CONSAGRAÇÃO À NOSSA SENHORA APARECIDA NA VOZ DO PADRE VITOR COELHO CSsR

Ó MARIA SANTÍSSIMA, PELOS MÉRITOS DO SENHOR JESUS CRISTO QUE EM VOSSA IMAGEM MILAGROSA DE APARECIDA ESPALHAIS INÚMEROS BENEFÍCIOS SOBRE O BRASIL, EU, EMBORA INDIGNO DE PERTENCER AO NÚMERO DOS VOSSOS SERVOS, MAS DESEJANDO PARTICIPAR DOS BENEFÍCIOS DA VOSSA MISERICÓRDIA, PROSTRADO A VOSSOS PÉS, CONSAGRO-VOS O ENTENDIMENTO, PARA QUE SEMPRE PENSE NO AMOR QUE MERECEIS. CONSAGRO-VOS A LÍNGUA, PARA QUE SEMPRE VOS LOUVE E PROPAGUE A VOSSA DEVOÇÃO.CONSAGRO-VOS O CORAÇÃO, PARA QUE, DEPOIS DE DEUS, VOS AME SOBRE TODAS AS COUSAS.RECEBEI-NOS, Ó RAINHA INCOMPARÁVEL, QUE NOSSO CRISTO CRUCIFICADO DEU-NOS POR MÃE, NO DITOSO NÚMERO DOS VOSSOS SERVOS. ACOLHEI-NOS DEBAIXO DA VOSSA PROTEÇÃO. SOCORREI-NOS EM NOSSAS NECESSIDADES ESPIRITUAIS E TEMPORAIS E, SOBRETUDO, NA HORA DA NOSSA MORTE. ABENÇOAI-NOS Ó MÃE CELESTIAL, E COM VOSSA PODEROSA INTERCESSÃO FORTALECEI-NOS EM NOSSA FRAQUEZA, A FIM DE QUE, SERVINDO-VOS FIELMENTE NESTA VIDA, POSSAMOS LOUVAR-VOS, AMAR-VOS E RENDER-VOS GRAÇAS NO CÉU, POR TODA A ETERNIDADE. ASSIM SEJA! ...PELA INTERCESSÃO DE NOSSA SENHORA APARECIDA, RAINHA E PADROEIRA DO BRASIL, A BÊNÇÃO DE DEUS ONIPOTENTE, PAI, FILHO E ESPÍRITO SANTO, DESÇA SOBRE VÓS E PERMANEÇA SEMPRE.AMÉM!
PRÓXIMOS EVENTOS (Todos estão convidados)





ÁGAPE MENSAL
11 - fevereiro - 2017


SETEMBRO - 2017
De 01 a 03 - 5º ERESER VICE PROVÍNCIA MANAUS
De 29 a 01/10 - ERESER CURITIBA

OUTUBRO - 2017

Dia 07 - ERESER NA NOVENA DE APARECIDA
Dia 21 - 11º ERESER MAIRINQUE

NOVEMBRO - 2017
De 12 a 15 - 7º ERESER PROVÍNCIA DE CAMPO GRANDE


XIII RETIRO
De 26 A 28 de janeiro de 2018
Local: Vila Santo Afonso - Pedrinha
Tema: A Espiritualidade Redentorista na Prática
Orientador: Padre Alfredo Viana Avelar, CSsR - Rio




SOM NO BLOG

QUANDO QUISER ASSISTIR ALGUM VÍDEO DO BLOG, VÁ ATÉ À "RÁDIO UNESER INTERATIVA" (caixa à direita do blog) E CLIQUE NO BOTÃO DE PAUSA (II).
APÓS ASSISTIR O VÍDEO, CLIQUE NO MESMO BOTÃO (PLAY) PARA CONTINUAR OUVINDO A RÁDIO.

31 de julho de 2009

CHICO XAVIER




CHICO XAVIER


Acabo de conhecer dois DVD’s sobre entrevistas concedidas por Francisco Cândido Xavier, o nosso Chico Xavier, ao programa PINGA FOGO da extinta TV-TUPI, respectivamente em 28 de julho e 21 de dezembro de 1971.
Em ambos os programas, que tiveram em sua totalidade cerca de 8 horas, houve respostas precisas e imediatas ao grupo de profissionais, jornalistas, radialistas, políticos, autores e cientistas, além de membros do público presente.
Houve sempre da parte de Chico Xavier em suas repostas a constante preocupação de repassar às pessoas presentes e telespectadores o verdadeiro sentido do amor, do afeto, da fraternidade cristã.
Enquanto ele se denominava “sub-verme” ou “criatura microscópica” respondia às perguntas declarando-se contra o aborto, ao mostrar um fato de mulher que em uma vida abortara por diversas vezes e, que retornara em outra vida, estéril com o enorme desejo de procriar.
Mostrou ser a favor do divórcio, para resolver os sérios problemas das mulheres causados pelo desquite que entendia ser um belíssimo carro, mas sem o motor. Pediu ao papa que olhasse para esse lado que já naquela época afetava milhares de casais.
Demonstrou ser contra a pena de morte, conferindo a todas as pessoas o reconhecimento de sua condição humana: “Que ninguém morra em nome da justiça!”
Mas em todas suas manifestações houve sempre como base o amor ao próximo: “ O bem essencialmente é o bem dos outros. O bem dos outros é sempre o nosso bem”
Esclareceu o verdadeiro sentido do amor: “O amor, vindo de Deus, é livre, mas no sexo deve ser sempre responsável.”
Enfim, confirma o próprio sacramento da Penitência quando diz: “Deus nos permite errar para podermos aprender!”
Sempre tive um pensamento interessante : Madre Tereza de Calcutá e Chico Xavier tiveram espíritos idênticos!
E, ao encerrar, pergunto:
Se Chico Xavier fosse declaradamente um praticante católico, teria hoje seu processo de canonização?

A UNIÃO DOS EX-SEMINARISTAS DO SRSA-4



Mais uma série de 5 perguntas e respostas sobre minha situação ao sair do seminário!


6- Quais as suas reações quando chegou à família?

Passei a viver apenas com minha mãe. Ela era operária e saía diariamente para o trabalho muito cedo. Tinha algumas contas necessárias, dentre elas o aluguel de um quarto, sala e cozinha num local já um pouco afastado do centro, a vila Antonina. Minha mãe ficou aturdida com a situação, mas não se sentou. Manteve firme o seu posto e disse-me: -"Tenha muita calma, meu filho, nós levaremos nossa vida naturalmente!".Com certeza foi a melhor das recepções!


7- Na cidade onde você morava foi bem recebido pelos familiares, amigos e conhecidos?

Os familiares, amigos e conhecidos, meio atônitos, deram-me apoio total. Um dos meus tios conseguiu-me, por contato em sua empresa, meu primeiro emprego, após 5 meses.


8- Deram-lhe conselhos?

Nesse apoio que recebi, tive muitas orientações sobre o dia a dia fora do seminário, inclusive os cuidados que deveria ter em certas situações.


9- Procuraram ampará-lo moralmente, materialmente e espiritualmente nos primeiros dias e meses?

Fui uma pessoa agraciada neste sentido. Todos à minha volta deram-me acima de tudo ouvidos e , à sua maneira, mostraram-se preocupados com minha nova situação de vida. Sempre tive boas companhias!


10- Compreenderam ou procuraram compreender os seus problemas e o desajuste social em que você se sentia?

Sim, eles compreenderam a minha situação, procuraram no que lhes era possível ajudar-me, embora compartilhavam comigo das preocupações de sobrevivência, considerando que aos 19 anos de idade estava iniciando aquilo que teria de ter começado há pelo menos 5 anos atrás.

Antônio Ierárdi Neto


Meus amigos, aguardo suas impressões, não apenas sobre o que tenho escrito, mas ainda sobre sua própria história....Força!

RELIGIÃO TAMBÉM SE APRENDE - O DOM DAS LÍNGUAS-PADRE LIBÁRDI


PADRE HÉLIO DE PESSATO LIBÁRDI



Rezar em línguas é uma experiência de Deus?


Os movimentos pentecostais trouxeram à tona, entre diversas expressões de piedade, algo que existia na Comunidade primitiva e que era considerado um dom de Deus em benefício da própria comunidade: rezar em línguas.

O dom das línguas (glossolalia) é um carisma, um dom do Espírito Santo para edificação da comunidade. Na carta aos Coríntios (1Cor 14,2-28), Paulo fala desse dom e dá as orientações claras até mesmo cortando o uso desse dom, quando não há ninguém que possa interpretar. Avisa também do perigo de serem tachados como loucos, para o perigo da indisciplina, e coloca a preferência pelo dom da profecia, proclamando as maravilhas de Deus de modo inteligível.

No comentário dos padres antigos, isso parece ter desaparecido ou, pelo menos, havia certo embaraço em explicar esse dom. Parece que o abuso disso pelos hereges montanistas provocou desinteresse nos fiéis.

Entre os escritos dos grandes santos, fala-se de certa “embriaguez espiritual”, um estado de alma em que a consolação dada por Deus apodera-se de tal forma do santo, que ele passa a exprimir sua experiência mística com palavras estranhas e desconexas.

Esse fenômeno, no entanto, é próprio dos grandes místicos em seu estado de comunhão com Deus. Não faz parte da experiência comum dos fiéis orantes e que ainda não chegaram a esse estado de perfeição. É um caminho não comum para nós que lutamos dentro de uma ascese cristã. Não podemos negar que haja o dom das línguas, mas perguntamos: para que serve? As esquisitices sempre atraem um grande número de pessoas; outro tanto facilmente se identifica e se entusiasma com elas.

A maioria de nós não saiu ainda da cartilha da oração e já se julga pregando por Deus com o dom das línguas, e mais, com o dom de interpretar. É preciso muita cautela com os desequilíbrios pessoais e coletivos. Deviam passar esses fenômenos por análise de bons psicólogos e alguns psiquiatras.

Podemos dizer, com certeza, que esse dom não faz falta à Igreja nem ao processo de crescimento pessoal na vida de comunhão com Deus. Veja bem o que diz Paulo no tão cantado capítulo do dom das línguas, precisamente no versículo 19: “Mas numa assembléia prefiro dizer cinco palavras com minha inteligência, para instruir também aos outros, a dizer dez mil palavras em línguas” (1Cor 14,19).

É uma troca desproporcional, mas Paulo sabe o que fala. Às vezes quem julga ter esse dom, devia rezar a sós em sua casa.


Pe. Hélio Libardi, C.Ss.R.
http://www.redemptor.com.br
EDITORA SANTUÁRIO

GERALDO DOS SIMPLES - FIM


Reclinou a cabeça sobre o travesseiro e morreu.

O irmão sacristão foi tocar os sinos, para anunciar a morte. Nem sabe como os dobres se transformaram em toque de aleluia de ressurreição. Toque alegre de sinos, pelo vale, não de tristeza, quando muito de saudade.





Padre Flávio de Castro CSsR
http://www.redemptor.com.br


NOTA: No dia seguinte, dia 17 de outubro,à lembrança do falecimento de São Geraldo ocorrido no dia 16, podemos nos lembrar dele com mais ênfase, reunidos no sítio São Sebastião em Mairinque-SP.

SANTO INÁCIO DE LOYOLA

Dia 31 de julho comemoramos a festa de Santo Inácio de Loyola.


Ignacius de Loyola nasceu em 1491 no castelo da familia Loyola em Azpeitia na Espanha. Ele tornou-se um soldado em 1521 e foi ferido na perna durante o cerco de Pamplona. Durante o seu longo período de convalescência ele sofreu uma conversão notável e a transformação iluminada pelas leituras da vida de Cristo e da vida de vários santos fez com que ele em 1522 ficasse determinado a ser não só um cristão mas um santo.
Saindo do castelo da família ele embarcou em uma peregrinação ao Monastério Beneditino de Monsserrat. Ali ele confessou seus pecados e colocou a sua espada no altar da Virgem Maria para a qual ele se dedicou como "cavaleiro" da Virgem Maria. Vivendo por um tempo em contemplação e estudos em uma caverna, ele iniciou a escrita do seu famoso trabalho chamado "Exercícios Espirituais".
Ele deixou Manresa em 1523 e foi para Roma e de lá para Jerusalém onde ele converteu muçulmanos locais.
Os franciscanos o convenceram a voltar para Barcelona onde ele ficou 11 anos estudando em Alcalá, Salamanda e Paris.
Em março de 1534 ele recebeu o seu grau de mestrado.Durante este tempo Inácio reuniu um grupo de seguidores que fortaleceu a sua busca espiritual.
Em 15 de agosto de 1534 na capela beneditina do Monastério de Paris eles tomaram os votos de pobreza,castidade e obediência e uma especial esperança de expedições missionárias na Terra Santa. Este momento foi o nascimento da Sociedade de Jesus. Eles foram a Itália e receberam a ordenação em 1537, mas ficou logo claro que a peregrinação a Terra Santa seria impossível. Assim eles se apresentaram ao Santo Padre e ofereceram os seus serviços. O Papa Paulo III (1534-1549) imediatamente reconheceu o potencial deles e deu sua aprovação verbal para a Ordem em 1539. A aprovação formal veio em 1540 através da Bula Papal "Regimini Militantis Ecclesiae". Inacio foi eleito o primeiro Provincial Geral da Ordem da Companhia de Jesus em 22 de abril de 1541.
O resto de sua vida ele se devotou a avançar a causa da Sociedade. Ele redigiu a Constituição da Ordem em 1550 e fundou o Colégio Romano (mais tarde chamado de Universidade Gregoriana) e iniciou o Colégio Germano em Roma para preparar padres para o esforço de recuperar a Alemanha perdida ao protestantismo. Inácio foi o responsável por criar uma ordem religiosa única e a mais significativa da historia da igreja.
Os Jesuítas provaram ser uma corajosa e nova comunidade com uma devoção especial a Santa Sé, educados de forma brilhante e ampla, com especial atenção a teologia, a filosofia e a pregação missionária, eles se converteram nos melhores e mais preparados educadores e missionários da Igreja. Santo Inácio foi tambem o responsável pela implantação dos "Exercícios Espirituais", uma profunda coleção de meditações e regras, dirigidas a fortificar o desenvolvimento espiritual e a fé.
Na figura acima, a representação do momento em que Santo Inácio envia São Francisco Xavier para a Índia.


Santo Inácio de Loyola faleceu em 31 de julho de 1556 em Roma. Foi beatificado pelo Papa Paulo V em 1609 e canonizado pelo Papa Gregório XV em 22 de março de 1622. O Papa Pio XI o declarou padroeiro dos exercícios espirituais e dos retiros espirituais.


O Jesuítas hoje tem 30.000 membros, 500 universidades e colégios, e ensinam a 200.000 estudantes a cada ano.

Fonte: Cadê meu Santo

A N I V E R S Á R I O

DIÁCONO INÁCIO DE MELO MESQUITA

Comemora mais um ano de existência nosso colega Inácio.

Inácio tornou-se Diácono pela imposição das mãos de Dom Emílio Pignoli, Bispo da Diocese de Campo Limpo, na Catedral Santuário da Sagrada Família em 31 de dezembro de 2006.
Tem exercido um importante trabalho como Diácono na Diocese.

Inácio sempre presente nos eventos da Uneser
A família UNESER lhe deseja muita Luz e muita Paz no seu trabalho junto à Diocese e muitas felicidades junto à sua família.

30 de julho de 2009

NOTÍCIAS

Repasso e-mail recebido do Eurípedes Camargo (Bequinho) respondendo sobre a cirurgia a que foi submetido:



AGRADECIMENTO‏
De: Euripedes Camargo (euripedes.camargo@gmail.com)
Enviada: quinta-feira, 30 de julho de 2009 13:00:07
Para:

Querido (a) amigo (a),

PAZ E BEM!

Graças a Deus a cirurgia foi ótima. Muito demorada - 8 horas - mas, já no dia seguinte consegui movimentar o braço direito, coisa que desde o mês de outubro/2008 não fazia sem o auxílio da mão esquerda.

A cirurgia da coluna cervical (da C3 a C7) foi realizada para descomprimir a medula espinhal e liberar os nervos que estavam presos.

Agradeço as suas orações e peço-lhe continue a orar para que minha recuperação seja perfeita. Devo ficar de repouso quase absoluto por mais ou menos 4dias.alÉ muito desconfortável, pois, estou usando um colar cervical e aqui está muito quente e o bendito colar me atrapalha até em conversar devido ao desconforto.

Conto com você.

A UNESER lhe deseja pronto restabelecimento e rápido retorno à rede com seus e-mails e mensagens!

GERALDO DOS SIMPLES - 10


O fato é testemunhado pelo Pe. Raffaele Abbondati. Ele conta que, em Auleta, levaram Geraldo para visitar uma jovem aleijada desde o nascimento, que nada podia fazer por si mesma.

Geraldo tinha sempre muito dó dos que sofrem. Ao ver a moça disse, como se fosse a coisa mais natural: - Venha até aqui!

E ela levantou-se, curada para sempre.


Geraldo estava a conversar com umas pessoas, entre elas Vito Mennona.

Olha pela janela e vê um cavalo desembestado, quase a cair com seu cavaleiro no desbarrancado fundo que margeava a estrada. Todos gritam, temendo o pior.

Geraldo estende a mão: — "Nossa Senhora, ajudai-o!".

O cavalo parou no mesmo instante à beira do precipício.



Francisco Mugnone era um pecador de coração endurecido. Não havia jeito de convertê-lo.

Mas Geraldo tinha recebido de Deus dons especiais: podia mesmo ler no coração das pessoas.

Pediu a Deus a conversão de Francisco e, para isso, conseguiu que ele pudesse ver o demônio que ameaçava sua salvação.


Padre Flávio de Castro CSsR
http://www.redemptor.com.br

A UNIÃO DOS EX-SEMINARISTAS DO SRSA-3


Continuando o assunto que comecei anteriormente, passo a responder o que me aconteceu quando saí do seminário.


1- Quais as reações que você sentiu quando saiu do seminário?

De certa forma foi um grande impacto. Uma mudança de mundo. Só vivi em ambiente conhecido na minha própria casa, junto à minha mãe. Senti-me em terra estrangeira. Com tudo o que conhecia, desconhecia o necessário para o dia a dia. Até o culto religioso era diferente.Tinha de recomeçar.Por um lado aprender e, por outro, ter a tranqüilidade de administrar a preocupação de não ser um peso inesperado em casa.


2- Quais as reações que sentiu nos seus superiores e colegas?

A princípio surpreendente, considerando que tinha sido uma decisão em base do conselho do confessor espiritual. O próprio diretor na época, padre Brandão, ficara pasmado, entretanto viria a concordar quando lhe informei o motivo. Quanto aos colegas, foi impossível transmitir-lhes argumentos.


3- Os conselhos recebidos foram úteis e animadores?

Considerando que minha saída se deu conforme orientação espiritual do confessor, padre Azevedo, o conselho foi eficaz.


4- Esses conselhos tinham base sobre os problemas que você iria enfrentar?

O conselho que recebi envolveu única e exclusivamente a vida de minha alma. Mas isso já era tudo. Haveria muitos problemas, mas eles seriam resolvidos, como realmente o foram.


5- Foi bem amparado espiritual, moral e psicologicamente pelos seus superiores?

Tendo em vista minha atual situação no que se refere ao bom uso da consciência, considero que sempre tive apoio honesto neste campo por parte de meus superiores e a eles, à congregação redentorista e ao falecido Pe.Azevedo, devo minha gratidão, que será eterna!


Meus colegas, animem-se e tentem trazer neste BLOG suas respostas!(Staliano!Foguinho!Thozzi!Cláudio!Paulinho!Mané!...CORAGEM!)


SALVE MARIA

Antônio Ierárdi Neto

AN I V E R S Á R I O

Afirmamos ontem que a Congregação estava em festa pelos aniversários dos Padres Victor Hugo (78 anos de idade), Helder(39 anos de vida) e Libardi (42 anos de vida sacerdotal) e com certeza, a festa continua hoje, 30 de julho, pois nossos colegas de Seminário:

PADRE LUIS ROGERIO CARRILHO CRUZ - comemora 31 anos de vida Sacerdotal, atualmente prestando serviços no Santuário de Nossa Senhora Aparecida e


PADRE ELIAS GUIMARÃES , o querido "MINEIRÃO" - comemora 26 anos de Ordenação Sacerdotal e que se encontra atualmente no Jardim Paulistano em São Paulo.




Também temos nosso colega WALTER DE OLIVEIRA de Aparecida, comemorando mais um ano de vida.

Aos três, nossos votos de muitas felicidades, muitas alegrias e muita luz!

29 de julho de 2009

Tríduo a Santo Afonso Maria de Ligório

29/07/2009

A celebração das 9h desta manhã no Santuário Nacional marcou o 1º dia do Tríduo a Santo Afonso Maria de Ligório, em preparação a sua festa, comemorada em 1º de agosto.


Santo Afonso fundou em 1732 a congregação dos Missionários Redentoristas, responsáveis pelo projeto de evangelização no Santuário Nacional de Nossa Senhora Aparecida desde 1894.

Santo Afonso foi um jovem que deixou uma brilhante carreira de advogado para se dedicar ao povo mais abandonado de sua sociedade.

Fez-se sacerdote e missionário, saindo ao encontro dos condenados à morte, dos doentes incuráveis, dos pobres trabalhadores da periferia de Nápoles e, finalmente, da esquecida população espalhada pelos campos.

Pregou muito, anunciando a misericórdia do Pai, a copiosa redenção de Jesus e a intercessão maternal de Maria.
Ordenado bispo, faleceu com 91 anos.

Foi proclamado pelo Papa Pio IX - Padroeiro dos Moralistas e dos Confessores, Doutor Zelosíssimo da Igreja.Em vida, foi um grande comunicador, como padre, missionário, pregador, escritor, poeta, músico e pintor.


Fonte: Flávia Gabriela/ Assessoria de Imprensa do Santuário

RELIGIÃO TAMBÉM SE APRENDE - O DÍZIMO - PADRE LIBÁRDI




PADRE HÉLIO DE PESSATO LIBÁRDI CSsR


Devo ou não pagar o dízimo?

Esse modo de falar faz a Igreja cheirar comércio e faz mais mal do que bem. Ninguém tem de pagar; o dízimo é uma contribuição generosa feita por quem tem consciência e percebe que ele é responsável pela manutenção do culto e pelo crescimento de sua comunidade. Então essa pessoa assume a comunidade e passa a ajudar com seu trabalho e economicamente.

O dízimo tem base na Bíblia. Há referências que estão ligadas à manutenção dos levitas e sacerdotes e do Templo de Jerusalém. É uma pena que hoje o dízimo seja levado mais para essa direção, porque ele teria muito mais força se fosse orientado para o social na comunidade. E aqui ficam o grande problema e uma pergunta: “O que realmente se faz com o dízimo em nossas paróquias? Há uma prestação de contas à comunidade?”.

Há muitos outros meios de prover a manutenção e o crescimento das comunidades; há outras formas de sobrevivências. Por isso a sabedoria da Igreja diz: “pagar o dízimo segundo o costume”. Não sei se devíamos fazer um cavalo de batalha dessa questão. Jesus chama a atenção dos fariseus sobre a preocupação exagerada com o dinheiro. A prática de Jesus é a misericórdia e a justiça.

Compreendemos que sem dinheiro fica difícil organizar os trabalhos na comunidade. Mas reconhecemos que há muitos outros meios que vemos na sociedade leiga e que funcionam bem e não são odiosos.

Não pregamos contra o dízimo. Achamos que é um caminho de participação, por isso cada um devia contribuir conscientemente; é uma forma de partilha e de solidariedade, mas não se pode radicalizar. Deviam ser mais divulgadas a pastoral do dízimo e uma dedicação em formar as pessoas. É muito mais religião uma contribuição consciente que dispensaria taxas e pró-labore, bem como as paróquias poderem manter certas obras sociais que supririam as deficiências da sociedade leiga.

Não podemo-nos esquecer da viúva que colocou no tesouro do Templo algumas moedinhas. Na verdade colocou mais que todos, pois depositara no tesouro do Templo tudo o que ela possuía.

Continua sempre verdade que o que sobra para nós pertence aos pobres. A comunidade nos chama para uma vida de comunhão e participação. Dízimo não é esmola, mas minha participação na vida da minha Igreja.

Pe. Hélio Libardi, C.Ss.R.
http://www.redemptor.com.br
EDITORA SANTUÁRIO

GERALDO DOS SIMPLES - 9


No cais de Beverollo, no porto de Nápoles, há muita gente a olhar ansiosamente para um barco em perigo nas ondas da tempestade.
Geraldo vai passando, pára e também fica a olhar. Ergue o olhos para o céu, faz uma oração, traça o Sinal da Cruz, invoca a Santíssima Trindade. Desce para o mar e vai andando sobre as ondas até onde está o barco.
Agarra-o e o traz para o cais, como se fosse um barco de brinquedo.




Em Senerchia, estava em construção a igreja paroquial. Mas havia uma grande dificuldade: ninguém conseguia arrastar para a cidade as traves de abeto cortadas para se fazer o telhado.

Geraldo vai até onde estão os trabalhadores, amarra um corda à tora mais grossa. E todos ficam maravilhados como as toras foram arrastadas até a construção.




Uma vez Geraldo estava no terraço da casa da família Ilária. Olhava o céu, as montanhas, a cidade lá em baixo, e louvava o Senhor por tanta beleza. De repente fica imóvel, esquecido de tudo, perdido em Deus.

Outra vez aconteceu o mesmo quando ouvia uma estrofe de Metastásio:
"Se você quer ver a Deus,
veja-o em todas as coisas,
procure-o em seu coração,
ali está sempre com você!"

Padre Flávio de Castro
http://www.redemptor.com.br

A N I V E R S Á R I O

Hoje, 29 de julho é mais um dia de muita festa na Congregação...

Nosso sempre Mestre de Francês PADRE VICTOR HUGO SILVEIRA LAPENTA completando 78 anos de vida...

Pe. Victor Hugo sempre nos prestigiando com sua presença em nossos encontros...

PADRE HELDER JOSÉ DA SILVA da Província de Goiás, completando 39 anos de existência...


Nosso Diretor Espiritual e grande incentivador da UNESER PADRE HELIO DE PESSATO LIBARDI completando 42 anos de vida Sacerdotal...



Quanto que nós, Ex-seminaristas, temos de gratidão no coração ... Tudo que expressarmos, será sempre muito pouco pelo muito que recebemos da Congregação através de seus padres!

Também registramos o aniversário de nosso colega CLAUDINEI JOSÉ DE OLIVEIRA de Iguatemi - MS (seminarista em 1983)

A todos, nossos votos de muitas Bênçãos do Ceu, sob o olhar de Maria, nossa mãe!

28 de julho de 2009

RELIGIÃO TAMBÉM SE APRENDE - RECASADOS-3 - PADRE LIBÁRDI


PADRE HÉLIO DE PESSATO LIBÁRDI CSsR


Os recasados podem comungar?


O fato de a Igreja pedir que acolhamos os recasados e de não julgar e acusar de pecado a vida dos recasados não significa que devam abertamente participar de tudo o que acontece na comunidade. Com certas normas a Igreja quer salvar seu ensinamento sobre o sacramento do matrimônio.

A preocupação da Igreja é que uma abertura para a freqüência dos sacramentos venha a negar na prática o que ela ensina. Traga para a comunidade uma idéia de que agora tudo é permitido e não é necessário preocupar-se com casamento religioso, veiculando um ensinamento errado que seria um tropeço para o trabalho na comunidade. É o problema do escândalo na comunidade e de atitudes que geram uma desordem.

Não há nisso nenhuma condenação das pessoas, mas é uma atitude correta da Igreja que, como mãe e mestra, deve-nos conduzir pelos caminhos da fé com segurança.

O fato de a Igreja não aceitar os recasados para a comunhão não é uma condenação e não impede que eles assumam seus lugares na comunidade eclesial com seus relativos direitos e deveres. Não se pode reduzir toda a pastoral dos recasados à admissão ou não admissão aos sacramentos, embora muitos recasados tenham uma profunda aspiração a receber a comunhão.

Mesmo admitindo que os sacramentos constituem um meio fundamental para o crescimento e sustento do cristão e para sua inserção no mistério de Cristo, não são, contudo, o único meio e o único caminho de acesso à graça de Deus; nem a confissão é o único caminho para o perdão, nem a comunhão é a única fonte da graça de Cristo.

Por isso os recasados são convidados a participar das missas, da acolhida da Palavra de Deus. Mesmo sem a comunhão, a participação da missa será uma grande ajuda para eles. São, portanto, chamados a participar da comunidade eclesial, de cursos de aprofundamento, de equipes de casais, de encontro de oração, de diversos serviços na comunidade. Tenham certeza de que Deus lhes concederá a graça através de outros meios que não necessariamente a comunhão.

Uma atitude sadia é a aceitação do pedido da Igreja e uma participação alegre, procurando seu crescimento espiritual através da oração e da participação na comunidade.

E quando não houver o perigo do escândalo? Cada um vai agir segundo sua própria consciência e guiado pelo sincero desejo de fidelidade a Deus. Não podemos esquecer que a consciência é a voz de Deus em nós.

Certamente cada um de nós tem o dever de formar sua consciência, mas é verdade que não temos outro meio de julgar nosso agir senão através de nossa própria consciência.

Parece que o importante aqui é ser aberto e saber acolher as orientações da comunidade. E perceber que Deus é quem dá a graça ainda que seja por meios diversos do que temos. Não se sentir excluído, não se isolar e se ausentar da comunidade.


Pe. Hélio Libardi, C.Ss.R.
http://www.redemptor.com.br

GERALDO DOS SIMPLES - 8


Pela oração de Geraldo, o Senhor curou muitas crianças.

Uma dessas foi o pequeno Antônio Pace, curado de poliomielite.

Por isso Geraldo é muito invocado como "protetor das crianças e das mães".









Era uma vez um camponês ridico, que negava água para os que passavam pela estrada.

Geraldo repreende-o:

— Tudo bem, nem para você o poço dará água de agora em diante!

Seca o poço. Arrependido o camponês pede perdão. Imediatamente o poço de novo está cheio de água fresca.





Em Melfi, Geraldo estava hospedado com os Murante. A família estava muito aflita porque o barril de vinho que guardavam tinha virado vinagre.

— Isso não é nada, disse Geraldo. Coloquem sobre o barril esta estampa de Nossa Senhora, e o vinho ficará de novo bom.

Fizeram. E que bom era aquele vinho!

Padre Flávio de Castro CSsR
http://www.redemptor.com.br

REMEMORANDO REDENTORISTAS


REQUIESCANT IN PACE

No transcorrer dos dias, temos neste tópico, trazido a lembrança daqueles redentoristas que nos foram ligados um dia e também daqueles que não conhecemos.
Essa é uma recordação de veneração aos que um dia por aqui passaram e viveram na família fundada de tão feliz memória por Santo Afonso Maria de Ligório.

Dentre eles, existem quatro santos reconhecidos: Santo Afonso, São Clemente, São Geraldo e São João Nepomuceno, oito beatos e agora aguardamos ansiosos pelo desfecho feliz dos processos de dois grandes missionários aqui no Brasil, o Pe.Pelágio e o Pe.Vitor Coelho.

A vida desses irmãos e confrades foi, a princípio, delineada pelo já falecido




Pe.ISAC BARRETO LORENA CSsR

"AQUELES QUE NOS PRECEDERAM"
"QUI NOS PRAECESSERUNT CUM SIGNO FIDEI, ET DORMIUNT IN SOMNO PACIS"






Houve uma revisão e complementação posterior pelo Padre Vitor Hugo Silveira Lapenta CSsR, nosso memorável professor de françês, com base nos arquivos da época, 2004, do nosso prefeito, amigo e professor de botânica, Pe.Francisco de Paula M.Peixoto CSsR.
As fotos foram pesquisadas pelo Pe.Eduardo Catalfo CSsR e finalmente o Pe.Flávio de Castro CSsR remeteu esse material para a rede de computadores tornando-o um arquivo PDF.

Tudo isso está no caderno, sob a guarda preciosa do CERESP, a cujos responsáveis agradecemos a possibilidade de levar a todos os interessados um pouco da vida d'AQUELES QUE NOS PRECEDERAM, conforme nosso bom Pe.Lorena, de feliz memória.

A N I V E R S Á R I O

MANOEL HILDEGARDO DE ALMEIDA - MANÉ
Precisamos falar alguma coisa do Mané?
Pois nosso Presidente está comemorando mais um ano de vida...


Considerando a informação do Paulinho, divulgada no site da UNESER, desejamos ao Mané muita paz e luz nesses momentos difíceis...ao mesmo tempo que nos unimos às preces de toda Uneser a Deus e Maria Santíssima, em prol de sua família.

Conte sempre com nossa amizade!Um grande abraço!

28 de julho de 2009

27 de julho de 2009

RELIGIÃO TAMBÉM SE APRENDE - RECASADOS-2- PADRE LIBÁRDI


PADRE HÉLIO DE PESSATO LIBÁRDI CSsR

Os recasados vivem em pecado?


Uma boa pergunta num momento em que quase todos nós fomos formados para responder que casar de novo é pecado. Esta foi uma resposta que demos até agora e vamos continuar dizendo, porque falta coragem para falarmos que tudo depende de onde partimos para a formação da consciência. É muito simplismo responder do modo antigo, já caminhamos no estudo da Teologia Moral e hoje há mais lucidez para enfrentar essas questões.

Vamos ter coragem de dizer que os processos canônicos nem sempre são acessíveis ao povo, nem todos têm dinheiro e conseguem fazer o caminho exigido pelos processos canônicos, que em sua maioria são longos e demorados. Vamos dizer que nem todos têm clareza sobre o sacramento que deviam ter realizado em sua vida, o que já é um motivo para dizermos que não aconteceu o sacramento. Vamos também dizer que a maioria dos casamentos feitos não chegam a ser sacramento por defeitos que o Direito Canônico reconhece como defeitos. Vamos dizer também que já era tempo de abrirmos outro caminho; o casamento se firmou como instituição sacramental a partir do século XII.

A fidelidade a Cristo não é um voto ao legalismo, nem tampouco um sentimento de dureza farisaica. O íntimo da consciência só Deus julga.

Dizemos que está em pecado quem toma uma atitude frontalmente contra o ensinamento de Jesus e da Igreja, num desrespeito acintoso, mostrando sua falta de fé e sua descrença no sacramento do matrimônio. Mas não podemos dizer que está em pecado quem luta na sinceridade de seu coração e que essa nova situação não significa falta de fé e de amor à Igreja.

Ao ler a Bíblia encontramos a passagem: “Deus é amor: aquele que permanece no amor permanece em Deus e Deus permanece nele” (1Jo 4,16). Não estaria aí um primeiro caminho para a formação da consciência?

Se a pessoa fez uma longa caminhada para que acontecesse em sua vida o sacramento do matrimônio, mas não foi possível, e hoje vive uma vida cheia de amor, quem somos nós para dizer que Deus não está com ele? Se lá no fundo de sua consciência a pessoa está tranqüila e procura aprofundar o amor em sua vivência, como vamos falar em pecado?

Reconheço que há muitas consciências malformadas, mas nesses casos se não existir a maldade também não existe o pecado, porque na ignorância não se peca. Falavam tanto do pecado como fruto da plena consciência do mal, pleno conhecimento e plena adesão ao mal, e isso não mudou ainda.

Hoje é preciso ter coragem de dizer a essas pessoas que são sinceras que elas não estão em pecado. A palavra de Jesus precisa libertar essas pessoas desse peso de uma moral do proibido e de tantos pecados criados pela falta de lucidez na fé.

Pe. Hélio Libardi, C.Ss.R.
http://www.redemptor.com.br
EDITORA SANTUÁRIO

GERALDO DOS SIMPLES - 7


Andava a pedir esmolas pelos povoados do Vale do Sele.

Fez uma parada em Santomenna, e foi procurar o ferreiro, o Salandra, para que desse um jeito nas ferraduras de seu cavalo.

Feito o serviço, o preço cobrado era alto demais. nenhum problema. Sem nenhuma palavra contra a ganância do Salandra, apenas mandou que o cavalo devolvesse as ferraduras novas.



Geraldo era um místico.

Recebeu do Senhor muitos dons e carismas. Muitas vezes ficava perdido em Deus, podia ler o segredo dos corações...

Mais de uma vez também libertou pessoas que se sentiam dominadas pelo demônio.

Foi o caso de Catarina Mucciaccio que ele libertou ao colocar-lhe, em torno da cintura, o cinto que ele usava para prender a batina surrada.





Martino Carusi, numa briga, tinha matado o filho de Marco Carusi. Um ódio muito grande passa a dividir as duas famílias.

Durante horas Geraldo exorta ao perdão. De nada adiante. Ajoelha-se, então, pega o crucifixo que sempre traz ao peito, coloca-o no chão e diz:

— Vamos, pisem em Jesus Crucificado. Vocês não têm escolha. Ou perdoam ou pisam sobre ele, pois que foi ele que nos mandou perdoar!

Padre Flávio de Castro CSsR
http://www.redemptor.com.br

REMEMORANDO REDENTORISTAS - PE.JOSÉ SILVA CSsR



PE. JOSÉ BENEDICTO DA SILVA CSsR
27 de JULHO 1945 +


Com os Padres Oscar Chagas, Orlando Morais e José Lopes, Pe. Silva formou a primeira turma de padres brasileiros da nossa Província. A respeito dele um cronista escreveu o que todos já diziam: “Um Israelita autêntico, sem uma sombra de maldade”. ( Jo 1,47 ).
Pe. Silva nasceu em São Luiz do Paraitinga, a 1º de novembro de 1886, e seus pais, muito pobres, eram caboclos da roça. Desde criança vivia pensando em ser padre. Tanto insistiu que, um dia, sua mãe resolveu tentar o que lhe parecia impossível.
Pôs o filho num jacá e, a cavalo, foi a Aparecida saber se os padres aceitavam o seu garoto. Ao entrar na cidade (narrava o Pe.Silva) ficou tão amedrontado que, quase chorando, tratou de se “afundar” no jacá, e não quis mais olhar para fora...
Mirabilis Deus! O garoto foi aceito no Colégio Santo Afonso.
Embora fosse um caipirinha tímido, de inteligência mais pobre do que remediada, à custa de esforço e aplicação deu conta dos estudos e chegou ao noviciado em 1906. Professando em 1908, foi cursar Filosofia e Teologia na Alemanha. Ao voltar, trabalhou sempre como missionário, ou como professor. Nas missões era muito estimado pela simplicidade no seu modo de tratar com o povo. Sempre atrás das expressões e piadas caipiras, não deixava de contar também as suas. Pregava com clareza e naturalidade, podendo ser compreendido facilmente por todos. Como religioso era exato, e por vezes, escrupuloso na observância regular. Edificava os juvenistas com sua piedade simples e sincera, mostrando-se entusiasmado quando lhes falava da vocação e da vida redentorista. Ótimo confrade, era de uma prosa agradável e alegre, interessante para todos.
Estava ele em Pinheiro Marcado (RS) como professor do Juvenato, quando começou a declinar a sua saúde: rigores do clima, aliados a uma grande saudade de São Paulo, onde crescera e trabalhara sempre. Adoecendo gravemente, precisou ser levado para o hospital de Boa Esperança. De nada valeram os cuidados médicos, e a 27 de junho de 1945, ele trocou esta vida por outra infinitamente melhor.

26 de julho de 2009

ENESER 2.009 - Edélcio

MISSÃO CUMPRIDA


De repente vejo duas datas para mim....o dia dos avós, hoje e, daqui há duas semanas, o dia dos pais.

Um dia, por força de busca do ideal perfeito para a minha vida, entrei ao Seminário de Santo Afonso, em Aparecida-SP.
Lá encontrei, dentro de uma vida austera, o caminho para o ideal sugerido por Cristo no Evangelho.
Seria PADRE, MISSIONÁRIO, REDENTORISTA.
Ali convivi com tantos outros colegas, uns duzentos, no melhor regime didático e religioso, aprendendo o que mais tarde iria levar às pessoas mais necessitadas.
De fato era uma vida muito feliz ainda que de forma rigorosa.
Entretanto, nos trâmites dessa convivência, conheci um padre, o Pe.Azevedo, que se tornou o meu confessor.
Um vez por mês, pelo menos, fazia-lhe uma visita e , em colóquio, conversávamos durante hora.
Tinha nele tanta confiança, que lhe abria meu coração sem quaisquer reservas.
Isso foi muito bom!
Num dia desses, ele me disse:
-Você não deve seguir a carreira sacerdotal! Não deve ser padre!
O crédito que tinha em suas palavras era tão grande, que não discuti com ele sobre isso, aceitei.
Vim para o outro lado e, com base sólida da disciplina católica e cultura geral, tive muita força para encarar de cabeça erguida as vicissitudes da vida.
Formei uma família e pude passar aos meus filhos o caminho salutar da prática da boa consciência e necessidade do trabalho constante.
São três filhos homens, hoje resolvidos na vida, que me deram três netos.
Como ocorreu na formação dos meus filhos conforme os princípios que lhes deleguei, com certeza isso ocorrerá aos meus netos em relação aos seus pais.
Assim, hoje, dia dos avós e, daqui duas semanas, o dia dos pais passam-me a sensação feliz de missão cumprida!

Antônio Ierárdi Neto

GERALDO DOS SIMPLES - 6


Na primavera de 1753, Geraldo está indo de Deliceto para Corato.

De longe um agricultor grita por ele. Quando chega perto, pede-lhe que ore ao Senhor, para que o livre dos ratos. Os terríveis ratos que devoram tudo que ele planta.

Geraldo fez um amplo sinal da cruz e logo a roça está cheia de ratos mortos.





Quando está voltando para Deliceto, encontra-se com um rapaz que está procurando um tesouro no bosque de Montemilone.

Geraldo garante que vai ajudá-lo a encontrar o tesouro. Quando já entraram bastante no bosque, o Irmão tira o crucifixo que trazia ao peito, e diz:

— Este é o tesouro dos tesouros, o tesouro que você perdeu há tanto tempo, tesouro que abandonou por um nada!

RELIGIÃO TAMBÉM SE APRENDE - RECASADOS - PADRE LIBÁRDI


PADRE HÉLIO DE PESSATO LIBÁRDI CSsR



Que pensar dos recasados?


Estamos hoje diante de um fato: há muitas pessoas que deixaram seu casamento e estão recasadas. Que pensar sobre essa situação e sobre esse segundo ou terceiro casamento?

A Igreja sempre ensinou que o casamento é sagrado, é uma graça que chamamos sacramento. Essa graça transforma a vida num gesto de salvação e recria o amor que alimenta e sustenta a fraternidade criada pelo próprio sacramento, repetindo o gesto salvador de Jesus. Por isso insiste que se casem na Igreja e permaneçam fiéis um ao outro, vivendo a santidade do sacramento.

Há situações porém em que não foi possível manter o sacramento, se é que houve. E agora o que fazer?

Primeiro: há na Igreja a possibilidade de se fazer um processo canônico e estudar seu casamento e perceber se foi válido ou não. No caso de não ter acontecido o sacramento, por diversos motivos, a Igreja declara que seu casamento foi nulo, sendo possíveis novas núpcias.

Quando não se conseguir a declaração de nulidade, por tantos motivos, ou mesmo se não foi possível fazer o processo canônico, dizem que a solução é a pessoa se agüentar sozinha. Acontece que a vida coloca as pessoas diante de nova possibilidade de se casar. E de fato acontece de se casarem e de viverem muito melhor que no primeiro casamento. E agora, que dizer?

De fato, há uma recomendação de que se vivesse só, procurando uma vida honesta e correta. E essa recomendação continua. Antigamente os recasados não eram aceitos na comunidade. E nos sermões se falava que estavam em pecado e que deveriam separar-se para enfrentar a vida sozinhos. Muitas vezes esse separar-se deparava com problemas de filho desse novo casamento e outras coisas.

Mas, felizmente, a Igreja hoje nos orienta de um modo novo. Não podemos condenar ninguém. Esse trabalho de julgar pertence a cada um no íntimo de sua consciência. A consciência é um santuário íntimo onde cada um se conhece no confronto com Deus e com o próximo. É determinante para a consciência a convicção íntima diante de Deus: um direito inviolável, pois em sua consciência a pessoa escuta a Deus que fala e lhe responde (Gaudium et Spes, 16).

Hoje a Igreja nos orienta a acolher os recasados em nossa comunidade e recomenda que participem naquilo que é possível, para que também eles possam santificar-se. Sabemos que a Igreja continua afirmando a santidade do matrimônio, mas mostra no concreto da acolhida o gesto de Jesus que acolheu a todos os que se abriram para a Boa-Nova.

Assim nem os recasados nem a comunidade vejam como um problema os que vivem tal situação. É certo que temos de aprender essa nova prática sem emitir juízos, como estamos acostumados a fazer. É preciso muito respeito e a percepção de que nem tudo é feito por maldade ou por desrespeito aos ensinamentos da Igreja. Oxalá pudéssemos seguir sempre, sem errarmos, as orientações de Jesus. Continua válido: “atire a primeira pedra, quem não tem pecado”.

Pe. Hélio Libardi, C.Ss.R.
http://www.redemptor.com.br
EDITORA SANTUÁRIO

A N I V E R S Á R I O

Quantos colegas aniversariam hoje...

ANTONIO GALVÃO DOS SANTOS IVO - (1972)- Campinas - SP
CARLOS DONIZETTI DA SILVA - (1969)- Belo Horizonte - MG
OSVALDO MARQUES - de São Paulo - SP
VAGNER DE CASETTO MARCON - (1959) Tietê -SP

Aos colegas um feliz aniversário, repleto de Bênçãos de Deus Pai.

Muita saúde! Muita Paz! Muitas Alegrias!

SANT'ANA E SÃO JOAQUIM


No dia 26 de Julho, a Igreja comemora o dia da milagrosa Sant’Ana, com milhares de seus devotos. Ela é a privilegiada criatura que Deus predestinou e escolheu para ser na terra a mãe da Virgem Imaculada, a Mãe de Deus e a Avó de Jesus Cristo, nosso Salvador.

Sant’Ana, São Joaquim, os pais gloriosos de Maria, estão envoltos no silencio e na humildade. Bem pouco deles se conhece. No entanto, no mundo inteiro há séculos não cessam os cantos em seu louvor. Tudo se fez templos, altares, livros, estudos, festas, cânticos e súplicas em honra dos que formaram na terra, a família mil vezes bendita do Verbo de Deus humanado. A glória toda de Maria vem do privilégio único da Maternidade Divina. É este o ápice de toda a glória concedia à criatura humana. Não se pode dizer mais de Nossa Senhora: é a Mãe de Deus.

São José é o maior dos Santos, o maior dos eleitos depois de Maria. A glória de São José vem de suas relações com o Verbo Encarnado e com a Mãe Santíssima de Deus. São José foi pai adotivo de Jesus e esposo de Maria. Só estes dois títulos o colocam num plano singular e acima de todos os santos, só inferior a Nossa Senhora na glória e na graça.

Sant’Ana, depois de São José, foi a criatura mais próxima do Verbo Encarnado, na intimidade do sangue e do parentesco. Sant’Ana foi a Mãe de Maria, a Virgem concebida sem pecado, e por Maria, Avó de Jesus Cristo. Há um véu de mistério e um grande silêncio das Escrituras sobre Sant’Ana. O Evangelho fala pouco de Maria e de José, mas as poucas encerram um mundo de grandezas. Delas a teologia e a piedade católica tiram tocantes ensinamentos e as conclusões mais sublimes e consoladoras da glória e do poder de Maria (Lc 1,48), e de São José. De Sant’Ana bem pouco nos dizem a história e a tradição, mas basta para sabermos sobre sua grandeza, poder e glória, ou seja: é a Mãe da Mãe de Deus e Avó de Jesus Cristo. São Pedro Canísio, num tratado maravilhoso e argumentos irrespondíveis, defendeu as glórias de Sant’Ana e privilégios de São Joaquim.

O livro dos Provérbios afirma que o mérito do Filho faz a glória do Pai. É impossível maior glória que a de Maria Santíssima, a filha que foi mais elevada e glorificada: “Todas as gerações me chamarão bem-aventurada” (Lc 13,48), disse Nossa Senhora, no Magnificat, pois dela nasceu o Redentor do mundo e a fez bendita entre todas as mulheres. Poderíamos dizer de Sant’Ana o louvor: “Todas as gerações vos hão de chamar de bem-aventurada, porque sois bendita entre todas as mulheres e bendito é o fruto do vosso ventre – Maria”.

Louvamos a Maria porque é Mãe de Deus. Louvamos Sant’Ana porque é Mãe da Mãe de Jesus.

O virtuoso São Joaquim desposou uma jovem da família de Davi e com Ana viveu santamente, aguardando com resignação a graça de um herdeiro, escolhido para receberem a Mãe Santíssima de Jesus, a filha única e bendita e predestinada, a Imaculada Mãe de seu próprio Criador. O seio puro de Sant’Ana foi o primeiro e glorioso templo que se erigiu na terra á Imaculada Conceição, por sua gloriosa maternidade humana.

Sant”Ana é da nobre estirpe do Rei, originário da tribo de Judá. Maria, de nobre descendência, só teve um filho – Jesus nosso Deus, o Verbo Encarnado, e neto de Sant’Ana. Ela é a mãe da misericórdia; como disse Santa Brígida, ela deu aos pobres quanto possuía. Maria veio ao mundo em circunstâncias miraculosas: uma graça pedida por Sant’Ana e São Joaquim, que tiveram do céu a revelação da Imaculada Conceição. Sant’Ana é considerada protetora das mães. Ela tem feito inúmeros milagres, inclusive obtendo a cura do Papa Gregório XV, desenganado pelos médicos, razão pela qual se tornou grande propagador de sua devoção.

As relíquias de Sant’Ana se encontram na França, em Apt, na diocese de Avignom.

O rei da França, Luis XIII, sofria por não ter um herdeiro; a rainha suplicou a Sant’Ana a graça de ter um filho. Em breve, ela dava à luz o futuro Luiz XIV.

Sant’Ana é a padroeira da cidade de Ponta Grossa. Em Curitiba há a Paróquia Sant’Ana no bairro de Abranches e outra Paróquia de Sant’Ana no bairro do Pinheirinho, além de muitas outras que existem por todo Brasil.

MILAGRES

Os milagres obtidos por intercessão infalível de Sant’Ana são muitos, dependendo da confiança da multidão de seus devotos.

Sant’Ana é o tronco, Maria é a flor e Jesus é o fruto bendito.

Os prodígios e milagres lhe deram muita fama de santidade já em vida pelas grandes virtudes que lhe mereceram ser a Mãe da Virgem Imaculada, como mãe privilegiada, Mãe de Deus.

Muitas são as pessoas que ostentam o nome de Ana, a Avó celestial de nossa Mãe Imaculada. A devoção a Sant’Ana nos veio do Oriente e se espalhou na França e de lá para o mundo todo. Um apóstolo fervoroso da Mãe da Mãe de Deus, no século XVI, foi o venerável franciscano Inocente de Glusa, falecido no ano de 1601, em odor de santidade. Seu ideal era propagar a glória de Sant’Ana, que lhe apareceu muitas vezes. Ele profetizou, com muitos anos de antecedência, que Maffeo Barberini, bispo de Florença, seria papa, o que aconteceu em 1623, adotando ele o nome de Urbano VIII. Este Papa muito fez pelo culto da Mãe de Maria Santíssima.

Inocente de Glusa, pedindo esmolas, construiu um majestoso templo em honra a Sant’Ana. A esse religioso recorreu uma senhora da alta nobreza para conseguir a graça de ter uma filha. O irmão Inocente rezou e profetizou que ela teria uma filha e lhe daria o nome de Ana. Nove meses depois essa nobre senhora ganhou uma filha, a quem deu o nome de Ana.

Numa viagem em alto-mar, faltou água potável para os marinheiros. Estes, desesperados pela sede, puseram-se a blasfemar. O franciscano Inocente de Glusa, que viajava com eles, inspirado, mandou tirar água de um tonel vazio, do qual saiu águas puras, salvando toda a tripulação.

Transcrito do site da Paróquia São Marcos
Colaboração: Equipe PSMarcos
Autor: Benedito Felipe Rauen - Congregado Mariano da Academia Marial de Aparecida

25 de julho de 2009

A N I V E R S Á R I O

Aniversariam hoje PADRE WALMIR DE ALMEIDA COSTA da Província de Goiás,JOAQUIM ALMEIDA DIAS de Taubaté - SP e também nosso amigo ALTAIR DE ALMEIDA COSTA, o famoso Tachinha, um dos organizadores do Enfrades (Encontro de Ex-Seminaristas Franciscanos de Minas Gerais), responsável pelo blog do Tachinha, além de grande divulgador do Canto Gregoriano de Belo Horizonte.

Coincidência do dia é a presença de ALMEIDA nos três nomes, embora não sejam parentes...

Aos três nossos melhores votos de felicidades e muitos anos de vida...

A VOCAÇÃO E O EXERCÍCIO DA LIDERANÇA-AFONSO CAVALCANTI(JANDAIA)

Como no artigo anterior, repasso o texto do Jandaia, publicado em seu blog "EIS A LINGUAGEM CERTA"

AFONSO CAVALCANTI
(JANDAIA)
Comunicação oral:
Os bons leitores descobrem que os escritores cultivam atributos de líderes, pois sendo assim discorrem com firmeza sobre a matéria política. Este estudo quer oferecer aos estudiosos da política argumentos que comprovam que onde há política, ali florescem a liberdade, a obediência, o poder, condições estas que contribuem para que as academias se empenhem na pesquisa e no ensino.
A metodologia empregada envolverá o diálogo, a dialética e a reflexão sobre a conduta humana. Para que os professores e dirigentes sociais sejam respeitados e ouvidos, precisam destas características: caráter firme como uma rocha; carisma para selar acordos; comprometimento que comprove resultados através de ações imediatas; comunicação que visa simplificar, observar com atenção, apresentar a verdade, buscar respostas, usar da clareza, vivenciar mensagens; competência para transcender as palavras; coragem para vencer a batalha interior; discernimento para descobrir as soluções dos problemas; focalização e concentração nos pontos fortes; generosidade para agradecer o que possui; iniciativa para alcançar o que se quer; ser ouvinte; paixão e amor pela vida; atitudes positivas; solução de problemas; bom relacionamento por intermédio do entendimento, do amor e da ajuda às pessoas; responsabilidade para executar as tarefas; segurança; autodisciplina para conduzir a si mesmo; ser prestativo; educabilidade e aprendizagem; visão baseada na força de seu interior.
Os agentes de opiniões, no caso específico dos líderes institucionais (escola, igreja, sindicato etc), precisam ter muita cultura, grandeza de caráter, visão ampla dos problemas da vida e da educação. Devem cultivar a criatividade,a inteligência e a imaginação.
Palavras-chave: Imaginação, Dramatização. Linguagem.
Afonso de Sousa Cavalcanti, professor da FAFIMAN

A PROPAGAÇÃO DO EVANGELHO - AFONSO CAVALCANTI(JANDAIA)

Este texto foi escrito pelo Jandaia.
Como ele não conseguiu publicar, estamos usando nosso login para publicar.

AFONSO CAVALCANTI
(JANDAIA)
A PROPAGAÇÃO DO EVANGELHO
Clemente pensou que poderia matar a fome de muita gente, colocou a mão na massa e produziu pães para eles.
Em seguida pôs suas mãos orantes e depois viu que poderia transcender o ato de ser padeiro, afastou-se do puro serviço braçal e se uniu ao servo Afonso Maria de Ligório.
Depois de passar horas e horas de profunda ascese incorporou o "Dies impendere pro redemptis"(Consumir os dias em prol dos redemidos) e foi muito além do propagar do Evangelho.

Clemente serviu-se da fragilidade humana e aprendeu a cultivar o rico slogan, muitas vezes repetido por Afonso: "Quem reza se salva..." e foi adiante de seu tempo e convidou milhares de pessoas para que falassem em nome de Deus e rezassem, rezassem muito.

As pregações de Clemente foram tão fortes, seus convites continuam a vibrar através dos missionários que com jeito e graça trazem novos meninos aos seminários para que ensinem os milhares de pessoas a se juntarem no divino propagar do Evangelho.
Postado por Jandaia 

GERALDO DOS SIMPLES - 5


Fez o noviciado, a preparação para a vida na comunidade religiosa, e fez seus votos religiosos na Congregação dos Missionários Redentoristas, fundada por Sto. Afonso M. de Ligório.

Geraldo, que chegou apresentado como inútil, mostrou logo quanto podia fazer por Deus e pelos irmãos: jardineiro, sacristão, alfaiate, porteiro, cozinheiro, carpinteiro, escultor, encarregado das obras do novo convento em Materdomini.

Irmão Geraldo não vive só no convento. Sente-se "enviado" missionário no meio do povo, principalmente dos mais pobres. Fala, aconselha, mas principalmente partilha da miséria dos pobres daquelas terras requeimadas do sul da Itália. Vive suas preocupações com a comida pouca para muita fome, com as doenças sem remédio, com a seca, com os ratos que assaltam os paióis, com o pouco vinho que avinagra. Sabe também como é fácil, mesmo na pobreza, ceder à avareza e à cobiça.

Nesse meio Irmão Geraldo tenta fazer acontecer o evangelho. E o povo, com a palavra de muitas testemunhas, conta essa vida missionária como se fosse uma vida feita só de milagres...




Contam que numa dessas viagens, numa noite de tempestade, Geraldo estava perdido no meio do bosque. Sabia que as águas do Ofanto estavam grossas e ameaçadoras, porque ouvia o ronco que faziam.

Como se fosse pouco o perigo, percebe também a presença do Demônio. Não se amedronta. Manda apenas que, em nome da Santíssima Trindade, o leve até Lacedônia.

Padre Flávio de Castro CSsR
http://www.redemptor.com.br

RELIGIÃO TAMBÉM SE APRENDE - O DIVÓRCIO - PADRE JOÃO


Pe.João A. Mac Dowell S.J.

Porque a Igreja mantém uma posição tão intransigente a respeito do divórcio, não permitindo que as pessoas encontrem uma nova solução para a sua vida, quando o primeiro casamento fracassou?


Este assunto do casamento das pessoas divorciadas é muito complexo. Não posso tratar agora de todos os seus aspectos. Baste dizer, por enquanto, que não foi a Igreja que declarou o novo casamento de uma pessoa divorciada contrário à lei de Deus. Foi o próprio Jesus que deu à Igreja esta orientação, como se lê no evangelho segundo Marcos: Quem se divorcia da própria mulher e casa com outra, comete adultério em relação à primeira; e se a mulher se divorciar do seu marido e se casar com outro, também comete adultério (10,11s).

Os homens sempre reagiram mal diante deste ensinamento de Jesus, a começar dos próprios apóstolos, que logo lhe retrucaram: Nesse caso é melhor não se casar! Jesus não desconheceu a dificuldade. Mas também não cedeu, mantendo o seu ensinamento: Nem todos são capazes de aceitar esta verdade, mas só aqueles a quem Deus deu tal poder (Mt 19,10s). Este poder é o poder da fé: fé na vida eterna, que relativiza os bens desta vida, inclusive uma coisa tão importante para a realização humana como o amor conjugal; mas também fé na misericórdia de Deus, que tem compaixão de quem pela fraqueza humana não consegue observar completamente a sua lei.

Por isso, a Igreja continua a reafirmar o ensinamento de Jesus sobre o divórcio, apesar de todas as resistências. Mas, por outro lado, procura tratar com toda a compreensão seus filhos e filhas que se acham nesta situação difícil. Ela reconhece os divorciados que se recasaram como membros da comunidade. Eles estão convidados a tomar parte na sua vida, na sua liturgia, no seu serviço aos necessitados. A comunidade, por sua vez, deve acolhê-los com carinho, sem ter a pretensão de julgar o íntimo de sua consciência. Ninguém tem direito de considerar-se melhor do que o outro diante de Deus.

Entretanto, enquanto permanecem numa situação objetivamente contrária ao ensinamento do evangelho, eles não podem participar daqueles gestos que exprimem objetivamente a comunhão com Cristo e com a Igreja, como a eucaristia e o sacramento da penitência ou reconciliação. A Igreja, com essas medidas, não pretende humilhar nem punir, mas tão somente ser coerente com a verdade que recebeu de Cristo. Deus tem outros meios para comunicar-se aos que o buscam de verdade com um coração sincero.

João A. Mac Dowell S.J.
http://www.redemptor.com.br
EDITORA SANTUÁRIO