CONSAGRAÇÃO À NOSSA SENHORA APARECIDA NA VOZ DO PADRE VITOR COELHO CSsR

Ó MARIA SANTÍSSIMA, PELOS MÉRITOS DO SENHOR JESUS CRISTO QUE EM VOSSA IMAGEM MILAGROSA DE APARECIDA ESPALHAIS INÚMEROS BENEFÍCIOS SOBRE O BRASIL, EU, EMBORA INDIGNO DE PERTENCER AO NÚMERO DOS VOSSOS SERVOS, MAS DESEJANDO PARTICIPAR DOS BENEFÍCIOS DA VOSSA MISERICÓRDIA, PROSTRADO A VOSSOS PÉS, CONSAGRO-VOS O ENTENDIMENTO, PARA QUE SEMPRE PENSE NO AMOR QUE MERECEIS. CONSAGRO-VOS A LÍNGUA, PARA QUE SEMPRE VOS LOUVE E PROPAGUE A VOSSA DEVOÇÃO.CONSAGRO-VOS O CORAÇÃO, PARA QUE, DEPOIS DE DEUS, VOS AME SOBRE TODAS AS COUSAS.RECEBEI-NOS, Ó RAINHA INCOMPARÁVEL, QUE NOSSO CRISTO CRUCIFICADO DEU-NOS POR MÃE, NO DITOSO NÚMERO DOS VOSSOS SERVOS. ACOLHEI-NOS DEBAIXO DA VOSSA PROTEÇÃO. SOCORREI-NOS EM NOSSAS NECESSIDADES ESPIRITUAIS E TEMPORAIS E, SOBRETUDO, NA HORA DA NOSSA MORTE. ABENÇOAI-NOS Ó MÃE CELESTIAL, E COM VOSSA PODEROSA INTERCESSÃO FORTALECEI-NOS EM NOSSA FRAQUEZA, A FIM DE QUE, SERVINDO-VOS FIELMENTE NESTA VIDA, POSSAMOS LOUVAR-VOS, AMAR-VOS E RENDER-VOS GRAÇAS NO CÉU, POR TODA A ETERNIDADE. ASSIM SEJA! ...PELA INTERCESSÃO DE NOSSA SENHORA APARECIDA, RAINHA E PADROEIRA DO BRASIL, A BÊNÇÃO DE DEUS ONIPOTENTE, PAI, FILHO E ESPÍRITO SANTO, DESÇA SOBRE VÓS E PERMANEÇA SEMPRE.AMÉM!
PRÓXIMOS EVENTOS (Todos estão convidados)





ÁGAPE MENSAL
11 - fevereiro - 2017


SETEMBRO - 2017
De 01 a 03 - 5º ERESER VICE PROVÍNCIA MANAUS
De 29 a 01/10 - ERESER CURITIBA

OUTUBRO - 2017

Dia 07 - ERESER NA NOVENA DE APARECIDA
Dia 21 - 11º ERESER MAIRINQUE

NOVEMBRO - 2017
De 12 a 15 - 7º ERESER PROVÍNCIA DE CAMPO GRANDE


XIII RETIRO
De 26 A 28 de janeiro de 2018
Local: Vila Santo Afonso - Pedrinha
Tema: A Espiritualidade Redentorista na Prática
Orientador: Padre Alfredo Viana Avelar, CSsR - Rio




SOM NO BLOG

QUANDO QUISER ASSISTIR ALGUM VÍDEO DO BLOG, VÁ ATÉ À "RÁDIO UNESER INTERATIVA" (caixa à direita do blog) E CLIQUE NO BOTÃO DE PAUSA (II).
APÓS ASSISTIR O VÍDEO, CLIQUE NO MESMO BOTÃO (PLAY) PARA CONTINUAR OUVINDO A RÁDIO.

9 de fevereiro de 2014

A Palavra de Deus na vida - Homilia

5º Domingo do Tempo Comum - Ano A - HOMILIA

Evangelho: Mateus 5,13-16

Naquele tempo, disse Jesus a seus discípulos: 
13 Vós sois o sal da terra. Ora, se o sal se tornar insosso, com que salgaremos? Ele não servirá para mais nada, senão para ser jogado fora e ser pisado pelos homens.
14 Vós sois a luz do mundo. Não pode ficar escondida uma cidade construída sobre um monte. 
15 Ninguém acende uma lâmpada e a coloca debaixo de uma vasilha, mas sim num candeeiro, onde brilha para todos que estão na casa.

16 Assim também brilhe a vossa luz diante dos homens, para que vejam as vossas boas obras e louvem o vosso Pai que está nos céus.

JOSÉ ANTONIO PAGOLA

SAL E LUZ

Jesus dá a conhecer, com duas imagens audaciosas e surpreendentes, o que pensa e espera de seus seguidores. Não devem viver pensando sempre em seus próprios interesses, seu prestígio ou seu poder. Mesmo que sejam um grupo pequeno em meio ao vasto Império de Roma, hão de ser o "sal" de que necessita a terra e a "luz" que faz falta ao mundo.

"Vós sois o sal da terra". As pessoa simples da Galileia captam espontaneamente a linguagem de Jesus. Todos sabem que o sal serve, sobretudo, para dar sabor à comida e para preservar os alimentos da corrupção. Do mesmo modo, os discípulos de Jesus devem contribuir para que as pessoas saboreiem a vida sem cair na corrupção.

Se os discípulos vivem as bem-aventuranças, sua vida terá uma projeção social. É o próprio Jesus quem diz isso empregando duas metáforas inesquecíveis. Mesmo que pareçam um grupo insignificante no interior do poderoso império controlado por Roma, serão "sal da terra" e "luz do mundo". 

Não é uma pretensão ridícula? Jesus explica-lhes como isso será possível. O sal não parece grande coisa, porém começa a produzir seus efeitos, precisamente, quando se mistura com os alimentos e parece ter desaparecido. A mesma coisa acontece quando se acende uma luz: somente pode iluminar quando a colocamos em meio às trevas.
Jesus não está pensando numa Igreja separada do mundo, escondida atrás de seus ritos e doutrinas, fechada em si mesma e em seus problemas. Jesus quer introduzir na história humana um grupo de seguidores capazes de transformar a vida, vivendo as bem-aventuranças.

Todos sabemos para que serve o sal. De um lado, não deixa os alimentos se corromperem. Do outro, dá-lhes sabor e permite que os possamos saborear melhor. Os alimentos são bons, porém podem se estragar; têm sabor, mas podem nos parecer insípidos. É necessário o sal.

O mundo não é ruim, porém pode se estragar. A vida tem sabor, porém pode tornar-se insípida e sem sentido. Uma Igreja que vive as bem-aventuranças, contribui para que a sociedade não se corrompa e se desumanize mais. Aqueles discípulos de Jesus que vivem seu evangelho, ajudam a descobrir o verdadeiro sentido da vida. 

Há um problema e Jesus adverte os seus seguidores. Se o sal se torna insosso, já não serve para nada. Se os discípulos perdem sua identidade evangélica, já não produzem os efeitos desejados por Jesus. O cristianismo se torna estragado. A Igreja fica anulada. Os cristãos passam a sobrar na sociedade.

O mesmo acontece com a luz. Todos sabemos que ela serve para clarear. Os discípulos iluminam o sentido mais profundo da vida, se podemos ver neles "as obras" das bem-aventuranças. Por isso, não devem esconder-se. Tampouco, devem atuar somente para serem vistos. Com sua vida devem trazer claridade para que, na sociedade, se possa descobrir o verdadeiro rosto do Pai do céu. 

Não nos é permitido servir-nos da Igreja para satisfazer nossos gostos e preferências. Jesus a quis para ser sal e luz. Evangelizar não é combater a secularização moderna com estratégias mundanas. Menos ainda, fazer da Igreja uma "contra-sociedade". Somente uma Igreja que vive  o Evangelho pode responder ao desejo original de Jesus. 

"Vós sois a luz do mundo". Sem a luz do sol, o mundo fica às escuras e não podemos orientar-nos nem desfrutar da vida em meio às trevas. Os discípulos de Jesus podem trazer a luz que necessitamos para orientar-nos, aprofundar-nos no sentido último da existência e caminhar com esperança.

As duas metáforas coincidem em algo importante. Caso fique isolado num recipiente, o sal não serve para nada. Somente quando entra em contato com os alimentos e se dissolve na comida, pode dar sabor àquilo que comemos. O mesmo acontece com a luz. Se permanece fechada e oculta, não pode iluminar ninguém. Somente quando está em meio às trevas pode iluminar e orientar. Uma Igreja isolada do mundo não pode ser nem sal nem luz.

Papa Francisco viu que a Igreja vive, hoje, fechada em si mesma, paralisada pelos medos e muito distante dos problemas e sofrimentos para poder dar sabor à vida moderna e oferecer-lhe a luz genuína do Evangelho. A sua reação foi imediata: "Temos de sair para as periferias".

O Papa insiste uma outra vez: "Prefiro uma Igreja acidentada, ferida e machucada por sair à rua, que uma Igreja enferma por fechar-se na comodidade e agarrar-se às próprias seguranças. Não quero uma Igreja preocupada em ser o centro e que termina enclausurada num emaranhado de obsessões e procedimentos".

O chamado de Francisco é dirigido a todos os cristãos: "Não podemos ficar tranquilos numa espera passiva em nossos templos". "O Evangelho nos convida, sempre, a correr o risco do encontro com o rosto do outro". O Papa quer introduzir na Igreja aquilo que ele chama de "cultura do encontro". Está convencido de que "aquilo que a Igreja necessita hoje é a capacidade de curar feridas e dar calor aos corações"

Tradução do espanhol por Telmo José Amaral de Figueiredo.

Fonte: MUSICALITURGICA.COM - Homilías de José A. Pagola

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado por comentar. Sua participação é muito importante para nós.