CONSAGRAÇÃO À NOSSA SENHORA APARECIDA NA VOZ DO PADRE VITOR COELHO CSsR

Ó MARIA SANTÍSSIMA, PELOS MÉRITOS DO SENHOR JESUS CRISTO QUE EM VOSSA IMAGEM MILAGROSA DE APARECIDA ESPALHAIS INÚMEROS BENEFÍCIOS SOBRE O BRASIL, EU, EMBORA INDIGNO DE PERTENCER AO NÚMERO DOS VOSSOS SERVOS, MAS DESEJANDO PARTICIPAR DOS BENEFÍCIOS DA VOSSA MISERICÓRDIA, PROSTRADO A VOSSOS PÉS, CONSAGRO-VOS O ENTENDIMENTO, PARA QUE SEMPRE PENSE NO AMOR QUE MERECEIS. CONSAGRO-VOS A LÍNGUA, PARA QUE SEMPRE VOS LOUVE E PROPAGUE A VOSSA DEVOÇÃO.CONSAGRO-VOS O CORAÇÃO, PARA QUE, DEPOIS DE DEUS, VOS AME SOBRE TODAS AS COUSAS.RECEBEI-NOS, Ó RAINHA INCOMPARÁVEL, QUE NOSSO CRISTO CRUCIFICADO DEU-NOS POR MÃE, NO DITOSO NÚMERO DOS VOSSOS SERVOS. ACOLHEI-NOS DEBAIXO DA VOSSA PROTEÇÃO. SOCORREI-NOS EM NOSSAS NECESSIDADES ESPIRITUAIS E TEMPORAIS E, SOBRETUDO, NA HORA DA NOSSA MORTE. ABENÇOAI-NOS Ó MÃE CELESTIAL, E COM VOSSA PODEROSA INTERCESSÃO FORTALECEI-NOS EM NOSSA FRAQUEZA, A FIM DE QUE, SERVINDO-VOS FIELMENTE NESTA VIDA, POSSAMOS LOUVAR-VOS, AMAR-VOS E RENDER-VOS GRAÇAS NO CÉU, POR TODA A ETERNIDADE. ASSIM SEJA! ...PELA INTERCESSÃO DE NOSSA SENHORA APARECIDA, RAINHA E PADROEIRA DO BRASIL, A BÊNÇÃO DE DEUS ONIPOTENTE, PAI, FILHO E ESPÍRITO SANTO, DESÇA SOBRE VÓS E PERMANEÇA SEMPRE.AMÉM!
PRÓXIMOS EVENTOS (Todos estão convidados)





ÁGAPE MENSAL
11 - fevereiro - 2017


SETEMBRO - 2017
De 01 a 03 - 5º ERESER VICE PROVÍNCIA MANAUS
De 29 a 01/10 - ERESER CURITIBA

OUTUBRO - 2017

Dia 07 - ERESER NA NOVENA DE APARECIDA
Dia 21 - 11º ERESER MAIRINQUE

NOVEMBRO - 2017
De 12 a 15 - 7º ERESER PROVÍNCIA DE CAMPO GRANDE


XIII RETIRO
De 26 A 28 de janeiro de 2018
Local: Vila Santo Afonso - Pedrinha
Tema: A Espiritualidade Redentorista na Prática
Orientador: Padre Alfredo Viana Avelar, CSsR - Rio




SOM NO BLOG

QUANDO QUISER ASSISTIR ALGUM VÍDEO DO BLOG, VÁ ATÉ À "RÁDIO UNESER INTERATIVA" (caixa à direita do blog) E CLIQUE NO BOTÃO DE PAUSA (II).
APÓS ASSISTIR O VÍDEO, CLIQUE NO MESMO BOTÃO (PLAY) PARA CONTINUAR OUVINDO A RÁDIO.

20 de março de 2014

QUEM RESISTE AO PAPA FRANCISCO



Andrea Riccardi*
A simpatia das pessoas para com o Papa não se atenua após um ano. Francisco guia os cristãos à redescoberta do Evangelho (domingo passado pediu a todos para lê-lo). Deseja que se saia dos espaços habituais, das igrejas, dos lugares comuns, para comunicar a fé, encontrar as pessoas, sobretudo, os pobres. Fala a todos: bispos, padres, comunidades cristãs, leigos, fiéis em dificuldade, religiosos, irmãs... Ninguém é excluído, mesmo se as histórias e responsabilidades sejam diversas.
A proposta é “sair” com fé, como disse na Evangelii gaudium, seu verdadeiro programa. Acho entusiasmante participar desta “primavera”. No entanto, existem resistências dentro da Igreja. Por quê? É contraditório que cristãos não se alegrem com esta estação feliz. Sobretudo, é estranho que alguns, depois de haver tanto falado da autoridade do Papa, não prestem atenção a Francisco.
Alguns ignoram o Papa. Há resistências de quem não deseja mudar, não quer viver de modo comprometido ou, simplesmente, trabalhar mais. Parecem aqueles do filho mais velho da parábola do pai misericordioso [cf. Lc 15,11-32]: por que tanta atenção ao filho pródigo? Por que abrir tanto às pessoas?
Mas há resistências mais estruturadas. Desvaloriza-se o discurso do Papa, demasiado simples, ele é contraposto àquele de Bento XVI, mais elevado e douto (desse modo, se vai contra o profundo sentimento do Papa emérito). Para uma visão ideológica do cristianismo, a Igreja não deve crescer, mas se bloquear em um modelo ou numa fórmula. Talvez, não se dá conta dos graves desafios, em várias partes do mundo, direcionados ao cristianismo.
As muitas resistências são um sinal de que o Papa está mudando a Igreja. O historiador sabe, porém, que nos anos 1900 um Papa jamais teve tantas resistências como Francisco. Houve a forte crítica pós-conciliar a Paulo VI. Mas, então, havia uma contestação geral em relação a todos. Critica-se Bergoglio porque descuidaria dos valores éticos. Ele insiste que sua preocupação é comunicar, sobretudo, o coração do Evangelho. A atitude do Papa, não propensa ao clericalismo, abriria caminho à crítica (indisciplinada) dos fiéis em relação aos bispos e aos padres.
Na realidade, as pessoas acolhem o exemplo do Papa como estímulo para todos. Não é positivo criar um movimento de interesse pela Igreja e pela fé? A verdade é que o Papa, com suas intervenções, abriu o coração, revelou pensamentos, preocupações e prioridades. Não se comportou de modo político com a Igreja. A sua sensibilidade é pastoral. Pede para compartilhá-la numa renovada missão. Uma proposta franca e evangélica coloca todos diante de suas próprias responsabilidades. Desse modo, nascem as resistências. Mas, acima de tudo, um vasto povo de Deus colocou-se em movimento: em direção a uma nova escuta do Evangelho  e às pessoas. Como não ficar contente com isso?
Tradução do italiano por Telmo José Amaral de Figueiredo.

Andrea Riccardi é um historiador e acadêmico italiano. Graduado em História Contemporânea pela Universidade de Estudos de Roma III, é notável estudioso da Igreja na Idade Moderna e Contemporânea, bem como fundador da Comunidade de Santo Egídio.
Fonte: Famiglia Cristiana

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado por comentar. Sua participação é muito importante para nós.