CONSAGRAÇÃO À NOSSA SENHORA APARECIDA NA VOZ DO PADRE VITOR COELHO CSsR

Ó MARIA SANTÍSSIMA, PELOS MÉRITOS DO SENHOR JESUS CRISTO QUE EM VOSSA IMAGEM MILAGROSA DE APARECIDA ESPALHAIS INÚMEROS BENEFÍCIOS SOBRE O BRASIL, EU, EMBORA INDIGNO DE PERTENCER AO NÚMERO DOS VOSSOS SERVOS, MAS DESEJANDO PARTICIPAR DOS BENEFÍCIOS DA VOSSA MISERICÓRDIA, PROSTRADO A VOSSOS PÉS, CONSAGRO-VOS O ENTENDIMENTO, PARA QUE SEMPRE PENSE NO AMOR QUE MERECEIS. CONSAGRO-VOS A LÍNGUA, PARA QUE SEMPRE VOS LOUVE E PROPAGUE A VOSSA DEVOÇÃO.CONSAGRO-VOS O CORAÇÃO, PARA QUE, DEPOIS DE DEUS, VOS AME SOBRE TODAS AS COUSAS.RECEBEI-NOS, Ó RAINHA INCOMPARÁVEL, QUE NOSSO CRISTO CRUCIFICADO DEU-NOS POR MÃE, NO DITOSO NÚMERO DOS VOSSOS SERVOS. ACOLHEI-NOS DEBAIXO DA VOSSA PROTEÇÃO. SOCORREI-NOS EM NOSSAS NECESSIDADES ESPIRITUAIS E TEMPORAIS E, SOBRETUDO, NA HORA DA NOSSA MORTE. ABENÇOAI-NOS Ó MÃE CELESTIAL, E COM VOSSA PODEROSA INTERCESSÃO FORTALECEI-NOS EM NOSSA FRAQUEZA, A FIM DE QUE, SERVINDO-VOS FIELMENTE NESTA VIDA, POSSAMOS LOUVAR-VOS, AMAR-VOS E RENDER-VOS GRAÇAS NO CÉU, POR TODA A ETERNIDADE. ASSIM SEJA! ...PELA INTERCESSÃO DE NOSSA SENHORA APARECIDA, RAINHA E PADROEIRA DO BRASIL, A BÊNÇÃO DE DEUS ONIPOTENTE, PAI, FILHO E ESPÍRITO SANTO, DESÇA SOBRE VÓS E PERMANEÇA SEMPRE.AMÉM!
PRÓXIMOS EVENTOS (Todos estão convidados)





ÁGAPE MENSAL
11 - fevereiro - 2017


SETEMBRO - 2017
De 01 a 03 - 5º ERESER VICE PROVÍNCIA MANAUS
De 29 a 01/10 - ERESER CURITIBA

OUTUBRO - 2017

Dia 07 - ERESER NA NOVENA DE APARECIDA
Dia 21 - 11º ERESER MAIRINQUE

NOVEMBRO - 2017
De 12 a 15 - 7º ERESER PROVÍNCIA DE CAMPO GRANDE


XIII RETIRO
De 26 A 28 de janeiro de 2018
Local: Vila Santo Afonso - Pedrinha
Tema: A Espiritualidade Redentorista na Prática
Orientador: Padre Alfredo Viana Avelar, CSsR - Rio




SOM NO BLOG

QUANDO QUISER ASSISTIR ALGUM VÍDEO DO BLOG, VÁ ATÉ À "RÁDIO UNESER INTERATIVA" (caixa à direita do blog) E CLIQUE NO BOTÃO DE PAUSA (II).
APÓS ASSISTIR O VÍDEO, CLIQUE NO MESMO BOTÃO (PLAY) PARA CONTINUAR OUVINDO A RÁDIO.

31 de janeiro de 2010

Nota de falecimento

Faleceu ontem (30/01/10), sábado, ao cair da tarde, em Juiz de Fora (MG), _†Luís Kirchmayer_ (83 anos), irmão do Irmão José Maria Kirchmayer.

O sepultamento se dará amanhã (domingo), dia 31, às 14h, no cemitério São Pedro, Bairro São Pedro, em Juiz de Fora (MG).

Luís encontrava-se enfermo. Irmão José Maria está em Aparecida (SP) e seguirá para os funerais amanhã (domingo) logo cedo.

Ir. José Maria não possui e-mail para contato. Pode-se enviar mensagem através do e-mail do Seminário: saogeraldocssr@yahoo.com.br

Repouse na paz do Senhor!

Deus abençoe a todos!

Padre Geraldo Rodrigues CSsR
Secretario2300@cssr.com


REQUIESCAT IN PACE ,†Luís Kirchmayer

DO SITE DO PE.PELÁGIO....(PE.CLÓVIS CSsR)

31 DE JANEIRO - SANTO DO DIA

RENUNCIOU ÀS HONRAS DE MONSENHOR


Foi São João Bosco (1815-1888) - Não é fácil resumir a rica personalidade de Dom Bosco. Narremos apenas uma das muitas histórias que se contam dele:
A fama popular de Dom Bosco havia chegado até os ouvidos do Papa. Como recompensa do muito que já fizera pela Igreja, Pio IX quis nomeá-lo Monsenhor e Camareiro secreto. Eram títulos muito honrosos. Mas o santo escusou-se e disse:

— Santo Padre, reflita comigo as conseqüências desses títulos de honra. Que bela figura eu faria diante dos meus meninos, envergando as roupas suntuosas de Monsenhor?... Não mais me tratariam como companheiro de brinquedos, e sim com muita cerimônia. Não iriam mais brincar comigo, nem eu teria a liberdade que tenho hoje.
Além do mais, e isto é muito grave, todos pensariam que fiquei rico e... adeus esmolas para meus órfãos. Eles iriam morrer de fome, e minhas obras fracassariam.
Por isso, deixe-me ser sempre o pobre Pe. João Bosco.
Não se pensou mais nas promoções. E ele continuou amigo do Papa e do povo.


PADRE CLÓVIS DE JESUS BOVO CSsR
http://www.boletimpadrepelagio.org

AINDA DO SITE DO PE.PELÁGIO CSsR

PADRE CLÓVIS DE JESUS BOVO CSsR

HÁ MALES QUE VÊM PARA BEM

Um rapaz, vítima de distúrbios mentais, estava ajoelhado diante de um altar da velha matriz. Várias imagens nos nichos. Mais pessoas faziam ali suas preces.
O altar, de madeira muito antiga, estava bem deteriorado pelo tempo.
Súbito alguém pisou inadvertidamente num dos degraus. O altar balançou. Sem que ninguém pudesse impedir, uma estátua escapou lá do alto e veio bater na cabeça do rapaz.
Agora sim, acabou de piorar a situação mental do infeliz, pensaram os devotos que ali se achavam.
Aconteceu o contrário, porém. Refeito do susto, passou a mão pela cabeça a fim de constatar os estragos causados. Estava ligeiramente machucada. Mas, em troca, seus miolos entraram no lugar. Sua mente estava consertada. Voltou a ser uma pessoa normal.

Muitas vezes é preciso desmanchar para consertar. O médico rasga a ferida para curar. O pedreiro derruba uma parede para reconstruir e reformar. O que arde, cura.
Deus permite um sofrimento físico para curar males psíquicos ou morais. Ele fere com uma das mãos, mas cura com a outra.

Deus fere e cura a ferida; golpeia e cura com as mãos (Jó 5,18).

RELIGIÃO TAMBÉM SE APRENDE! MORTE DE JESUS

Pe. João A. Mac Dowell S.J.

Tenho muita admiração por Jesus, sua vida e mensagem. Mas não vejo nenhum sentido na sua morte: foi um crime, uma tragédia. Então como a Igreja ensina que a morte dele salvou a humanidade?

Não é só a Igreja que ensina isso. É a própria Bíblia: "Nós temos nele, por seu sangue, a redenção e a remissão dos pecados" (Ef 1,7). Mas a morte de Jesus não pode ser separada da sua vida. É a conseqüência de tudo o que ele fez. Foi provocada pelas resistências à sua mensagem de amor e perdão. Vista do lado dos que o mataram foi uma injustiça clamorosa, um absurdo. Mas, do lado de Jesus, é diferente. Ele asumiu livremente o seu destino: "Ninguém tira a vida de mim, mas eu a dou por minha própria vontade" (Jo 10,18). Sua morte foi um gesto supremo de obediência ao seu Pai e de amor a nós, seus irmãos e irmãs. Ele foi fiel à sua missão até o fim. Ofereceu sua vida para dar testemunho da verdade, como alguém que se sacrifica voluntariamente pelo bem daqueles que ama.

Justamente por isso a morte de Jesus tem um valor insuperável. Sua cruz é fonte de luz e salvação. É verdade que sofrer e morrer não é uma coisa boa. Nem produz fruto. O que dá sentido à morte de Jesus é o amor que o anima. A semente que cai na terra tem de morrer para germinar e produzir muito fruto. Mas se for estéril, ao morrer desaparece. A causa da nova vida que brota não é a morte da semente, mas a força vital que ela encerra. Assim também a morte de Jesus é gloriosa e fecunda porque é a prova dum amor sem limite.

Foi amando até o fim que Jesus nos salvou. Só o amor é capaz de transformar este mundo de ódio, opressão e violência no reino da justiça e da paz. Só o amor preenche o nosso desejo profundo de comunhão e felicidade. A morte de Jesus salva o mundo, porque, por causa dela, nós podemos acreditar no amor. Vale a pena amar, como ele, até o ponto de sacrificar-se pelos outros. É procurando ajudá-los a ser felizes, que nós mesmos encontraremos a nossa realização.

Mas a morte de Jesus revela também a grandeza do amor que Deus tem por nós. Como diz S. Paulo: "Ele que não poupou seu próprio Filho, mas o ofereceu por todos nós, como não nos dará tudo juntamente com ele?" (Rom 8,32). Deus se comprometeu definitivamente conosco. Mostrou que se interessa por nós e oferece seu perdão e sua amizade, apesar de todas as nossas resistências. É essa fé no amor de Deus que nos liberta do medo e da tristeza, para viver a vida nova de filhos de Deus. Sabendo que Deus cuida de nós, podemos confiar a ele a nossa vida e começar a viver para os outros no amor e no serviço. O nosso coração não está irremediavelmente prisioneiro do egoismo. É possível amar gratuitamente, como Jesus nos amou. E é esse amor, que Jesus nos oferece com sua morte, que salva o mundo.

1- Pergunta: Tenho muita admiração por Jesus, sua vida e mensagem. Mas não vejo nenhum sentido na sua morte: foi um crime, uma tragédia. Então como a Igreja ensina que a morte dele salvou a humanidade?

1- Resposta: Não é só a Igreja que ensina isso. É a própria Bíblia: "Nós temos nele, por seu sangue, a redenção e a remissão dos pecados" (Ef 1,7). Mas a morte de Jesus não pode ser separada da sua vida. É a conseqüência de tudo o que ele fez. Foi provocada pelas resistências à sua mensagem de amor e perdão. Vista do lado dos que o mataram foi uma injustiça clamorosa, um absurdo. Mas, do lado de Jesus, é diferente. Ele asumiu livremente o seu destino: "Ninguém tira a vida de mim, mas eu a dou por minha própria vontade" (Jo 10,18). Sua morte foi um gesto supremo de obediência ao seu Pai e de amor a nós, seus irmãos e irmãs. Ele foi fiel à sua missão até o fim. Ofereceu sua vida para dar testemunho da verdade, como alguém que se sacrifica voluntariamente pelo bem daqueles que ama.


Do Livro:
RELIGIÃO TAMBÉM SE APRENDE - VOLUMES 1 E 2
EDITORA SANTUÁRIO
João A. Mac Dowell S.J.
http://www.redemptor.com.br

Padre Walmir responde em 17/12/09

PADRE WALMIR GARCIA DOS SANTOS CSsR

Não identificada: Minha mãe é católica, mas não tem responsabilidade com a Igreja e quer que eu vá a Igreja só quando ela for. O que devo fazer? Tenho 13 anos e dependo dela. Ela fala que é ela quem manda. E a minha vontade, não conta?
Infelizmente vemos ainda mães e pais com esse tipo de mentalidade, que são eles quem manda e pronto, sem diálogo, não pode ser assim! É preciso ter diálogo, compreensão entre as partes, pais e filhos devem viver em profunda sintonia, ainda mais em se tratando de religião. Vejo que muitas vezes os filhos precisam evangelizar os pais, no compromisso, no assumir a fé, este é o seu caso minha filha, procure evangelizar sua mãe, com paciência, com serenidade. Dialogue sobre a importância da prática da fé. Não perca a esperança e seja firme no seu posicionamento em ser uma pessoa atuante.

Maria de Fátima: O verdadeiro significado do Natal está esquecido, foi ocupado pelo Papai Noel. A Igreja não pode fazer nada a respeito? Pedir as pessoas para, ao invés de comprar roupas, calçados, doar alimentos a famílias carentes?
Minha amiga a Igreja já faz isso que você sugere. Sempre nessa época muitos padres, bispos e até o Papa, pedem solidariedade, busca da partilha, etc. Claro que a Igreja não é contra o comércio e muito menos contra a troca de presentes, mas é preciso que uma coisa não abafe a outra. Podemos comprar presentes e ser solidários. Tenho visto que tem aumentado a consciência entre os cristãos atuantes nas Igrejas, mas a força comercial é muito grande. Mas entre nós não pode ser assim, este é um ensinamento de Jesus que devemos sempre seguir. Não precisamos acabar com a ilusão do Papai Noel, mas também não podemos deixar que abafe a nossa consciência de que o verdadeiro homenageado é Jesus, nosso Salvador.

Francisca Bernardes: Os três reis magos eram realmente reis?
Não se tem nada de histórico sobre os Magos, não sabemos se eram três e muito menos se eram reis. Supomos que eram três devido aos presentes: ouro, incenso e mirra (3 presentes), mas a religiosidade popular adotou como três e também como reis, mas isso é fruto da devoção popular, não tem nada de histórico sobre isso.

Beatriz Figueiroa: Minha sogra é católica fervorosa e coloca vela para queimar em um prato com mel. Isso não é bruxaria?
Eu não posso dizer que é bruxaria, não sei com qual propósito ela coloca vela num prato de mel, mas é estranha essa prática, no mínimo é superstição, e isso não é muito cristão.

Leila Corumbá: Não gosto de ler o Antigo Testamento, só tem assunto de morte e gerações. Estou errada? Não gosto daquele negócio de fulano gerou ciclano... é muito chato.
Veja bem, o Antigo Testamento não é composto só por passagens que você relatou. Leia principalmente os livros proféticos, os livros sapienciais. Somente os livros históricos é que possuem muitas genealogias, que é, realmente uma leitura enfadonha, mas necessária para nos situar na história de um povo que nos deixou por herança a fé. Sobre o assunto de morte e vinganças, não podemos exigir que um povo de mais de 3 mil anos atrás tivesse a mesma consciência que temos hoje, era o modo que eles imaginavam e vivam. Mas se não faz bem ler essas coisas, procure os livros que citei acima, certamente farão bem a você.

Alaíde Severo: Fale a respeito do Salmo 91. Parece que ele é mais forte que os outros.
Não existe Salmo mais forte do que outro, mas sim aquele que nos fala mais ao coração. O salmo 91 fala da confiança em Deus e sobre nossa esperança de viver sob a sua proteção.

Não identificada: Uma colega de trabalho está traindo o marido, falta até o serviço e mente para o esposo que estava no médico. Como posso aproximar dela e evangelizar?
É uma obrigação do cristão chamar a atenção para a prática do bem e da justiça. Quando vemos alguém errando, se desviando do caminho do bem devemos chegar e conversar, mostrar o erro. É bom dizer sobre o amor, se ela não ama mais o marido, se é que algum dia amou, é bom mostrar que ela deve resolver a sua situação, pois traição é muito feio. Mas o meu conselho é que você converse com ela, com carinho, compreensão e amizade, sem ficar apontando o erro com moralismo.

Célia Maria: Quer saber qual o significado das cores das velas do advento.
Liturgicamente, o tempo do Advento (do latim adventus = chegada) corresponde às quatro semanas que antecedem o Natal. As quatro velas representam essas quatro semanas e serão acesas, uma a uma, desde o primeiro domingo do Advento até o quarto domingo, sucessivamente. Via de regra as cores das velas devem corresponder à cor do tempo litúrgico - roxa -, diferenciando-se a terceira vela - rosa - como alegre preparação para a vinda do Senhor. Mas em vários lugares usam-se cores variadas, cujo significado eu desconheço.

Cândida Teixeira: Quero saber se o José, pai de Jesus é o mesmo que os irmãos tinha inveja dele?
Não Cãndida, vários séculos separam esses dois José. O José que os irmãos venderam a mercadores, por inveja, viveu muito tempo antes de Jesus. Ele era chamado de José do Egito, era filho de Jacó, neto de Isaac, bisneto de Abraão; a história desse Jose´você encontra no livro de Gênesis. José, pai de Jesus era descendente de José do Egito, e viveu vários séculos depois do primeiro.

Maria de Lourdes: Na sua opinião, que tipo de Natal seria compatível com Jesus Cristo?
Eu creio que o Natal mais compatível com Jesus seria a busca da fraternidade, do acolhimento às pessoas, da confraternização. Jesus veio para dar a nós, a humanidade, a oportunidade de conversão, de transformação de vida. Veio para ser o caminho para o céu, portanto, veio para nos salvar e, só podemos nos salvar se vivermos o que Ele nos ensinou. Celebrar o Natal é viver buscando praticar seus ensinamentos.

Lourival dos Santos: Existem pessoas muito céticas, só acreditam no que podem ver, tocar. Deus é um ser que amamos, acreditamos, mas nunca o vimos. Qual o sentido de ser filho de Deus?
Ser filho de Deus é ser alguém que vive o que Ele nos ensinou e que está contido na sua Palavra revelada, a Bíblia. Ser filho de Deus é buscar a vivência da fraternidade, da igualdade entre as pessoas, sem preconceitos, sem discriminações. Ser filho de Deus é reconhecer que Ele nos criou para construirmos um mundo bom, habitável, sem violência. Ser filho de Deus é ser uma pessoa humana, sensível e solidária.

Anália Afonso: Em Ezequiel cap. 1, vers. 5 diz assim: “E do meio dela saia à semelhança de quatro seres vivente. E esta era a sua aparência, tinha a semelhança de homem.” O que significa isso?
Todo profeta, ao ser chamado por Deus para o exercício de sua missão, teve algum tipo de visão ou de discernimento, é a chamada vocação profética. Ezequiel teve uma visão, na qual viu esses seres vivos, estranhos. Esses quatro seres viventes são comparados aos quatro cavaleiros do Apocalipse e também pode ser comparado aos quatro evangelistas.

Não identificada: O que é pecado original?
No Catecismo da Igreja Católica encontramos o seguinte:
O PECADO ORIGINAL UMA VERDADE ESSENCIAL DA FE
388-Com o progresso da Revelação, é esclarecida também a realidade do pecado. Embora o Povo de Deus do Antigo Testamento tenha conhecido a dor da condição humana à luz da história da queda narrada no Gênesis, não era capaz de entender o significa do último desta história, que só se manifesta plenamente à luz da Morte e Ressurreição de Jesus É preciso conhecer a Cristo como fonte da graça para conhecer Adão como fonte do pecado. E ó Espírito-Paráclito, enviado por Cristo ressuscitado que veio estabelecer "a culpabilidade do mundo a respeito do pecado" (Jo 16,8), ao revelar Aquele que é o Redentor do mundo.
389-A doutrina do pecado original é, por assim dizer, "o reverso” da Boa Notícia de que Jesus é o Salvador de todos os homens, de que todos têm necessidade da salvação e de que a salvação é oferecida a todos graças a Cristo. A Igreja, que tem o senso de Cristo, sabe perfeitamente que não se pode atentar contra a revelação do pecado original sem atentar contra o mistério de Cristo.
390 O relato da queda (Gn 3) utiliza uma linguagem feita de imagens, mas afirma um acontecimento primordial, um fato que ocorreu no início da história do homem. A Revelação dá-nos a certeza de fé de que toda a história humana está marcada pelo pecado original cometido livremente por nossos primeiros pais.

Lázara Alves: Em Êxodo 20, 13 Deus falou: “Não matarás”. Logo em seguida, no versículo 27, Deus mandou matar “quem matar alguém será morto”. Não entendi.
A Lei do Antigo Testamento era muito exigente e tinha que ser, pois aquele povo estava marcado pela lei do “olho por olho e dente por dente”, ou seja, tudo o que fizessem comigo eu deveria fazer com o outro, espírito de vingança. Quando a Lei manda matar quem matasse era com o objetivo de amedrontar as pessoas para que não fizessem o mal aos outros.

Vanda Cristina: Eu gostaria de saber um pouco mais sobre os Evangelhos Apócrifos, porque eles não foram incluídos na Bíblia depois de descobertos, inclusive me contaram que um deles narra que São José saiu a procurar uma parteira e quando retornou Jesus já havia nascido. É verdade?
Para os católicos, e para muitos historiadores, os livros apócrifos datam de muito tempo após a vida de Jesus, sendo alguns deles escritos mais de 200 anos após a morte e ressurreição, não podendo ser considerados fidedignos, ou seja, nem tudo o que neles fora escrito narra com precisão a verdade. Foram escritos principalmente com dois objetivos: Cristãos levados por uma piedosa curiosidade e excessiva imaginação sobre dados da vida do Senhor não relatados nos Evangelhos ou membros das seitas gnósticas que queriam difundir suas doutrinas. Alguns deles, foram retirados do Cânon Católico por demonstrar um Cristo diferenciado dos demais Evangelhos, mostrando-o exclusivamente como Deus, sem as limitações e sentimentos humanos, o que tornaria a passagem pela morte algo fácil de ser cumprido, diminuindo assim, o tamanho do Sacrifício realizado pelo Salvador; em outros, entretanto, a imagem de Cristo é excessivamente mundana e em desacordo com a imagem passada pelos quatro evangelhos mais antigos e fidedignos. Daí, não podemos dizer que os fatos relatados nos apócrifos são verdadeiros, como no caso de José e a parteira.

Carolina Bento: Eu ouvi dizer que tem uma parte na Bíblia que diz que a mulher casada tem que preservar nas amizades com outros homens para evitar o adultério. Não consegui achar esta passagem e quero saber mais a respeito disso.
O Antigo Testamento está cheio de conselhos que refletem a mentalidade da época, não valendo como norma para os dias de hoje, é o caso que você apresenta. Na mentalidade do tempo as mulheres não poderiam conversar com homens na rua, principalmente uma mulher casada. No diálogo de Jesus com a Samaritana, Evangelho de João cap. 4, vemos os discípulos estranhando Jesus que conversava com uma mulher sozinhos junto ao poço. No livro de Eclesiástico cap. 9 temos um relato desse tipo de norma que refletia bem o pensamento da época.

Nao identificada: Tenho uma amiga que está passando por sérios problemas de auto-estima porque o esposo a trocou por outra. Ela é uma pessoa de fé, mas não está aguentando a barra porque está se sentindo humilhada. Onde, na Bíblia eu poderia encontrar uma passagem para ajudá-la a fortalecer sua fé e recuperar seus valores?
Aconselhe a sua amiga a olhar para si mesma e nao ficar baseando sua vida na canalhice de seu ex-esposo. Se ele optou por outra é porque não a amava. Nem tudo encontramos na Bíblia, nesse caso eu não conheço texto que fala diretamente do caso, mas não precisa recorrer a Bíblia, recorra, sim, ao apoio que você pode dar à sua amiga, mostre para ela o valor que ela tem e não fique baseando sua vida na ação adúltera de seu marido.

Terezinha Silva: Em Jeremias diz: “ Não sejas exaltado. O exaltado comete um grande erro, engana-se a si mesmo porque ninguém é muito sábio”. O senhor poderia falar mais sobre esta passagem?
A exaltação de si mesmo não reflete a sabedoria que vem de Deus. Devemos exaltar Deus e não a nós mesmo. Jesus nos adverte que “quem se exalta será humilhado e quem se humilha será exaltado”. É um conselho para vivermos na humildade e não no orgulho e prepotência.

Norma Jardim: Qual o significado da Coroa do Advento?
Vários símbolos do Advento nos ajudam a mergulhar no mistério da encarnação e a vivenciar melhor este tempo. Entre eles há a coroa ou grinalda do Advento. Ela é feita de galhos sempre verdes entrelaçados, formando um círculo, no qual são colocadas 4 grandes velas representando as 4 semanas do Advento. A coroa pode ser, colocada ao lado do altar ou em qualquer outro lugar visível. A cada domingo uma vela é acesa; no 1° domingo uma, no segundo duas e assim por diante até serem acesas as 4 velas no 4° domingo. A luz nascente indica a proximidade do Natal, quando Cristo salvador e luz do mundo, brilhará para toda a humanidade, e representa também, nossa fé e nossa alegria pelo Deus que vem. A cor roxa das velas nos convida a purificar nossos corações em preparação para acolher o Cristo que vem. A vela de cor rosa, nos chama a alegria, pois o Senhor está próximo. Os detalhes dourados prefiguram a glória do Reino que virá.

Judite Rosa: Apesar da criançada estar ficando cada vez mais esperta, sabendo que o Papai Noel é uma lenda, onde quer que tenha alguém vestido de bom velhinho, sempre tem uma multidão de pessoas. O senhor acha esse tipo de ilusão necessária na vida do ser humano? Seria isso a falta de algo bom, algo melhor, um tipo de esperança para acreditar no bem?
Eu particularmente não sou contra a figura do “bom velhinho”, em determinadas fases de nossa vida, precisamos de ilusões, ou temos muitas ilusões que nao podem nos acompanhar ao longo da vida, precisamos amadurecer, crescer. É certo que as pessoas buscam mais o Papai Noel do que o próprio Jesus na época do Natal e isso é mal, é falta de consciência cristã. Precisamos nos aproximar mais dos ensinamentos de Jesus Cristo e ensiná-los às crianças.

Olegária Ferreira: Quem são os salesianos: Como surgiram?
Os salesianos é uma congregação religiosa fundada por S. João Bosco e tem como missão evangelizar os jovens, principalmente através da educação em escolas.

Maria Helena: Quais são as diferenças de uma ordem religiosa para outra. Porque alguns padres são mais despojados, outros mais bem vestidos e outros de hábito mais sisudos?
O que difere uma congregação religiosa ou uma ordem de outra é o chamado Carisma, ou seja, a forma que usam para evangelizar. Por exemplo, nós os redentoristas, somos chamados a viver nosso carisma que é evangelizar através de missões populares e de paróquia e santuários, através de uma linguagem mais simples e inteligível ao povo simples e pobre. Sobre a maneira de vestir, isso depende de cada um. Antigamente todos se vestiam com o hábito religioso, cada congregação tinha o seu hábito próprio, o que igualava a todos, mas hoje em dia, como nao usamos mais a batina, ou hábito, vestimos com as vestes seculares, ou seja, das vestes que todos usam, de acordo com o costume local. Quanto a ser mais despojado ou menos, isso depende da consciência de cada um. Sobre o padre ser sisudo, é muito ruim vermos pessoas de mal com a vida, fechados em si mesmos, eu não gosto de ver ninguém sisudo, parece que a pessoa não está bem consigo mesma.

http://www.matrizdecampinas.org.br/blog-dos-padres

OUTRA DO SITE DO PE.PELÁGIO....(PE.CLÓVIS CSsR)

PADRE CLÓVIS DE JESUS BOVO CSsR

31 DE JANEIRO 2010 – IV DOMINGO COMUM

Lc 4,21-30 – Jesus veio para todos

Este Evangelho narra o ódio das pessoas que estavam na sinagoga de Nazaré, pelo fato de Jesus ter feito muitos milagres em outras cidades, mas na sua terra natal, fazer apenas alguns. E explica citando dois exemplos bíblicos:
- Deus, através do profeta Elias, socorre por milagre a fome de uma viúva estrangeira, sendo que havia muitas viúvas em Israel em situação igual ou pior.
- Através do profeta Eliseu, Deus cura um leproso estrangeiro, sendo que havia muitos leprosos em Israel e não receberam a mesma graça.
Os dois exemplos mostram a universalidade do amor de Deus, sem nenhum privilégio por parte de qualquer país ou cidade. Mas os ouvintes não gostaram da mensagem, pois se julgavam mais queridos de Deus do que outros países.

Também nós somos chamados a dar testemunho no meio em que vivemos. O dom profético não é monopólio dos padres, bispos, diáconos e religiosos. Esse dom é exercido de diversas formas, de acordo com o carisma de cada um. “A cada um é dada a manifestação do Espírito, em vista do bem de todos. A um é dada pelo Espírito a palavra da sabedoria, a outro a palavra do conhecimento, a outro a fé... a outro a profecia” (1Cor 12,7-10).
O importante é não deixar apagar o Espírito de Jesus em nós e na nossa Comunidade. Para isso temos de nos comprometer, especialmente em favor dos mais pobres, como o próprio Jesus havia dito um pouco antes, neste seu discurso.

“Quero a misericórdia”

O Pe. Pelágio foi um grande missionário redentorista que viveu em Goiás. Ele é chamado o Apóstolo de Goiás. Morreu em 1961. Quando morava em Trindade, um dia uma moça o procurou, e reclamou que as filhas de Maria não queriam recebê-la no grupo, porque no passado, ela havia levado vida errada. O Pe. Pelágio conversou com as filhas de Maria. Depois foi à reunião delas e disse: “Se abandonarmos essa jovem, agora que ela se recuperou, e a deixarmos na situação em que está, será difícil para ela perseverar no bom caminho. É agora que ela precisa da nossa ajuda”. Elas voltaram atrás e aceitaram a jovem. Ela perseverou, casou-se e foi uma ótima esposa e mãe.
Nós, que fazemos parte da santa Igreja, precisamos ser iguais a Jesus e não fazer distinção entre as pessoas, aceitando a todos e todas, mesmo as que têm mau comportamento, mas querem mudar de vida.
Enviado por: Carlos Roberto

Homilia do 4º Domingo Comum (31.01.10)


Pe. Luiz Carlos de Oliveira - Redentorista

“Profeta das nações”

Farão guerra contra ti

A vida de profeta não é fácil. A rejeição acompanha quem fez esta escolha. Mesmo rejeitados, os verdadeiros profetas não desanimam e vão até o fim. Eles crêem no que dizem. Também Jesus foi recusado. Seus seguidores sofrem a mesma recusa. Por que tanta recusa? Se viesse um Messias Glorioso, seria mais fácil, e, mesmo assim achariam jeito de rejeitá-lo. É o que diz Deus ao profeta: “Disse o Senhor a Samuel: ‘Ouve a voz do povo... pois não é a ti que rejeitam, porém a mim, para que eu não reine sobre eles’” (1Sm 8,7). Jesus, em Nazaré, proclamou-se o enviado de Deus e foi rejeitado. Mesmo reconhecendo e dando testemunho. Suas palavras, revestidas da graça do Jubileu, tocam o coração e provocam mudança. Isso não agradou. Junto com a recusa do coração, não aceitam que a mudança seja provocada por alguém que é de seu mundo, um simples “filho do carpinteiro”. Perguntam-se: ‘Quem é esse que se faz Messias’? Todos os profetas passaram por isso. Expulsaram-no da sinagoga, reunião do culto, e levaram-no para jogar no precipício. Este precipício não existe em Nazaré. O sentido é mais grave significando desviá-lo de sua missão pois os incomodaria. É a experiência de Jeremias: “Ele é um muro de bronze” contra os chefes do povo que procurarão destruí-lo (Jr 1,18-19). O medo não pode existir no profeta, pois mais medo terá (17). A força do profeta está na certeza que a missão é de Deus: “Antes de formar-te no ventre materno, eu te conheci: antes de saíres do seio de tua mãe, eu te consagrei e te fiz profeta das Nações” (Jr 1,5). Canta o salmo “Sede uma rocha protetora para mim” (Sl 70,3). Vivemos um tempo em que respeitamos a opinião de todos, menos a opinião de Deus em sua Palavra de Deus, “aquela que pode salvar nossas almas” (Tg 1,21). A Palavra na liturgia tem a mesma força profética que tinha nos lábios de Jesus.
A maior é a caridade
No contexto da profecia, lemos o texto sobre a excelência da caridade na carta aos Coríntios. A profecia é a caridade de Deus que se manifesta para que haja um mundo comandado pelo amor. A caridade é o fundamental e a única que acontece também no Céu. Ela é superior a tudo o que existe. Ela é o mandamento de Jesus e é a síntese de tudo o que Deus quer nos ensinar. Paulo apresenta as qualidades do amor, pois não se trata de um sentimento, mas de vida. A caridade nunca acabará. Se ela não penetrar nossas atividades, pensamentos e projetos, somos como um sino que bate. Ele diz que, por enquanto, não vemos o que seja o amor, mas um dia veremos face a face (1Cor 13,12).
Estou contigo
Sede uma rocha protetora para mim, um abrigo seguro que me salve, porque sois a minha força e meu amparo”(Sl.70,3). O profeta vive sua fragilidade, seu medo, suas limitações, como diz Jeremias, “sou apenas uma criança, não sei falar!” (Jr 1,6). Vive também a certeza que a Palavra de Deus está acima da própria vida. O mensageiro de Deus não traz somente palavras, mas a própria vontade de Deus. Como a sociedade é contra Deus, será contra seus profetas e todos aqueles que vivem sua Palavra. Pede-se mais ousadia dos membros da Igreja para anunciar com vigor. A maior prova de nossa identificação com a missão de Cristo está na recusa que sofremos pela opção de fé e moral. Se agradarmos muito a sociedade, há algo suspeito, pois estamos concordando com seus desmandos. Jesus também foi perseguido.
Leituras: Jeremias 1,4-5.17-19; Salmo 70; 1Coríntios 12,31-13,13;Lucas 4,21-30

1. A vida do profeta não é fácil. Mesmo rejeitados, os profetas não desanimam. Jesus depois de ter sido elogiado, foi recusado em Nazaré, porque seu projeto incomodava. Na verdade a recusa é a Deus. Quiseram tirá-lo desta missão. O profeta tem certeza que a missão é de Deus e Ele dá forças. A palavra da liturgia tem a mesma força da Palavra de Jesus.

2. Paulo nos fala da caridade. A profecia é a caridade de Deus que se manifesta para que haja um mundo comandado pelo amor. O mandamento de Jesus é a síntese de tudo o que Deus nos quer ensinar. A caridade deve penetrar todas as nossas atividades. Ela vai até o Céu.

3. O profeta é frágil e tem limitações. Vive também a certeza que a Palavra de Deus está acima da própria vida. A Palavra é a vontade de Deus. Como a sociedade é contra Deus, vai ser contra o profeta. Mas precisamos de mais ousadia, pois não podemos nos conformar com a sociedade.

Já falou besteira!

Jesus, depois de proclamar sua missão é acolhido pelo povinho que entende a Palavra de Deus. Mas os chefes, inteligentes viram onde iria acabar aquela conversa. Sabiam que Ele era de fato o enviado de Deus. Mas é preferível recusar que assumir as conseqüências da fé.
Jesus assume a conseqüência de sua missão. Pelo fato de dizer a verdade sobre a recusa. Lentamente se vê o que vai acontecer: O Reino vos será tirado e confiado a um povo que produza frutos” (Mt 21.43). Jesus ofereceu. Não quiseram, perderam. Já o profeta Elias e Eliseu fazem os milagres fora do Reino de Israel, como cita Jesus (Lc 4,24-27).
Jesus, contudo, não volta atrás. O profeta Jeremias descreve, com experiência própria, que o profeta tem que enfrentar: “Eles farão guerra contra ti, mas não prevalecerão, porque estou contigo para defender-te” (Jr 1,18).
Paulo, na carta aos Coríntios, coloca a caridade como fundo de tudo. O que Jesus fez foi levar a caridade ao máximo de sua força.

MINHA ORAÇÃO DE HOJE - DEUS EM MINHA CASA

PADRE FLÁVIO CAVALCA DE CASTRO CSsR


Oração da manhã para todos os dias

Senhor meu Deus, mais um dia está começando. Agradeço a vida que se renova para mim, os trabalhos que me esperam, as alegrias e também os pequenos dissabores que nunca faltam. Que tudo quanto viverei hoje sirva para me aproximar de vós e dos que estão ao meu redor.
Creio em vós, Senhor. Eu vos amo e tudo espero de vossa bondade.
Fazei de mim uma bênção para todos que eu encontrar. Amém.

As reflexões seguintes supõem que você antes leu o texto evangélico indicado.
31 de janeiro de 2009

SÃO JOÃO BOSCO, PRESBÍTERO


Evangelho (Lc 4,21-30) “Estando Jesus na sinagoga, Jesus começou a dizer: ‘Hoje se cumpriu esta passagem da Escritura que acabastes de ouvir’.”

Na sinagoga de Nazaré Jesus tinha acabado de ler o texto do profeta Isaías: O Espírito do Senhor está sobre mim, porque ele me consagrou com a unção para anunciar uma boa notícia aos pobres; enviou-me para proclamar a libertação aos cativos e aos cegos a recuperação da vista; para libertar os oprimidos e para proclamar um tempo da graça do Senhor. É assim que Lucas inicia o relato das pregações de Jesus. Mostra sua continuidade com as promessas dos profetas, apresenta sua mensagem como respostas aos anseios e sofrimentos do povo, aponta-o como enviado pelo poder de Deus, e deixa claro que chegou um momento novo para a salvação. De certo modo adianta um resumo de tudo: alguns aceitaram a pregação de Jesus, enquanto outros a rejeitaram.

Oração
Senhor, alegro-me com aqueles vossos conhecidos, moradores de Nazaré, que acreditaram em vós e vos aceitaram como o Salvador que os haveria de curar e libertar. Alegro-me e vos bendigo porque vindes atender aos meus anseios, à minha vontade de ser melhor, de viver em paz e harmonia com todos. Preciso de vós, de vossa bondade e de vosso poder. Perdoai meu orgulho, que tantas vezes me levou a pensar que posso salvar-me e resolver tudo por mim mesmo.
Creio que sois homem como eu, mas creio também que sois Deus, o Filho de Deus encarnado, em cujas mãos está todo o poder, e em cujo coração existe um amor que nem posso imaginar. Eu vos aceito, Jesus, como meu único salvador, minha esperança, caminho, verdade e vida. Amém.

AÇÃO DE GRAÇAS

Republicando...

Hoje na missa das 18 hs, Basílica de Nossa Senhora Aparecida, em Aparecida, será realizada a Celebração Comunitária em ação de graças dos Missionários Redentoristas que celebram neste ano suas Consagrações.

A Congregação do Santíssimo Redentor, ou popularmente chamada de Congregação dos Missionários Redentoristas tem como membros padres consagrados e irmãos consagrados. Consagrados são aqueles que emitem os votos religiosos de pobreza, castidade e obediência a exemplo de Cristo que viveu pobre e desapegado das coisas deste mundo, que viveu sem se casar e foi obediente ao Pai, podendo dizer: meu alimento é fazer a vontade do Pai. Esta também será para todos a vida no Céu. Para lá ninguém vai levar nada deste mundo, lá ninguém vai se casar e todos vão ser obedientes a Deus, como Jesus ensinou a rezar no Pai Nosso: “Seja feita a Vossa Vontade assim na terra como no Céu”. Os religiosos se comprometem pela consagração viver aqui neste mundo a vida religiosa, que Jesus viveu e que todos vamos viver na eternidade. Os redentoristas vivem a sua consagração seguindo o carisma do fundador, Santo Afonso, a serviço da Igreja. Em 2010, vários missionários celebram datas importantes de profissão religiosa na Congregação Redentorist

65 anos: Padres Arlindo Santiago Amparado e José Oscar Brandão,


60 anos: Padres Archimedes Zulian, Cristiano Joosten (Vice-Província de Recife), Francisco de Paula Mendes Peixoto, Hilton Furlani e Victor Hugo Silveira Lapenta.

50 anos: Padre José Bertanha.

40 anos: Padres Carlos Artur Annunciação e Casildo Ribeiro da Mota.

25 anos: Irmão Mário André de Oliveira e Pe. Ronaldo Oliveira (Província do Rio)

Fonte: Pe. Werner Antonio Anderer e Pe. Geraldo Rodrigues

Site das Missões Redentoristas e Notícias Daqui e Dali

PARABÉNS



Aniversariando hoje:
HENRIQUE BERNARDO FERREIRA (turma de 1973) de São Paulo - SP



PADRE LUIZ CARLOS DE CARVALHO SILVA da Província do Rio de Janeiro que completa 40 anos de vida! Atualmente na Paróquia da Glória em Juiz de Fora - MG além de ser o Formador da Comunidade Vocacional São Clemente.


PADRE IVAIR LUIZ DA SILVA que completa 44 anos de vida!


Tomando Posse hoje como Pároco da Paróquia  Nossa Senhora de Lourdes em Goiânia o PADRE ANTONIO GOMES da Província de Goiás - GO

 A todos desejamos muitas felicidades e realizações em suas vidas !

30 de janeiro de 2010

DIA NACIONAL DAS HISTORIAS EM QUADRINHOS


30 de janeiro

Dia Nacional das Histórias em Quadrinhos

Fonte: Renato ( Quiosque Azul)

SANTA DO DIA 30 DE JANEIRO

SANTA BATILDE - A SANTA CINDERELA

A historiadora britânica Pearl Saddington afirma que Cinderela existiu realmente. Conhecida hoje como Santa Batilde, essa jovem anglo-saxônica foi seqüestrada por piratas quando era criança, vendida no mercado dos escravos e acabou como serva na corte francesa de Neustria, onde chamou a atenção do rei Clóvis 2º, com que se casou no ano 649.

Em 657, Batilde ficou viúva e tornou-se soberana do reino em nome do filho Clotário 3º e com a ajuda do pároco Genésio. Ela começou então a se dedicar a obras de caridade, ajudando pobres e mosteiros, despertando uma enorme popularidade entre os súditos. Lutou com ardor contra a escravidão, que foi abolida para os cristãos, e com dinheiro próprio restituiu a liberdade a muitos escravos.

Segundo Saddington, pesquisadora da Bede's World, museu britânico inspirado em um monge beneditino que foi um dos maiores eruditos da Idade Média, há inúmeros paralelos entre as histórias da protagonista da fábula de Charles Perrault, a Cinderela, e as da rainha Batilde.

"A história de Santa Batilde tem 1.400 anos", declarou Saddington à imprensa britânica, acrescentando que "as suas histórias poderiam seguramente ter inspirado a fábula da Cinderela".

Quando o filho Clotário 3º chegou à maioridade, Batilde se retirou para o monastério de Chelles, na diocese de Paris, cuja restauração foi promovida por ela em 662 e que acabou sendo sua última morada .
Lá ela morreu em 680.

Mais de mil anos depois, o escritor francês Perrault publicou a primeira edição de "Cinderela".

DO SITE DO PE.PELÁGIO....(PE.CLÓVIS CSsR)

30 DE JANEIRO – SANTA DO DIA

DE JOVEM FRÍVOLA A UMA GRANDE SANTA


A vida de Santa Jacinta Marescotti (+ Viterbo, 1585-1640) sai fora dos padrões comuns. Teve váras conversões na vida. De mulher frívola e mundana passou a ser monja. E de monja relaxada e tíbia, a uma grande santidade. Vejamos:
Quando menina Clarice (este era seu nome de batismo) ficou um tempo com as religiosas franciscanas, a mandado dos pais. Mas ela, muito presa às vaidades do mundo, queria se casar. Por isso não só saiu do convento, mas passou a freqüentar festas e encontros da alta sociedade.

Seus pais, preocupados com sua conduta, convenceram-na a voltar para o convento. No convento a mocinha rica trocou o nome para Jacinta, mas não seu comportamento. Seu hábito era de seda. Seu quarto decorado luxuosa e principescamente. Deus continuava aguardando o momento da conversão. Seu pai morreu assassinado. Uma doença grave levou Jacinta às portas da morte.
Uma boa confissão devolveu-a finalmente aos braços da misericórdia divina. Jacinta mudou o hábito de seda por uma roupa simples, pediu perdão publicamente, entregou-se à oração e à penitência, chegando a ser mestra das noviças e depois superiora do convento.

Não eram muitos os que a conheceram pessoalmente. Mas logo após a morte, Viterbo inteira correu para o se caixão mortuário. E todos levavam consigo um pedacinho do seu hábito, tanto assim que foi preciso vesti-la três vezes.

PADRE CLÓVIS DE JESUS BOVO CSsR
http://www.boletimpadrepelagio.org

AINDA DO SITE DO PE.PELÁGIO CSsR

PADRE CLÓVIS DE JESUS BOVO CSsR


VAMOS RIR, MAS SEM OFENDER

DISCUSSÃO INÚTIL – Após ouvir o sermão sobre a Ssma. Trindade, dois compadres conversam. Não posso entender. Se é um só, não pode ser três. E se são três, não pode ser um. Se é para vir à missa e ficar sem entender as coisas, não venho mais.
O amigo, cheio de bom senso, mas para encurtar conversa: Se é um só ou se são três, você tem que trabalhar mais para dar de comer a eles? – Não, é claro. – Então pode continuar vindo à missa, mesmo sem entender tudo. (Na prática, não muda nada).

DIVÓRCIO? - A mulher foi queixar-se com o vigário que seu marido batia muito nela. Por isso queria separar-se dele. Respondeu o vigário, um tanto despachadamente: Separar-se, não. Em nome de Jesus aplique-lhe uma boa surra, mas não me venha com esses maus pensamentos de separação.

DIZIMISTA – Querendo publicar os nomes dos que não pagaram o dízimo durante o ano, mas sem ofender, o vigário pega a lista dos falecidos da paróquia naquele ano, e vai lendo. Os fiéis começam a cochichar, a se entreolhar. O padre levanta os olhos e pergunta o que estava acontecendo. Um deles explicou que quase todo aquele pessoal da lista estava vivo e presente na missa. O padre finge que se enganou, procura outra lista e diz, batendo na cabeça:

- Desculpem! Eu estava lendo os nomes dos que não pagaram o dízimo este ano...

DOIS ESTÔMAGOS – Um homem, muito bom de garfo e gordalhão, foi queixar-se com o famoso naturista Monsenhor Kneipp que estava sofrendo do estômago e outras complicações no aparelho digestivo. Que remédio receitaria? Respondeu o padre:
- O senhor está precisando de dois estômagos. – Dizem que o padre, muito franco usou outro vocábulo: Estava precisando de dois... “escapamentos”.

É PARA O VELÓRIO – A vovó está de cama, quase nas últimas. A neta cuida dela e da casa. Chega uma visita. Sente o cheiro de biscoito assando etc. / Hum! Que cheirinho gostoso, menina! / Psiu! É para o velório da vovó.

EGOÍSMO – Vendo o menino avançar no doce com sofreguidão, a mãe pergunta:- Não pensou na sua irmã ao comer esse doce? - Pensei o tempo todo, mamãe. Estava com medo que ela chegasse antes de eu comer tudo.

RELIGIÃO TAMBÉM SE APRENDE! POR QUEM OS SINOS DOBRAM?


PADRE HÉLIO DE PESSATO LIBÁRDI CSsR

Podemos chorar os mortos?

Em cada pessoa que morre, nós morremos um pouco. É como se algo fosse destruído em nós. E quando se trata de parente a aceitação se torna penosa e difícil diante da sensação de perda, de separação para sempre.

A necessidade de estar perto, de manter contato, de não se separar, levou sempre as pessoas a cultuarem seus mortos sob as mais diversas formas, até mesmo formas provocadas pelo receio de que os espíritos dos mortos fossem capazes de fazer o mal. À medida que a humanidade vai-se inculturando e aculturando, modifica-se esse culto, mas permanece sempre o mistério da dor, a necessidade de comunhão com eles, o respeito pelos que nos precederam.

Nenhuma literatura vai modificar esses sentimentos. Na fé buscamos algo que nos console, que nos dê outra visão dessa realidade. E a fé nos ensina que assim como Deus ressuscitou Jesus ressuscitará também nosso ser querido para a vida com ele. A nós não nos cabe julgar se alguém mereceu ou não. Assim à medida que essa fé nos ajuda, começa em nós a esperança da vida futura.

Essa mesma fé nos ensina que a memória dos mortos deve ser respeitada; ensina-nos o respeito aos corpos dos vivos e dos mortos que são e foram templos da Santíssima Trindade. Esse respeito nos leva a rezar por eles, colocá-los em nossas missas, visitar o lugar onde os enterramos, guardar certas lembranças evocativas.

O que nos impressiona é o descontrole em que caem as pessoas em relação aos mortos. O despreparo para enfrentar com mais tranqüilidade essa hora, as crises de desespero como se tudo isso fizesse a história retroceder um minuto, as revoltas contra Deus, que passa a ser o único culpado dessa tragédia.

O que falar dos exageros em construir mausoléus, construções caras, enterros suntuosos, serviços funerários sofisticados. Precisaríamos andar nem tanto ao mar nem tanto à terra. Uma boa dose de bom senso faria muito bem.

Mas no fundo, para quem não tem fé, isso deve ser a continuação da ostentação em que viveu o morto e vivem os familiares, continuação da vaidade. Para outros é um modo de tranqüilizar a própria consciência dizendo: “Fizemos um enterro que ele merecia”. Para outros pode ser sinal de respeito à pessoa humana.

Deveríamos colocar os pés no chão e refletir para evitar exageros que para quem morre pouco significam. Valem muito mais as orações, a esmola, a caridade, do que os maços de flores que secam sob um sol ardente em cima dos túmulos. Infelizmente estamos transformando esse momento difícil em uma verdadeira indústria rendosa.


Do LIvro:
RELIGIÃO TAMBÉM SE APRENDE - VOLUME 3
EDITORA SANTUÁRIO
Pe. Hélio Libardi, C.Ss.R.
http://www.redemptor.com.br

Padre Walmir responde em 07/12/09

PADRE WALMIR GARCIA DOS SANTOS CSsR

Helena: O que é indulgência?
Na teologia católica Indulgência (do latim indulgentia, que provém de indulgeo, "para ser gentil") é o perdão total ou parcial das penas temporais do cristão devidas a Deus pelos pecados cometidos, mas já perdoados pelo sacramento da Confissão, na vida terrena, pois acredita-se que o perdão obtido pela confissão não significa a eliminação das penas temporais, ou seja, do mal causado como conseqüência do pecado já perdoado, necessitando por isso de obter indulgências e praticar as boas obras, a fim de reparar o mal que teria sido cometido pelo pecado.

Maria Naura: Eu tenho um filho de 36 anos que é alcoolatra. O que devo fazer?
O alcoolismo é uma doença que precisa de um tratamento sério, de acompanhamento médico. Em primeiro lugar você deve ajudá-lo a reconhecer que está doente, porque geralmente o alcoolatra na admite ser um doente que precisa de ajuda. Se ele aceitar o tratamento encaminhe, procure um médico psiquiatra para proceder o tratamento do alccolismo.

Luiz: Minha filha é a segunda esposa do marido dela. Eles separaram e a que construiram juntos está no nome do pai dele. Eu nunca apoiei a separação deles, mas dessa vez eu estou do lado dela. Padre, estou correta em apoiá-la em relação a separação?
A união dos dois não é uma união lícita, já começou errada. Eles estão separados por falta de amor? Se for está correta em apoiar, pois não podemos apoiar uma união sem amor. Só se justifica um casal estar unido se houver amor entre os dois, se não houver não tem porque viverem juntos, é viver a infelicidade.

Adarc: Há três anos eu convivo com uma pessoa, não somos casados no religioso. Só podemos comungar depois de casarmos? A filha dele disse que estamos em pecado com Deus, depois disso ele ficou desmotivado, só quer assistir a missa pela TV.
Olhe minha filha, de fato vocês estão vivendo um vida irregular, se podem casar, porque não o fazem? Só se houver algum impedimento, se um dos dois ainda está casado com outra pessoa. Se vocês dois estiverem desimpedidos, procurem a Igreja para legalizarem a união de vocês. Quanto a comunhão, vocês devem procurar a Igreja para resolverem isso. Motive seu esposo a participar da Igreja, não o deixe desanimar.

Nao identificada: Moro numa currutela onde só tem uma capela e o padre da região vem apenas de 15 em 15 dias. Como podemos fazer para termos um pároco aqui constantemente? Gostaríamos que algum padre mudasse para nossa comunidade.
Como você mesma disse, você mora numa currutela, pelo que entendi é um lugar bem pequeno. É muito difícil ter um padre exclusivo num lugar pequeno, mas se ele vai quinzenalmente já é um bom sinal, isso porque ele atende uma região maior. Agora a comunidade deve se organizar para fazer suas celebrações sem o padre, não fiquem presas somente ao padre, é bom promover lideranças que continuem aninamndo a comunidade. Organizem reuniões de terço em familia, estudo bíblico, orações na própria capela, isso é muito bom, não fiquem dependentes só do padre.

Hugo Ramos: A missa aos domingos é obrigatória? Poderiam ter estipulado um outro dia qualquer? Como se fosse a de domingo?
Em primeiro lugar quero dizer que nada é obrigatório! Se você for a missa porque é obrigado eu aconselho a não ir. A missa é uma celebração de ação de graças a Deus pelos benefícios que Ele nos concede. É preciso ser agradecido a Ele, por tantas bênçãos! O domingo é o dia especial de participar da missa, pois domingo significa dia do Senhor! É o dia consagrado ao culto a Deus, mas você pode ir em outros dias também. Missa é missa em qualquer dia da semana, mas o domingo é mais importante.

Julia Priscila: O acontece com a alma das crianças que morrem sem serem batizadas?
Eu creio na ressurreição e na vida eterna que Deus preparou para todos os seus filhos amados. Não creio que Deus seria tão severo de não acolher a vida de criancinhas que morrem ser ser batizadas. Todos somos filhos e filhas de Deus. Criança não tem pecado, logo está em Deus. O Batismo é a inserção da criança na comunidade Igreja. Claro que devemos batizar, mas não por obrigação, mas por fé.

Neusa Andrade: A gente vive falando de céu, de inferno, quem vai pra onde, afinal? O céu seria um lugar como o lugar mais lindo do nosso planeta? Os bons se encontram com Deus quando morrem?
Essa é uma grande preocupação de muitos, para onde vamos depois da morte? Precisamos ter mais confiança na Palavra de Deus. Jesus nos evangelhos por várias vezes nos dá a certeza da ressurreição, isso para aquele que são fiéis aos seus ensinamentos. Se somos bons, honestos, justos, sinceros, solidários, caridosos, o nosso fim último é o céu, que não é um lugar mais bonito do planeta, mas sim um estado de espírito. Céu e inferno não são lugares físicos, mas estado de vida espiritual. Ou somos céu, ou somos inferno, depende da opção que fizermos aqui, enquanto vivemos neste mundo. Não fique preocupada se nos encontraremos ou não, mas procure fazer o bem, isso é o que importa.

Adarimar Lopes: Como é que se escuta Deus?
Tem muitos modos de escutar Deus: lendo e refletindo a Bíblia (Palavra de Deus); observando com olhar de fé a dor de nosso povo; participando dos sacramentos; orando com fé e confiança, não só falando, mas silenciando na oração; vendo a fé que move as pessoas; fazendo caridade, enfim, como disse tem muitos modos de escutar Deus, e cada um deve procurar a melhor forma de fazer isso. Tente.

Tunízia Bonfim: Em Mt 18, 17 diz: “ Se não ouvir a Igreja, seja considerado ímpio”. Afinal é mais importante ouvir a Igreja ou a Bíblia?
Minha cara amiga, ouvir a Igreja é ouvir a Bíblia. A Igreja fala do que está na Bíblia, ou daquilo que ela ensina. Na passagem que você menciona, Jesus está nos ensinando a nos corrigir fraternalmente. Ele diz que se alguém está vivendo de modo errado é preciso ajudar. Tente primeiro sozinho, se a pessoa não ouvir, chame outra para ser testemunha, se ainda assim não ouvir, chame a comunidade (Igreja), se mesmo assim a pessoa não se corrigir seja considerada ímpia, ou seja, infiel, fora do contexto da comunidade. Este é um ensinamento Bíblico.

Lourdes Maria: De vez em quando costumo sonhar com fatos que, mais cedo ou mais tarde acabam acontecendo. Isso é uma espécie de adivinhação? Adivinhação é um dom de Deus? Um dom profético?
Primeiro, adivinhação não é dom de Deus e muito menos profético. Eu não acredito em adivinhações. Sonho é sonho, não tem muito a ver com a realidade. Muitas coisas que sonhamos e se realizam porque sonhamos com possibilidades. Nao fique impressionada com os sonhos, certo?

Dora Helena: Há momentos na vida em que não sabemos quando agir e quando esperar, principalmente em momentos difíceis. O que fazer?
Por isso Jesus fala tanto da vigilância, da prudência, da esperança. Precisamos saber discernir, à luz do Espírito Santo sobre como agir nas horas difíceis, como também nas horas de alegria. Você pergunta sobre o que fazer: eu aconselho a rezar, pedindo as luzes do Espírito, sempre que tiver que tomara alguma decisão, ou tiver que agir. Peça com fé, que certamente Ele dará a você palavras acertadas para o momento oportuno, ou inspirará você a silenciar na hora certa. Reze, mas com confiança.

Élida Augusta: Na semana passada, o Humberto fez uma pesquisa sobre a inveja. Eu quero a sua opinião sobre esse assunto. O senhor acha que a inveja é uma doença do caráter da pessoa ou falta de capacidade para perceber os próprios talentos?
A inveja é desgosto ou pesar pelo bem ou felicidade dos outros, é o desejo violento de possuir um bem alheio. Como vê, pela definição que a inveja é um mal terrível, a Igreja diz que é um pecado gravíssimo. Não é doença, mas sim falta de entendimento, falta de percepção da própria força e dos próprios dons. Esse tipo de mal precisamos combater, precisamos nos educar para a superação deste mal. Ao invés de ter inveja, lute, tente, conquiste a vida e os bens que podemos ter e mais ainda, conquiste não só o TER, mas também o SER.

Quem se casa na Igreja, passa por toda uma preparação, cursos, grupos e encontros e, quando precisa colocar em prática, muitos não conseguem. Como nos preparar para um bom casamento?
Começo respondendo que se curso desse educação para as pessoas, os doutores, formadores e estudados seriam os mais educados e aqueles que mais viveriam a felicidade. Não são encontros e cursos que nos preparam, eles ajudam, são instrumentos, mas o que nos prepara para o vida é a acolhimento, de coração aberto, dos valores que nos são passados. Para o matrimonio, o que nos ajuda é, em primeiro lugar, ter a certeza de que o casal se ama de verdade e estão dispostos a construir juntos uma vida. Onde não há amor, mas há interesse, ou outra coisa parecida, não haverá curso preparatório que dê a garantia da felicidade. Só o amor prepara bem as pessoas para uma vida conjugal.

http://www.matrizdecampinas.org.br/blog-dos-padres

“Somos Igreja”

Pe. Luiz Carlos de Oliveira - Redentorista

Corresponsabilide batismal

Celebramos a festa de Pedro e Paulo. Estes dois apóstolos são colunas da Igreja. São dois homens, duas espadas afiadas, que puderam abrir tantos corações para Cristo. São dois tipos diferentes, mas que se bateram pela mesma missão, e bateram-se entre si (Gl 2,11.14), para purificar o caminho da fé. Souberam trabalhar juntos, mesmo sendo diferentes, como diz Paulo: “Estenderam a mão, a mim e a Barnabé” (Gl 2,9). No grupo apostólico temos, em Tiago, outra grande figura. Homem de fé. Era conservador, mas sábio. Soube discernir o bem da Igreja. Estes homens usaram seus dons pessoais, apesar de seus defeitos. Não podemos querer uma Igreja sem defeitos, pois é também humana. A vida cristã tem o suporte humano. Jesus reza: “Não peço que os tire do mundo, mas que os salve do maligno” (Jo 17,15). Jesus é Homem-Deus. Tudo de homem, tudo de Deus! Por isso, assumir o batismo é colocar-se a serviço dos outros com nossos dons humanos. Procurar desonvolver as virtudes espirituais, sem crescer humanamente, não só é um prejuizo, como falta de senso. Os dons humanos são santificados pelo Espírito que habita em nós. Os santos souberam usar o próprio “jeito” de ser, a serviço do Evangelho. Neste “jeito” estão presentes nosso temperamento, nossas paixões (se domesticadas, são de enorme valia), nossas qualidades, nossas tendências etc... Nem todos fazem a mesma coisa. Por isso, para assumir o batismo, é preciso colocar tudo a serviço de Cristo na Igreja. Cada santo tem um tipo de ser, porque colocou sua vida e seus dons a serviço da vida e da fé. A corresponsabilidade batismal é usar nossos dons a serviço do Corpo de Cristo.

Apóstolo de mãos sujas.

Trabalhando no “Cotolengo” de Trindade-GO, em 1976, durante a bela festa do Divino Pai Eterno, impressiou-me ver as Irmãs que cuidavam dos doentes, muito especiais. O branco hábito estava sempre com as manchas do permanente contato com os pacientes que as tocavam. Não estavam sujas, estavam manchadas pelo amor que dedicavam aos pacientes. A barra era pesada. Ficou-me a bela imagem de quem se compromete. Diante disso, reflito que o apóstolo, todo o batizado, deve sujar as mãos porque se compromete. Comprometer-se com a verdade do Evangelho pode nos sujar. O próprio Jesus foi emporcalhado, cuspido, porque fez a opção de assumir a vontade do Pai e dedicar-se aos pequeninos. Podemos nos sujar quando nos comprometemos com a comunidade e suas dificuldades. Podemos nos sujar quando nos comprometemos com as pessoas. Ficar do lado do problemático, do sofredor, do culpado, não os abandonando para não ser envolvido, é seguir a atitude de Jesus. Podemos nos sujar, se passarmos para o seu lado nas suas situações difíceis, tomando partido dos fracos.

Não sufocar o Espírito

Não se pode separar o espiritual do humano, como dizemos: ‘Na igreja e na religião é uma coisa; na vida, outra’. Em Cristo, a unidade do divino e humano era total. O Espírito nos impele, sempre mais, a assumir esta vida de Cristo, com todas as consequências. O Espírito ora dentro de nós, mas também é um fogo que nos estimula a produzir as obras de Cristo, em favor dos enfraquecidos e de todas as situações que Deus quer restaurar. Não podemos fugir de suas inspirações. Tendo o Coração de Jesus, teremos seus sentimentos de misericórdia. Por isso, seremos julgados pela nossa moleza e inércia diante de tanto sofrimento que existe no mundo. Comprometer-se é responder ao Espírito e realizar nosso batismo.

http://www.ceresp.com.br/723.htm
Julho - 2008

MINHA ORAÇÃO DE HOJE - DEUS EM MINHA CASA

PADRE FLÁVIO CAVALCA DE CASTRO CSsR

Oração da manhã para todos os dias

Senhor meu Deus, mais um dia está começando. Agradeço a vida que se renova para mim, os trabalhos que me esperam, as alegrias e também os pequenos dissabores que nunca faltam. Que tudo quanto viverei hoje sirva para me aproximar de vós e dos que estão ao meu redor.
Creio em vós, Senhor. Eu vos amo e tudo espero de vossa bondade.
Fazei de mim uma bênção para todos que eu encontrar. Amém.

As reflexões seguintes supõem que você antes leu o texto evangélico indicado.
30 de janeiro de 2010

SANTA JACINTA, RELIGIOSA


Evangelho (Mc 4,35-41) “Começou uma ventania muito forte e as ondas se lançavam dentro da barca, que já começava a se encher. Jesus estava na popa, dormindo sobre um travesseiro.”

Não foi de repente que os discípulos chegaram a acreditar que Jesus é o Filho de Deus, e não apenas um mestre ou profeta. Antes ainda das aparições depois da ressurreição, eles viram e ouviram coisas que os perturbavam. Como esse episódio durante a tempestade no lago. A atitude de Jesus, sua tranquilidade e o poder que demonstrava obrigaram-nos a se perguntar quem seria aquele homem.

Oração
Senhor, em minha vida não há fatos assim extraordinários. Mas, se eu prestasse um pouco mais de atenção, iria perceber vossa mão em muitas circunstâncias. Creio em vós, creio que cuidais de mim, e tudo dirigis para o meu bem. Abri meus olhos, para que saiba perceber os sinais de vosso poder e de vossa bondade. Que eu saiba que me guardais, mesmo se pareceis estar dormindo. Amém.

P A R A B É N S



LUIS ANTÔNIO CÂNDIDO (1970) de Itú - SP comemorando mais um ano de vida...

A família Uneser lhe deseja muitas felicidades e saúde!

Que a alegria deste dia se renove por toda sua vida!

Um forte abraço!

29 de janeiro de 2010

LEMBRANDO POR UMA LEMBRANÇA!


No próximo domingo, dia 31 de janeiro, às 18 horas, nesse altar será celebrada a usual missa do dia do Senhor...
Será missa de valor idêntico àquela celebrada na ermida da aldeia pobre....
Mas para nós, que um dia convivemos fisicamente no interior das paredes do seminário redentorista de Santo Afonso vai ter uma motivação especial...
Um motivo que nos leva a ligar nossos aparelhos de TV, elétrica, tela plana, plasma, LCD, se não nos for possível estar presente no santuário e compartilhar orações de amor e agradecimento...
Amor ao Pai e à Santa Mãe de Aparecida que sempre estiveram nas intenções das pessoas que buscam perseverar no bem....
A TV Aparecida pode ser acessada pela Internet no site http://www.tvaparecida.com.br/atv.php e na TV pelo canal 36, na cidade de São Paulo e no mesmo site, o canal correspondente a cada cidade onde essa rede religiosa alcança: http://www.tvaparecida.com.br/cobertura_sinal.php...
Ah!Sim! Vamos ao assunto que nos interessa especificamente....
12 Religiosos redentoristas, padres e irmão, comemoram data de consagração que os torna jubilares do momento...
Dentre eles estão alguns que viveram muito próximo e outros que agora estamos conhecendo, como os irmãos que, apesar de distantes, tudo têm a ver conosco neste ambiente redentorista...
Assim, sugiro a todos que tentem acompanhar de alguma forma essa celebração jubilar, que com certeza irá nos lembrar uma lembrança daqueles que recebem o amor na perseverança e a quem devemos agradecimentos...
JUBILARES
PADRE RONALDO OLIVEIRA CSsR = 25 ANOS
IRMÃO MÁRIO ANDRÉ DE OLIVEIRA CSsR = 25 ANOS
PADRE CARLOS ARTUR ANNUNCIAÇÃO CSsR = 40 ANOS
PADRE CASILDO RIBEIRO DA MOTA CSsR = 40 ANOS
PADRE JOSÉ BERTANHA CSsR = 50 ANOS
PADRE ARQUIMEDES ZULIAN CSsR = 60 ANOS
PADRE CRISTIANO JOORSTEN CSsR = 60 ANOS
PADRE FRANCISCO DE PAULA MENDES PEIXOTO CSsR = 60 ANOS
PADRE HILTON FURLANI CSsR = 60 ANOS
PADRE VITOR HUGO SILVEIRA LAPENTA CSsR = 60 ANOS
PADRE ARLINDO SANTIAGO AMPARADO CSsR = 65 ANOS
PADRE JOSÉ OSCAR BRANDÃO CSsR= 65 ANOS
Conhecem esses bons operários de Deus?
Então vamos acompanhar sua festa religiosa no domingo que acontece às 18 horas...lembrando uma feliz lembrança!
Antônio Ierárdi Neto

SANTOS DO DIA 29 DE JANEIRO

S. Constâncio, bispo, mártir, + 178


Notável pelo espírito de mortificação e generosidade para com os pobres, aos 30 anos foi eleito bispo de Perúgia. Não querendo sacrificar aos ídolos, foi posto numas termas aquecidas a alta temperatura, mas nada lhe aconteceu. Na prisão, converteu os seus carcereiros. Foi finalmente decapitado.

São José Freinademetz, presbítero, fundador, +1908


Giuseppe (José) Freinademetz nasceu a 15 de abril de 1852, em Oies, um povoado de cinco casas entre os Alpes dolomitas do norte da Itália. Baptizado no mesmo dia do nascimento, herdou da família uma fé simples, porém tenaz e uma grande capacidade de trabalho.
Quando ainda cursava seus estudos teológicos, começou a pensar seriamente nas "missões estrangeiras" como uma possibilidade para a sua vida. Ordenado sacerdote em 25 de julho de 1875, foi destinado à comunidade de São Martino di Badia, bem perto de sua terra natal, onde logo conquistou o coração de seus conterrâneos. Entretanto, a inquietação missionária não o havia abandonado. Apenas dois anos depois de sua ordenação, pôs-se em contacto com padre Arnaldo Janssen, fundador da casa missionária que logo se converteria oficialmente na "Sociedade do Verbo Divino".
Em 2 de março de 1879 recebeu a cruz missionária e partiu rumo à China, junto com outro missionário verbita, padre João Batista Anzer. Foram anos duros, marcados por viagens longas e difíceis, sujeitas a assaltos de bandoleiros, e por árduo trabalho para formar as primeiras comunidades cristãs. Assim que conseguia formar uma comunidade, chegava a ordem do bispo para deixar tudo e recomeçar em outro lugar.
Toda sua vida esteve marcada pelo esforço de fazer-se chinês entre os chineses, a ponto de escrever aos seus familiares: "Amo a China e aos chineses; entre eles quero morrer, entre eles quero ser sepultado".
Cada vez que o bispo tinha que viajar fora da China, Freinademetz devia assumir a administração da diocese. No final de 1907, enquanto administrava a diocese pela sexta vez, surgiu uma epidemia de tifo. José, como bom pastor, prestou assistência incansável aos enfermos, até que ele próprio contraiu a doença. Voltou imediatamente a Taikia, sede da diocese, onde morreu em 28 de janeiro de 1908. Ali mesmo o sepultaram, sob a décima segunda estação da Via Sacra do cemitério e a sua tumba logo se transformou em um ponto de referência e peregrinação para os cristãos.
Freinademetz soube descobrir e amar profundamente a grandeza da cultura do povo ao qual havia sido enviado. Dedicou sua vida a anunciar o Evangelho, mensagem do amor de Deus à humanidade e a encarnar esse amor na comunhão das comunidades cristãs chinesas. Entusiasmou muitos chineses para que fossem missionários de seus compatriotas como catequistas, religiosos, religiosas e sacerdotes. Sua vida inteira foi expressão do que foi seu lema: "O idioma que todos entendem é o amor".

SÃO VALÉRIO

Uma tradição muito antiga nos conta que o bispo de Treviri, chamado Valério, foi discípulo do apóstolo Pedro. Este o teria consagrado bispo e enviado para evangelizar a população da Alemanha. Mas, isto não ocorreu, São Pedro testemunhou a fé pelo menos dois séculos antes.
Entretanto, Valério realmente foi o bispo de Treviri e prestou um relevante trabalho de evangelização para a Igreja de Roma. Primeiro auxiliando Eucario, que foi o primeiro bispo desta diocese e depois colaborando com Materno, seu contemporâneo; os quais foram incluídos no Livro dos Santos, como grandes apóstolos da Alemanha.
Nos registros posteriores, revistos pelo Vaticano no final do primeiro milênio, onde foram narrados os motivos da santidade dos religiosos até então, encontramos o seguinte, sobre Valério: "converteu multidões de pagãos e operou milagres singelos e expressivos". Talvez o mais significativo, tenha sido quando Valério, trouxe de volta a vida do companheiro Materno com o simples toque do seu bastão episcopal. Depois, o outro companheiro de missão, que já havia falecido, Eucario, o teria avisado em sonho que no dia 29 de janeiro ele seria recebido no Reino de Deus. Valério morreu neste dia de um ano ignorado, no início do século IV.
A fama de sua santidade aumentou com a sua morte e os devotos procuravam a sua sepultura para agradecer ou pedir a sua intercessão. O culto se intensificou com a construção de muitas igrejas dedicadas a São Valério, principalmente entre os povos de língua germânica. Muitas cidades o elegeram como seu padroeiro. As suas relíquias, conservadas numa urna de prata, se encontram na basílica de São Matias, na cidade de Treviri, atualmente chamada de Tries, na Alemanha. A festa litúrgica ocorre no dia de sua morte.

São Gildas (c. 494 ou 516—c. 570) foi um membro proeminente da igreja celta cristã na Grã-Bretanha, cuja afamada sabedoria e estilo literário granjearam-lhe a designação de Gildas Sapiens (Gildas, o Sábio). Foi ordenado pela Igreja e em suas obras favoreceu o ideal monástico. Fragmentos das cartas que escreveu revelam que ele compôs uma Regra para a vida monástica que era um pouco menos austera do que a Regra escrita por seu contemporâneo, São Davi, e estebeleceu penitências adequadas para os casos em que fosse desrespeitada(Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre).

DO SITE DO PE.PELÁGIO....(PE.CLÓVIS CSsR)

29 DE JANEIRO – SANTO DO DIA


SEVERO ATÉ NO NOME

São Sulpício Severo é do século VI. Pertencia à nobreza da Aquitânia. Ocupava uma alta posição na corte do rei Gontrano, quando morreu Remígio, bispo de Bourges. Naquele momento a cidade estava numa situação calamitosa por causa de um incêndio que a tinha devastado. Foi nomeado bispo pois como bom administrador, poderia restabelecer a ordem.

Foi logo ordenado padre e abandonou seus altos encargos civis.
É provável que não fosse casado, ao contrário de muitos de seus contemporâneos, que tinham de deixar a família quando sagrados bispos. Feito bispo, dedicou-se totalmente à Igreja. Era muito firme, prudente e vigoroso também nos negócios temporais e severo consigo mesmo.

Várias vezes teve de resistir aos reis, principalmente por questões de elevação de impostos. Certamente o seu prestígio pessoal era muito grande. Além de advogado, foi escritor também. São Gregório de Tours elogiou sua sabedoria, seu zelo pastoral e empenho na implantação da ordem.

PADRE CLÓVIS DE JESUS BOVO CSsR
http://www.boletimpadrepelagio.org

AINDA DO SITE DO PE.PELÁGIO CSsR

PADRE CLÓVIS DE JESUS BOVO CSsR

ALUNO IMPACIENTE

Um menino estava iniciando o estudo de música, quando foi pedir ao famoso compositor Mozart:
— O senhor pode ensinar-me a compor uma sinfonia?
— Aconselho você a seguir, primeiro, as lições do seu método de música. É bom aprender uma lição depois da outra.
— O senhor não escrevia sinfonias quando tinha a minha idade?
— Sim, mas não precisei perguntar a ninguém como se fazia.

Quem pula etapas no estudo de alguma coisa, aprende mal e com dificuldade.

Sede imitadores daqueles que, pela fé e paciência, fizeram-se herdeiros da promessa (Hb 6,12).

RELIGIÃO TAMBÉM SE APRENDE! ORTOTANASIA


PADRE HÉLIO DE PESSATO LIBÁRDI CSsR

Como ajudar quem está para morrer?

Por ortotanásia entendemos a realização e o respeito a dois valores éticos do morrer: respeito à vida humana e direito de morrer dignamente. A morte é o último acontecimento importante da vida humana, não podemos privar o ser humano de assumir esse momento de uma maneira digna e respeitosa.

Isso significa que devamos usar os recursos ordinários na medicina sem, contudo, nos esquecermos de que é importante dar atenção aos aspectos humanos de uma assistência, criando um clima de confiança, de calor humano ao redor do doente. Ele não pode experimentar a angústia da solidão nessa hora.

Faz parte dessa assistência a presença religiosa, a fé constitui uma ajuda muito grande para se poder vencer o medo da morte e as várias tensões que se criam dentro de cada um.

Nenhum remédio pode tirar a possibilidade de o doente assumir a própria morte. Além disso deve-se respeitar o direito do doente de escolher se enfrenta essa hora com dor ou sem dor. Morrer é a última ação do ser humano. Como se pode tirar dele o direito de decisão?

A sociedade hoje procura esconder a morte e suas conseqüências. Tudo é feito para minimizar esse acontecimento. Nós entramos nessa onda e tentamos também disfarçar as situações críticas para que o doente não perceba. O importante é não iludir o doente, é ser desumano dar esperança a quem já não a tem. Todos devíamos preparar-nos para ajudar a pessoa a aceitar com serenidade a morte como um passo para a vida nova com Deus. Aceitar não porque Deus quer, mas porque a natureza já dá sinais visíveis de que não consegue reter a vida.

Como se trata de um momento difícil, vejo aqui a importância dos ministros dos enfermos, das visitas aos doentes levando a eles a confiança, a esperança e a conformidade. Como nos sentimos mal diante do que fazem alguns familiares que se atiram no desespero e se desmancham em crises histéricas piorando ainda mais a situação já custosa. Culpam a Deus, aos médicos, à medicina. Aquilo que devia ser uma aposta pela vida, uma vez que a existência terrena não é definitiva, acaba em cenas de desespero absurdo.

Hoje é difícil morrer, porque tudo nos impede de chegar a uma reflexão sadia, séria e condizente com essa hora. A sociedade oculta a morte, mas ela existe ao nosso redor. Jesus se comove diante da morte e dá sua vida para que outros possam viver plenamente. Ele aceita sua morte, apesar da angústia e do medo. No alto da cruz nos dá a última lição: “Pai, em vossas mãos entrego meu espírito”.

Hoje podemos serenamente dizer: Jesus nos ensina a viver e nos ensina a morrer. Oxalá rezássemos todos os dias: “Senhor, dai a cada um sua própria morte”.

Do Livro:
RELIGIÃO TAMBÉM SE APRENDE - VOLUME 3
EDITORA SANTUÁRIO
Pe. Hélio Libardi, C.Ss.R.
http://www.redemptor.com.br

Padre Walmir responde em 30/11/09

PADRE WALMIR GARCIA DOS SANTOS CSsR

Janete Lopes: Eu gostaria de ouvir com suas palavras sobre a conversão de Zaqueu. Como ele, o senhor acha que qualquer pessoa pode se transformar para o bem um dia?
Eu acredito que as pessoas que possuem equilíbrio mental, não têm desvios graves podem sempre se transformar, só não tem jeito quem é comprometido com doenças (psiquiátricas) graves sem possibilidade de cura. Zaqueu era um homem aberto, não se fechou em si mesmo, mas procurou conhecer Jesus, isso é um passo para a conversão, procurar. Sem procura não o encontramos, pois Ele não se impõe. Depois que Zaqueu procurou e encontrou, ele o acolheu em sua casa e sentiu que precisava fazer alguma coisa para provar sua mudança. É assim o processo de conversão, procurar e abrir-se à graça que Deus nos propõe.

Rita de Cássia: Como surgiu a confissão?
A Instituição do Sacramento da Penitência:
Na tarde do dia da Ressurreição, apareceu Jesus aos Apóstolos e lhes disse: “A paz esteja convosco! Como o Pai me enviou, assim envio-vos eu. Depois destas palavras soprou sobre eles e disse: Recebei o Espírito Santo. A quem perdoares os pecados, lhes serão perdoados, e a quem os retiverdes, lhes serão retidos” (Evangelho de São João, Cap. XX, 19-23).
Jesus Cristo, no seu amor, vem em auxílio do pecador por meio de um Sacramento especial. Durante sua vida terrena, perdoou aos pecadores arrependidos, e na Cruz expiou a culpa de toda a humanidade. No dia da sua Ressurreição, deu aos Apóstolos e aos seus sucessores no sacerdócio, o poder de perdoar os pecados em seu nome. Instituiu assim o Sacramento da Confissão ou Penitência e o confiou à sua Igreja.

Rebeca Sales: O catolicismo é a religião mais antiga do mundo?
Em primeiro lugar gostaria de esclarecer uma coisa: não podemos confundir religião com Igreja. A religião que professamos na Igreja católica e nas demais igrejas cristãs é o Cristianismo. Católica é uma Igreja, a nossa religião é Cristã, ou Cristianismo. Quando uma pessoa muda de Igreja, por exemplo, sai do protestantismo e passa para o catolicismo e vice versa, não mudou de religião, mas sim mudou de Igreja.
O Cristianismo não é a religião mais antiga do mundo, pelo contrário é uma das mais novas, das grandes religiões existentes. Existem religiões mais antigas, por exemplo, o Judaísmo, o Xintoísmo, o Budismo e muitas outras religiões são bem mais antigas do que o cristianismo.

Edinilsa Bernardes: Quando José saiu com Nossa Senhora procurando abrigo seguro onde Jesus pudesse nascer, ninguém queria lhes abrir as portas. O senhor acha que, de certa forma, isso ainda acontece nos dias de hoje?
Eu tenho certeza de que isso acontece e muito nos dias de hoje. Um dos grandes males da humanidade sempre foi a falta de acolhimento e isso está se agravando dia a dia, por causa do egoísmo, da ambição, da falta de sensibilidade e solidariedade. Vivemos num mundo de crescente frieza nas relações, infelizmente Jesus ainda continua sendo recusado.

Francisca Leitão: Gostaria que falasse sobre a figueira seca (parábola).
A Parábola da figueira é uma ação simbólica de Jesus que vê em Israel (figueira) um povo sem frutos. Deus espera de nós frutos (ações do bem) em qualquer época e não só em algumas ocasiões especiais. Se não damos os frutos necessários secamos, não exercemos a nossa finalidade de cristãos.

Natalina D’Ávila: Dizem que tudo foi criado por Deus a partir do nada. No entanto a ciência também ensina que a Terra existe há bilhões de anos e que originou da explosão de algum grande sol (estrela). Afinal, em que devemos acreditar?
A ciência tem várias probabilidades sobre a origem do universo e, da terra. Umas delas é a do Big Bang (grande explosão) que deu origem ao universo. Mesmo que isso seja provado pela ciência não impede que professemos a nossa fé que foi Deus que criou tudo. De onde originou esta imensa estrela que explodiu? Certamente da força de Deus, do seu poder criador. Qualquer teoria não elimina a certeza de que foi Deus quem criou tudo. A Bíblia nos ensina, numa linguagem figurada, que Deus criou o universo do nada, do caos. Certamente que o relato bíblico não quer ser uma narração histórica de um fato, mas explicar para nós que Deus é o Criador de tudo e de todos.

Noêmia Regina: Gostaria que falasse sobre “idolatria”. E se podemos idolatrar outras coisas, diferentes de imagens.
Idolatria é quando a pessoa adora um objeto, seja qual for, considerando que aquele objeto é deus. Imagem não é o mesmo que ídolo. Chama-se ídolo: uma imagem falsa, um simulacro a que se atribui vida própria, conforme explica o profeta Habacuc (2, 18). Eis o que claramente indica Habacuc, dizendo: "Ai daquele que diz ao pau: Acorda, e a pedra muda: Desperta" (Hc 2, 19). Foi Deus ainda que ordenou a Moisés levantar uma "serpente" de metal (Nm 21, 8) e todos os que olhassem para ela seriam curados. Ora, que "olhar" é esse que confere uma cura milagrosa diante de uma estátua de metal? Temos as provas de como esse culto era já uma pré-figura do culto à Deus nas palavras de S. João, que diz que tal "serpente" era o símbolo do Cristo crucificado: "Bem como ergueu Moisés a serpente no deserto, assim cumpre que seja levantado o Filho do Homem" (Jo 3, 14).Por acaso caíram também Moisés e S. João, e até o Espírito Santo (autor da Sagrada Escritura) em crime de idolatria? É claro que não.A idolatria consistiria em achar que a divindade está em uma estátua, por exemplo. Ou seja, teríamos que colocar alimentos para as imagens, como faziam os romanos, os egípcios e os demais povos idólatras. Teríamos que achar que Deus e o santo são a mesma pessoa. No fundo, seria dizer que S. Benedito não é e nem foi S. Benedito, mas foi Deus, etc.Nunca se ouviu algum católico defendendo que o Santo era Deus! Mesmo porque isso seria cair em um panteísmo (defendido por Calvino e Lutero em algumas de suas obras). Para se dizer que os católicos adoram os santos, eles teriam que dizer que S. Benedito, por exemplo, não é S. Benedito, mas Deus.E, ainda mais difícil, os católicos teriam que afirmar que S. Benedito é a estátua, uma espécie de amuleto mágico...Nenhum católico acredita que o santo seja Deus ou que ele seja a madeira da estátua (como uma divindade). Logo, não há idolatria possível, visto que esta consiste em adorar um falso deus.

Tereza Maria: Quando Nossa Senhora morreu ela foi levada po Jesus, em corpo e alma? Nunca ouvi falar que ela tivesse sido enterrada em algum lugar.
A Assunção de Maria é crença tradicional realizada pelos cristãos católicos, ortodoxos, anglicanos, e algumas denominações protestantes que a Virgem Maria no final de sua vida foi fisicamente assunta para o céu.A Igreja Católica ensina esta crença como um dogma de que a Virgem Maria "ao concluir o curso de sua vida terrena, foi assunta em corpo e alma para a glória celestial." Isto significa que Maria foi transportada para o céu com o seu corpo e alma unidas. Esta doutrina foi dogmaticamente e infalivelmente definida pelo Papa Pio XII, em 1 de novembro de 1950, na sua Constituição Apostólica Munificentissimus Deus. A festa da assunção para o céu da Virgem Maria é celebrada como a "Solenidade da Assunção da Bem-aventurada Virgem Maria" pelos católicos, e como a Dormição por cristãos ortodoxos. Nestas denominações a Assunção de Maria é uma grande festa, normalmente comemorada no dia 15 de agosto.O Papa João Paulo II citou João 14, 3 como uma base escriturística para a compreensão do dogma da Assunção de Maria. Neste versículo, Jesus diz a seus discípulos na Última Ceia: "Depois de ir e vos preparar o lugar, voltarei e vos tomarei comigo, para que onde eu estou, vós também estejais".

Nao identificada: Num certo domingo, durante a missa o padre usou um termo que eu nao entendi e ele nao explicou direito: o que significa “intimismo religioso”?
Intimismo significa o mesmo que individualismo. Vivemos num mundo marcado pelo individualismo, pelo egoísmo, e isso pode atingir também a nossa manifestação religiosa. Viver o intimismo religioso, significa cada um querer só a sua salvação e nao se importar com o outro, nao viver em comunhão com os outros. A fé é, necessariamente comunhão com os outros. A Igreja é comunidade de amor, nao fomos criados por Deus para vivermos isolados em nós mesmos, mas para viver em comum união com os outros.

Maria Helena: O que Jesus quis dizer nesta citação: Eu te darei as chaves do reino dos céus, tudo o que ligares na terra será ligado nos céus, e tudo o que desligares na terra será desligado nos céus”?
Este termo está em Mt 16, 18-19. O termo obviamente não é literal, mais sim uma metáfora, pois a Igreja seria "as portas do Reino dos Céus", as "chaves" que Cristo confiou à Pedro seriam o poder sob a Igreja, cabendo a Pedro assim abrir ou fechar o acesso ao Reino dos Céus, por meio da Igreja. "Ligar" e "desligar" são dois termos técnicos da linguagem dos rabinos que referem-se à "proibir" e "permitir" e "condenar" ou "absolver", ou seja refere-se ao domínio disciplinar da excomunhão, e as decisões doutrinais ou jurídicas.

Dejanira Costa dos Santos: Tenho dois terços quebrados, posso jogá-los fora?
Qualquer objeto que nao cumpra a sua finalidade pode ser dispensado, pode ser jogado fora, mesmo que seja um objeto religioso e abençoado, quando se quebra ou estraga, perde a sua finalidade que é motivar para a oração. Nao podemos colocar nos objetos uma finalidade que seja a dele própria. Um objeto religioso quando perde sua função, pode tranquilamente ser jogado fora.

Maria Freira: Para casar é preciso do batistério?
Sim, é preciso ter um comporvante de que é batizado e de que é solteiro (a). Quando se casa, ou quando o padre é ordenado, é anotado no livro de batismo o casamento ou a ordenação, se exige o batistério exatamente para se comprovar que a pessoa está livre e desimpedida e, também para provar de que a pessoa é cristã.

Maria Aparecida: O católico pode dispensar um afilhado por nao ter contato com a família?
Aceitar ser madrinha ou padrinho de uma pessoa é uma questão de liberdade. Devemos ter a liberdade de aceitar ou recusar, conforme o relacionamento com a pessoa que vai ser assumida como afilhada. Nao se pode ser padrinho ou madrinha sem uma profunda comunhão com a família.

Ilton Rodrigues: Na nossa Igreja temos a orquestra sinfônica, coral infantil e adulto. Gostaria de sugerir o coral da 3ª. Idade na matriz.
Obrigado pela sugestão. Acompanhar um coral nao é coisa simples, na Igreja temos equipes de musica, que assumem voluntariamente esse ministério (serviço). Se tiver alguém que pode acompanhar um coral assim, terei o maior prazer de ceder espaço e dar apoio. Mas temos um equipe de litrugia composta por várias pessoas da 3ª. Idade, que é a equipe da missa das 18 h do domingo.

Ziza: Santa Cataria é protetora de que?
Santa Catarina de Sena, é padroeira da Europa.
Santa Catarina de Alexandria é padroeira dos trituradores, enfermeiros, filósofos, pregadores, acadêmicos, estudantes, escribas, secretários,taquigrafia,estudantes,professores, teólogos, dos jovens solteiros.

Adriano: Minha filha de 10 anos seguiu a doutrina da mãe. Há alguns finais de semana ela tem ido a Igreja comigo e demonstrou interesse. Procurei o padre da Paróquia, mas este não fez muita questão. Ela ainda não é batizada. O que devo fazer?
Em primeiro lugar é pena que o padre não tenha dado importância ao caso, infelizmente. Sobre o que fazer, primeiro, a nossa fé não pode estar baseada no humor do padre. Procure orientar sua filha e, se ela quiser coloque-a na catequese, para no futuro receber o batismo e seguir a fé católica.

http://www.matrizdecampinas.org.br/blog-dos-padres