CONSAGRAÇÃO À NOSSA SENHORA APARECIDA NA VOZ DO PADRE VITOR COELHO CSsR

Ó MARIA SANTÍSSIMA, PELOS MÉRITOS DO SENHOR JESUS CRISTO QUE EM VOSSA IMAGEM MILAGROSA DE APARECIDA ESPALHAIS INÚMEROS BENEFÍCIOS SOBRE O BRASIL, EU, EMBORA INDIGNO DE PERTENCER AO NÚMERO DOS VOSSOS SERVOS, MAS DESEJANDO PARTICIPAR DOS BENEFÍCIOS DA VOSSA MISERICÓRDIA, PROSTRADO A VOSSOS PÉS, CONSAGRO-VOS O ENTENDIMENTO, PARA QUE SEMPRE PENSE NO AMOR QUE MERECEIS. CONSAGRO-VOS A LÍNGUA, PARA QUE SEMPRE VOS LOUVE E PROPAGUE A VOSSA DEVOÇÃO.CONSAGRO-VOS O CORAÇÃO, PARA QUE, DEPOIS DE DEUS, VOS AME SOBRE TODAS AS COUSAS.RECEBEI-NOS, Ó RAINHA INCOMPARÁVEL, QUE NOSSO CRISTO CRUCIFICADO DEU-NOS POR MÃE, NO DITOSO NÚMERO DOS VOSSOS SERVOS. ACOLHEI-NOS DEBAIXO DA VOSSA PROTEÇÃO. SOCORREI-NOS EM NOSSAS NECESSIDADES ESPIRITUAIS E TEMPORAIS E, SOBRETUDO, NA HORA DA NOSSA MORTE. ABENÇOAI-NOS Ó MÃE CELESTIAL, E COM VOSSA PODEROSA INTERCESSÃO FORTALECEI-NOS EM NOSSA FRAQUEZA, A FIM DE QUE, SERVINDO-VOS FIELMENTE NESTA VIDA, POSSAMOS LOUVAR-VOS, AMAR-VOS E RENDER-VOS GRAÇAS NO CÉU, POR TODA A ETERNIDADE. ASSIM SEJA! ...PELA INTERCESSÃO DE NOSSA SENHORA APARECIDA, RAINHA E PADROEIRA DO BRASIL, A BÊNÇÃO DE DEUS ONIPOTENTE, PAI, FILHO E ESPÍRITO SANTO, DESÇA SOBRE VÓS E PERMANEÇA SEMPRE.AMÉM!
PRÓXIMOS EVENTOS (Todos estão convidados)





ÁGAPE MENSAL
11 - fevereiro - 2017


MAIO - 2017
De 03 a 11 - Viagem / Peregrinação a Portugal
De 20 a 21 - 7º ERESER CAMPINAS
De 15 a 30 - 2ª Missão UNESER em Rondônia

JUNHO - 2017
De 17 a 18 - 2º ERESER CAMPINAS

JULHO - 2017

De 05 a 15 - 3ª Peregrinação a Pé Caminho da Fé
De 14 a 16 - 37º ERESER PROVÍNCIA RIO/MINAS/ES
De 21 a 23 - 22º ENESER - APARECIDA

SETEMBRO - 2017
De 01 a 03 - 5º ERESER VICE PROVÍNCIA MANAUS

OUTUBRO - 2017

Dia 07 - ERESER NA NOVENA DE APARECIDA
Dia 21 - 11º ERESER MAIRINQUE

NOVEMBRO - 2017
De 12 a 15 - 7º ERESER PROVÍNCIA DE CAMPO GRANDE


XIII RETIRO
De 02 a 04 de fevereiro de 2018
Local: Pedrinha (a ser confirmado)




SOM NO BLOG

QUANDO QUISER ASSISTIR ALGUM VÍDEO DO BLOG, VÁ ATÉ À "RÁDIO UNESER INTERATIVA" (caixa à direita do blog) E CLIQUE NO BOTÃO DE PAUSA (II).
APÓS ASSISTIR O VÍDEO, CLIQUE NO MESMO BOTÃO (PLAY) PARA CONTINUAR OUVINDO A RÁDIO.

3 de agosto de 2014

A Palavra de Deus na vida - Homilia

18º Domingo do Tempo Comum - Ano A - HOMILIA
Evangelho: Mateus 14,13-21

Naquele tempo, quando soube da morte de João Batista 13 Jesus partiu dali numa barca para se retirar a um lugar deserto, mas o povo soube e a multidão das cidades o seguiu a pé.
14 Quando desembarcou, vendo Jesus essa numerosa multidão, moveu-se de compaixão para ela e curou seus doentes.
15 Caía a tarde. Agrupados em volta dele, os discípulos disseram-lhe: "Este lugar é deserto e a hora é avançada. Despede esta gente para que vá comprar víveres na aldeia".
16 Jesus, porém, respondeu: "Não é necessário: dai-lhe vós mesmos de comer".
17 Mas, disseram eles, "nós não temos aqui mais que cinco pães e dois peixes".
18 "Trazei-mos", disse-lhes ele.
19 Mandou, então, a multidão assentar-se na relva, tomou os cinco pães e os dois peixes e, elevando os olhos ao céu, abençoou-os. Partindo em seguida os pães, deu-os aos seus discípulos, que os distribuíram ao povo.
20 Todos comeram e ficaram fartos, e, dos pedaços que sobraram, recolheram doze cestos cheios.
21 Ora, os convivas foram aproximadamente cinco mil homens, sem contar as mulheres e crianças.

JOSÉ ANTONIO PAGOLA

DAI-LHES VÓS MESMOS DE COMER

Jesus está ocupado em curar àquelas pessoas enfermas e desnutridas que lhe são trazidas de todas as partes. Faz isso, segundo o evangelista, porque seu sofrimento lhe comove. Enquanto isso, seus discípulos veem que está ficando muito tarde. O diálogo deles com Jesus nos permite penetrar no significado profundo do episódio chamado, erroneamente, “a multiplicação dos pães”.

Os discípulos fazem a Jesus uma exposição realista e razoável: “Despede esta gente para que vá comprar víveres na aldeia”. Já receberam, de Jesus, a atenção que necessitavam. Agora, que cada um retorne para sua aldeia e compre algo de comer segundo seus recursos e possibilidades.
 A reação de Jesus é surpreendente: “Não é necessário: dai-lhes vós mesmos de comer”. A fome é um problema demasiado grave para que fiquemos indiferentes uns aos outros e deixemos que cada um resolva em seu próprio povoado como puder. Não é o momento de separar-se, mas de unir-se mais que nunca para compartilhar entre todos o que há, sem excluir ninguém.

Os discípulos lhe fazem ver que há, somente, cinco pães e dois peixes. Não importa. O pouco basta quando se divide com generosidade. Jesus manda que se sentem todos sobre a grama para celebrar uma grande comida. Imediatamente, tudo muda. Aqueles que estavam a ponto de separar-se para saciar sua fome em sua própria aldeia, se sentam juntos ao redor de Jesus para compartilhar o pouco que têm. Assim quer ver Jesus a comunidade humana.

O que aconteceu com os pães e os peixes nas mãos de Jesus? Não os “multiplica”. Primeiro bendiz a Deus e lhe dá graças: aqueles alimentos vêm de Deus, são de todos. Em seguida, vai partindo-os e dando-os aos discípulos. Estes, por sua vez, os dão ao povo. Os pães e os peixes vão passando uns aos outros. Assim, todos puderam saciar sua fome.

O arcebispo de Tanger [cidade ao norte do Marrocos, África] levantou, certa vez, sua voz para recordar-nos “o sofrimento de milhares de homens, mulheres e crianças que, abandonados à sua própria sorte ou perseguidos pelos governos, e entregues ao poder usurário e escravizante das máfias, mendigam, sobrevivem, sofrem e morrem no caminho da emigração”.

Em vez de unir nossas forças para erradicar, pela raiz, a fome no mundo, somente pensamos em nos fechar em nosso “bem-estar egoísta” levantando barreiras cada vez mais degradantes e assassinas. Em nome de que Deus despedimos essas pessoas para que se afundem em sua miséria? Onde estão os seguidores de Jesus?

Quando é que se ouve, em nossas Eucaristias, o grito de Jesus: “Dai-lhes vós mesmos de comer”?

NÃO DAR AS COSTAS AO POVO

Dois eram os problemas mais angustiantes nas aldeias da Galileia: a fome e as dívidas. Era o que mais fazia Jesus sofrer. Quando seus discípulos lhe pediram que lhes ensinasse a orar, saíram bem do íntimo de Jesus duas petições:
Pai, dai-nos hoje o pão necessário”; “Pai, perdoai-nos nossas dívidas, pois também nós perdoamos aos que nos devem algo”.

O que podiam fazer contra a fome que os destruía e contra as dívidas que os levava a perder suas terras? Jesus via, com clareza, a vontade de Deus: compartilhar o pouco que tinham e perdoar-se, mutuamente, as dívidas. Somente assim nasceria um mundo novo.

As fontes cristãs conservaram a recordação de uma refeição memorável com Jesus. Foi num descampado e dela tomou parte muita gente. É difícil reconstruir o que aconteceu, porém na recordação ficou isto: entre as pessoas somente havia “cinco pães e dois peixes”, porém compartilharam o pouco que tinham e, com a bênção de Jesus, todos puderam comer.

No começo do relato se produz um diálogo muito esclarecedor. Ao ver que as pessoas tinham fome, os discípulos propõem uma solução mais cômoda e menos comprometida; “que vão às aldeias e comprem algo para comer”; que cada um resolva seus problemas como puder. Jesus lhes responde chamando-os à responsabilidade: “Dai-lhes vós mesmos de comer”; não deixeis os famintos abandonados à sua sorte.

Não podemos esquecer disso. Se vivemos de costas aos famintos do mundo, perdemos nossa identidade cristã; não somos fiéis a Jesus; falta às nossas ceias eucarísticas sua sensibilidade e seu horizonte, falta-lhes sua compaixão.

Como se transforma uma religião, como a nossa, em um movimento de seguidores mais fiéis a Jesus?

Talvez, a primeira coisa seja não perder a perspectiva fundamental de Jesus: deixar-nos afetar mais e mais pelo sofrimento daqueles que não sabem o que é viver com pão e dignidade. A segunda coisa, comprometermos com pequenas iniciativas, concretas, locais, parciais, que nos ensinam a compartilhar e nos identificam mais com o estilo de Jesus.

Traduzido do espanhol por Telmo José Amaral de Figueiredo.

Fonte: Sopelako San Pedro Apostol Parrokia – Sopelana – Bizkaia (Espanha) – J. A. Pagola - Ciclo A

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado por comentar. Sua participação é muito importante para nós.