CONSAGRAÇÃO À NOSSA SENHORA APARECIDA NA VOZ DO PADRE VITOR COELHO CSsR

Ó MARIA SANTÍSSIMA, PELOS MÉRITOS DO SENHOR JESUS CRISTO QUE EM VOSSA IMAGEM MILAGROSA DE APARECIDA ESPALHAIS INÚMEROS BENEFÍCIOS SOBRE O BRASIL, EU, EMBORA INDIGNO DE PERTENCER AO NÚMERO DOS VOSSOS SERVOS, MAS DESEJANDO PARTICIPAR DOS BENEFÍCIOS DA VOSSA MISERICÓRDIA, PROSTRADO A VOSSOS PÉS, CONSAGRO-VOS O ENTENDIMENTO, PARA QUE SEMPRE PENSE NO AMOR QUE MERECEIS. CONSAGRO-VOS A LÍNGUA, PARA QUE SEMPRE VOS LOUVE E PROPAGUE A VOSSA DEVOÇÃO.CONSAGRO-VOS O CORAÇÃO, PARA QUE, DEPOIS DE DEUS, VOS AME SOBRE TODAS AS COUSAS.RECEBEI-NOS, Ó RAINHA INCOMPARÁVEL, QUE NOSSO CRISTO CRUCIFICADO DEU-NOS POR MÃE, NO DITOSO NÚMERO DOS VOSSOS SERVOS. ACOLHEI-NOS DEBAIXO DA VOSSA PROTEÇÃO. SOCORREI-NOS EM NOSSAS NECESSIDADES ESPIRITUAIS E TEMPORAIS E, SOBRETUDO, NA HORA DA NOSSA MORTE. ABENÇOAI-NOS Ó MÃE CELESTIAL, E COM VOSSA PODEROSA INTERCESSÃO FORTALECEI-NOS EM NOSSA FRAQUEZA, A FIM DE QUE, SERVINDO-VOS FIELMENTE NESTA VIDA, POSSAMOS LOUVAR-VOS, AMAR-VOS E RENDER-VOS GRAÇAS NO CÉU, POR TODA A ETERNIDADE. ASSIM SEJA! ...PELA INTERCESSÃO DE NOSSA SENHORA APARECIDA, RAINHA E PADROEIRA DO BRASIL, A BÊNÇÃO DE DEUS ONIPOTENTE, PAI, FILHO E ESPÍRITO SANTO, DESÇA SOBRE VÓS E PERMANEÇA SEMPRE.AMÉM!
PRÓXIMOS EVENTOS (Todos estão convidados)





ÁGAPE MENSAL
11 - fevereiro - 2017


SETEMBRO - 2017
De 01 a 03 - 5º ERESER VICE PROVÍNCIA MANAUS
De 29 a 01/10 - ERESER CURITIBA

OUTUBRO - 2017

Dia 07 - ERESER NA NOVENA DE APARECIDA
Dia 21 - 11º ERESER MAIRINQUE

NOVEMBRO - 2017
De 12 a 15 - 7º ERESER PROVÍNCIA DE CAMPO GRANDE


XIII RETIRO
De 26 A 28 de janeiro de 2018
Local: Vila Santo Afonso - Pedrinha
Tema: A Espiritualidade Redentorista na Prática
Orientador: Padre Alfredo Viana Avelar, CSsR - Rio




SOM NO BLOG

QUANDO QUISER ASSISTIR ALGUM VÍDEO DO BLOG, VÁ ATÉ À "RÁDIO UNESER INTERATIVA" (caixa à direita do blog) E CLIQUE NO BOTÃO DE PAUSA (II).
APÓS ASSISTIR O VÍDEO, CLIQUE NO MESMO BOTÃO (PLAY) PARA CONTINUAR OUVINDO A RÁDIO.

5 de janeiro de 2014

A Palavra de Deus na vida - Homilia


DOMINGO DA EPIFANIA DO SENHOR - ANO A - HOMILIA

Evangelho: Mateus 2,1-12

2,1 Tendo, pois, Jesus nascido em Belém de Judá, no tempo do rei Herodes, eis que magos vieram do oriente a Jerusalém. 
2 Perguntaram eles: "Onde está o rei dos judeus que acaba de nascer? Vimos a sua estrela no oriente e viemos adorá-lo". 
3 A esta notícia, o rei Herodes ficou perturbado e toda Jerusalém com ele. 
4 Convocou os príncipes dos sacerdotes e os escribas do povo e indagou deles onde havia de nascer o Cristo. 
5 Disseram-lhe: "Em Belém, na Judeia, porque assim foi escrito pelo profeta: 
6 ´E tu, Belém, terra de Judá, não és de modo algum a menor entre as cidades de Judá, porque de ti sairá o chefe que governará Israel, meu povo´". 
7 Herodes, então, chamou secretamente os magos e perguntou-lhes sobre a época exata em que o astro lhes tinha aparecido. 
8 E, enviando-os a Belém, disse: "Ide e informai-vos bem a respeito do menino. Quando o tiverdes encontrado, comunicai-me, para que eu também vá adorá-lo". 
9 Tendo eles ouvido as palavras do rei, partiram. E eis que e estrela, que tinham visto no oriente, os foi precedendo até chegar sobre o lugar onde estava o menino e ali parou. 
10 A aparição daquela estrela os encheu de profunda alegria. 
11 Entrando na casa, acharam o menino com Maria, sua mãe. Prostrando-se diante dele, o adoraram. Depois, abrindo seus tesouros, ofereceram-lhe como presentes: ouro, incenso e mirra. 
12 Avisados em sonhos de não tornarem a Herodes, voltaram para sua terra por outro caminho.

JOSÉ ANTONIO PAGOLA
"Adoração dos Magos" - pintura de Bassano Jacopo e Francesco

A QUEM ADORAMOS

Os magos vêm do "Oriente", um lugar que evoca nos judeus a pátria da astrologia e de outras ciências estranhas. São pagãos. Não conhecem as Escrituras Sagradas de Israel, porém a linguagem das estrelas. Buscam a verdade e se põem em marcha para descobri-la. Deixam-se guiar pelo mistério, sentem necessidade de "adorar".

A presença deles provoca um sobressalto em toda Jerusalém. Os magos viram brilhar uma estrela nova que lhes fez pensar que havia nascido "o rei dos judeus" e vêm para "adorá-lo". Este rei não é Augusto. Tampouco, Herodes. 

Onde está? Esta é a pergunta deles e Herodes se "perturba". A notícia não lhe produz nenhuma alegria. Ele é quem foi designado por Roma como "rei dos judeus". Ele tem de acabar com o recém nascido: onde está esse rival estranho? Os "sumos sacerdotes e letrados" conhecem as Escrituras e sabem que deve nascer em Belém, porém não se interessam pelo menino nem se colocam em marcha para adorá-lo.

Isto é o que encontrará Jesus ao longo de sua vida: hostilidade e rejeição nos representantes do poder político; indiferença e resistência nos dirigentes religiosos. Somente aqueles que buscam o reino de Deus e a sua justiça o acolherão.

Os magos prosseguem sua grande busca. Às vezes, a estrela que os guia desaparece, deixando-os na incerteza. Outras vezes, brilho novamente enchendo-os de "imensa alegria". Finalmente, encontram-se com o Menino, e "caindo de joelhos o adoram". Depois, colocam ao seu serviço as riquezas que têm e os tesouros mais valiosos que possuem. Este Menino pode contar com eles, pois o reconhecem como seu Rei e Senhor.

Em sua aparente ingenuidade, este relato nos põe perguntas decisivas: 
  • Diante de quem nos ajoelhamos?
  • Como se chama o "deus" que adoramos no fundo de nosso ser?
  • Falamos que somos cristãos, porém vivemos adorando o Menino de Belém?
  • Colocamos aos seus pés nossas riquezas e nosso bem-estar?
  • Estamos dispostos a escutar seu chamado para entrar no reino de Deus e sua justiça?
Em nossa vida, sempre há alguma estrela que nos guia para Belém.

ADORAR

Fala-se muito hoje de crise de fé religiosa, porém somente se diz algo sobre a crise do sentimento religioso. No entanto, como salienta algum teólogo, o drama do homem contemporâneo não é, talvez, sua incapacidade de crer, mas sua dificuldade para sentir Deus como Deus. Inclusive, os mesmos que se dizem crentes parecem estar perdendo a capacidade para viver certas atitudes religiosas diante de Deus.

Um exemplo claro é a dificuldade de adorá-lo. Em épocas não muito distantes, parecia fácil sentir reverência e adoração perante a imensidade e o mistério insondável de Deus. Hoje, é mais difícil adorar a quem reduzimos, às vezes, a companheiro ou "colega".

Para adorar a Deus é necessário nos sentirmos criaturas, infinitamente pequenos diante dEle, porém infinitamente amados. Admirar sua grandeza insondável e experimentar sua presença próxima e amorosa que envolve todo o nosso ser.

A adoração é admiração. É amor e entrega. É render nosso ser a Deus e ficarmos em silêncio agradecido e alegre perante Ele, admirando o seu mistério a partir de nossa pequenez e insignificância. 

Nossa dificuldade para adorar provém de raízes diversas. Quem vive atordoado interiormente por todo tipo de ruídos e agitação, por mil impressões passageiras sem deter-se jamais diante do essencial, dificilmente encontrará "o rosto adorável" de Deus.

Para adorar a Deus é necessário deter-se perante o mistério do mundo e saber olhá-lo com amor. Quem olha a vida amorosamente até as profundezas, começará a discernir os traços de Deus ao invés de suspeitar.

Por outro lado, somente Deus é adorável. Nem as coisas mais valiosas nem as pessoas mais amadas são dignas de ser adoradas como Ele. Por isso, deve-se ser livre interiormente para poder adorar a Deus de verdade.

Esta adoração a Deus não afasta-nos do compromisso. Quem adora a Deus luta contra tudo o que destrói este homem que é sua "imagem sagrada". Quem adora o Criador respeita e defende tudo aquilo que vive. Estão intimamente unidas adoração e solidariedade, adoração e ecologia. Entende-se as palavras do grande cientista e adorador que foi Teilhard de Chardin: "Quanto mais o homem se tornar homem, mais experimentará a necessidade de adorar".

O relato dos Magos nos oferece um modelo de autêntica adoração. Estes sábios sabem olhar o cosmos em profundidade, captar seus sinais, aproximar-se do Mistério e oferecer sua humilde homenagem a esse Deus encarnado em nossa vida.

Tradução do espanhol por Telmo José Amaral de Figueiredo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado por comentar. Sua participação é muito importante para nós.