CONSAGRAÇÃO À NOSSA SENHORA APARECIDA NA VOZ DO PADRE VITOR COELHO CSsR

Ó MARIA SANTÍSSIMA, PELOS MÉRITOS DO SENHOR JESUS CRISTO QUE EM VOSSA IMAGEM MILAGROSA DE APARECIDA ESPALHAIS INÚMEROS BENEFÍCIOS SOBRE O BRASIL, EU, EMBORA INDIGNO DE PERTENCER AO NÚMERO DOS VOSSOS SERVOS, MAS DESEJANDO PARTICIPAR DOS BENEFÍCIOS DA VOSSA MISERICÓRDIA, PROSTRADO A VOSSOS PÉS, CONSAGRO-VOS O ENTENDIMENTO, PARA QUE SEMPRE PENSE NO AMOR QUE MERECEIS. CONSAGRO-VOS A LÍNGUA, PARA QUE SEMPRE VOS LOUVE E PROPAGUE A VOSSA DEVOÇÃO.CONSAGRO-VOS O CORAÇÃO, PARA QUE, DEPOIS DE DEUS, VOS AME SOBRE TODAS AS COUSAS.RECEBEI-NOS, Ó RAINHA INCOMPARÁVEL, QUE NOSSO CRISTO CRUCIFICADO DEU-NOS POR MÃE, NO DITOSO NÚMERO DOS VOSSOS SERVOS. ACOLHEI-NOS DEBAIXO DA VOSSA PROTEÇÃO. SOCORREI-NOS EM NOSSAS NECESSIDADES ESPIRITUAIS E TEMPORAIS E, SOBRETUDO, NA HORA DA NOSSA MORTE. ABENÇOAI-NOS Ó MÃE CELESTIAL, E COM VOSSA PODEROSA INTERCESSÃO FORTALECEI-NOS EM NOSSA FRAQUEZA, A FIM DE QUE, SERVINDO-VOS FIELMENTE NESTA VIDA, POSSAMOS LOUVAR-VOS, AMAR-VOS E RENDER-VOS GRAÇAS NO CÉU, POR TODA A ETERNIDADE. ASSIM SEJA! ...PELA INTERCESSÃO DE NOSSA SENHORA APARECIDA, RAINHA E PADROEIRA DO BRASIL, A BÊNÇÃO DE DEUS ONIPOTENTE, PAI, FILHO E ESPÍRITO SANTO, DESÇA SOBRE VÓS E PERMANEÇA SEMPRE.AMÉM!
PRÓXIMOS EVENTOS (Todos estão convidados)





ÁGAPE MENSAL
11 - fevereiro - 2017


SETEMBRO - 2017
De 01 a 03 - 5º ERESER VICE PROVÍNCIA MANAUS
De 29 a 01/10 - ERESER CURITIBA

OUTUBRO - 2017

Dia 07 - ERESER NA NOVENA DE APARECIDA
Dia 21 - 11º ERESER MAIRINQUE

NOVEMBRO - 2017
De 12 a 15 - 7º ERESER PROVÍNCIA DE CAMPO GRANDE


XIII RETIRO
De 26 A 28 de janeiro de 2018
Local: Vila Santo Afonso - Pedrinha
Tema: A Espiritualidade Redentorista na Prática
Orientador: Padre Alfredo Viana Avelar, CSsR - Rio




SOM NO BLOG

QUANDO QUISER ASSISTIR ALGUM VÍDEO DO BLOG, VÁ ATÉ À "RÁDIO UNESER INTERATIVA" (caixa à direita do blog) E CLIQUE NO BOTÃO DE PAUSA (II).
APÓS ASSISTIR O VÍDEO, CLIQUE NO MESMO BOTÃO (PLAY) PARA CONTINUAR OUVINDO A RÁDIO.

30 de abril de 2010

ECUMENISMO EM CASA

Redes televisivas católicas: “é preciso reforçar a comunicação católica como serviço educativo e de evangelização em toda a Igreja no Brasil”
Aparecida (Agência Fides) – TVs Católicas que colaboram com Dioceses reuniram-se no último dia 27 de abril em Aparecida (SP) para analisar a possibilidade de formar uma rede para a troca de programas. O encontro teve lugar no mosteiro Redentorista, localizado no Santuário Nacional. Na nota enviada à Agência Fides, consta que o Arcebispo de (MG), Dom Walmor Oliveira, presente na reunião, recordou que as diversas redes de TV deveriam se unir porque possuem condições comuns. “O fato que são afiliadas às Dioceses e terem caráter educativo nos une, não obstante as nossas diferenças regionais e de linha editorial”; e acrescentou também que “é preciso reforçar a comunicação católica como serviço educativo e de evangelização de toda a Igreja no Brasil”.
Com base nesta peculiaridade, foi apresentada a proposta de intercâmbio de material produzido pelas TVs através de uma rede, que poderia ser criada para facilitar a produção de programas de interesse comum.
Além do Arcebispo de Belo Horizonte, participaram da reunião do responsável pelo setor de Comunicação da CNBB e Arcebispo do Rio de Janeiro, Dom Orani João Tempesta; do Secretário-Geral da CNBB, Dom Dimas Lara Barbosa; da assessora do setor de Comunicação da CNBB, Irmã Élide Fogolari; do Arcebispo de Belém (PA), Dom Alberto Taveira Corrêa; e do Arcebispo de Aparecida (SP), Dom Raymundo Damasceno Assis. Estavam presentes representantes das TVs: Horizonte, Belo Horizonte, 3° milênio de Maringá (PR), Nazareth, de Belém (PA) e a TV Aparecida, de Aparecida (SP). (CE)(Agência Fides, 29/04/2010)

SANTO PAPA DO DIA 30 DE ABRIL

S. Pio V, papa, +1572


Miguel Guisleri foi uma figura de extrema importância para a vida da Igreja Católica. Nascido em Bosco Marengo na província da Alexandria, em 1504, aos quatorze anos ingressou na vida religiosa entrando na ordem dominicana.

A partir daí a sua vida desenvolve-se, pois alcançaria rapidamente todos os degraus de uma excepcional carreira. Foi professor, prior do convento, superior provincial, bispo de Mondovi e finalmente Papa, aos 62 anos, com o nome de Pio V.

Promoveu diversas reformas na Igreja através do Concilio de Trento, como, por exemplo, a obrigação de residências para bispos, a clausura dos religiosos, o celibato e a santidade de vida dos sacerdotes, as visitas pastorais dos Bispos, o incremento das missões, a correção dos livros litúrgicos e a censura das publicações.

A sua autoridade e prestígio pessoal impunham a sua personalidade de pulso firme e de atitudes rigorosas, como a que tomou em relação à invasão dos turcos, pondo fim aos seus avanços a sete de outubro de 1571, na famosa batalha de Lepanto.

Apesar do seu carácter marcante, apresentava sinais de um homem bondoso e condescendente para com os humildes, paterno, às vezes, e extremamente severo com aqueles que faziam parte do corpo da Igreja.

Mesmo sabendo das consequências que sofreria a Igreja, não pensou duas vezes ao excomungar a rainha Elizabete I. Morreu em 1 de maio de 1572, na lucidez de seus setenta e oito anos. A sua canonização chegaria em 1712 e a sua memória fixada a 30 de abril.
http://evangelhoquotidiano.org

DO SITE BOLETIM DO PADRE PELÁGIO - PADRE CLÓVIS CSsR

30 DE ABRIL - SANTO DO DIA

A CIDADE DOS ENFERMOS

Uma pobre mulher está morrendo porque não conseguiu internação. Os filhos choram junto ao leito da agonizante. Pe. José Bento Cottolengo (1786-1842) assiste a esta cena confrangedora sem poder fazer nada.
Mas tomou uma resolução: tudo faria para que tais cenas não se repetissem. Vendeu o pouco que tinha, inclusive a capa, alugou alguns quartos e começou sua obra de assistência.
A quem confiar esta obra? Sim, à Divina Providência. O ministro do rei se ofereceu para patrocinar o arrojado empreendimento. Pe. Cottolengo respondeu que não era preciso, pois já possuía um bom padrinho. E apontou para o que escrevera no frontispício: Piccola Casa della divina Providenza.
Hoje esta casa virou uma cidade dentro da grande Turim. Abriga mais de oito mil doentes, atacados de todas as enfermidades. Nos cento e cinqüenta anos de existência, nunca foi preciso pedir esmola nem criar fundos para manutenção. Quem cuida é a Divina Providência.
Deus Pai continua mantendo o contrato até hoje. Em troca, os internos se revezam dia e noite, em adoração perpétua, nas diversas capelas existentes nessa imensa “Casa da Caridade”.

PADRE CLÓVIS DE JESUS BOVO CSsR
http://www.boletimpadrepelagio.org

AINDA DO SITE DO PE.PELÁGIO CSsR

PADRE CLÓVIS DE JESUS BOVO CSsR

REENCONTRO DE MAE E FILHO


Francisco deu muita dor de cabeça à sua mãe e um dia desapareceu de casa. Deus quis que ele, vagabundeando para cá e para lá, passasse diante de uma igreja onde São Clemente estava pregando. Comovido pelas suas palavras que pareciam ser dirigidas a ele, terminada a missa, foi conversar com o padre pedindo uma confissão.
Pe. Clemente achou que ele devia preparar-se melhor, e o levou para a casa paroquial. Preparou-o com solicitude e ouviu sua confissão. Reconciliado com Deus, manifestou desejo de encontrar-se também com sua mãe e pedir-lhe perdão.
- Deixe isso por minha conta – respondeu o padre.
Alguns dias depois, localizou a mãe do rapaz e convidou-a para tomar café na sua casa.
Durante o café, ele pediu notícias de seus filhos. Ela falou de todos, mas nem mencionou o nome do Francisco. Pe. Clemente viu-se obrigado a perguntar sobre ele. Ela respondeu:
- Quem é que sabe se já não se enforcou.
- A gente não se enforca assim tão depressa – exclamou sorrindo. Abrindo uma portinha fez o rapaz entrar na sala. Ele se ajoelhou diante da mãe, que quase não acreditou no que estava vendo:
- Meu filho, você está arrependido mesmo?
- Agora basta, atalhou Clemente, sorrindo. Tomem café e não pensem mais nisso.
(Do livro: Cosi sorridono i santi...)

RELIGIÃO TAMBÉM SE APRENDE! OUTRA CHANCE...

Pe. João A. Mac Dowell S.J.

A Igreja ensina que, se uma pessoa vive mal, está perdida para sempre. Não lhe parece mais humano pensar, como os espíritas, que temos sempre outra chance de melhorar e de chegar à perfeição nas próximas reencarnações?

A Igreja segue o ensinamento de Jesus e do Novo Testamento, que diz na carta aos Hebreus: "Foi estabelecido que os homens morram uma só vez; e depois da morte vem o julgamento" (9,27). Para motivar as pessoas à conversão Jesus constantemente chama a atenção para a realidade da morte e do julgamento de Deus. Baste lembrar a parábola do rico avarento e do pobre Lázaro. Ele deixa claro que esta vida é única e que de nossa atitude agora dependerá o nosso destino eterno.

É esta verdade que dá valor à nossa existência atual. A vida é muito importante, porque é única e decisiva. Esta convicção nos ajuda a assumir a responsabilidade de nossas ações. Nós temos a tendência de adiar as decisões, pensando que podemos mudar de vida mais tarde, antes de morrer. Por isso, Jesus recorda sempre que precisamos estar vigilantes, preparados para o encontro decisivo com o Senhor, para que a morte, que chega a qualquer momento, não nos encontre desprevenidos.

Infelizmente, nós católicos somos muitas vezes incoerentes com nossa fé. Vamos vivendo de qualquer jeito, procurando satisfazer os nossos gostos e interesses egoistas, sem nos preocupar com o nosso destino final, como se Deus não existisse. Se isto sucede com quem acredita que esta vida é única, imagine o que fará quem leva realmente a sério a reencarnação. Por enquanto pode praticar o mal, explorar os outros, tirar vantagem de tudo, sem nenhum escrúpulo, porque tem sempre a chance de remediar os seus erros numa vida futura. Veja bem. O espiritismo não aconselha esta conduta imoral. Pelo contrário, ensina que quem procede assim terá de pagar as suas culpas na próxima existência. Mas a idéia de que nada é definitivo enfraquece a resistência contra as tentações do mundo. A reencarnação deixa sempre uma porta aberta. Eu posso adiar indefinidamente a minha conversão.

Ao contrário, a convicção de que a morte põe um ponto final na minha possibilidade de dizer "sim" a Deus, é um incentivo poderoso para agir bem, para ajudar o próximo, para contribuir para um mundo mais humano.

DO LIVRO:
RELIGIÃO TAMBÉM SE APRENDE-VOLUMES 1 E 2
EDITORA SANTUÁRIO
João A. Mac Dowell S.J.
http://www.redemptor.com.br

REFLETINDO A PALAVRA NR.102

Pe Luiz Carlos de Oliveira CSsR

“Santíssimo Redentor”


Alguns anos atrás, quando ainda se cantavam músicas de “antanho”, era comum aquela bela marcha “Levantai-vos, Soldados de Cristo”! Nela se cantava “desfraldando a bandeira de glória, o pendão de Jesus Redentor”. O mau conhecimento das letras levava muitos a cantar pelo som ouvido: o cordão de Jesus rebentou. Hoje quero não falar do cordão arrebentado, mas do Redentor amado, como nós dizemos “Santíssimo Redentor”. Por que falar deste tema hoje? Nós os redentoristas, temos a celebração do titular da Congregação, o “Redentor”.
A Congregação foi fundada em 1732, em Scala. Santo Afonso colocou como finalidade primeira deste Instituto “continuar Jesus Cristo Salvador anunciando aos pobres a Palavra de Deus”. É uma vida centrada em Jesus Salvador. Quando foi aprovada a Congregação, já havia outra com o mesmo nome de Santíssimo Salvador. Eram os Cônegos Lateranenses do Santíssimo Salvador. Tomou-se então o nome de Santíssimo Redentor.
Jesus tem infinitas faces. Nós queremos apresentar uma face, que mesmo sendo conhecida, às vezes passa desapercebida: Ele é a misericórdia do Pai. Ele é a Redenção abundante e transbordante para todos. Como missionários, estamos em contato com o povo das mais diversas camadas e condições. Aprendemos uma linguagem simples para falar a cada coração. O que a gente tem que fazer em primeiro lugar é dar à pessoa a certeza de que Deus a ama. Por isso cada um tem direito a receber a Redenção abundante. Nosso próprio modo de falar, de conviver, de acolher, tem que levar a pessoa, sobretudo o humilde, a perceber em nós a pessoa de Jesus que continua sua missão junto deles.
O Redentor não é o juiz. Ele é o amor do Pai que se manifesta no Presépio. Que grande calor de amor sai daquela manjedoura! Afonso escreve em uma sua canção de Natal (Bambinello tenerello): “Por que não se incendeiam, pelo ardor que tu expandes, a palha, os panos e a própria manjedoura?” É a Redenção à altura do coração terno de cada abandonado.
Ele é o imenso amor que se manifesta na Cruz. Ninguém tem maior amor do que aquele que dá a vida pelo amigo. Ele deu a vida quando ainda não éramos amigos. Escreve também o grande Afonso: “E quem poderá deixar de vos amar, vendo-vos como o Filho dileto do Pai, terminar a vossa vida com uma morte tão amarga e desumana por nosso amor?”
Ele é o louco amor que se faz alimento e Presença Eucarística que nos transforma no amor que Ele é. Escreve também no livro das “Visitas ao Santíssimo”: “Sacramento de amor, quer Vos deis na comunhão, quer fiqueis sobre os altares, sabeis ganhar tantos corações com os amorosos atrativos do vosso amor”. Ele é o amor que vai ao extremo da aniquilação para que não falte nada ao amor de Deus para ser total. Ele é o amor que ama para receber como resposta o amor. Participe conosco desta bela missão: fazer conhecido e amado Jesus Redentor. Ame conosco aqueles que ele tanto ama.

(2002)

SACRA VIRGINITAS - A SAGRADA VIRGINDADE - VII


CARTA ENCÍCLICA DO PAPA PIO XII
SACRA VIRGINITAS - A SAGRADA VIRGINDADE
...mas possível com a graça de Deus...
48. Mas, se a castidade consagrada a Deus é virtude difícil, a sua prática fiel e perfeita é possível às almas que, depois de tudo bem ponderado, correspondem generosamente ao convite de Jesus Cristo e fazem quanto podem para a observar. Com efeito, se abraçarem este estado de virgindade ou de celibato, receberão de Deus o dom da graça para cumprirem o propósito feito. Por isso, se encontrarem pessoas "que não sentem ter o dom da castidade (mesmo depois de terem feito o voto)", não julguem por isso que não podem satisfazer às suas obrigações nesta matéria: Porque "Deus não manda coisas impossíveis; mas, ao mandar, recomenda que se faça o que se pode, que se peça o que não se pode- e ajuda a poder". Essa verdade muito consoladora lembramo-la também aos doentes, cuja vontade se enfraqueceu com perturbações nervosas, e por isso ouvem com excessiva facilidade de certos médicos, às vezes até católicos, o conselho de pedirem dispensa da obrigação contraída, sob o pretexto de que não podem observar a castidade sem prejuízo do equilíbrio psíquico. Quanto mais útil não seria ajudar esses doentes a reforçarem a própria vontade e a convencerem-se de que não lhes é impossível a castidade, segundo a sentença do Apóstolo: "Deus é fiel e não permitirá que sejais tentados além do que podem as vossas forças, antes fará que tireis ainda vantagem da mesma tentação, para a poderdes suportar"! (1Cor 10,13).
49. Os meios recomendados pelo próprio divino Redentor, para defesa eficaz da nossa virtude, são: vigilância assídua, para fazermos o melhor que pudermos tudo o que estiver na nossa mão; e oração constante, para pedirmos a Deus o que pela nossa fraqueza não podemos conseguir: "Vigiai e orai, para que não entreis em tentação. O espírito na verdade está pronto, mas a carne é fraca" (Mt 26,41).
...a vigilância e a mortificação...
50. Tal vigilância de todos os instantes e em todas as circunstâncias é absolutamente necessária, "porque a carne tem desejos contrários ao espírito, e o espírito desejos contrários à carne" (Gl 5,17). Se cedemos, pouco que seja, às seduções do corpo depressa seremos levados até essas "obras da carne" enumeradas pelo Apóstolo (cf. Gl 5,1921), que são os vícios mais vergonhosos da humanidade.
51. Por este motivo, é preciso vigiar primeiramente os movimentos das paixões e dos sentidos, e dominá-los com uma vida voluntariamente austera e com a mortificação corporal, para os submeter à reta razão e à lei divina: "Os que são de Cristo crucificaram a sua própria carne com os vícios e concupiscências" (Gl 5,24). O apóstolo das gentes confessa de si mesmo: "Castigo o meu corpo e reduzo-o à escravidão, para que não suceda que, tendo pregado aos outros, eu mesmo venha a ser réprobo" (1Cor 9,27). Todos os santos e santas assim vigiaram os seus sentidos e reprimiram-lhes os movimentos, às vezes muito violentamente, segundo as palavras do divino Mestre: "Digo-vos que todo o que olhar para uma mulher, cobiçando-a, já cometeu adultério com ela no seu coração. E se o teu olho direito te serve de escândalo, arranca-o e lança-o para longe de ti, porque é melhor para ti que se perca um dos teus membros, do que ser o teu corpo lançado no inferno" (Mt 5,28-29). Essa recomendação mostra bem que nosso Redentor exige antes de tudo que não consintamos nunca no pecado, nem por pensamento, e que com a maior energia cortemos em nós tudo o que poderia, mesmo levemente, manchar esta virtude belíssima. Nesta matéria, nenhuma vigilância nem severidade é excessiva. E se má saúde ou outras razões não nos permitem pesadas austeridades corporais, nunca elas nos dispensam da vigilância e da mortificação interior.
...a fuga das tentações e das ocasiões do pecado
52. Além disso, segundo a lição dos santos padres e doutores da Igreja, libertamo-nos mais facilmente dos atrativos do pecado e das seduções das paixões, fugindo com todas as forças, do que atacando de frente. Segundo são Jerônimo, para conservar a pureza, a fuga vale mais do que a luta aberta: "Fujo, para não ser vencido", dizia de si mesmo. Essa fuga consiste em nos afastarmos com diligência das ocasiões do pecado, e sobretudo em elevarmos nosso espírito para as realidades divinas durante as tentações, fixando-o naquele a quem consagramos a nossa virgindade: "Olhai para a beleza do vosso amante Esposo", recomenda santo Agostinho.
53. Mas essa fuga e vigilância, para não nos expormos as ocasiões de pecado, parece que não são hoje compreendidas por todos, apesar de os santos as terem considerado sempre o melhor meio de luta nesta matéria. Pensam de fato alguns que os cristãos, e especialmente os sacerdotes, já não devem ser uns separados do mundo como outrora, mas devem pelo contrário estar presentes ao mundo e, por conseguinte, arrostar o perigo e pôr à prova a sua castidade, para assim se patentear se têm ou não suficiente força para resistir. Vejam, portanto, tudo os jovens clérigos, para se habituarem a encarar tudo sem perturbação e para se imunizarem assim contra toda a espécie de tentações. Desse modo, facilmente lhes permitem fixar sem resguardo tudo o que lhes cai debaixo dos olhos, freqüentar cinemas, mesmo para ver películas proibidas pelos censores eclesiásticos, percorrer toda a espécie de ilustrações, mesmo que sejam obscenas, e ler até os romances que estão no Índex ou que proíbe o direito natural. Concedem-lhes tudo isso sob pretexto de que hoje grande parte das pessoas alimenta o espírito com esses espetáculos e publicações, e que é preciso que aqueles a quem hão de ajudar, lhes compreendam a maneira de pensar e sentir. É fácil de ver a falsidade e o perigo de tal maneira de formar o clero e de o preparar para a santidade da sua missão: pois "quem ama o perigo nele perecerá" (Eclo 3,27 Vulg.). A recomendação de santo Agostinho não perdeu nada da sua oportunidade: "Não digais que tendes almas puras se tendes olhos impuros, porque os olhos impuros são mensageiros dum coração impuro".
54. Esse funesto método baseia-se numa confusão grave. É verdade que nosso Senhor disse dos apóstolos: "`Enviei-os ao mundo" (Jo 17,18), mas acabara de dizer: "Eles não são do mundo, como eu também não sou do mundo" (Jo 17,16) e tinha rogado ao Pai: "Não te peço que os tires do mundo, mas que os livres do mal" (Jo 17,15). Segundo esses princípios, a Igreja tomou prudentes medidas para preservar os padres que vivem no meio do mundo, das tentações que os rodeiam: essas normas têm por sim defender-lhes a santidade de vida das preocupações e prazeres próprios dos leigos.
55. Com maior razão ainda, é necessário separar os jovens clérigos da agitação do século, para os formar na vida espiritual e na perfeição sacerdotal ou religiosa, antes de os lançar no combate. Por isso, devem eles ficar por longo tempo no seminário ou nas casas de noviciado e formação, e receber educação apurada, aprendendo pouco a pouco e, com prudência, a tomar contato com os problemas do nosso tempo, como nós o prescrevemos na nossa exortação apostólica Menti nostrae. Qual é o jardineiro que expõe às intempéries plantas escolhidas, mas ainda tenras, sob o pretexto de as experimentar? Ora, os seminaristas e os religiosos em formação são plantas novas e delicadas, que precisam de proteção e só progressivamente se vão habituando a resistir e a lutar.

segue...

PERCIVAL TIRAPELLI

Considerando os 58 anos...
Um poquinho sobre o Tirapelli:

Nascido em Nhandeara, São Paulo, 1952.
Doutor em Artes Plásticas, é professor universitário desde 1979, lecionando atualmente nos cursos de Educação Artística e Pós-Graduação em Artes do Instituto de Artes da UNESP.
Desde 1975, investiga novos meios e suportes para novas poéticas visuais, no campo da xerografia, heliografia e litografia. Participa das Comissões de Arte do Museu de Arte Moderna de São Paulo e é da diretoria da Associação Brasileira de Pesquisadores em Artes.
INDIVIDUAIS
1978 - Galeria Itaú, Brasília
1982 - Museu de Arte Contemporânea de São Paulo
1984 - Pinacoteca do Estado de São Paulo
1985 - Museo Nacional de Arte Contemporaneo, La Paz, Bolívia
1986 - Museu de Arte Contemporânea de São Paulo
1991 - Casa Grande Galeria de Arte, Goiânia, Goiás
1996 - Galeria Edifício Paula Souza
1997 - Ennio Rossi Galeria de Arte, Roma, Itália
 COLETIVAS
1976 - Galeria Bickhard Botinnelli, Kassel, Alemanha
           Galería Juan Martín, Cidade do México, México
           Universidade de Parma, Itália
1977 - Gravadores Brasileiros na Costa Rica, Costa Rica
1979 - Faculdade de Arquitetura de Milão, Itália
1982 - Museu de Arte Contemporânea de São Paulo
1984 - Pinacoteca do Estado de São Paulo
           Museu de Arte Contemporânea de São Paulo
1985 - Museu de Arte Contemporânea de São Paulo
1986 - Museu de Arte Moderna de São Paulo
           Pinturas-Novos Meios-Multimeios
           (itinerante por Portugal e Espanha)
1987 - Museu de Tecnologia de São Paulo
           Museu de Arte Moderna de São Paulo
           Museu de Arte de Brasília
1989 - Museu Nacional do Rio de Janeiro
           Museu de Arte Moderna de São Paulo
           Centro Cultural Belo Horizonte
1990 - Museu de Arte Contemporânea de São Paulo
1991 - Galeria SESC, São Paulo
1993 - Museu de Arte Contemporânea, USP, São Paulo

BIENAIS DE ARTE
1977 - XIV Bienal Internacional de São Paulo
1983 - II Bienal Internacional de Arte da Bolívia
1985 - XVIII Bienal Internacional de São Paulo
PRÊMIOS
1983 - Gravura, na II Bienal Internacional de Arte, La Paz,
Bolívia
1984 - XII Salão de Arte Contemporânea, Santo André, São Paulo
1985 - I Salão Regional de Artes Plásticas, Santo André,
           São Paulo
1986 - XIV Salão de Arte Contemporânea, Santo André,
           São Paulo
1987 - II Salão de Artes Plásticas de Avaré, São Paulo
           Obras em acervos nos Museus de Avaré, Santo André,
           São Paulo (MAC) e La Paz.

Algumas Obras:






IGREJAS PAULISTAS: BARROCO E ROCOCÓ



Belo livro, reunindo pesquisa de fôlego e ampla documentação fotográfica, num conjunto editado com grande esmero gráfico, este Igrejas paulistas: barroco e rococó propõe-se a um trabalho gigantesco: rastrear, documentar e analisar o que foi preservado do passado colonial paulista em termos da arte religiosa.
" As igrejas e capelas paulistas, marcos nos diversos 'caminhos' como o do litoral, o do ouro, o do sertão, o dos vales dos Rios Tietê e Paraíba, ao sul e arredores de São Paulo, estavam ainda por serem reunidas quer histórica quer imageticamente", afirma o autor na nota inicial.
E se propõe e realiza esse amplo rastreamento, sobretudo em relação à "contribuição que não ocorrera antes de maneira específica com a produção artística ornamental das igrejas paulistas".
Presta homenagem ao levantamento pioneiro, que lhe serve de inspiração, realizado em 1937, quando do nascimento do Serviço do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional, por Mário de Andrade, Luís Saia e pelo fotógrafo Germano Graeser. Este executa a documentação fotográfica em "ritmo futurista", como observa o autor, ao que pode, mos acrescentar que os demais imprimem o mesmo ritmo na então difícil localização das construções e de sua documentação histórica para informar os processos de tombamento.
O autor deste livro, Percival Tirapelli e seu fotógrafo, Manoel Nunes da Silva, realizam façanha semelhante, ao levantar e documentar hoje igrejas e obras de arte que sobreviveram, sejam as já mais estudadas, tombadas pelo Patrimônio nacional, a partir daquelas pesquisas iniciais., ou pelo Patrimônio estadual, sejam aqueles templos e obras mais esquecidos, que vão sendo recuperados....


MARTA ROSSETTI BATISTA
(D.O. Leitura Pub. Cultural da Imprensa Oficial do Estado - São Paulo, ano 21 nº 07)



Percival Tirapelli na comemoração dos 85 anos da artista Alice Brill

REMEMORANDO REDENTORISTAS - PE.SOUZA CSsR

PE. NESTOR TOMÁS DE SOUZA CSsR

30 DE ABRIL 1945+

Nasceu em Miracema - RJ a 29 de abril de 1891. Era coroinha da Matriz, quando os nossos pregaram as Missões na sua cidade. Entusiasmado, o garoto pediu aos missionários que o levassem para Aparecida; queria também estudar para Padre. Vivo, inteligente, foi sempre um dos melhores alunos do seu tempo. Iniciou o noviciado em 1909 e professou no ano seguinte. Seus estudos superiores ele os fez na Alemanha, suportando, as agruras da guerra mundial de 1914. Ordenado em 1915, voltou para o Brasil, sendo logo designado para professor no Juvenato.
Mas, feito o segundo noviciado iniciou sua vida de missionário que durou uns trinta anos, em sucessivas Missões e Retiros, em cidades de São Paulo, Minas, Rio Grande do Sul e Goiás.
De temperamento colérico, Pe. Souza era exigente em matéria de ordem e disciplina em tudo. Sua firmeza, às vezes um tanto dura, principalmente com seus súditos, causou-lhes não poucos aborrecimentos como superior que foi em Araraquara e Cachoeira do Sul. Isso ele reconheceu e lamentou mais tarde, penitenciando-se das suas fraquezas.
Se nas missões não se poupava, em casa era o homem do seu quarto, lendo, escrevendo, estudando sempre. Conhecia muito bem as bibliotecas de nossas casas, em matéria de livros e revistas. Seus sermões e conferências primavam pela clareza e conteúdo; em linguagem fácil, cheia de vida e colorido, prendiam os auditórios mais exigentes. Ótimo escritor, devido às suas atividades missionárias, pouco pôde realizar no apostolado da pena.
Mesmo assim, ainda nos deixou a tradução de “Os Exercícios da Missão”, de Santo Afonso e, em manuscrito, um alentado trabalho sobre nossas fundações em Goiás, Araraquara, Pinda e Rio Grande do Sul, bem como doze cadernetas, com um Diário das
suas missões.
Durante a última missão que pregou, feriu com a unha uma espinha que lhe saíra no rosto. No momento pareceu-lhe coisa sem importância. Mas a espinha arruinou. Mesmo assim, ele não deu muita atenção ao caso, recorrendo, como remédio, a uma simples pomada. Afinal, instado pelo superior, foi ao médico que constatou tratar-se de séria infecção. Esta foi logo envenenando o sangue, e Pe. Souza, antes no vigor de suas forças, percebeu a gravidade do caso. Aceitou aquela situação de total imobilidade, em meio a dores horríveis.
Com a coragem que sempre o caracterizou, e com uma calma admirável, esperou pela morte. E esta chegou, levando-o para a vida eterna, a 30 de abril de 1945.

ORAÇÃO DA MANHÃ - DEUS EM MINHA CASA

PADRE FLÁVIO CAVALCA DE CASTRO CSsR

ORAÇÃO DA MANHÃ PARA TODOS OS DIAS

Senhor meu Deus, mais um dia está começando. Agradeço a vida que se renova para mim, os trabalhos que me esperam, as alegrias e também os pequenos dissabores que nunca faltam. Que tudo quanto viverei hoje sirva para me aproximar de vós e dos que estão ao meu redor. Creio em vós, Senhor. Eu vos amo e tudo espero de vossa bondade. Fazei de mim uma bênção para todos que eu encontrar. Amém.

30 de abril

SÃO PIO V, PAPA

Evangelho (Jo 14,1-6) “Não se perturbe o vosso coração. Tendes fé em Deus, tende fé em mim também.”

Ao se despedir de seus discípulos Jesus viu a tristeza e o desânimo que se apoderavam deles. Disse-lhes que não deviam ter medo nem ficar perturbados; podiam ficar tranqüilos, confiando no Pai e no Filho por ele enviado. Já devemos ter passado por situações difíceis e desanimadoras, e muitas ainda nos esperam. Sigamos o conselho de Jesus, colocando nele e no Pai nossa confiança.

Oração
Senhor, facilmente me apavoro, ou porque as dificuldades são grandes, ou porque as imagino maiores do que são. Sei que eu e os outros somos limitados e frágeis. Confio em vós, em vosso poder e em vossa bondade. Creio que cuidais de nós, e tudo dispondes para nosso bem. Aumentai minha confiança, para manter a serenidade diante dos perigos e dificuldades. Ajudai-me. Amém.

ABRINDO PORTAS INTERIORES

Abrindo Portas Interiores é um diário perene que oferece uma inspirada seleção das orientações recebidas por EILEEN CADDY. Os ensinamentos simples contêm verdades e visões espirituais que levam a uma vida mais feliz e plena. São pensamentos/ensinamentos para cada dia do ano. Usar diariamente estes ensinamentos ajuda a pessoa a se tornar renovada e forte de espírito.



30 de abril

A alegria que vem de doar é imensa. Você crescerá em graça e estatura à medida que aprender a doar de boa vontade o que lhe vem através de seus dons e habilidades; cada pessoa tem diferentes qualidades, funcionando em diversos níveis. Se você tem uma índole alegre e bem humorada, que você projeta onde quer que vá, ela lhe será devolvida multiplicada, porque todo mundo reage bem a uma pessoa simpática.
Lembre-se sempre, “Você colhe o que você planta”. Se você planta crítica, intolerância, deslealdade e negatividade, essas são as qualidades que você vai colher, porque é delas que você se abastece.
Por que não começar agora a plantar sementes de alegria, felicidade, amor, ternura, compreensão, e ver o que acontece? Toda a sua visão da vida vai mudar e você começará a atrair somente o que há de melhor na vida.
A alegria que você doar será refletida por todas as almas à sua volta, pois todos amam aquele que doa com alegria e atenção.


Fonte: Abrindo Portas Interiores de Eileen Caddy

P A R A B É N S


JOÃO ANTONIO BIAZOTTO de Cerquilho - SP
JOVIANO LOURENÇO BARBOSA de Aparecida - SP
LUIZ FERNANDO LELLIS DE ANDRADE
PERCIVAL TIRAPELLI de São Paulo - SP
RAIMUNDO PAULO DE SIQUEIRA (1981) de Paraibuna - SP

Também comemorando mais um ano de Ordenação Sacerdotal o PADRE MARCELO CONCEIÇÃO ARAÚJO que festeja 16 anos  e também comemorando 5  anos o PADRE LUIZ CAMILO JÚNIOR.
Pe. Marcelo está atualmente na Comunidade de Comunicações Afonso de Ligório em Aparecida - SP e faz parte do Conselho do atual Governo Provincial da Província de São Paulo.
Pe. Marcelo, o 2º da esquerda para direita

O Pe. Luiz Camilo está atualmente na Paróquia de Nossa Senhora da Conceição em Conceição do Jacareí no Rio.
A Igreja de Nossa Senhora da Conceição está situada nas areias da praia de Conceição e foi construída por moradores e pescadores da região em 1847.

Todos os anos é celebrada, no dia 08/12, a festa da Padroeira.
Uma comemoração grandiosa, que faz parte do calendário oficial de eventos de Mangaratiba, atraindo moradores e visitantes durante a semana dos festejos.

Aos aniversariantes nossos votos de muitas felicidades e muitos anos de vida. Um forte abraço! 

29 de abril de 2010

SACRA VIRGINITAS - A SAGRADA VIRGINDADE - VI


CARTA ENCÍCLICA DO PAPA PIO XII
SACRA VIRGINITAS - A SAGRADA VIRGINDADE


III
CONSEQÜÊNCIA PRÁTICA DA DOUTRINA SOBRE A EXCELÊNCIA DA VIRGINDADE
42. Passemos, veneráveis irmãos, às conseqüências práticas desta doutrina da Igreja sabre a excelência da virgindade.
43. Primeiramente, deve-se conceder sem rodeios que, por ser a virgindade mais perfeita que o matrimônio, não se segue que seja necessária para alcançar a perfeição cristã. Pode-se chegar a ser santo mesmo sem fazer voto de castidade, como o provam numerosos santos e santas, que a Igreja honra com culto público, os quais foram fiéis esposos e deram exemplo de excelentes pais ou mães de família; além disso, não raro se encontram pessoas casadas que buscam com todo o empenho a perfeição cristã. A castidade é conseqüência duma escolha livre e prudente
44. Também se há de notar que Deus não impõe a todos os cristãos a virgindade, como ensina o apóstolo são Paulo: "Quanto às virgens, não tenho mandamento do Senhor, mas dou conselho" (lCor 7,25). Portanto, é só conselho a castidade perfeita: conduz com maior certeza e facilidade à perfeição evangélica e ao reino dos céus "àqueles a quem isto foi concedido" (Mt 19,11); por isso, como bem adverte santo Ambrósio, a castidade "não se impõe, mas propõe-se".
45. Por essa razão, a castidade perfeita exige, da parte dos cristãos, que a escolham livremente, antes de se oferecerem totalmente a Deus; e, da parte de Deus, que ele comunique o seu dom e a sua graça (cf.1Cor 7,7). Já o próprio divino Redentor prevenira: "Nem todos compreendem esta palavra, mas aqueles a quem isto foi concedido... Quem pode compreender, compreenda" (Mt 19,11.12). São Jerônimo, considerando atentamente essa sentença de Jesus Cristo, exorta "a que examine cada um as suas forças, para ver se poderá cumprir os preceitos da virgindade e da pureza. Em si, a castidade é agradável e atrai a todos. Mas há que se medir as forças, de modo que compreenda quem puder compreender. É a voz do Senhor a exortar, por assim dizer, e a animar os seus soldados para conquistarem o prêmio da pureza. Quem pode compreender, compreenda; quem pode lutar, lute, vença e triunfe".
A castidade é uma virtude difícil...
46. A virgindade é virtude difícil: para a abraçar, não se requer apenas o propósito firme e expresso de renunciar completa e perpetuamente aos prazeres legítimos do matrimônio; é preciso também dominar e acalmar, com vigilância e combate constantes, as revoltas da carne e as paixões do coração, fugir das solicitações do mundo e vencer as tentações do demônio. Com muita razão dizia são João Crisóstomo: "A raiz e o fruto da virgindade é a vida crucificada". Porque a virgindade, segundo santo Ambrósio, é como um sacrifício, e a virgem é "a hóstia do pudor, a vítima da castidade". São Metódio de Olimpo chega até a comparar as virgens aos mártires , e são Gregório Magno ensina que a castidade perfeita supre o martírio: "Mesmo tendo passado o tempo da perseguição, a nossa paz tem, ainda assim, o seu martírio; porque, mesmo se já não metemos o pescoço debaixo do ferro, no entanto matamos com uma espada espiritual os desejos carnais da nossa alma". A castidade consagrada a Deus exige, portanto, almas fortes e nobres, prontas para o combate e para a vitória "por amor do reino dos céus" (Mt 19,12).
47. Por conseguinte, antes de entrarem neste caminho estreito, todos os que por experiência sabem que são demasiado fracos nesta matéria devem escutar humildemente a advertência do apóstolo são Paulo: "Se não se contêm, casem-se. Porque é melhor casar-se do que abrasar-se" (1Cor 7,9). Para muitos, com efeito, a continência perpétua seria uma carga pesada demais para lhes ser aconselhada. Do mesmo modo, os sacerdotes encarregados da direção de jovens, que julgam possuir vocação sacerdotal ou religiosa têm o grave dever em consciência de os exortar a estudá-la com cuidado e de não os deixar entrar por um caminho em que não poderiam esperar chegar ao fim com decisão e eficácia. Examinem-lhes prudentemente as aptidões e ouçam o parecer dos peritos sempre que convenha; e, se subsiste ainda dúvida séria, sobretudo em razão da vida passada, intervenham com autoridade para os fazer desistir de abraçar o estado de castidade perfeita ou para impedir que sejam admitidos às ordens sagradas ou à profissão religiosa.

segue...

REMEMORANDO REDENTORISTAS! CSsR - RIO DE JANEIRO


DA PROVÍNCIA REDENTORISTA DO RIO DE JANEIRO

Dia 29/04/1999 - Padre Waldir Lima CSsR

REQUIESCAT IN PACE PE.WALDIR!

A Nossa Senhora negra de Montserrat


Montserrat é um mosteiro benedetino, com quase mil anos de história, ao redor do qual foi construído um santuário mariano. A vida em Montserrat é marcada pela presença espiritual de Maria, pela adesão ao Evangelho segundo a regra de São Bento e pelo acolhimento dos peregrinos. Este centro espiritual mariano está situado na Catalunha, na Espanha.

Como diz o próprio nome (Monte serrado), o santuário se encontra no alto de um monte entre as montanhas sobre as quais surgem a basílica e o mosteiro beneditino. Montserrat é conhecido pela espiritualidade, pela natureza, pela cultura e pelo acolhimento.

Nossa Senhora de Montserrat é a padroeira da Catalunha e é conhecido como “La Moreneta”, por sua cor escura. Segundo a lenda, a imagem foi encontrada por alguns pastores atraídos por uma luz que provinha da gruta onde estava escondida.

A basílica, em estilo neogótico e renascentista, foi consagrada em 1592, 100 anos depois do descobrimento da América. A figura da Virgem, que remonta ao final do século XII, está sentada em um trono de prata. Passando, os peregrinos tocam e beijam a mão direita de Maria, que segura uma esfera, símbolo de realeza, enquanto com a outra mão oferece seu filho Jesus.

Na capela do “Camarín de la Virgen”, alguns ornamentos foram desenhados pelo jovem Antonio Gaudì.

A estrutura de Montserrat desempenha um significativo papel cultural, caracterizado pela música e pelo canto da Escolanía e das monjas nas celebrações litúrgicas, pelos museus de pintura e escultura, pela publicação de livros, pelo estudo da Filosofia, da Teologia, da História e das Ciências Humanas e do artesanato.

Além de 70 religiosas, em Montserrat vivem também os Escolans, o coro infantil mais antigo da Europa. Diariamente, é possível ouvir o Salve Rainha, o Virolai - o hino a Nossa Senhora de Montserrat - e um coral polifônico depois das Vésperas. O coro de vozes brancas é formado por rapazes entre os 9 e os 14 anos. O santuário, que acolheu diversos santos e Papas no arco de sua história, recebe anualmente cerca de dois milhões de visitantes.

ORAÇÃO:
Senhor, que concede todos os bens
Tu que tornas célebre esta montanha escolhida para um culto especial da gloriosa Mãe de teu Filho:
Faz com que sejamos potentemente ajudados através do socorro de Maria Imaculada sempre Virgem, de modo que possamos chegar certamente à montanha, que é o Cristo.
Por Cristo Nosso Senhor. Amém.

http://www.mariedenazareth.com
http://www.abadiamontserrat.net/

Padre Walmir responde EM 15/04/2010

PADRE WALMIR GARCIA DOS SANTOS CSsR

Lorisvaldo: O que seria renunciar às coisas do mundo?
Nesse caso mundo significa as forças que se opõem aos valores ensinados por Cristo no Evangelho. Renunciar a essas forças significa você optar pelos valores que vem de Deus.

Carla Cristina: Se a pessoa acha que não tem pecado, precisa se confessar?
Só precisamos da confissão quando temos consciência que estamos em estado de pecado, situação em que perdemos o estado de graça.

Não identificada: Minha tia ficou cega há exatamente um ano e entrou em depressão profunda. Não sabemos mais o que fazer, ela ficou tão triste e inconformada e, nós os familiares não sabemos mais o que fazer. Onde na Bíblia poderíamos encontrar uma citação que nos dê forças, coragem e aceitação?
De fato não é fácil para uma pessoa perder a visão, é muito triste não enxergar, mas vocês precisam ajudá-la levando-a num psicólogo para que seja feita uma boa terapia de aceitação da deficiência.

Não identificada: Estou apaixonada por um rapaz que não é católico. Ele me pediu em namoro, minha família é contra, mas ele é um ótimo rapaz, crê em Deus, é honesto, trabalhador, se forma no ano que vem; onde na Bíblia está escrito que pessoas de diferentes religiões não podem se unir?
Eu tenho visto vários casais com dificuldades de relacionamento por causa da diferença de credo. Acho que é possível quando se tem respeito pela individualidade de cada um. Não se pode deixar que haja interferência na prática religiosa de nenhuma das partes.

Elvira: Existe Nossa Senhora do Monte Serrat?
O título de Nossa Senhora de Monte Serrat é uma devoção que tem sua origem na Catalunha, sul da Espanha, por volta do ano 546.

Olívia: Por que não existe nenhum relato da presença de S. José durante a crucificação de Jesus?
Porque ele já havia morrido. Não se tem noticia de quando José morreu, mas certamente foi antes do início da pregação de Jesus.

Nívia Maria: O que significa absolvição sacramental?
É a absolvição dos pecados concedida pelo padre no ato da confissão dos pecados. Ele perdoa em nome de Deus (“Eu te perdôo em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo”) os pecados dos que buscam esse sacramento. Sacramento significa a presença real e eficaz de Deus em nossa vida.

Madalena Nogueira: Como devemos agir para não pecarmos por omissão ou intromissão, não sendo nem acomodada e nem inconveniente ao ponto de interferirmos na liberdade de escolha das pessoas? Por que tem gente que se acha no direito de “meter” o nariz onde não é chamado.
Sempre que você estiver diante de uma situação de erro de alguém, você deve chamar a atenção para a conversão, se não o fizer está sendo omissa. Mas não podemos ficar interferindo na liberdade das pessoas, ou mesmo obrigando-as a fazer o que não querem, mas fazer sempre com a intenção de ajudar a pessoa a sair do erro, do pecado. É a chamada correção fraterna.

Júlia Priscila: Em sua opinião o controle de natalidade resolveria o problema da miséria do mundo?
Não resolveria, porque a miséria de muitos não depende de controlar o número de pessoas no mundo, mas sim em promover a solidariedade. Só vamos ter um mundo sem miséria, se promovermos a solidariedade; se tomarmos consciência de que é preciso partilhar o pouco que temos com quem nada tem.

Ivan Rodrigues: Gostaria de uma explicação melhor a respeito dessa passagem da Bíblia onde Jesus diz: “Não me detenhas, porque ainda não subi para meu Pai” (Jo 20, 17).
Ao dizer não me detenhas, Jesus quer indicar que sua presença permanente não se dará por meio de aparições, mas através do dom do Espírito Santo, que somente poderá conceder após subir ao Pai.

Eliamar da Silva: A aparição de Jesus aos apóstolos depois de sua morte seria o mesmo tipo de aparição de santos, como a de Fátima? Gostaria de entender melhor sobre estes acontecimentos.
As aparições de Jesus após sua ressurreição são experiência de fé que os Apóstolos tiveram, certamente viram o Senhor, pela fé que tinham na ressurreição, sem crer é impossível ver. Isso se aplica também nas aparições de Nossa Senhora.

Terezinha: A Bíblia fala que Jesus ressuscitou e está entre nós. Como poderíamos entender melhor esta passagem? De que forma podemos entender que Jesus está “entre nós” se não podemos vê-lo?
Não precisamos ver para crer, não podemos ser como Tomé que no primeiro momento não acreditou no testemunho dos outros Apóstolos. É preciso crer na presença de Deus que age na história e no mundo. Nós podemos ver Jesus e sentir sua presença entre nós nos gestos de solidariedade, na luta pela justiça, na prática do bem, na comunhão e no respeito entre as pessoas, nos sacramentos da Igreja, em especial na Eucaristia. A fé nos leva a “ver” Jesus e sentir sua presença consoladora e animadora entre nós.

Simiele Souza: Sempre me deparo com a polêmica da Bíblia dos Católicos e dos Protestantes, afinal, qual é a verdadeira Bíblia, a original?
As duas são verdadeiras, pois as duas traduções vieram de um mesmo original, o hebraico. A diferença vem do seguinte: no começo da evangelização os apóstolos usaram uma tradução da Bíblia feita em grego, chamada Septuaginta, ou dos Setenta (que foi uma tradução feita para os judeus que não moravam em Israel e não entendiam mais o hebraico e nem o aramaico) a essa tradução foi incorporada sete livros que não estavam nos originais hebraicos, pois a lista dos livros da Bíblia ainda não tinha sido definida. A Igreja cristã assumiu esta tradução do Septuaginta e assim ficou por mais de 1500 anos. Quando Lutero se rebelou contra a Igreja e fez a Reforma protestante, ele assumiu a antiga Bíblia hebraica, não aceitando a Septuaginta, daí que a Bíblia dos protestantes possui sete livros a menos do que a Católica. São eles: I e II Macabeus, Tobias, Baruc, Eclesiástico, Sabedoria e Judite, além de partes dos livros de Daniel e Ester

DO SITE DO PE.PELÁGIO....(PE.CLÓVIS CSsR)

29 DE ABRIL – A SANTA DO DIA

CATARINA, A SANTA QUE CONVENCEU O PAPA


Os Papas residiam na cidade francesa de Avinhão desde 1309. Lá se foram 70 anos nesse exílio chamado “cativeiro de Avinhão”. O Papa Gregório XI é o sétimo Papa a viver nessa situação de exílio. Pressionado de ambos os lados, franceses e italianos, não sabe o que fazer. Precisa de uma palavra amiga, de um conselheiro sincero.
Para isso mandou chamar Irmã Catarina (+ 1380), conhecida pela sua franqueza e coragem. Ela entrou na sala, humilde e tranqüila. Ele começou:
- Prezada Irmã, é verdade que suas mãos caridosas cuidaram dos enfermos durante a última epidemia? Contam que você cuidou de uma leprosa, totalmente carcomida pela doença, e acabou se contagiando também. . .
- Sim, Santo Padre. Mas sarei. Havia muita gente que precisava de mim.
- Você consolou e ajudou exilados, empestados, famintos, e encarcerados. Não tem também uma palavra de conforto para este pobre servidor da Igreja? Estou tão atribulado e desnorteado.
- Santo Padre - disse Catarina com ternura e firmeza - só existe um caminho: a volta para Roma. Então haverá paz no seu coração e no coração da cristandade.
O Papa permaneceu longo tempo mergulhado em profundo silêncio. Depois, erguendo a cabeça, disse com voz sumida:
- Sim, voltarei para Roma.
Dia 17 de janeiro de 1378 Gregório XI fazia sua entrada em Roma, graças ao empenho corajoso de Santa Catarina de Sena. (O coro dos anjos, Pe. Hünermann).

PADRE CLÓVIS DE JESUS BOVO CSsR
http://www.boletimpadrepelagio.org

AINDA DO SITE DO PE.PELÁGIO CSsR

PADRE CLÓVIS DE JESUS BOVO CSsR

A DÚVIDA DOS PEIXES

Os peixes de um rio conversavam entre si:
- Fala-se que nossa vida depende da água. Mas nós nunca vimos água. Não sabemos o que é água.
Então alguns que eram mais expertos, disseram:
- Ouvimos dizer que no oceano existe um velho peixe que sabe tudo. Vamos até ele e pedir que nos mostre a água.
Alguns se ajeitaram e foram ter com esse peixe cheio de experiência e pediram para lhes mostrar a água. Ele respondeu:
- Ah! Vocês, hein! Vocês vivem na água, movem-se na água. Vieram da água e voltarão para a água. E não sabem o que é a água...

Lição: Assim somos nós. Vivemos em Deus. Ele está em todas as coisas e todas as coisas estão em Deus. E ainda temos coragem de perguntar: Deus existe? Quem é Deus

RELIGIÃO TAMBÉM SE APRENDE! REENCARNAÇÃO

Pe. João A. Mac Dowell S.J.

Eu sempre achei muito interessante a doutrina espírita da reencarnação. Por que a Igreja Católica rejeita esta explicação do destino do ser humano?


Eu compreendo o seu interesse pela reencarnação. Hoje em dia muitos católicos se sentem atraídos por essa doutrina, que, à primeira vista, esclarece bem o mistério da existência humana. Mas este deslumbramento é fruto de uma confusão. Por hoje vou me limitar a explicar por que essa interpretação da vida humana é contrária à nossa fé e não pode ser aceita pelos católicos. O Evangelho fala de ressurreição da carne, coisa muito diferente.

De fato, não sei se Você já reparou que, para quem crê na reencarnaçãao, a pessoa humana se reduz ao seu espírito. O corpo não tem valor. É só um invólucro descartável do espírito. Os espíritos vão assumindo em cada existência um corpo diferente, até que, purificados e libertados do corpo, chegam à perfeição. Mas assim nós perdemos a própria identidade. Eu seria apenas uma fase da trajetória dum espírito, que foi um soldado romano, depois um comerciante árabe, depois uma escrava no Brasil do século passado e será ainda não sei o que, se não acabar de se purificar na existência atual. Quem vai ser feliz afinal depois de todas essas encarnações? Eu? O soldado romano? Alguma das pessoas que viveram realmente? Não. Nenhuma dessas pessoas de carne e osso, apenas o espírito desencarnado!

Para o cristão, ao contrário, a pessoa humana não é só o corpo, como pensam os materialistas, mas também não é só a alma. Deus cria cada um como uma unidade de corpo e alma, com sua identidade própria de homem ou mulher, de brasileiro ou chinês. Sou eu mesmo, com meu nome, meu corpo, minha história, que Deus ama e chama para participar da vida eterna em sua companhia. A pessoa inteira, depois desta vida, é destinada a ressuscitar com Cristo para uma existência nova e definitiva, onde o corpo, transfigurado, goza também da felicidade completa que ele prometeu aos que seguem o seu caminho.

Como Você vê, o ensinamento de Jesus sobre o nosso destino, sobre a ressurreição para a vida eterna, é muito mais rico de verdade e esperanças que a doutrina da reencarnação.

DO LIVRO:
RELIGIÃO TAMBÉM SE APRENDE-VOLUMES 1 E 2
EDITORA SANTUÁRIO
João A. Mac Dowell S.J.
http://www.redemptor.com.br

REFLETINDO A PALAVRA NR.94

Pe Luiz Carlos de Oliveira CSsR

“As medidas do homem”.

Quando a gente era menino, os mais velhos contavam aquelas estórias de assombração que faziam as noites profundas e apavorantes. Em nossa vida religiosa, foi-nos dado um ensinamento espiritual que se baseava no medo. Deus me vê! Não porque ama, mas porque vai me pegar num erro. Em nossa vivência social religiosa apareceram tantos modelos de prática de piedade que não eram mais do que modelos que impunham um Deus perigoso e vingativo, não o Pai querido que Jesus conhecia.
Estamos rodeados de cultos que promovem “serviços” que podem prejudicar as pessoas. Pessoas se colocam como donos de um mundo ao qual a maioria não tem acesso. Somente eles podem “transitar” entre estas forças maléficas e envolver os fracos e temerosos. Para se livrar deste perigo precisam fazer rituais e sempre soltar um pouco de dinheiro. Ouve-se muito falar em tirar demônio, afugentar espíritos maléficos, curar mal-olhado olhados, livrar-se de males que nos jogaram e estão nos levando para trás. Até grupos religiosos se impregnam destas idéias e passam-nas sob manto espiritual. É a mesma mentalidade de aterrorizar as pessoas.
Qual é a resposta que podemos dar a estes problemas? Jesus insiste naquelas palavras: “não tenhais medo”. Estamos sob os cuidados de Deus. O cristão que se deixa tomar por tais medos é que ‘está noutro mundo, pois não são esses os pensamentos de Jesus’ O ponto de partida para uma compreensão desta força cristã de não ter medo é a consciência da presença de Jesus em nosso meio e mesmo em nós. Por que temer poderes maléficos, se temos o poder maior que é Jesus que recebemos em nós de modo particular na oração e comunhão? O cristão não pode se colocar de modo tão ingênuo a acreditar nestes charlatões do sagrado que abusam da fragilidade do povo.
Além do mais, falando da medida do homem e da mulher, temos confiança de que aquele Deus que nos ama tanto e está em nós, vela por nós com muito carinho. Ninguém fica possesso do demônio ou de forças negativos se não quer. Deus é dono de nossa vida. Não temos outro dono. Se você acredita diferentemente, não se esqueça que foi batizado e foi entregue a Deus. Nossa medida é Deus. Pela comunhão temos a presença real de Jesus em nós. Então como ser possuído se somos possuídos por Jesus. Como estar ao sabor de forças sobre as quais não temos domínio? Outra medida do ser humano é sua capacidade intelectual. Alguns usam suas capacidades intelectuais para se fazerem donos do mundo espiritual usando rituais e superstições que assustam os fracos. Mas temos a certeza de que a inteligência humana pode muito e quando bem usada pode fazer coisas maravilhosas. A maioria dos fenômenos que nos assustam são produtos da mente humana. Não há mistério. Se soubermos distinguir, podemos estar tranqüilos quando nos aparecem tais fenômenos. É preciso usar o dom do discernimento para viver bem e não ir logo se envolvendo no mundo maligno do medo.

(2002)

REMEMORANDO REDENTORISTAS - PE.PRADA CSsR


PADRE JOSÉ MARIA PRADA CSsR

29 DE ABRIL 1991+ - ASSASSINADO

O Pe. José Maria Prada era missionário redentorista da Província de S. Paulo. Ele nasceu em Portugal, em 1928 e foi ordenado em 1953. Trabalhou em Angola, África, até 1975, quando veio para o Brasil. Morou em Garça – SP, em Exu – PE e depois foi nomeado Pároco de Salgueiro – PE.
Em Salgueiro, um dia, um senhor muito influente e rico na cidade o procurou, junto com a sua noiva, querendo se casar na Igreja. Ele dizia que morou com uma mulher em outra cidade distante dali, mas sem se casar na Igreja.
Pe. Prada entrou em contato com a Paróquia daquela cidade e esta lhe mandou a certidão de casamento dele. O padre lhe mostrou e disse que não poderia fazer o casamento.
O homem, primeiro prometeu dar muito dinheiro para o padre se ele fizesse o casamento, mas este não quis. Então o homem ameaçou e disse que mataria o padre, se ele não fizesse o casamento. Pe. Prada foi inflexível, disse que morreria, mas não faria o casamento.
Então o homem foi a sua casa, pegou um revólver, veio e deu cinco tiros no Pe. Prada, que morreu na hora. Eram onze horas do dia 29/04/1991.
Na Missa de corpo presente, presidida pelo Sr. Bispo da Diocese, que é Petrolina, e concelebrada por todo o clero da diocese, estavam presentes uma enorme multidão. No enterro, levaram, em uma cruz, a camisa ensangüentada do Pe. Prada.

ORAÇÃO DA MANHÃ - DEUS EM MINHA CASA

PADRE FLÁVIO CAVALCA DE CASTRO CSsR

ORAÇÃO DA MANHÃ PARA TODOS OS DIAS

Senhor meu Deus, mais um dia está começando. Agradeço a vida que se renova para mim, os trabalhos que me esperam, as alegrias e também os pequenos dissabores que nunca faltam. Que tudo quanto viverei hoje sirva para me aproximar de vós e dos que estão ao meu redor. Creio em vós, Senhor. Eu vos amo e tudo espero de vossa bondade. Fazei de mim uma bênção para todos que eu encontrar. Amém.

29 de abril

SANTA CATARINA DE SENA, VIRGEM E DOUTORA

Evangelho (Jo 13,16-20) “Em verdade vos digo, quem recebe aquele que eu enviar, me recebe a mim; e quem me recebe, recebe aquele que me enviou”.

Todos nós, que conhecemos Jesus e somos seus discípulos, somos também seus enviados e representantes seus para levar a salvação a todos. Olhando para nossas limitações, essa missão mostra-se acima de nossas forças. Por isso mesmo Jesus garante que estará sempre conosco, de tal modo que quem aceitar nossa mensagem estará acolhendo a ele mesmo e ao Pai que o envia.

Oração
Senhor, porque estais conosco, guiando nossos passos e dizendo o que devemos anunciar, por isso tenho coragem de aceitar a missão que me confiais. Sei que por mim mesmo nada posso. Vós, porém, tudo podeis, podeis até usar-me para o bem. Cuidai de mim, para que minha vida não desminta o que digo; guardai-me para que não me perca depois de ter querido salvar a outros. Amém.

ABRINDO PORTAS INTERIORES

Abrindo Portas Interiores é um diário perene que oferece uma inspirada seleção das orientações recebidas por EILEEN CADDY. Os ensinamentos simples contêm verdades e visões espirituais que levam a uma vida mais feliz e plena. São pensamentos/ensinamentos para cada dia do ano. Usar diariamente estes ensinamentos ajuda a pessoa a se tornar renovada e forte de espírito.



29 de abril

Abra-se para o fluxo da Minha divina luz e do Meu divino amor. Abra as portas do seu coração e não permita que nada impeça esse fluxo.

Mantenha as portas bem abertas para que o amor e a luz possam fluir livremente em você e através de você e para que a força da vida esteja sempre em evidência em seu interior. Quando as portas do seu coração se fecham e o fluxo de amor e luz é interrompido, toda a vida se torna estagnada, e nada consegue sobreviver numa poça estagnada.

É por isso que você precisa manter as portas abertas, se abastecendo constantemente em Mim, que sou a fonte de toda a vida, para que seu coração nunca, em momento nenhum, se torne seco e estagnado.

Um rio que não se alimenta mais de sua nascente, seca.
Você, se parar de se suplir em Mim, brevemente secará e se tornará inútil.
Portanto, mantenha-se sempre conscientemente ligado a Mim, se abastecendo de Minha força. É uma escolha que você tem que fazer dia a dia, hora a hora, minuto a minuto.



Fonte: Abrindo Portas Interiores de Eileen Caddy

P A R A B É N S


ACHILES EVANIL LEZIER (1976) de Tietê - SP
JOSÉ ILSON G. MOREIRA de Guaratinguetá - SP


Também está em festa o PADRE LUÍS ROGÉRIO CARRILHO CRUZ que completa 31 anos de Ordenação Sacerdotal. Atualmente está no Santuário de Nossa Senhora Aparecida.


Aos aniversariantes, nossos votos de muitas felicidades e muitos anos de vida.
Um grande abraço da Família UNESER!

28 de abril de 2010

SANTOS DO DIA 28 DE ABRIL

S. Luís Maria Grignion de Montfort, presbítero, +1716

Nasceu em 1673 na aldeia de Montfort, em França. Foi educado no colégio da Companhia de Jesus de Rennes e ordenado padre em 1700. Fundou uma congregação de sacerdotes, a "Companhia de Maria", para o ministério de missões populares, e uma congregação feminina, as "Filhas da Sabedoria".
Foi um missionário infatigável e abnegado que, com missão recebida directamente do Papa, evangelizou a Bretanha e diversas regiões de França ao longo de muitos anos, tendo sofrido inúmeras perseguições, instigadas pelo espírito jansenista que nessa época se tinha infiltrado não só entre os fiéis como entre o clero e até na hierarquia da Igreja de França.
A característica que mais o distinguiu na sua pregação e marca a sua espiritualidade foi a devoção à Virgem Santíssima, com modalidades tão pessoais que fazem dele um caso sem igual na espiritualidade mariana de todos os tempos.
Morreu santamente em 1716. Foi beatificado por Leão XIII e canonizado por Pio XII.

S. Pedro Chanel, presbítero, mártir, padroeiro da Oceânia, +1841


São Pedro Maria Chanel é o padroeiro da Oceânia. Nasceu em Cuet, França, no ano de 1803. Em 1824, ingressou no seminário de Bourg e em 1827 foi ordenado sacerdote. Foi vigário de Amberieu e de Gex. Entrou depois, para a Sociedade de Maria, sob a guia do Pe. Colin. Em 1837 partiu na companhia de um confrade leigo para Futuna, uma pequena ilha no Oceano Pacífico, no arquipélago de Tonga.
A sua pregação logo produziu frutos abundantes entre a geração jovem da ilha. Mas logo veio a reacção e a oposição dos líderes mais antigos, ciosos das suas tradições e costumes, ameaçados pelo "sacerdote branco". Avisado pelos amigos do risco que corria e para que deixasse a ilha, São Pedro ignorou o aviso e decidiu permanecer e continuar a pregação. O seu martírio deu-se no dia 28 de Abril de 1841. O seu sacrifício não foi em vão. A semente de sua pregação germinou e todos os habitantes acolheram o cristianismo.

CRESCE O NÚMERO DE CATÓLICOS NO MUNDO: DIZ ANUÁRIO ESTATÍSTICO

PAULO DE OLIVEIRA

◊ Cidade do Vaticano, 27 abr (RV) - Foram antecipados à imprensa, nesta terça-feira, os dados salientes contidos no novo Anuário estatístico da Igreja 2010, editado pela Livraria Editora Vaticana.

Aumentam os católicos batizados: de 1 bilhão e 45 milhões no ano 2000 a 1 bilhão e 166 milhões em 2008. Esse foi o arco de tempo levado em consideração no Anuário 2010 para avaliar as tendências de maior relevo para a Igreja Católica nos cinco continentes e nos vários países. O crescimento em termos percentuais é de 11,54, pouco superior ao crescimento da população mundial, que é de 10,77.

Portanto, uma situação de estabilidade, embora na África se registre o maior incremento, que é de 33%, enquanto na Europa é de somente 1,17%. Cresce também em 10% o número dos bispos, passando de 4.541 para 5.002, em maior medida na Ásia e África, enquanto cresceu também o total de sacerdotes, embora com um incremento inferior a 1% em média, com crescimento de 33,1% na África e 23,8% na Ásia, com decréscimo de – 7% e - 4% na Europa e Oceania, respectivamente.

A maior perda se registra no âmbito dos sacerdotes religiosos, que passaram de 139.397 no ano 2000, para 135 mil em 2008, enquanto os sacerdotes diocesanos aumentaram passando de 265.781 para 272.431.

Registra-se uma pequena redução também entre os religiosos não sacerdotes, que diminuíram em 1416 unidades; e as religiosas, que eram 740 mil em 2008, o dobro dos sacerdotes, mas em diminuição de 7,75% em relação ao ano 2000.

Por sua vez, os estudantes de Filosofia e Teologia nos institutos diocesanos e religiosos aumentaram 28,6%, passando de 110 mil para 177 mil, e assim cresceu também o número de diáconos permanentes, que registrou um aumento de 33,7%, passando dos 28 mil no ano 2000, para 37.203 em 2008. (RL)

E ainda...

Sabe quantos padres tem o Brasil?

Hoje (abril de 2010) temos 18 mil padres no Brasil.
E mais de 100 milhões de fiéis.
Isso significa que cada padre tem que atender a mais de 5.555 fiéis.

Agora, faça essa conta comigo:

- 10% de 18 mil padres = 1.800 padres
- 1% de 18 mil padres = 180 padres
- 0,1% de 18 mil padres = 18 padres
- 0,01% de 18 mil padres = 1,8 padres

Quantos padres brasileiros estão envolvidos em escândalos pela mídia?
2 ou 3?
Isso significa menos de 0,02% de todos os padres do Brasil!

E os outros 99,98%?
Nós vamos condenar todos os padres por causa de alguns?
Nós vamos deixar de acreditar em 11 Discípulos porque Judas traiu Jesus?
Nós vamos deixar de acreditar no Senhor por causa disso?
Deixaremos de ir à Igreja e de comungar por causa da mídia escandalosa?

Pense bem: mesmo você sendo pecador e imperfeito, mesmo com dúvidas, mesmo que você se afaste da Igreja de Cristo, mesmo assim, Ele morreu por você!

Segundo Phillip Jenkis, grande autoridade sobre o assunto, norteamericao, não católico, o percentual é de 0,2 % de pedofilia no clero católico. Ou efebofilia, por isso que se acusam os padres homossexuais...já que poucos são os abusos contra meninas???...

Padre Walmir responde em 08/04/2010

PADRE WALMIR GARCIA DOS SANTOS CSsR

Maria Inês: A pessoa que reza muito e invoca os mortos, prejudica quem já morreu?
Rezar pelas pessoas que já partiram desta vida não prejudica, pelo contrário, só pode ajudar. Agora, invocação dos mortos não é coisa boa, invocar mortos significa você tentar se comunicar com os espíritos, isso não é prática cristã e é condenada pela Bíblia em vários trechos. Rezar pelos mortos é cristão, mas invocá-los não.

Maria da Glória: Qual a sua opinião sobre tatuagem?
A Bíblia condena a tatuagem, em Lv 19, 28. A Igreja não aconselha ninguém a fazer tatuagem, pois ela a tem como uma prática pagã muito antiga, realizada pelos povos bárbaros. Portanto, a Igreja é contra a tatuagem e, na minha opinião, além de ser contra por causa do ensinamento bíblico, pessoalmente acho uma aberração e uma falta de gosto ficar marcando definitivamente o corpo com imagens, seja ela qual for.

Zilda: O que significa coelhinho da Páscoa?
O coelho é símbolo da fertilidade, por ser um animal que reproduz muito rápido, por isso ele é usado como símbolo da Páscoa, da vida nova trazida por Jesus na sua ressurreição.

Maria do Carmo: Nessa Páscoa eu não confessei e recebi a comunhão, é pecado?
Receber a comunhão não é pecado, mas recebê-la indignamente sim. Nós devemos confessar quando temos consciência de pecado, não só pela ocasião da Páscoa, mas sempre que tiver pecado.

Olentina: Durante a Páscoa pode jejuar?
Durante o período da Páscoa não é comum jejuar e nem é correto, pois o jejum é uma prática penitencial e o tempo pascal é um período festivo e durante a festa não se jejua.

Rosângela: Tem um padre que diz que quando não vamos à missa no domingo, só podemos comungar se confessarmos. Isso é verdade?
Depende do porque você não foi à missa, se foi por preguiça, comodismo isso é pecado, mas se foi por motivo sério não tem problema. Procure ser fiel na prática cristã.

Francisca: Dias atrás eu ouvi o Pe. Jesus dizer que faltam padres em várias paróquias em todo o país. Isso eu sei que acontece há muito tempo, porque já morei no interior e o padre só aparecia em nossa comunidade uma vez por mês. Que está acontecendo?
Jesus já dizia que precisamos pedir ao Pai que envie “operários para a messe”, pois ela é grande e os “operários são poucos”, portanto a falta de evangelizadores não é um problema só dos dias de hoje. Temos falta de padres em todos os lugares; o problema vocacional tende a aumentar devido ao mundo secularizado e permissivo em que vivemos. Também a diminuição do número de filhos proporciona a falta de vocações. Mas precisamos rezar e pedir sempre para que os jovens coloquem em sua vida essa opção.

Renata Vieira: As pessoas vivem dizendo que devemos tentar ser felizes, sem depender que as pessoas nos façam felizes. Como a gente consegue isso? Existe alguma fórmula?
Não existe fórmula para a felicidade, mas existe decisão para ser feliz. Cada um deve decidir viver como pessoa feliz, amada por Deus. Não coloquemos a felicidade na dependência de outra pessoa, apesar de sermos felizes com os outros e nunca sozinhos, mas ela não pode depender do outro.

Não identificada: O padre da minha Paróquia não coloca toalha no altar. Isto é certo?
Não é certo, o altar deve ser, segundo as normas litúrgicas, coberto com uma toalha branca, seja de que tamanho for, mas sempre é necessário cobri-lo.

Marli: A pessoa que já freqüentou Centro Espírita pode ser ministra da Eucaristia?
Se a pessoa freqüentou e não freqüenta mais e se converteu verdadeiramente ao catolicismo pode perfeitamente ser ministra, agora se ainda freqüenta ou acredita na doutrina espírita não pode exercer ministérios na Igreja. A conversão é que nos faz optar por Jesus Cristo e por sua Igreja.

Matilde: Eu tenho uma filha deficiente mental (autista). Ela até hoje só recebeu o sacramento do batismo, ela pode ser crismada sem ter feito a primeira comunhão?
Todo deficiente mental, que tem alguma consciência do que é o sacramento pode recebê-lo. Ela pode ser crismada sim.

Não identificada: Por que não tem mais as confissões comunitárias na época da festa de Trindade?
Essa é uma pergunta que deve ser dirigida ao Santuário de Trindade. Eu não sei porque, pode ser orientação do Arcebispo, ou do próprio Santuário. Sinceramente não sei. Eu pessoalmente sou contra não ter confissão comunitária, pois o número de fiéis que buscam a confissão é muito grande e o número de confessores não é suficiente para atender a todos.

Maria Irene: Aquele trecho da oração Salve Rainha que fala para Maria: ”Para vos obrigar”. Não é um desrespeito com Maria? Eu particularmente falo para vos agradecer.
Não considero falta de respeito, é uma forma de expressão, mas também prefiro a palavra agradecer. Mas essa expressão não faz parte da oração Salve Rainha, mas sim da introdução à oração. Pode ser mudada, conforme você preferir.

Meire Lúcia: Qual a diferença entre obedecer por medo e obedecer por amor? Muitas pessoas se dizem “tementes a Deus”, como podemos temer um Pai que só quer o nosso bem?
A expressão “temente a Deus”, não significa ter medo de Deus, mas sim ter respeito, saber que existe uma distancia respeitosa entre a onipotência de Deus e a pequenez da pessoa humana. Obedecer por medo não tem muito valor, pois você não está convicta da obediência, agora obedecer por amor, você o faz porque acredita que será o melhor, porque Deus quer o melhor para todos nós.

Adélia Matos: Toda comunidade tem conflitos porque o ser humano é realmente muito complicado, quer sempre ser dono da razão. Como consegue lidar os conflitos da sua comunidade, já que nem a Bíblia ajuda a evitar isso?
Para lidar com os conflitos é necessário muita paciência e diálogo. Não se supera nenhum conflito sem diálogo. A Bíblia ajuda sim, quando Jesus nos ensina que precisamos corrigir fraternalmente uns aos outros, corrigir no amor, na paciência, querendo ajudar o outro a se salvar.

Edivaldo Rocha: Deus disse ao homem que, por causa de sua desobediência, iria se alimentar à custa de seu suor. Isso foi um castigo? Como interpretar essa passagem?
O autor do livro do Gênesis escreve tentando apresentar a origem das coisas. Sobre o trabalho, ele apresenta essa motivação como se fosse um castigo. Mas a Bíblia em vários outros trechos apresenta o trabalho como bênção, como forma digna de vida.

Neide Aparecida: Li esta frase na internet e não entendi: “O que a chuva é para a terra, é a misericórdia para o jejum”. Poderia me explicar?
A misericórdia fecunda o jejum. Essa prática do jejum não tem sentido nenhum e não trás benefício para a pessoa se não for acompanhada pela misericórdia. Assim como a terra necessita da chuva para produzir os frutos, assim também o jejum precisa da misericórdia para ser frutuoso.

Inês: Minha mãe já sofreu quatro derrames, eu cuido dela todos os dias e ela me trata mal, mas meu irmão que não está nem aí, ela o trata muito bem, fico muito chateada com isso. Por que ela faz isso comigo?
Você deve conversar sempre com sua mãe e tentar compreendê-la na sua fraqueza. É mais fácil termos conflitos com quem está mais próximo do que com os distantes, pois a convivência diária nos dá liberdade, inclusive, para discussões. Converse mais com sua mãe sobre a maneira dela tratar você, mas não fique com ciúmes dela com seu irmão.

Vânia: Não gosto de rezar o terço, acho chato e repetitivo. Isso é pecado?
Dizer que não gosta de rezar não é coisa boa. Creio que você não gosta de rezar o terço porque você ainda não aprendeu a rezá-lo corretamente. Não é uma oração repetitiva, mas reflexiva, pois em cada dezena você deve meditar sobre um mistério de nossa salvação. Procure rezar com mais calma, sem pressa, refletindo cada mistério, você verá que ele não é chato assim como você diz. Agora você pode escolher outras formas de oração que mais satisfaz o seu contato com Deus, o importante é rezar e rezar sempre.

Cristina: Por que na igreja evangélica Maria não é reconhecida?
Porque eles não aprenderam a ler a Bíblia corretamente, acham que Maria poderia ofuscar a nossa fé em Jesus Cristo, eu vejo isso como ignorância. A Bíblia é muito clara em relação à Maria.

Maria da Glória: Estive doente durante toda a quaresma, tenho seis irmãos e pai e nenhum se preocupou em trazer as cinzas para mim e minha mãe. Podemos receber a cinza depois da quaresma?
Não precisa receber as cinzas fora do dia de iniciar a quaresma. A cinza não é sacramento, mas apenas um sinal de conversão, de início de quaresma, tempo de conversão e penitência. Não se preocupe, procure viver a sua conversão diária, no próximo ano você recebe as cinzas.

Não identificada: No momento do desespero, é pecado recorrer a outras religiões?
Recorrer a outras doutrinas e igrejas por causa do desespero é uma prática de pessoa insegura, que não confia em Deus, mas em pessoas. Cada uma deve ser fiel na sua Igreja e confiar em Deus que é amor e bondade, que atende sempre as preces de quem a Ele se dirige com confiança e fé.

http://www.matrizdecampinas.org.br/blog-dos-padres

SACRA VIRGINITAS - A SAGRADA VIRGINDADE - V


CARTA ENCÍCLICA DO PAPA PIO XII
SACRA VIRGINITAS - A SAGRADA VIRGINDADE

II
REFUTAÇÃO DOS ERROS OPOSTOS À VIRGINDADE E AO CELIBATO
31. Esta doutrina da excelência da virgindade e do celibato, e da superioridade de ambos em relação ao matrimônio, tinha sido declarada, como dissemos, pelo divino Redentor e pelo apóstolo das gentes; do mesmo modo foi também definida solenemente no concílio Tridentino como dogma de fé, e comentada sempre unanimemente pelos santos padres e doutores da Igreja. Além disso, os nossos predecessores e nós próprio a explicamos muitas vezes e recomendamos insistentemente. Mas, perante recentes ataques a esta doutrina tradicional da Igreja, e por causa do perigo que eles constituem e do mal que produzem entre os fiéis, somos levado pelo dever do nosso cargo a desmascarar nesta encíclica e a reprovar de novo esses erros, tantas vezes propostos sob aparências de verdade.
A castidade não é nociva ao organismo humano
32. Primeiramente, apartam-se do senso comum, a que a Igreja sempre atendeu, aqueles que vêem no instinto sexual a mais importante e mais profunda das tendências humanas, e concluem daí que o homem não o pode coibir durante toda a sua vida sem perigo para o organismo e sem prejuízo do equilíbrio da sua personalidade.
33. Ora, segundo a acertada observação de santo Tomás, a mais profunda das inclinações naturais é o instinto da conservação: o instinto sexual não vem senão em segundo lugar. Além disso, compete à razão, privilégio singular da nossa natureza, regular essas tendências e instintos profundos e, por meio da direção que lhes dá, enobrecê-los.
34. Infelizmente, depois do pecado de Adão, as faculdades e as paixões do corpo, estando alteradas, não só procuram dominar os sentidos mas até o espírito, obscurecendo a razão e enfraquecendo a vontade. Mas é-nos dada a graça de Cristo, especialmente nos sacramentos, para nos ajudar a manter o nosso corpo em servidão e a viver do espírito (cf. Gl 5,25;1Cor 9,27). A virtude da castidade não exige de nós que nos tornemos insensíveis ao estímulo da concupiscência, mas que o subordinemos à razão e à lei da graça, esforçando-nos, segundo as próprias forças, por seguir o que é mais perfeito na vida humana e cristã.
35. Para conseguir, porém, o domínio perfeito do espírito sobre a vida dos sentidos, não basta abstermo-nos apenas dos atos diretamente contrários à castidade, mas é absolutamente necessário renunciar com generosidade a tudo o que ofende de perto ou de longe esta virtude: poderá então o espírito reinar plenamente no corpo e ver a sua vida espiritual em paz e liberdade. Quem não verá, à luz dos princípios católicos, que a castidade perfeita e a virgindade, bem longe de prejudicarem o desenvolvimento normal do homem e da mulher, os elevam pelo contrário à mais alta nobreza moral?
A santificação não é mais fácil no matrimônio que na virgindade
36. Reprovamos recentemente com tristeza a opinião que apresenta o casamento como meio único de garantir à personalidade humana o seu desenvolvimento e a sua perfeição natural. Alguns afirmam, de fato, que a graça, comunicada ex opere operato pelo sacramento do matrimônio, santifica o uso do casamento a ponto de o tornar instrumento mais eficaz que a mesma virgindade para unir as almas a Deus, porque o casamento cristão é um sacramento, mas não o é a virgindade. Nós declaramos porém essa doutrina falsa e nociva. Sem dúvida, o sacramento concede aos esposos a graça de cumprirem santamente o dever conjugal e reforça os laços do afeto recíproco que os une; mas não foi instituído para fazer do uso do matrimônio o meio mais apto, em si, para unir com o próprio Deus a alma dos esposos pelos laços da caridade. Quando o apóstolo são Paulo reconhece aos esposos o direito de se absterem algum tempo do uso do casamento para se entregarem a oração (cf. l Cor 7,5), não é exatamente porque tal renúncia torna a alma mais livre para se dar às coisas divinas e orar?
37. Finalmente, não se pode afirmar, como fazem alguns, que "a ajuda mútua", que os esposos procuram no matrimônio cristão, é ajuda mais perfeita para conseguir a santidade do que a apregoada solidão do coração das virgens e dos continentes. Pois, não obstante a renúncia a tal amor humano, não se pode dizer que as pessoas, que abraçam o estado de perfeita castidade, empobrecem por isso mesmo a sua personalidade humana. De fato, recebem do próprio Deus um socorro espiritual muito superior à "mútua ajuda" prestada pelos cônjuges entre si. Dedicando-se completamente àquele que é seu princípio e lhes dá a participação da sua vida divina, longe de se diminuírem a si mesmos, só se engrandecem o mais possível. Quem, com mais verdade que os virgens, pode aplicar a si aquelas admiráveis palavras do apóstolo são Paulo: "Vivo, já não eu, mas é Cristo que vive em mim"? (Gl 2,20).
38. Por esse motivo, a Igreja mantém sapientissimamente o celibato dos padres; sabe que ele é e há de ser fonte de graças espirituais e de união com Deus, cada vez mais íntima.
O apostolado não é mais eficaz no matrimônio do que na virgindade
39. Parece-nos útil dizer também alguma coisa dos que apartam a juventude dos seminários e institutos religiosos, esforçando-se por incutir a idéia de que hoje a Igreja tem maior necessidade do auxílio e da profissão da vida cristã dos casados, vivendo no século como os demais, do que dos sacerdotes e das religiosas, que por assim dizer se separaram do mundo pelo voto de castidade. Semelhante idéia, veneráveis irmãos, é completamente falsa e muito perniciosa.
40. Não é certamente intenção nossa negar a fecundidade do testemunho que os esposos católicos podem dar, com o exemplo da vida e a eficácia da virtude, em todos os lugares e circunstâncias. Mas invocar esse motivo para aconselhar que se prega o matrimônio à consagração total a Deus é inverter e transtornar a reta ordem das coisas. Muito desejamos, veneráveis irmãos, que não só se ensinem a tempo aos já casados ou aos noivos os deveres de pais e mães, mas que se esclareçam também sobre o testemunho que devem dar aos outros da sua fé e do exemplo das suas virtudes. Mas, como o exige a consciência do nosso dever, não podemos deixar de reprovar em absoluto os maus conselheiros, que apartam jovens de entrarem nos seminários ou na vida religiosa, sob o pretexto que farão maior bem como pais ou mães de família, professando a vida cristã publicamente à vista de todos. Melhor fariam tais conselheiros exortando as inúmeras pessoas casadas a cooperarem nas obras de apostolado, do que teimando em apartar da virgindade os poucos jovens que desejam consagrar-se ao divino serviço. A esse propósito lembra santo Ambrósio: "Sempre foi próprio da graça sacerdotal lançar a semente da integridade e excitar o amor da virgindade".
41. Também julgamos dever notar que é completamente falso dizer que as pessoas que professam castidade perfeita, deixam, em certo modo, de pertencer à comunidade humana. As religiosas que dedicam a vida toda a servir os pobres e os doentes, sem distinção de raça, de categoria social ou religião, acaso não se associam intimamente a essas desgraças e dores, e porventura não se compadecem delas como se fossem verdadeiras mães? E o sacerdote não é o bom pastor, que, a exemplo do divino mestre, conhece as suas ovelhas e as chama pelos seus nomes? (cf. Jo 10,14;10,3). Ora foi exatamente a castidade perfeita que permitiu que esses sacerdotes e religiosos, e essas religiosas, pudessem se dedicar a todos e amar a todos por amor de Cristo. E também os contemplativos e contemplativas, oferecendo a Deus as suas orações e a sua própria imolação pela salvação do próximo, contribuem muito para o bem da Igreja; mais ainda: como nas circunstâncias presentes se dão ao apostolado e às obras de caridade, segundo as normas estabelecidas pela nossa carta apostólica Sponsa Christi, merecem todo o louvor por este novo motivo; nem podem ser considerados como estranhos à sociedade humana, pois trabalham desses dois modos para o bem espiritual dela.
segue...