamos mal. Sem conversão não há sacramento da bondade. Conversão é a alegria de voltar para casa pelo sacramento alegre do encontro. Sem isso, fica tudo triste. O sacramento tem uma graça que aumenta a conversão e fortalece na decisão. Mesmo os casos mais complicados podem ser encaminhados pela graça do sacramento do perdão. Por isso, nada como criar um novo modo de ver esse sacramento.

Junho-2006

RELIGIÃO TAMBÉM SE APRENDE! GRAVIDEZ


PADRE HÉLIO DE PESSATO LIBÁRDI CSsR

Gravidez de adolescentes: uma nova moda?

Hoje somos invadidos por inovações e modas. Alguns acham que o esclarecimento sobre o comportamento sexual é muito importante. Mas de que adianta introduzir as crianças e enfronhá-las nas questões de sexo, quando não temos uma orientação segura e correta, e princípios que falem do respeito e dignidade da pessoa humana?Parece que tudo foi liberado. De fato tudo deve ser dito e mostrado, mas sem esquecer que toda a pessoa tem uma dignidade e merece respeito, que a vida é dom e também merece ser respeitada.É melhor apreender em casa, antes de apreender na rua. E rua, para nós, é a escola, é a TV, é a internet, são as pesquisas que comercializam a pessoa. Rua é tudo o que escapa do amor e do respeito pela pessoa.Assim podemos ficar surpresos sobre o que hoje chamamos de moda: uma adolescente aparecer grávida em casa. Se acontecer dessa forma, está desmoronando-se a casa. As reações são as mais imprevisíveis e vão desde a agressão, aborto, até o casamento.Estamos colhendo os frutos da permissividade que cultivamos dentro de nós mesmos e dentro de nossa casa. Sempre achamos que o que nos ensinaram era moralismo exagerado e não soubemos achar o equilíbrio. Filho de peixe, peixinho é. Estamos colhendo o resultado da falta de formação religiosa e de vivência religiosa, onde Deus é Pai bondoso e nós, adultos, somos, na prática, retratos e presenças vivas dessa bondade.Agora temos de ter o que não se teve antes: respeito à vida. Vamos caminhando junto com nossa adolescente dando todo apoio e tentando devolver a ela o gosto pela vida e o amor pelo filho que, embora, não tenha sido fonte do amor e da responsabilidade, também não pediu para ser fruto de brincadeira, de modismo e de falta de respeito de quem o gerou.Como será a vida dessa menina? Não sabemos. Talvez seja o resultado do que conseguirmos ser para ela a partir de agora.Mas nem tudo terminou para essa adolescente. Ela deve levantar a cabeça e assumir a gravidez com amor e carinho, e perceber que a partir desse gesto generoso pode reconstruir sua vida e ser muito feliz. Seria um grande erro partir para um casamento, uma vez que não se tem maturidade o suficiente para realizar uma boa escolha em relação à pessoa que deve acompanhá-la pela vida.Pode ser que mais tarde dê tudo certo, ou seja, um casamento feliz com o mesmo namorado, mas é prudente esperar continuando o namoro, encontrando-se para um conhecimento maior entre os dois e melhor adaptação.Acho que essa adolescente é a pessoa mais indicada para dizer às outras jovens que entrar nessa moda é prejudicar qualquer sonho e arriscar a perder sua própria dignidade.
Pe. Hélio Libardi, C.Ss.R.
EDITORA SANTUÁRIO

REMEMORANDO REDENTORISTAS! PE.THOMAZ CSsR


PE. ARLINDO MAGNUS RAUPP THOMAZ CSsR



31 de OUTUBRO 1993+




Nasceu em Porto Alegre – RS, a 14 de agosto de 1917. Eram seus pais: Zacarias Thomaz e Emelina Raupp Thomaz. Era o primeiro dos 5 filhos do casal.
Entrou para o Pré-Juvenato de Cachoeira do Sul - RS a 07 de janeiro de 1932. Em junho de 1932 veio para o Seminário de Santo Afonso, em Aparecida, onde completou seus estudos ginasiais. O Noviciado foi feito em Pindamonhangaba – SP, durante o ano de 1938, fazendo a profissão religiosa na C.Ss.R. a 02 de fevereiro de 1939. O Seminário Maior foi feito em Tietê. Foi ordenado sacerdote na Igreja de Nossa Senhora da Penha, em São Paulo, no dia 06 de janeiro de 1944.
Em 1945 deixou o seminário maior, iniciando sua vida apostólica como coadjutor na paróquia da Penha, em São Paulo. Aí ficou 3 anos. No segundo semestre de 1952 fez o noviciado em Pindamonhangaba, preparando-se para as missões populares.
Foi missionário por vários anos, trabalhando em São Paulo, Rio Grande do Sul e Goiás.
Como gaúcho deveria pertencer à Província de Porto Alegre, quando esta ficou independente. Por motivos de saúde, pois não suportava mais o frio do Rio Grande do Sul, pediu para passar para a Província de São Paulo.
Foi pároco em Roseira – SP, perto de Aparecida, onde construiu a original Capela de Nossa Senhora Aparecida. Foi superior e pároco de Garça – SP. Dedicou-se também, durante vários anos, ao apostolado com os romeiros, na Basílica de Aparecida.
Em 1982, esteve quase o ano todo em Roma, dedicando-se a estudos sobre a História da Congregação Redentorista. Escreveu vários livros: “Faces de uma vida: Pe. Francisco Antônio Maria de Paula C.Ss.R”(1985) – “Dom Isidoro Léggio CssR, bispo de Umbriático”(1992) – “Guardados de meu velho baú”(1992) – “Efemérides da Congregação Redentorista e da Província de São Paulo”(1993) – Pelos 200 anos da morte de S.Afonso, escreveu sua biografia, com o título “Pedacinhos de uma Vida”, publicada em 68 capítulos no jornal “Santuário de Aparecida”(1987 e 1988).
Escreveu ainda “Afonso, fino humorista e brincalhão”, opúsculo(1987) – “Vidas, historietas jocosas e hilariantes de Redentoristasque já estão na casa do Pai...”(1993).
A 02 de fevereiro de 1989 celebrou seu Jubileu de Ouro de profissão religiosa. Desde janeiro de 1987 morava na comunidade do Perpétuo, em São João da Boa Vista – SP. No dia 28 de outubro de 1993 Pe. Thomás foi internado na Santa Casa de São João da Boa Vista, com pneumonia. Não parecia coisa grave, mas pediu e recebeu os santos sacramentos.
Pe. Thomás nunca teve boa saúde, tendo durante sua vida se sujeitado a várias operações. Infelizmente seu estado se agravou e ele não resistiu. Faleceu lúcido no fim da tarde de 31 de outubro de 1993, domingo, na Santa Casa. Na missa de corpo presente, em nossa igreja, estavam presentes Dom Dadeus, bispo de São João, Pe. Provincial, muitos confrades, padres diocesanos e dois irmãos do Pe. Thomás que vieram de Porto Alegre. Foi sepultado em São João da Boa Vista. No dia 06 de janeiro de 1994 iria celebrar seu jubileu de ouro de ordenação sacerdotal. Pe.Thomás estava com 76 anos de idade, 54 de Profissão Religiosa e quase 50 anos de sacerdócio.
(Arquivo Provincial)


Pe. Thomás era alegre, pastoralmente zeloso, muito dinâmico, cheio de iniciativa,agitado e falador. Era o “Thomazinho”, baixo e magricela, querido pelos confrades epelo povo. (nota do editor)

MINHA ORAÇÃO DE HOJE

PADRE FLÁVIO CAVALCA DE CASTRO CSsR

Oração da manhã para todos os dias

Senhor meu Deus, mais um dia está começando. Agradeço a vida que se renova para mim, os trabalhos que me esperam, as alegrias e também os pequenos dissabores que nunca faltam. Que tudo quanto viverei hoje sirva para me aproximar de vós e dos que estão ao meu redor.
Creio em vós, Senhor. Eu vos amo e tudo espero de vossa bondade.
Fazei de mim uma bênção para todos que eu encontrar. Amém.

As reflexões seguintes supõem que você antes leu o texto evangélico indicado.

31 − Sábado− S. Quintino, mártir

Evangelho (Lc 14,1.7-11) “Jesus notou como os convidados escolhiam os primeiros lugares. Então contou-lhes uma parábola...”

Jesus mostra numa parábola que, na vida social, muitas vezes é castigada a atitude de orgulho e de vaidade. Da pequena história tira uma lição de moral e de religião. Diante de Deus e de suas ofertas não podemos assumir uma atitude de orgulho e de suficiência. Se queremos a salvação, temos de aceitar que de fato somos maus e fracos, que nada merecemos nem podemos por nós mesmos. Precisamos de mise-ricórdia.

Oração
Senhor, reconheço minha miséria e minha maldade; por mim mesmo não posso fazer o bem. Diante de vossa misericórdia que me oferece salvação, não posso apresentar condições. Aceito agradecido tudo que fazeis por mim, infinitamente mais do que poderia merecer. Dai-me em vossa casa um lugarzinho, nem que seja num cantinho qualquer. Mas nunca seja eu esquecido de vossa misericórdia. Amém.

A N I V E R S Á R I O

DIA 31 DE OUTUBRO É DIA DE FESTA PARA
JOSÉ ROSÁRIO DE OLIVEIRA de São Paulo - SP
JOSÉ ILDEFONSO MACHADO de Pindamonhangaba - SP
E TAMBÉM FESTEJA MAIS UM ANO DE VIDA (82)  O PADRE IZIDRO DA PROVÍNCIA DE PORTO ALEGRE - RS

 A UNESER deseja-lhes muitas alegrias e muitas realizações com as bênçãos do Divino Pai Eterno.

30 de outubro de 2009

DO SITE DO PE.PELÁGIO....(PE.CLÓVIS CSsR)

ESTRATAGEMA DE UM SANTO

Dom Bosco estava almoçando na casa do Barão Martin, junto com outros convidados. Durante a refeição percebeu como todos admiravam um belo jogo de talheres de prata, finamente cinzelada. Terminou o almoço. Vieram os agradecimentos e as despedidas. Mas o barão ainda não havia desembolsado a contribuição que dava habitualmente para os orfãozinhos do padre. Seria esquecimento, ou estava aguardando até que as visitas saíssem? O que fez Dom Bosco? Enquanto trocavam as últimas despedidas, aproximou-se da mesa e começou a colocar as peças de prata em sua sacola. Os visitantes observavam curiosos, para ver até onde iria esta brincadeira. Seria mais uma das mágicas do famoso pedagogo e prestidigitador?... Quando acabou de ensacar os talheres, perguntou ao Barão:
— Quanto vale tudo isto?
— Depende, respondeu o Barão. Se fosse novo, teria um valor. Usado como está, tem outro valor. Talvez algumas mil liras.
— Está bem. Em vez de vender para gente estranha, prefiro vender para o senhor. Passe logo mil liras para cá, e o jogo é seu.
Foi uma risada geral. O barão não teve outra saída, senão desembolsar as mil liras. E o fez com muita satisfação. Era para os meninos pobres, mantidos por São João Bosco. São João Bosco (1815-1889) — Apóstolo da juventude.

PADRE CLÓVIS DE JESUS BOVO CSsR
Do Boletim do Padre Pelágio

“Teu sacrário de amor rodear”


Pe. Luiz Carlos Oliveira
Redentorista


Vinde, adoremos!
A festa de Corpus Christi é um convite magnífico para, juntos, nos ajoelharmos diante do Santíssimo Sacramento. Em profundo agradecimento, deixarmos percorrer em nós as emoções de um amor sempre novo e sempre mais amoroso. Na espiritualidade, os ensinamentos belos. Mas presença eucarística é sempre um encanto. Faz falta, mesmo quando a deixamos de lado. Santo Afonso punha nessa presença suas mais ternas satisfações. Era o lugar onde ficava S. Geraldo quando estava desocupado. Ao sair dali era como se fosse arrancado. Quanto nos enternece a visão de um ostensório envolto no aroma dos incensos! Ele nos chama sempre. Não podemos perder, devemos recuperar a alegria de estar com Ele. Nossa vida agitada e até vazia de sentimentos recuperaria seu sentido, se ali estivéssemos por mais tempo. Não é bom que o amigo, diz S.Afonso, passe pela casa de um amigo, sem dar uma chegadinha para ao menos fazer-lhe uma saudação. Quantas vezes passamos perto de um sacrário sem o mínimo sentimento da Presença! A presença eucarística é uma continuação da Eucaristia celebrada que passa a ser adorada. Se a celebração nos marcasse, sua permanência nos atrairia mais. Por isso dizemos: Teu sacrário de amor rodear.
Amigo silencioso
Certamente não podemos usar mais a linguagem do Jesus abandonado no sacrário. A presença de Jesus em nossa vida é silenciosa, discreta e respeitosa. Tanto quanto não respeitamos a presença da divindade é o quanto a divindade nos respeita. A verdadeira amizade não se impõe, acolhe. Assim o Amigo silencioso está sempre a nos oferecer um encontro. É certo que o sacrário não é a prisão de Jesus. É uma espécie de presença, entre tantas mais que se oferecem para nos tocar. O que quer Ele com esse silêncio? Deus não é um esquecido. É permanente oferta de amor e de acolhimento. A Presença eucarística revela um aspecto do mistério da encarnação que deve levar a perceber que devemos buscá-lO. Buscai o Senhor enquanto Ele se deixa encontrar! Ela é uma revelação de um modo de ser de Deus: silencioso. Deus é silêncio. É vivendo esse silêncio que podemos compreender o quanto vale. À medida que conseguimos silenciar nosso coração aprendemos o valor do silêncio adorador. Somos barulhentos. Nosso interior está sempre em guerra. Isso é mau. Jesus quer encontrar-nos silenciosos com Ele. As celebrações ao Ssmo são tão bonitas, mas é preciso voltar ao recolhimento. Quanto mais amor, mais silêncio. É a linguagem da Trindade.
Sacrários vivos
Tanto se cantou diante do Santíssimo Sacramento, nos tempos mais antigos: que sejamos “sacrários vivos da Eucaristia”. Na verdade o canto não chegava a mudar a mentalidade sobre os diversos modos de Jesus estar presente. No Sacrário é um tipo de presença. Mas Ele está presente em nós pelo mistério do Batismo e pela Comunhão. Está presente e permanece. Assim nós O temos e O levamos. Falta para nós uma apropriação dessa verdade de perceber sua presença. Podemos ver que tantos procuram tocar o ostensório, tocar o sacrário, visitar as igrejas. Magnífico! Mas, e o Cristo presente em nós, não vale nada? A espiritualidade que nasce da Eucaristia nos leva a desenvolver um relacionamento pessoal com Ele que vive em nós. E, como trataríamos de modo diferente o outro, nosso irmão, se nos déssemos conta de que cada um tem em si o Senhor Jesus! A presença do outro é sempre uma presença misteriosa de Cristo.
Junho-2006

RELIGIÃO TAMBÉM SE APRENDE! FIM DO MUNDO-2

PADRE ANTÔNIO CÉSAR MOREIRA MIGUEL CSsR

É pecado não amar a vida e ter vontade de que o mundo acabe logo para pôr fim a tanto sofrimento, seu e dos outros?


Entendo que uma pessoa possa, em fases da vida, sentir-se derrotada a ponto de desejar a morte. Aliás, a bíblia traz uma palavra a esse respeito quando o profeta Elias chegou a pedir para morrer porque não via solução para si. Com isso a bíblia está tratando do assunto e mostrando o caminho. Qual é o caminho? É o da confiança em Deus. Afinal é Ele quem conhece nossa vida e sabe que os sofrimentos são passageiros. Todos temos de enfiar na cabeça que não temos soluções para tudo. Se tivéssemos, o mal já teria sido abolido do mundo. O sofrimento é um mal e por mais esforço que se faça é impossível acabar com ele. O sofrimento faz parte da nossa história de humanos marcados pelo pecado. Agora, uma coisa é saber isto e outra é revoltar-se inutilmente. A revolta, no fundo, é desespero porque a pessoa não consegue entender que ela não é sozinha dona do mundo. Nem todos os homens juntos são donos do mundo. Serão sempre seres limitados e irremediavelmente marcados pela morte e pelo sofrimento. então, entendo que, de vez em quando, a gente desanimar e apelar até pensando na morte não chega a ser pecado. É mais fraqueza e coisa passageira.
Pe. César Moreira CSsR
EDITORA SANTUÁRIO

MINHA ORAÇÃO DE HOJE

PADRE FLÁVIO CAVALCA DE CASTRO CSsR

Oração da manhã para todos os dias

Senhor meu Deus, mais um dia está começando. Agradeço a vida que se renova para mim, os trabalhos que me esperam, as alegrias e também os pequenos dissabores que nunca faltam. Que tudo quanto viverei hoje sirva para me aproximar de vós e dos que estão ao meu redor.
Creio em vós, Senhor. Eu vos amo e tudo espero de vossa bondade.
Fazei de mim uma bênção para todos que eu encontrar. Amém.

As reflexões seguintes supõem que você antes leu o texto evangélico indicado.

30 − Sexta-feira − S. Marcelo, mártir

Evangelho (Lc 14,1-6) “Tomando a palavra, Jesus falou aos mestres da Lei e aos fariseus: ‘A Lei permite curar em dia de sábado, ou não?’.”

A lei do repouso do sábado era das mais importantes da lei de Deus. Como tantas vezes acontece, tinha sido interpretada por muitos de forma literal e exagerada. Por isso é que Jesus pergunta se essa lei e outras estão acima da lei da caridade, do amor que nos deve levar a cuidar do próximo. Jesus dá mais de uma vez a resposta: a lei mais importante é amar a Deus em tudo e amar ao próximo como a nós mesmos.

Oração
Senhor, fazei-me obediente a vossas leis, mas obediente de forma esclarecida, sa-bendo o que de fato quereis de mim, não fazendo de vosso mandamento pretexto para minhas próprias ideias. Principalmente ajudai-me a nunca impor aos outros mais do que vós mesmo exigis. Vossa vontade, afinal, é nosso bem e nossa felicidade. Vossa vontade não quer ser peso para nós, porque é apenas amor por nós. Amém.

A N I V E R S Á R I O



Aniversaria hoje nosso colega LUIZ GONZAGA DE RESENDE (PITÃO) que esteve no Seminário em 1968 e hoje se encontra em Franca - SP.

MUITAS FELICIDADES E MUITOS ANOS DE VIDA...
QUE NOSSA SENHORA ESTENDA SEU MANTO SAGRADO SOBRE VOCE E FAMÍLIA!
UM FORTE ABRAÇO !!!

29 de outubro de 2009

LENDO E RELENDO.....


Ao ver hoje nosso BLOG, o BLOG da UNESER, reparei que foram registrados 999 artigos....
Comecei a pensar um pouco a razão desse belo instrumento de comunicação....
Tive lembranças...
Quando em 1957 entrei para o SRSA...
Quando em 1962 saí do SRSA....
Quando em 1965, ao encontrar uma equipe de advogados ex-seminaristas, o Dr.Orlando de Lucca, o Dr.José Garcia Pinto e o Dr.José Rocha, na rua Penha de França, na Penha-São Paulo, surgiu a idéia esperançosa de reunir e apoiar os jovens que não seguiram para a ordenação sacerdotal...
Nesse momento, começava a surgir, por meio de folhas datilografadas, distribuídas pelo correio aos endereços que se iam encontrando, o convite para participar dessa associação de pessoas que um dia estiveram estudando sob um mesmo teto e descobriram os objetivos de Santo Afonso Maria de Ligório, os objetivos redentoristas...
Surgiu o primeiro nome: UNITAS.
Nesse mesmo ano, nos dias 6 e 7 de novembro de 1966, no convento da Penha, realizou-se o encontro de ex-seminaristas de São Paulo e, por correspondência recebida do Pe.Pedro Guareschi, éramos convidados a participar da Primeira Assembléia Geral da Associação dos “Ex”do Rio Grande do Sul, que seria realizada na cidade de Passo Fundo, naquele estado em 17 e 18 de fevereiro de 1967.
A semente da UNITAS não germinou...Talvez tenha ficado hibernada e conservada até que em 1994, um grupo de ex-seminaristas, dentre os quais o Manuel Hildegardo (Mané), em Tietê-SP, idealizou a sociedade que perdura e, devidamente germinada, cresceu, dá frutos e será secular: a UNESER...
Em 2006, pela internet, descobri a UNESER...
Em 2007, participei pela primeira vez no XII-ENESER
Em 2008, participei do XIII-ENESER ( DEUS É AMOR!)
Em 2009, participei do XIV-ENESER (AGORA VAI!)
Em 2008, fevereiro, estive no Encontro da Pedrinha
Em 2007, outubro,participei do I-ERESER, o Encontro Regional realizado na chácara São Sebastião de Emaús em Mairinque-SP.
Em 2009 ,outubro, participei do III-ERESER no mesmo local.
Nossa, de repente percebi que estava rodeado de pessoas que passei a conhecer desde mais de 50 anos e que hoje fazem parte de um grupo que um dia conviveu entre as paredes do SRSA, recebendo ali para o resto da vida o conteúdo do objetivo missionário criado por Santo Afonso Maria de Ligório, o objetivo da COPIOSA APUD EUM REDEMPTIO, o objetivo redentorista.
E hoje, formou-se um círculo definido e perene, que, com certeza, agrada ao fundador da congregação ao perceber que a missão além dos sacerdotes, irmãos leigos, irmãs de oração e caridade, também passou a ser realizada pelos leigos missionários, egressos do seminário.
Isso tudo me encanta, motiva e dá a certeza de que um dia me tornei redentorista e assim permanecerei sempre...

Amigos....foi um desabafo gostoso....
Com isso, orgulhosamente ( no melhor dos sentidos!), fiz a postagem de número 1.000 deste BLOG....(Será multiplicada pelo menos por 1.000=1.000.000!!!)
SALVE MARIA
Antônio Ierárdi Neto

PE.PELÁGIO CSsR....PELO PE.CLÓVIS CSsR - 25


PADRE CLÓVIS DE JESUS BOVO CSsR

CARTAS E BILHETES AO PADRE PELAGIO

Na urna colocada junto ao altar do Padre Pelagio, na igreja matriz de Campinas/Goiania, os devotos colocam cartas com pedidos e agradecimentos. Todas sairam do coração. São comoventes. Vejamos algumas entre as muitas que recolhemos todas as semanas:
- Pe. Pelágio, você está sempre ao meu lado, principalmente nas horas em que mais preciso. Peço-lhe sabedoria, paciência e amor para comigo e meus irmãos. Ajude-me a ajudar o meu próximo.Pe. Pelágio, eu não o conheci e nunca o vi pessoalmente. Mesmo sem tê-lo conhecido e nunca o ter visto ou escutado, você é para mim um amigo que nunca vou esquecer. Você me viu, me ouviu, conversou comigo e me ajudou. Sempre vai me ajudar. Eu o respeito muito. Que eu possa um dia chegar até você para o ajudar nas tarefas aqui na terra. Amém! (Claudia Divina Leite)
- Meu bom amigo Pe. Pelágio! Rogo vossa proteção para meus netos... Recebei-os como afilhados vossos. Não permitais que os males do mundo os afetem. Dai-lhes vossa bênção e vosso amparo. Sejam sempre por vós protegidos. (Alan Pires de Carvalho)
- Quero louvar e agradecer a Deus por intermédio do Pe. Pelágio pela graça que alcancei. Havia uma forte intriga em minha família. Agora tudo se normalizou. Os ânimos estão pacificados, graças à intercessão do bondoso Servo de Deus. (Bárbara Cândida de Jesus).
A mesma senhora contou de uma filha que, quando tinha 16 anos sofria de uma doença esquisita, mas freqüente: falta de religião. Sofria de transtornos mentais. Levou-a para o centro. Nada adiantou. Só o Pe. Pelágio a curou, deixando-a uma pessoa normal e... religiosa. Lamenta que somente agora, depois de quarenta anos, pôde dar este testemunho.
- Elzita prefere fazer uma oração: Peço, Pe. Pelágio, abençoa meus familiares e pessoas amigas. Ajuda-me a ser mais justa, amais amiga e mais aberta aos problemas da vida.Também o meu pai. Eu amo muito, mesmo depois de tudo o que fez para nós. - E agora, ajuda-me a encontrar um rapaz bom e honesto que me ame e construa nossa felicidade. Amém!
- Meu neto era muito chorão, nervoso, embirrado e birrento até os 5 anos. Tentei de tudo. Levei-o ao médico. Matriculei-o em três escolas. Não parou em nenhuma. Eu já estava desesperada. Aí uma vizinha me falou do Pe. Pelágio. Li seu livro e, chorando, pedi a ele que me ajudasse a criá-lo, pois sozinha não o conseguia. Na mesma semana percebi que havia mudado. Consegui também uma escola que ele está “adorando”. Hoje ele está mais calmo. Não toma nenhum remédio. Sua saúde melhorou. Tudo eu agradeço ao Pe. Pelágio. (Roseli Carneiro de Oliveira) - Uma devota escreve: Desde que ouvi falar do Pe. Pelágio, comecei a ler o seu livro e folhetos da novena. Fiz uma novena pedindo a graça de passar num concurso e fui atendida. (Maria da Conceição). Este caso aconteceu quando Pe. Pelágio ainda vivia. Eurípides Balsanor relata: Meu filho Carlos Domingos Ramos de Sousa, hoje com mais de 40 anos, sentia fortes dores no estômago. Vômitos constantes e muito choro. Levei o menino, então com 10 anos, ao Pe. Pelágio na antiga matriz, onde dava a bênção diariamente. Ele colocou a mão na região dolorida do estômago e o menino ficou curado instantaneamente.
- Ivani S. Oliveira, seguindo o conselho do Evangelho “pedi e recebereis”, não se cansa de mandar longos bilhetes e cartas ao Pe. Pelágio, implorando em favor de filhos e parentes. Quer saúde para todos, boa conduta, e libertação de dívidas.

“Tocados pelo Espírito”



Pe. Luiz Carlos de Oliveira
Redentorista



O Espírito Santo faz a Eucaristia
O Espírito Santo vem sobre os apóstolos em forma de línguas de fogo. Como de Jesus temos muitas imagens (Crucificado, Sagrado Coração, Círio Pascal), do Espírito Santo também temos a imagem do fogo, do vento, da nuvem, da pomba, sempre retratando sua ação de movimento, de calor e de vida. O Espírito não é controlado, pois “é como o vento que sopra onde quer”. Sua presença penetra todo o universo. Assim, todo encontro com Cristo, nos sacramentos é realizado pelo Espírito Santo. Em todos os sacramentos temos o gesto que lembra o Espírito: a imposição das mãos. Dentre os sacramentos, a Eucaristia tem particular presença do Espírito Santo. Primeiramente é Ele quem convoca os fiéis para se unirem, para ouvirem a Palavra e comerem o Pão. Reunidos os fiéis, os faz comunidade, Corpo de Cristo. Ao saudar a comunidade o celebrante diz: “A graça de N. S. Jesus Cristo, o amor do Pai e a comunhão do Espírito Santo estejam convosco”. Ele abre os ouvidos e os corações dos fiéis para a palavra, como Palavra de Deus. Abre os corações para que se ofertem a Deus. Ele transforma o pão e o vinho em Corpo e Sangue do Senhor e, aos fiéis que o comungam, no Corpo do Senhor. São unidos a Cristo para que sejam, com Ele, um único corpo. Celebrar a Eucaristia é navegar no mar imenso da ação do Espírito Santo. Ele é aquele que assa o Pão para que seja alimento de Vida. Como Senhor de todo amor, transmite-nos o grande amor de Deus vivido no coração da Trindade e faz que vivamos esse amor como família de Deus, Corpo de Cristo. Ele nos solda e amalgama um único ser em Cristo, como metais misturados. Viver bem uma celebração é fazer-se aberto ao Espírito para compreender e ser Eucaristia.A espiritualidade que nasce da Eucaristia é realizada pelo Espírito, como Ele faz a Eucaristia.

O Espírito nos faz Eucaristia
“Dá-nos sempre deste pão!” (Jo 6,34), dizem os judeus. Há sempre em nós um desejo profundo de felicidade que nos sacie e nos dê uma vida sem problemas. Jesus à pergunta dos judeus, responde: “Eu sou o pão do Céu. Quem crê em mim nunca mais terá fome” (35). Mais que receber um pão, somos feitos pelo Espírito, Eucaristia para o mundo. A espiritualidade Eucarística põe-nos em condição de sermos nós uma Eucaristia continuada para o mundo. Eucaristia não é só um pão (Corpo de Cristo) que se come, mas um projeto que se assume. O projeto é ser Eucaristia de Jesus. Nós O acolhemos. Ele veio para ser vida para sermos seus continuadores desse milagre de dar vida por onde passarmos. Ser Eucaristia é realizar a comunhão de vida doada com aqueles para os quais Ele veio, sobretudo os abandonados. Esses têm direito de receber de nós a vida plena que conseguimos na missa. Vida plena vai até suas vidas sofridas, inclusive marcadas pelo pecado. A Eucaristia é um remédio e nos faz médicos com o Medico divino.

No fogo do Espírito
O Espírito Santo é fogo que queima, purifica e aquece. Na celebração da missa invocamos o Espírito Santo para que transforme o pão e o vinho no corpo e sangue de Cristo. O fogo do Espírito, como que assa o pão para que seja “espiritualizado”, seja Corpo de Cristo. O que fez com o pão e o vinho, faz também com os fiéis: Corpo de Cristo. A Espiritualidade Eucarística se fará também no fogo do Espírito. O que recebemos na fé, transmitimos na fé. O Espírito age e transforma.


Maio-2006

RELIGIÃO TAMBÉM SE APRENDE! FIM DO MUNDO

JOÃO A.MAC DOWELL SJ
Ouvi dizer que toda a confusão que existe no mundo de hoje é um sinal de que o fim está chegando. Que acha o Sr.? E sobre o ano 2000 e seguintes?

Jesus diz no Evangelho: "Ninguém sabe quando será esse dia ou essa hora, nem os anjos no céu, nem o Filho, mas só o Pai" (Mc 13,32). Ele ensina que não adianta querer descobrir a data do fim do mundo. O importante é estar sempre preparado para prestar contas a Deus de nossa vida. Porque podemos morrer a qualquer momento: o fim de nossa vida pode acontecer hoje mesmo.É isso que deve nos motivar a viver bem. "Ficai vigiando, porque não sabeis quando o dono da casa voltará, se à tarde, se à meia-noite, ao canto do galo ou de manhã, para que, se chegar de repente, não vos encontre dormindo" (v.35s). Se o empregado soubesse a hora da chegada do patrão, poderia ficar dormindo até 5 minutos antes e então preparar-se para recebê-lo. É isso que Jesus quer evitar, que deixemos para mudar de vida no último momento, mostrando que poderá ser tarde demais, se a morte vier de repente. E então estará tudo perdido.Em vez de ficar preocupados com o fim do mundo, devemos celebrar o ano 2.000 (...e todos os que seguem...)como nos recomenda o Papa João Paulo II. Essa data é importante, porque é um grande aniversário: 2.000 anos do nascimento de Jesus, 2.000 anos do início da redenção do mundo. E tanta gente ainda não conhece Jesus, não tem a alegria de viver a vida nova de acordo com a palavra de Deus no Espírito de Cristo.Por isso o Papa propôs que o ano 2.000 seja um Ano Santo para todos os cristãos: um tempo de agradecimento a Deus pela graça da fé e da salvação que Jesus Cristo nos trouxe, e um tempo de conversão e renovação, para que no Terceiro Milênio da era cristã haja mais paz e união na Igreja e no mundo. Diante de tanto esquecimento de Deus e tanta violência contra os seus filhos e filhas, João Paulo II nos exorta a tomar parte na nova evangelização. Ele recorda nossa responsabilidade, como discípulos de Jesus e membros da Igreja, de anunciar o seu evangelho a todas as criaturas. Cada um deve ser um testemunha da verdade e do amor de Cristo por sua palavra e sua vida, para que todos creiam que ele é o Salvador do mundo.
João A. Mac Dowell S.J.
EDITORA SANTUÁRIO

“Auxílios divinos”


Pe. Luiz Carlos de Oliveira
Redentorista


Palavra de Deus na vida
A Palavra de Deus é fonte de vida. Jesus é a Palavra de Deus encarnada: “E o Verbo (Palavra) se fez carne, e habitou entre nós” (Jo 1,14). Por Ele, Deus nos dirige sua Palavra: “Muitas vezes e de modos diversos falou Deus, outrora aos pais pelos profetas. Agora, nestes dias, que são os últimos, falou-nos por meio de seu Filho” (Hb 1,1-2). Deus continua falando. A Palavra de Deus está unida ao próprio Deus. “E o Verbo (Palavra) era Deus”. Essa Palavra de Deus está na Bíblia, nos acontecimentos da vida, na natureza e em cada pessoa. A Bíblia é a fonte primeira e o depósito da Palavra. A sabedoria cristã é ouvir Deus onde Ele fala. “Quem é de Deus, ouve a Palavra de Deus” (Jo 8,47). “Minhas palavras são espírito e vida” (Jo 6,63). Mesmo que não possa ler, meditar e explicar a Palavra, é preciso ouvir o Deus que nos fala através de tantos meios. À medida que aprendemos a ouvir, mais Deus falará. É necessário ouvir e deixar Deus falar através de nós. O cristão fiel vai levar essa Palavra aos outros pelo testemunho da vida. Quem sabe este seja o único evangelho que muitos poderão ler. Junto à leitura da Palavra, temos a oportunidade de ouví-la na celebração. Pela liturgia, podemos nos aproximar de 90% da Bíblia. Acolhendo a Palavra na celebração, nós a levaremos para o dia-a-dia. Vivendo a Palavra, poderemos anunciá-la tanto pela palavra falada, como pelo testemunho da Palavra.
Força dos sacramentos
Os sacramentos são presença redentora de Deus nos momentos fundamentais da vida e continuam como fonte para o dia-a-dia. Estão presentes em nós por sua ação santificadora. Não são gestos litúrgicos que terminam na celebração, mas ações de Cristo em nós. Todos os sacramentos crescem em nós para modelar nossas atitudes. Cada fiel viverá mais intensamente sua fé se for atento em viver a graça do sacramento recebido, de modo particular o batismo e o matrimônio. Junto com estes sacramentos, a Eucaristia é o coroamento. Viverá o batismo na consciência de que é filho de Deus e irmão dos outros. Promoverá a fraternidade. Na realidade matrimonial, dará o testemunho do amor em suas diversas dimensões. A vida de casal é seu maior testemunho. Na Eucaristia estará atento à Palavra e à comunhão do Corpo de Cristo como vida e não como um ato de piedade. A comunhão com Cristo Eucaristia animará a comunhão familiar e conjugal. Mesmo que não possa estar sempre na celebração, Cristo continua sua presença em cada pessoa.
Graças de cada dia.
Cada dia é uma graça de Deus. Todos os dias recebemos tantas graças de Deus. Não podemos pensar que Deus fique lá do alto derramando graças sobre nós. Deus nos ama e sempre está próximo de nós. Esta é a graça fundamental. Nós reconhecemos que sem Ele nada podemos, então tudo vem Dele. Tudo o que acontece, de um modo ou de outro, é dom de Deus. Cada pessoa é um presente de Deus. Em cada acontecimento recebemos algo que Ele que nos dá de surpresa. E as desgraças? É bom que a gente se convença que podemos escolher os males ou os outros nos prejudicarem. Podemos ser vítimas de acaso, por exemplo, um raio. Nem Deus quis, nem o demônio o mandou. Aconteceu. Por isso Paulo nos escreve: “Em tudo dai graças; porque esta é a vontade de Deus em Cristo Jesus para convosco”(1Ts 5,18). Seremos maduros espiritualmente se sofrermos os males com Deus, dando sempre graças. Podia ser pior. A espiritualidade do leigo se faz no fogo da vida.
Outubro-2009

REMEMORANDO REDENTORISTAS - PE.GERALDO CSsR

PE. GERALDO SCHAUFF CSsR

29 DE OUTUBRO DE 1996+


1938 – Nasceu dia 14 de abril na cidade alemã de Abbelrath, perto de Colônia. Cresceu com mais dois irmãos mais velhos na fazenda dos seus pais. Desde criança dizia: quero ser padre para ajudar as pessoas. Primeiro aprendeu o ofício de torneiro. Antes de entrar para o seminário, trabalhou nesse ofício uns de três anos.

1959 – Foi para Seminário redentorista de Bonn.

1963 – Fez o noviciado em Treveris. Estudou Filosofia e Teologia no Seminário de Hennef-Geistingen.
1967 – Fez os votos religiosos.
1969 – Dia 12 de julho foi ordenado por Dom Vitus Chang. Deixando o Seminário, assumiu uma capelania na paróquia de São Bernardo, perto de Bonn. Mas como havia se direcionado para trabalhar nas missões estrangeiras, aceitou o convite de Dom Juvenal Roriz para servir na sua prelazia de Rubiataba.
Após seis meses intensivos de aprendizado da nossa língua, entregou-se de corpo e alma ao trabalho durante 23 anos: Dez em Araguapaz e 13 em São Pedro da Água Branca MA. Nesses dois lugares extremamente necessitados, realizou um grande trabalho religioso e social, como sonhara desde criança.
Seus projetos mais relevantes foram: Cisternas para garantir água boa; lavanderias comunitárias para não precisar lavar roupa no rio; construção de vilas com casas de tijolos substituindo moradias precárias de barro ou madeira ou palha de buriti; pequeno criatório de gado para fornecimento de alimentação básica (carne e leite) para as famílias carentes; serviço de saúde; merenda diária para as crianças, fornecimento gratuito de remédios mediante receita médica, uma grande igreja com um centro com muitas salas para catequese, alfabetização, com a valiosa colaboração das Irmãs da Ação Pastoral, etc.
Ele sabia dar um sentido religioso a todos os empreendimentos sociais, envolvendo tudo e todos com seu sorriso aberto e seu otimismo imperturbável. Tinha dentro do coração “os mais pobres entre os pobres e doentes”.Contou sempre com o auxilio de benfeitores, quer da Alemanha quer do Brasil. Nos finais de ano passava longas noitadas diante da máquina de escrever, enviando cartas de Boas Festas e agradecimento aos seus benfeitores. Lidando com tanto dinheiro, foi sempre um padre despretensioso e desapegado. Basta dizer que nos treze anos passados em São Pedro nunca teve uma casa própria para morar.
1996 - Cuidando sempre dos outros, esqueceu-se de cuidar de si, mesmo nos últimos meses de vida, quando o câncer já havia tomado conta do seu fígado, tornando impraticável uma cirurgia. Morreu dia 29 de outubro na Alemanha para onde foi se tratar, assistido pelos seus confrades redentoristas.

Do Site: http://www.boletimpadrepelagio.org/

MINHA ORAÇÃO DE HOJE

PADRE FLÁVIO CAVALCA DE CASTRO CSsR

Oração da manhã para todos os dias

Senhor meu Deus, mais um dia está começando. Agradeço a vida que se renova para mim, os trabalhos que me esperam, as alegrias e também os pequenos dissabores que nunca faltam. Que tudo quanto viverei hoje sirva para me aproximar de vós e dos que estão ao meu redor.
Creio em vós, Senhor. Eu vos amo e tudo espero de vossa bondade.
Fazei de mim uma bênção para todos que eu encontrar. Amém.

As reflexões seguintes supõem que você antes leu o texto evangélico indicado.

29 − Quinta-feira − S. Narciso, bispo

Evangelho (Lc 13,31-35) “Naquela hora, alguns fariseus aproximaram-se e disse-ram a Jesus: ‘Tu deves ir embora daqui, porque Herodes quer te matar’.”

Alguns acham que o aviso dos fariseus era maldoso. Não sei, talvez fosse sincero. O importante, porém, é notar como Jesus não se amedronta. Seja como for, quer con-tinuar fiel a sua missão, para levá-la até o fim. Cada vez se torna mais claro que essa fidelidade lhe poderá custar a vida. Não importa, quer “continuar seu caminho”, e sabe que no fim terá a vitória da ressurreição, da glorificação junto do Pai que o ama.

Oração
Senhor, eu me apavoro facilmente, deixo que o medo me impeça de fazer o que devo. Dai-me prudência para perceber os perigos, mas que seja também corajoso e ousado. Quando procuro fazer o bem, nunca estou sozinho, pois comigo sempre estais, para me amparar e ajudar. Se me dais apoio, aceito pagar o preço necessário para que vosso evangelho se faça presente em minha vida e na vida do mundo. Amém.

28 de outubro de 2009

NOTÍCIAS DAQUI E DALI...


Ontem tive a felicidade de conversar por mensagens com o Padre Geraldo Rodrigues CSsR, que coordena e edita as notícias redentoristas pela Província de São Paulo.

Vou ter aqui mais uma fonte de informações atuais da nossa Congregação do Santíssimo Redentor.

Agradeço ao nosso bom colega Paulo Oliveira, o Paulinho, que me indicou a forma de conseguir o contato com o Pe.Geraldo.

Nesse primeiro lote de notícias que recebi, vi uma informação interessante e oportuna e, ainda que com um atraso de um dia, passo ao conhecimento geral:

Ele,P. Dionísio de Foltran Zamuner, lembra-nos que o dia 27 de outubro é marcado como o 200º aniversário de nascimento do redentorista Beato Pedro Donders.
Neste ano, no Suriname e na Holanda (em Tilburg, sua cidade natal), são promovidos vários eventos: peregrinações, exposições, caminhadas, filme de longa metragem, artigos, fotos e vídeos.
Exatamente neste dia, em Tilburg, foi aberto ao público um pavilhão/museu em honra de nosso Donders, e foi abençoado pelo bispo de Paramaribo, capital do Suriname.

São Simão, o apóstolo .

Conhecido tambem como Simão Cananeu
Simão era filho de Cleophas e Maria. Cleophas era irmão de São José e ela irma de da Virgem Maria, assim Simão era primo irmão de Jesus.
Há indícios de que este Simão tenha sido o mesmo que é apontado como sendo irmão de São Tiago Menor e claro, também irmão de São Judas Tadeus. Outra versão de modernos escolares diz que talvez tenha havido dois com o nome de Tiago, um filho de Alphaeus e um dos 12 apóstolos; e o outro o "irmão de Jesus", que seria um primo em primeiro grau ou um filho de José do seu primeiro casamento. Estudiosos sustentam que José era viúvo quando foi escolhido para se casar com a Virgem Maria e ser o pai de Jesus; e tinha vários filhos sendo um deles de nome Simão.(Judas, Justus, Tiago e Simão e as filhas Assia e Lídia).
Alguns especialistas acham Simão era o noivo do casamento no qual Jesus transformou a água em vinho.(Bodas de Cana).
Também chamado de Canaanite (Mt10:4;Mc3:18) ele era um dos apóstolos e foi mencionado varias vezes no Novo Testamento. Conhecido como o Zeloso (Luc 6:15 e Atos1:13) por sua dura obediência lei dos judeus, Simão foi um dos primeiros discípulos de Jesus. Foi bispo em Jerusalém.
É dito ainda que foi avisado por um anjo da e destruição de Jerusalém em 66 DC e levou os cristãos para a cidade de Pella e lá ficaram até seu retorno seguro em 70. Euzebius e Epiphanius asseguram que a Igreja floresceu em Pella e multidões de judeus foram convertidos pelo grande número de prodígios e milagres de São Simão.
Segundo a tradição durante as perseguições de Atticus sob as ordens do Imperador Trajano em 107 Simão foi preso torturado e crucificado e teria 102 ou 120 anos na época. Atticus e os executores teriam expressado admiração pela força e fé de Simão durante o seu martírio. Teria sido morto na Pérsia. Parece que no final teria sido serrado ao meio.
Outra versão inclui a assertiva de que ele teria morrido calmamente em Edessa, com 106 anos e governado a igreja durante 43 anos.
Na arte litúrgica da Igreja ele é representado segurando um peixe ou uma serra ou em um barco segurando um remo.
Sua festa é celebrada no dia 28 de outubro



http://www.cademeusanto.com.br/sao_simao.htm

DO SITE DO PE.PELÁGIO....(PE.CLÓVIS CSsR)


PADRE CLÓVIS DE JESUS BOVO CSsR

ESTÁ NA MÃO DE DEUS

A história do dia

Joãozinho era menino, mas já pensava como gente grande. Crescia no estudo e no trabalho de roça. Enquanto estudava e trabalhava, ia construindo seu futuro.
Ele e seu irmão dormiam no mesmo quarto. Dormir de que jeito, se o Joãozinho ficava horas inteiras parafusando coisas na cabeça e bombardeando o mano com perguntas? Como ir trabalhar no dia seguinte, sem ter dormido?
Certa noite o irmão levantou-se nervoso e foi queixar-se com a mãe:
— Mãe, o Joãozinho não me deixa dormir. Fica pensando alto e fazendo cada pergunta que só Deus sabe responder.
A mãe foi ver:
— Joãozinho, o que está faltando? Você está doente?
— Mamãe, estou preocupado com uma coisa. Nós vivemos em cima da Terra, não é? E a Terra está apoiada em quê? Como é que ela fica livre no espaço, sem cair?
A mãe, muito prática, deu uma resposta que não explicou, mas acalmou o menino:
— Deixe a Terra onde está. Você não precisa segurá-la. É o bom Deus quem faz isso por você. Ela está em mãos muito firmes. Por isso, fique sossegado e durma, para não perturbar o sono do seu irmão.
Joãozinho, anos mais tarde, conseguiu carona no porão de um navio e foi morar nos Estados Unidos. Lá ordenou-se padre, ficou bispo e trabalhou muito pela Igreja...
Hoje é São João Nepomuceno Neumann.
São João Nepomuceno Neumann (1811-1860) — Missionário Redentorista e bispo de Filadélfia, EUA. Nasceu na Boêmia e morreu nos Estados Unidos. Promoveu a formação da juventude, fundando muitas escolas.

“Alimento do Deserto”

Pe. Luiz Carlos de Oliveira - Redentorista

Um povo faminto
Deus sempre socorre os necessitados: “Este pobre clamou e Deus o ouviu”;Ele dá alimento aos que têm fome. O povo, saído do Egito, entrou por um deserto inóspito onde lhe faltava tudo: alimento, água, segurança. Os 40 anos foram de sofrimento e carências. Mas o Deus que o amava não deixou de providenciar mais do que suas lágrimas pediam. O maná vindo do céu é o símbolo da preocupação de Deus com os que sofrem. O livro da Sabedoria descreve assim a preocupação de Deus: “A teu povo nutriste com um alimento dos anjos, proporcionado-lhe do céu, graciosamente, um pão de mil sabores, ao gosto de todos” (Sb 16,28). O milagre da bondade foi ao extremo do carinho: um pão que tinha o sabor que se desejasse. Jesus, compassivo com o mesmo povo sofrido, realiza o milagre da multiplicação dos pães. Em seu discurso sobre o pão da vida, cita o salmo 78,24: “Deu-lhes o pão do céu a comer” (Jo 6,31). Com o milagre da multiplicação dos pães e com a imagem do maná que saciou a fome do povo no deserto, explica-nos sua missão que tem uma síntese na Eucaristia: O maná sacia o povo faminto no deserto. Jesus, dando-se como alimento, sacia uma fome mais profunda, pois “os pais comeram o maná no deserto e morreram” (49). Ele afirma: “Eu sou o pão vivo descido do céu” (Jo 6,49) [...] “quem comer deste pão viverá eternamente, o pão que eu darei é minha carne para a vida do mundo” (51). O povo continua faminto de pão e de vida. A espiritualidade eucarística deve converter a Eucaristia celebrada em Eucaristia para a vida do mundo.
Pão para os fracos
Aprendemos a ter grande amor pela Eucaristia. O carinho, respeito e devoção fizeram-nos perceber a grandeza desse Pão vindo do Céu. Infelizmente entendeu-se grandeza como distância. A Eucaristia, alimento dado a todos, passou a ser um prêmio para o justo, recompensa para os bons e delícia dos perfeitos. Os necessitados de pão continuaram passando fome. Certamente que as condições requeridas para a comunhão permanecem intactas, mas intacta também permanece a finalidade do Pão da Vida: alimento para os necessitados da vida de Deus. Jesus já proclamava: “Não são os sadios que precisam de médico, mas os doentes”. Ele, o Pão da Vida, que veio para curar e salvar, não quer que seus doentinhos passem necessidade, quando está ali a fonte da vida. Os bons não têm problemas e recebem a Eucaristia como um prêmio. Mas, se não se tornam pão para a vida, não estão cumprimento uma das finalidades da comunhão: dar vida.
Senhor, eu não sou digno
Diante de tão grande mistério, cheios de tantas misérias, podemos lamentar diante de Jesus Eucaristia: “Senhor, eu não sou digno que entreis em minha casa, mas dizei uma só palavra e minha alma será curada”. Respondendo a S. Catarina de Sena, que dizia essas palavras, Jesus disse: “Você pode não ser digna de me receber, mas eu sou digno de ir a você”. Jamais poderemos preparar condignamente nossa casa, mas é o Senhor quem nos prepara o coração para recebê-lo. Isso nos estimula a buscá-lo com amor. Quanto mais fracos e doentes, mais necessitamos receber a Eucaristia porque Ele é o alimento, é o remédio e o médico de todos os nossos males. Não nos fechemos em nossas fragilidades.
http://www.ceresp.com.br/503.htm

Maio-2006

REMEMORANDO REDENTORISTAS! PE.CONRADO CSsR



PE. CONRADO (MARIA) KOHLMANN CSsR

28 de OUTUBRO 1944+


Outro grande missionário que muito realizou e sofreu pela nossa Província. Era da cidade de Seisling (Alemanha) onde nasceu a 5 de fevereiro de 1879. Desde criança mostrou desejo de ser Padre e, logo que pôde, ingressou no Juvenato da Província-Mãe, professando em 1903. Foi ordenadoem 1908, vindo no ano seguintepara o Brasil. Era seu sonho dedicar-se logo às missões; mas a obediência o colocou no Juvenato de Aparecida como Diretor e Professor. Mesmo assim, sempre que possível, lá estava ele na igreja, auxiliando nas confissões e batizados. Em 1921 foi para Campininhas, e, aliando sua ótima saúde a um zelo extraordinário, percorreu todo o sul de Goiás num contínuo apostolado. Não conhecia cansaço nem dificuldades; sempre a cavalo, fazia quantas léguas fossem necessárias para atender a um doente que o solicitasse. Os perigos que enfrentou pelo sertão: a fome, a sede que muitas vezes teve de suportar, o trabalho das contínuas pregações, as noites em claro, foram capítulos que só Deus conhece, escritos como foram “in libro vitae”.
De 1936 a 1941 trabalhou nas Missões do Estado de São Paulo. Durante esse tempo foi também superior de Pindamonhangaba, onde muito fez para valorizar o terreno: o dia todo lá estava ele de enxada, picareta ou machado à mão, para dar ao noviciado a horta, o pomar, os caminhos ou avenidas que embelezariam a casa. Mas nem por isso se esquecia das missões; estava em todas, sempre com o mesmo entusiasmo e piedade. No entanto, seu sonho era voltar para Goiás, onde se sentia melhor em meio ao povo simples. E era lá que ele desejava terminar os seus dias. Em 1942, todo feliz, regressou às missões em terras goianas. Sua saúde, porém, já não era a mesma. E quando notou que já não podia mais continuar como superior de Campinas, renunciou ao cargo, passando a viver no silêncio do seu quarto.
Esse descanso forçado, com a certeza de que o fim se aproximava, foi uma dura penitência para o seu zelo; mas ele a aceitou, apegando-se à oração, no quarto ou na capela, e apoiando, com todo entusiasmo, o trabalho missionário de seus colegas.
Com o coração bastante fraco, passava noites em claro, mal podia respirar. Assim foi que ele viveu seus últimos dias, entre a vida e a morte, recitando contínuas jaculatórias que bem revelavam a sua conformidade e grande esperança. Em 28 de outubro de 1944, ele rezou, com o Irmão que o assistia, das oito às onze horas da noite, quando entrou em agonia. Algumas horas depois expirou. Levava consigo para a eternidade o mérito alcançado de trinta e cinco anos de intenso apostolado.

RELIGIÃO TAMBÉM SE APRENDE! FILHOS-4


PADRE HÉLIO DE PESSATO LIBÁRDI CSsR

Adotar uma criança é um bom negócio?

É muito comum encontrarmos pessoas que desejam ter filhos, mas a natureza não lhes dá a possibilidade. Enquanto tantos evitam filhos e mesmo recusam tê-los, outros vivem a ansiedade de procurar uma criança que possa completar sua alegria e que encha sua casa de felicidade.Adotar uma criança não é satisfazer sua afetividade e poder cobrir suas carências, mas é um gesto profundamente evangélico. É ter uma consciência do valor da pessoa e de sua dignidade. É se tornar pai e mãe para quem não os teve e abrir suas portas aos carentes. É dar a quem foi negado o direito de ser pessoa humana e de se desenvolver dignamente.Saudamos a vocês que abrem seus braços nesse gesto generoso, realizando o amor mais puro e concretizando as palavras de Jesus: “Ninguém tem maior amor do que aquele que dá a vida pelo outro”.Quem adota uma criança deve estar consciente de alguns pontos básicos:1. Por mais que façam, nunca vão substituir os pais que geraram essa criança. No âmago dessa personalidade sempre vai existir uma dor.2. Não se adota uma criança para si, mas para ajudá-la a ser gente e estar junto até que ela mesma decida seu caminho. Por isso é o gesto mais generoso que se faz.3. Venha de onde vier, a criança sempre poderá apresentar distúrbios ou desequilíbrios. As marcas e traumas são tão profundos, o sentimento de rejeição é tão grande, que vão atuar sempre na personalidade da criança.4. Os comportamentos desencontrados não são resultado de falhas na educação, mas são reações muitas vezes indesejadas pela criança, fruto dos traumas que a marcaram desde a sua concepção.5. Não se pode esperar um comportamento lógico e reações normais de quem já nasceu com tantas marcas negativas.6. Tudo o que se faz, se faz em nível de suprir o que faltou e dar à criança o necessário para uma vida digna.7. A criança deve saber desde cedo sua real situação, mesmo que não aceite e rejeite conversar sobre isso. É muito traumatizante saber mais tarde sua história.Com todas essas observações e esses perigos, mesmo assim vale a pena a coragem de adotar uma criança, enfrentando o futuro imprevisível e incerto de quem não sabemos de onde veio e nem a profundidade das marcas que traz consigo.Parabéns a vocês que conseguem fazer esse gesto maravilhoso; um dia Jesus vai dizer-lhes: “Eu estava abandonado e me recolhestes”.
Pe. Hélio Libardi, C.Ss.R.
EDITORA SANTUÁRIO

REMEMORANDO REDENTORISTAS! IR.PLÁCIDO CSsR




IR. PLÁCIDO (JOSÉ SCHAFFLEITNER) CSsR
28 DE OUTUBRO 1953+



Era austríaco, nascido a 1º de maio de 1877. Ingressando na C.Ss.R. em 1901, fez os votos a 3 de maio de 1906 em Aparecida, três anos após sua chegada ao Brasil. Um Irmão que trabalhou em todas as nossas casas daquele tempo: Aparecida, Penha, Araraquara, Cachoeira do Sul e Campinas (GO). Alegre, piedoso e muito dedicado ao trabalho, Irmão Plácido foi sempre muito estimado pelos confrades, pelo otimismo e felicidade que irradiava. Com uma certa facilidade para escrever, deixou-nos um interessante “Diário” da sua vida na Alemanha, desde que ingressou na C.Ss.R. e, no Brasil, até junho de 1905. Em outubro de 1931 renunciou(por escrito) a viagem-recreio que podia fazer à Alemanha, talvez com medo de não poder mais voltar para o seu querido Goiás.
Numa carta ao Provincial, em 1935, ele diz alguma coisa da sua vida em Campininhas: “Graças a Deus, há 32 anos que estou no Brasil, sempre alegre e satisfeito. Além dos sofrimentos que todo mundo tem, já caí três vezes da escada, ao apanhar laranjas; tive maleita durante três anos e meio; por ocasião da festa em Trindade quase fui morto a pauladas; além disso fui picado por uma jararaca (1934) e, outra vez, picado por uma jaracuçu (1935). E, para encher as medidas, estou agora com uma úlcera no estômago. Como V.R. pode ver, o sofrimento é meu signo neste mundo miserável. Mas, apesar de tudo, vivo contente e feliz aqui em Campinas”. E, pressentindo a morte, ele diz ainda:“Será que vou logo para o cemitério? Isto seria para mim o fim deste mundo, e seria muito bom, tanto para mim, como para os outros, pois já não sirvo mais para muita coisa”. — E mostra-se consolado ao dizer: “Graças a Deus que vou morrer aqui, e já estou vendo que isso não vai demorar muito”. — Mas ainda demorou um pouco. E seus últimos anos foram de muito sofrimento.
Sempre alegre, porém, conformado, esperou pela morte, até que ela chegou, a 28 de outubro de 1953, em Campinas como ele sempre desejara.

MINHA ORAÇÃO DE HOJE

PADRE FLÁVIO CAVALCA DE CASTRO CSsR

Oração da manhã para todos os dias

Senhor meu Deus, mais um dia está começando. Agradeço a vida que se renova para mim, os trabalhos que me esperam, as alegrias e também os pequenos dissabores que nunca faltam. Que tudo quanto viverei hoje sirva para me aproximar de vós e dos que estão ao meu redor.
Creio em vós, Senhor. Eu vos amo e tudo espero de vossa bondade.
Fazei de mim uma bênção para todos que eu encontrar. Amém.

As reflexões seguintes supõem que você antes leu o texto evangélico indicado.

28 − Quarta-feira − S. SIMÃO e S. JUDAS, apóstolos

Evangelho (Lc 6,12-19) “Jesus foi à montanha para rezar. E passou a noite toda em oração a Deus. Ao amanhecer, chamou seus discípulos e escolheu doze dentre eles.”

Lucas dá destaque à longa oração de Jesus durante a noite. Talvez para dar maior destaque à escolha feita por Jesus, escolha meditada e ponderada longamente diante do Pai. Entre os discípulos, doze são escolhidos para uma missão especial. Não são apenas “apóstolos” no sentido de “enviados”. Serão homens que poderão agir em nome de Jesus, como seus representantes, dotados da autoridade necessária.

Oração
Senhor Jesus, prometestes que estareis sempre conosco, na vossa Igreja. Creio que agis através dos que continuam o serviço de vossos apóstolos, na direção de vossa comunidade, no anúncio e nos sacramentos. Creio também que todos nós, de um modo ou de outro, somos instrumentos vossos. A uns e a outros ajudai para que sejamos sempre fiéis à tarefa que nos confiastes para s salvação do mundo. Amém.

A N I V E R S Á R I O



VICENTE DE PAULA ZICA é o aniversariante de hoje.

Zica mora atualmente em Brasília - DF e esteve no seminário de 1967 a 1975.


Nossos Parabéns e desejos de muitas felicidades!

Um forte abraço da UNESER!

SÃO JUDAS TADEU

1940 / 2010 - 70 anos de história e devoção.


A paróquia de São Judas Tadeu foi criada em 25 de janeiro de 1940, por decreto expedido por Dom José Gaspar de A. Fonseca e Silva, arcebispo metropolitano de São Paulo. Outras 24 paróquias foram criadas na mesma época. A cidade estava crescendo e precisava de mais igrejas. Um pobre salão, na avenida Felício Fagundes, foi alugado e transformado em capela, onde eram celebradas as missas e os demais sacramentos. Os galhos de uma árvore funcionavam como campanário de velho sino que conclamava os fiéis ao encontro com Deus. A nova paróquia foi confiada à Província Brasileira Meridional dos Sacerdotes do Sagrado Coração de Jesus (dehonianos). Em 17 de março de 1940, Pe. João Buescher tomou posse como primeiro pároco da nova paróquia de São Judas Tadeu Apóstolo.


Pe. João Buescher, pessoa de grande dinamismo, procurou um bom terreno e, com a ajuda da comunidade, construiu a primeira igreja, ainda provisória, que substituía a capela improvisada. No ano seguinte, imediatamente após a construção da igreja provisória, ele já iniciava a definitiva, inaugurada em abril de 1944, e hoje conhecida como Igreja Antiga. Naquela época, São Judas Tadeu era uma santo desconhecido. O pároco passou, então, a divulgar sua história para a comunidade. Mandou fazer muitos impressos com a imagem e a oração do Santo e distribuía-os, pessoalmente, nos pontos de ônibus, nos bondes, na Praça da Sé e nas visitas às famílias dos bairros centrais. Ao mesmo tempo que pedia ajuda para a construção da igreja, divulgava o Santo Padroeiro.


São Judas também não tinha imagem. Padre João Buescher mandou esculpir uma em madeira, mas o escultor ficou doente, e como a festa do padroeiro estava próxima, a imagem acabou sendo fundida em gesso. É a que se tornou oficial na igreja do Jabaquara. O extraordinário aumento da afluência dos devotos, fazendo crescer o movimento religioso, trouxe a necessidade de uma nova igreja. Em janeiro de 1963, sacerdotes, paroquianos e devotos iniciam a nova construção, conhecida, hoje, como Igreja Nova. Este novo templo é de linhas modernas, amplo e funcional. Internamente, apresenta forma circular inscrita num quadrado, tendo sua cúpula 22 metros. Em 1980, na festa dos 40 anos do Santuário, o novo templo já estava equipado com som, pintura e iluminação. O ritmo arquitetônico e a sobriedade das linhas da igreja nova conduzem espontaneamente para o que deve ser o centro de uma igreja: o altar do sacrifício. Em torno da mesa, a comunidade de discípulos, como São Judas, se reúne para celebrar o seu Senhor, Jesus Cristo, e deste modo o peregrino, o devoto, o paroquiano pode melhor fazer a sua experiência de Deus, a sua experiência de comunhão com Deus e os irmãos na Eucaristia.

27 de outubro de 2009

XXIV CAPÍTULO GERAL REDENTORISTA


Reentoristas realizam o XXIV Capítulo Geral.
(Recebemos do Pe. Luiz Rodrigues-cssr, Superior Provincial de São Paulo, o seguinte email que publicamos abaixo. Rezemos para que Santo Afonso abençõe todos os participantes e os ilumine nesta grande missão.)
Congregação do Santíssimo Redentor
CAPÍTULO GERAL

Nos dias 19 de outubro a 17 de novembro de 2009, nos Salesianum, Roma, os Redentoristas realizam o XXIV Capitulo Geral. São 107 delegados, vindos de 78 países, e representam cerca de 5.500 confrades.

A primeira semana de trabalho constou de um dia de retiro e das apresentações das regiões da Congregação: América do Norte, América Latina e Caribe, Europa Norte, Europa Sul, África e Madagascar, Ásia e Oceania, que se deram através da exibição de um vídeo com duração de 20 a 30 minutos. A Comissão Organizadora do Capítulo havia orientado as regiões para que trouxessem um pouco da realidade social que enfrentam e os rostos dos destinatários da Missão. A partir da realidade, como a Congregação Redentorista enfrenta os desafios e realiza a Missão?

Foram mostradas as situações de pobreza que afligem os continentes Latino Americanos e Caribenho, sobretudo a África. Além da realidade de pobreza material, da corrupção, da violência nas periferias dos grandes centros urbanos, os temas: secularismo, materialismo, indiferença religiosa atingem várias partes do mundo, onde atuam os Redentoristas.

A questão a ser estudada pela Congregação neste Capítulo é, basicamente, como se organizar de modo que melhor realize a Missão? Em várias Unidades da Congregação do Santíssimo Redentor, o número reduzido de confrades, além da idade avançada, é o principal obstáculo. Por outro lado, há sinais de esperança em regiões, onde se manifestam como seleiros de novas vocações, todavia, o sustento da formação é o principal desafio. Há ainda o fenômeno da falta de perseverança dos candidatos.

Mas, a formação dos futuros Redentoristas tem de ser em vista da Missão “Ad Gentes”, pois não faz sentido mais ser Redentorista para uma (vice) província ou região apenas. Temos de ser Redentoristas formados com a índole da Missionariedade, que sugere novo modo de ser para as nossas comunidades e estruturas. Essa convocação para a Missão tem ressonância no tema proposto no Instrumentum Laboris do Capítulo Geral:

REESTRUTURAÇÃO PARA A MISSÃO: ESPERANÇA E AÇÃO.
O tema Reestruturação tem sido tratado na Congregação desde o último Capítulo Geral, realizado em 2003. O Intrumentum Laboris indica que Reestruturação significa colocar as nossas estruturas (Governo Geral, Vices e Províncias, Capítulos, Regiões e Formação) a serviço da nossa Missão. A Reestruturação não é um fim em si mesma, mas um processo, um modo de responder às urgências pastorais. Por isso, exige conversão, mudança de mentalidade.

Outro tema importante é sobre os Leigos e Oblatos Redentoristas, ligados ao Carisma da nossa Congregação. Esses são associados aos Redentoristas para viverem a herança Alfonsiana e alimentarem-se da Espiritualidade Redentorista, para levar avante a Copiosa Redenção. Como cristãos batizados, os leigos participam – em seu estado de vida próprio e vocação – da Missão da nossa Congregação. São mais do que simples colaboradores.

A vocação do Irmão Leigo Redentorista também chama a atenção nesse Capítulo Geral. É preciso que todas as regiões da Congregação incentivem e promovam essa vocação, principalmente, porque antes, cada Redentorista é chamado à Vida Religiosa. Depois é que vem o Ministério Ordenado. O processo formativo do Redentorista que sente-se chamado para a Vida Religiosa, deve levá-lo a se perceber como um dom para o Povo de Deus. Por isso, os confrades Irmãos são convocados a colocarem suas aptidões, incondicionalmente, à serviço da Comunidade.

Os Irmãos Redentoristas atuais e os que se achegarem no futuro poderão viver a sua vocação de modo integrado às exigências da Cultura Moderna. São chamados a serem homens realizados na vocação à Vida Religiosa com criatividades, oportunidades e espaços adequados para uma vida vocacional feliz e realizada.

Concluindo, que os trabalhos realizados nesse Capítulo Geral sejam iluminadores e eficazes para animar e re-projetar as atividades e a Vida Apostólica da Congregação Redentorista. Que Santo Afonso e todos os santos da Família Redentorista nos acompanhem nesses dias.
Pe. Luís Rodrigues, CSSR (Provincial de São Paulo)


DO SITE DA UNESER

DIA DE TODOS OS SANTOS .....

PARA MELHOR VISUALIZAÇÃO E LEITURA CLICAR SOBRE A IMAGEM!







Esta pergunta foi à vencedora em um congresso sobre vida sustentável :
Todo mundo pensando em deixar um planeta melhor para nossos filhos.... Quando é que pensarão em deixar filhos melhores para o nosso planeta?

Uma criança que aprende o respeito e a honra dentro de casa e recebe o exemplo vindo de seus pais, torna-se um adulto comprometido em todos os aspectos, inclusive em respeitar o planeta onde vive...

PADRE ZULIAN CSsR

NOTAEvidentemente o dia de Todos os Santos é em 1ºde novembro, mas a sugestão do Padre Zulian é já passar essa idéia às crianças no dia 31 de outubro, substituindo-se o "sem graça" Halloween, dia das bruxas....

DO SITE DO PE.PELÁGIO....(PE.CLÓVIS CSsR)

DISFARÇADO NUMA VELHINHA

Os santos eram capazes de tudo, quando se tratava do Reino. Disfarçavam-se de mendigos, de palhaços e... de vovozinhas. O caso aconteceu com São Vicente Pallotti. Um rapaz da polícia italiana adoecera gravemente. Os parentes chamaram o médico e o sacerdote. O médico pôde entrar no quarto do enfermo. Mas o padre, não! O doente, embora tivesse o nome de Pio, enveredara pelos caminhos da impiedade. Não queria, não tolerava e não aceitava padre de jeito nenhum. Chegou até a colocar um fuzil junto à cabeceira da cama e um revólver debaixo do travesseiro, ameaçando liquidar o padre que se atrevesse a entrar no quarto. Mesmo sabendo disso tudo, Pe. Vicente ofereceu-se para fazer-lhe uma visita. Os pais do soldado tentaram dissuadir o santo, achando que seria uma imprudência e até uma loucura. Lamentavam a impiedade do filho, mas temiam pela vida do padre.
— Não entre no quarto dele, pelo amor de Deus. Nós conhecemos o Pio e sabemos que é capaz de tudo.
— Que fazer então? — perguntou Pe. Vicente.
Refletiu alguns instantes. Súbito, seus olhos se iluminaram:
— Tive uma idéia. Tragam-me um vestido velho, um xale, um lenço de amarrar na cabeça.
Sem entender o que o padre pretendia, mandaram buscar as peças de roupa. Vestiu o longo vestido por cima da batina, ajeitou o enorme lenço na cabeça, enrolou o xale no pescoço:
— Se eu entrar com estes trajes, ele não vai desconfiar de nada. Os pais acompanharam-no até o quarto e disseram ao filho:
— Pio, esta velhinha quer passar a noite com você. Nós iremos repousar um pouco.
Ele relutou. Mas a "vovozinha" ajeitou-se num canto e ficou rezando baixinho. Quem poderá contar as lutas travadas naquele quarto, na solidão daquela noite? O milagre da Graça aconteceu. Apenas amanheceu o dia, os familiares correram para o quarto. Qual não foi o espanto e alegria quando viram o rapaz com semblante sereno, tendo nas mãos o crucifixo... E ao seu lado, o padre de batina, sem mais o disfarce de vovozinha... São Vicente Pallotti (1795-1850) — Nasceu em Roma. Fundador da Sociedade do Apostolado Católico: Palotinos e Palotinas.


PADRE CLÓVIS DE JESUS BOVO CSsR

Do site:http://www.boletimpadrepelagio.org/

“Carne para a vida no mundo”


Pe. Luiz Carlos de Oliveira
Redentorista

Pão que o Pai dará

“Meu Pai vos dará o verdadeiro pão do Céu, porque o pão de Deus é o pão que desce do Céu e dá vida ao mundo!” (Jo 6,32). Todos nós desejamos, não só viver para sempre, sobretudo viver intensamente. O sonho de vida se funda na vontade de Deus de nos dar a felicidade. A felicidade provém do carinho de Deus que quer nos dar vida através do alimento vindo do Céu, Filho. A vida do Filho, doada pelo Pai, é dada pelo Filho na cruz e transmitida a nós em cada Eucaristia. Ela é o pão da vida porque é carne do Filho. Jesus é o alimento: “Eu sou o pão da vida”. Imensa sabedoria de Deus que, para estabelecer conosco a aliança definitiva, dá o Filho como alimento. Esta aliança não é feita através de animais, mas de união íntima no coração. A nova aliança, como diz Jeremias, feita no coração, estabelece o relacionamento fundamental: Deus se une através da carne de Cristo unida a nossa humanidade e através de sua carne comida como alimento, na Eucaristia, transforma-se em vida. O encontro com Deus acontece no núcleo da vida da pessoa, onde a vida de Deus se une à vida de cada um. Chamar Jesus de alimento é compreender que a vida da vida é a Vida de Deus que vem através da vida que nos é dada em Cristo que é carne, no sentido de pessoa completa. Crer não é somente acreditar em idéias. Jesus diz: “Eu sou o pão da vida. Quem vem a mim nunca mais terá fome, e o que crê em mim nunca mais terá sede” (34). Ao crer em Jesus estamos nos alimentando de sua carne, de sua realidade, de sua vida, a mesma que tem junto do Pai. O pão que o Pai vos dará é o pão que desce do Céu. “O pão que eu darei é minha carne para a vida do mundo” (51).

Quem comer deste pão

Crer em Jesus não é unicamente um decisão pessoal, é uma atração divina: “Ninguém vem a mim se o Pai que me enviou não o atrair” (44). Deus tem papel fundamental no ato de fé. Ele atrai, oferece, doa. Os judeus se escandalizaram quando Jesus lhes oferece sua carne como alimento para provar que devem crer nEle. Para viver a espiritualidade temos de aceitar como vida o alimento da fé e do pão. Ao nos alimentarmos da Eucaristia, não podemos somente receber um pedaço de pão que foi santificado pela consagração, mas viver como ato de fé de quem aceita a proposta de Jesus: Eu sou o pão da vida. “Quem vem a mim nunca mais terá fome, e o que crê em mim nunca mais terá sede” (34). Se para comungar precisamos da fé, para viver a fé precisamos da carne do Filho de Deus. Deus alimentou o povo com o maná. Jesus alimenta com Seu corpo e sangue.

Quem come viverá

“Aquele que crê tem a vida eterna”. A fé é vida: “Se não comerdes a carne do Filho do Homem e não beberdes Seu sangue, não tereis a vida em vós” (53). Vida de Deus em nós é Cristo que permanece em nós: “Quem come minha carne e bebe meu sangue permanece em mim e eu nele” (54). Permanecer é viver a mesma vida como participação. Não só vive agora, mas garante a vida que dura para sempre: “...eu o ressuscitarei no último dia” (54). Ressurreição já: “Quem come este pão viverá eternamente” (58). “Quem crê tem a vida eterna” (40) “quem come minha carne e bebe meu sangue tem a vida eterna”.


Maio-2006